Vamos falar da RuPaul: Born Naked

Nossa, vamos voltar a falar da RuPaul neste blog, please? Ainda mais agora que o "RuPaul's Drag Race" estreou no Multishow com uma dublagem mega engraçada? Olha, não sou muito fã de certos programas dublados, como "Sex & the City" ou "Friends", mas a dublagem do reality show mais vinhado do planeta ficou, no mínimo, baphônica, vai...
Só achei mega estranho eles começarem pela última temporada, a mais fraca de todas. Talvez em seguida eles pulem para a primeira, mas enfim... isso pouco importa. O válido é divulgar a cultura drag queen e gay para o maior número possível de pessoas, mesmo que essa cultura seja um pouco diferente (ou até mesmo distante) da nossa, néam? Já fui em cada show de drag queen que... JESUIS!

Enfim, se o "Glamazon" é um álbum bem marromenos na minha opinião, "Born Naked" pelo menos rende boas faixas dançantes e não sai tanto do foco travesty music. O álbum foi lançado em fevereiro de 2014 e teve uma divulgação ainda menor que os trabalhos anteriores. Seu lançamento foi simultâneo com a sexta temporada de "RuPaul's Drag Race", mas, diferente dos álbuns anteriores, foi "divulgado" apenas nesta temporada. Aliás, essa temporada rendeu uma das melhores vencedoras até hoje, a Bianca del Rio. Seu talento e timing para a comédia são únicos!
O enxuto tracking list de hoje  foi totalmente produzido pelo Lucian Piane (tesãozinho):

1- Freaky Money
2- Sissy that Walk (single)
3- Geronimo (single)
4- Dance with U
5- Adrenaline
6- Can I Get an Amen
7- Fly Tonight
8- Modern Love (single)
9- Let the Music Play
10- Born Naked

Vou começar sendo bem franca: eu não sei qual é o tipo de vinhado que se identifica com Freaky Money, só sei que não sou eu. Ai, um hip hop travesty chato pragraio!
A pérola do álbum é, sem dúvidas, Sissy that Walk. Isso sim é música de viado, RuPaul! Embora tenha ganhado um vídeo clip divino no final da sexta temporada, cadê os remixes baphônicos?! Até hoje não me conformo com essa divulgação cagada! O dance despirocado da versão original tem muito potencial! Já Geronimo... nem o delicinha do Lucian Piane a salva da fogueira. Aim, não sei se o problema tá em mim, mas essa pegada não cola comigo, não. Sorry.

Dance with U é uma delicinha. Mais um dance super bem produzido e digno pras buatchis que merecia ter virado single, mas também sofreu da divulgação duvidosa que o álbum inteiro recebeu.
A bicharada continua fervendo com Adrenaline, um bate cabelo modernoso e performático com uma tal de Myah Marie (prazer, Maddyrain). Aí vem o gospel acústico de Can I Get an Amen com a nossa diva Martha Wash. Aim, olha... amo a Martha Wash, mas acho que ela foi mal aproveitada. Essa mulher nasceu pra berrar em hinos gays!
Felizmente em seguida temos Fly Tonight, mais uma delícia de bateção de cabelo que tocava no final dos episódios da sétima temporada. Se eu fosse a RuPaul eu contratava uns DJs dignos e remixava essa porra...

Na reta final do álbum, Modern Love mantém o clima buatchi fervendo às duas da manhã. Talvez eu tiraria a parte narrada pela RuPaul e deixava no instrumental mesmo, mas enfim... A música ganhou um clip onde a dyva tá MARAVILHOSA! Isso define o termo "drag queen", meus amores!
A nossa (não tão) querida Michelle Visage participa de Let the Music Play, um dance com pegada old skool que podia ser mais acelerado. Outra faixa boa. Por fim, Born Naked, com participação de Clairy Browne (quanto xente nova tô conhecendo hoje!). A versão original é aquele tipo de rock que eu SUPER dispenso. A música foi remixada e ganhou clip no final da (péssima) sétima temporada. Essa versão dance é mil vezes melhor, mas a falta de talento das três finalistas não empolga.

Mostrando o gay power que o programa "RuPaul's Drag Race" ajudou a reconstruir no coração da biluzada, "Born Naked" é o álbum de maior sucesso da RuPaul na Billboard, mesmo tendo estreado lá na posição 85. Que loucura! Desde "Supermodel of the World" que a bunita não dava as caras na Billboard, vejam só!
Na verdade verdadeira, o mais curioso é que a RuPaul lançou outro álbum no ano seguinte, o "Realness", coincidindo com a estreia da setima temporada de "RuPaul's Drag Race". Eu super não tava esperando algo novo tão cedo e achei que ela divulgaria o "Born Naked" por pelo menos mais uma temporada, mas enfim... vai entender o que se passa na cabeça da drag queen mais famosa do mundo, néam?

Don't Go Breaking My Heart

Remix
Moroder 12" Mix
Moroder 7" Mix
Serious Rope 12" Mix
Serious Rope 7" Mix
Serious Rope Dirty Dub Mix
Serious Rope Instrumental Version
MK Mix
Sanchez Club Mix Edit
Sanchez Radio Mix Edit
Sanchez The Runaway U Betta Work Bitch Mix
Sanchez Dub Mix


Eton e RuPaul chupando meu edy:
Amore, hoje é dia do dueto mais vinhado do mundo! Elton John e RuPaul! Poderia ser mais glam do que isso!? "Don't Go Breaking My Heart" é um dance super gostosinho cortesia do legendário Giorgio Moroder. Podem se jogar na versão Remix pra dançar bastante e ahazzar na dublagem. Claro que o estilo é mega ultrapassado, mas gostosinho mesmo assim.
Serious Rope 12" Mix segue uma linha mais house, com pianinho e tudo, mas não é mega empolgante. Aliás, nenhum remix de hoje é aquela coisa... assim... neca de outro mundo. Se gostar das batidas house, se joga também no Serious Rope Dirty Dub Mix. O MK Mix é outro que não empolga muito, mas serve como nostalgia de uma época house gostosa e que há de voltar um dia!
Por fim, os remixes promocionais do Roger Sanchez são os melhores de hoje. Se joguem no Sanchez Club Mix Edit, mas já aviso que a qualidade não tá aquelas coisas. O Sanchez The Runaway U Betta Work Bitch Mix também é mega válido. Um dub super despirocado e recomendado. Por fim, o ÓTEMO Sanchez Dub Mix! Porque o babadu é esse: ahazzar na cornetinha!

Maddyrain não tem, Maddyrain quer:
Aim, xente, vamos juntar o poder glam da tia Elton John com o poder travesti da RuPaul e conseguir esses remixes pra mim!

edited 12" remix 4:15
don't go dubbing my heart mix 6:29
sanchez club instrumental 7:32
sanchez's man's rubba dub mix 6:56

1 Bilus felizes:

Fini disse...

Acho o Lucian tão criança que não dá pra sentir nada. Só vontade de apertar até matar ahahaha e Sissy that Walk é uma boa música pra contar pro mundo todo que você é gay e não tá nem aí pra isso.
Beijos.

Alô?! Maddyrain chamando!

Você acaba de adentrar as entranhas do mundo de Maddyrain, uma profissional da "náiti guêi" de São Paulo que ama house music e decidiu fazer a boazinha e compartilhar parte de seu acervo musical.

Filhos da Maddyrain

Ocorreu um erro neste gadget

Maddyrain recomenda!

Arquivos da Maddyrain

Você é da caravana de onde?

Clientes:


Mais detalhes da clientela