Vamos falar da Mariah Carey: Memoirs of an Imperfect Angel

Parece que Mariah Carey tava com fogo no kool quando lançou o "E=MC2" porque mal havia acabado de divulgá-lo voltou rapidinho pro estúdio e começou a trabalhar no "Memoirs of an Imperfect Angel". Xente, antes de mais nada e não me chamem de implicante, mas olhem o tamanho desse título! Mariah, meu amô, você não é os Pet Shop Boys. Fika a dika!
Bom, é difícil não pensar que Mariah e sua gravadora foram bastante gananciosos e se precipitaram ao lançar o "Memoirs" tão rápido. Na verdade, enquanto ele era produzido, Mariah comentou que seu novo trabalho seria um retorno ao passado com um álbum todo focado nas baladinhas. Bom, até aí tudo bem, néam? Mariah sabe (ou sabia) ahazzar com suas baladas. O problema é que o "Memoirs" foi basicamente produzido por apenas duas pessoas diferentes e antes que alguém levante a mão e diga "Tzá... mas a Madonna também tem vários álbuns produzidos por um ou dois produtores", vale lembrar que a xente não tá falando da Madonna, okay? E todo mundo tá careca de saber que os produtores r'n'b são um tanto quanto limitados... Tá nem todos, mas os que a Mariah geralmente trabalha, são!

Enfim, pouco mais de um ano após lançar seu álbum anterior, Mariah lançaria o "Memoirs of an Imperfect Angel" que, como falei, seria uma espécie de retorno às origens e seu álbum mais íntimo e pessoal até então. Aim, super me cansa esse papinho de artista pop. Todo último trabalho é o mais pessoal, já perceberam?
O tracking list do "Memoirs of an Imperfect Angel" é o seguinte:

1- Betcha Gon' Know (The Prologue)
2- Obsessed (single)
3- H.A.T.E.U. (single)
4- Candy Bling
5- Ribbon
6- Inseparable
7- Standing O
8- It's a Wrap
9- Up Out My Face (single)
10- Up Out My Face (The Reprise)
11- More Than Just Friends
12- The Impossible
13- The Impossible (The Reprise)
14- Angel (The Prelude)
15- Angels Cry (single)
16- Languishing (The Interlude)
17- I Want to Know What Love Is (single)

Como dá pra ver, o "Memoirs of an Imperfect Angel" levou bem a sério seu conceito de ser as memórias da Mariah e é dividido como os livros geralmente são: com prólogo, prelúdio e interlúdio (este mais presente em óperas e peças musicais). Para a abertura e apresentação do "Memoirs" temos Betcha Gon' Know, uma baladinha r'n'b bem interessante e com instrumental digno. Gostei! O primeiro single lançado foi Obsessed, música que até onde sei fala sobre o Eminem, que encarnou na Mariah e passou a espalhar fofoca sobre ambos. Eu MEGA desconfio que o Eminem tem um pauzinho bem juvenil, viu Mariah? Ignora que é melhor. Enfim, "Obsessed" é aquele típico hip hop que a bunita tem feito há anos. Nenhuma grande novidade.
H.A.T.E.U. é uma balada bem lentinha pra deixar tocando depois que fofou pra pegar naquele sono gostoso. Bem bonitinha. Candy Bling continua nessa pegada de love r'n'b que o álbum propôs.

O começo de Ribbon me lembra BASTANTE "Bad Romance"! Não o instrumental, claro, mas algo ali me lembrou a melhor música da Lady Gaga (guardem as pedras, okay?!). Bom, "Ribbon" é mais uma prova da mesmice que a Mariah gosta de fazer hoje em dia. O mesmo dá pra dizer de Inseparable. Mais uma balada r'n'b que por algum motivo obscuro foi escrita pela Cyndi Lauper. 
Embora Standing O dê uma quebrada nessa avalanche de calcinhas meladas, não adianta esperar muita coisa dessa aqui, não. Mas aí vem It's a Wrap pra voltar ao clima "fofando no gueto".
Up Out My Face ganhou remix e clip com a Mariah toda trabalhada no séquiso barato com a NOJENTA da Nicki Minaj. Tô pra ver nascer criatura mais feia e desprezível! Enfim, a música é um hip hop gostosinho sem inovações, porque... enfim... estamos falando da Mariah, néam? A versão Reprise é tocada por aquelas bandas de time de futebol americano e tá aí pra encher linguiça.
More Than Just Friends é mais animada e lembra um pouco o clima de "Obsessed". Não morri de amores, mas também não foi ódio a primeira ouvida. O mesmo não podemos dizer de The Impossible. Aim, muito chata e parada!

Para o prelúdio, ou seja, o começo do fim, temos Angel, que me lembrou a sonoridade que a Mariah buscou com o "Butterfly" lá nos idos anos 90. Eu sei que a bunita nem canta nada e só fica naquele gritinho típico dela, mas as batidas... enfim é um ponte pra boa Angels Cry, que embora não invente a roda, não desaponta. 
O interlúdio é Languishing, uma baladinha com piano que poderia ter sido produzida tranquilamente pelo mestre Walter Afanasieff e puxa a MARAVILHOSA I Want to Know What Love Is. Uma balada digna dos antigos sucessos da Mariah. Amo! Amo! Amo! Um daqueles breves e raros lampejos em que ainda acredito no meu poder lamb.

Bom, vamos combinar que um álbum entupido até o talo de baladinhas r'n'b não era exatamente o que o público tava esperando da Mariah Carey. A bunita podia ter ficado mais um tempinho quietinha antes de lançar mais um álbum, mas não... a máquina de dinheiro não pode parar nunca e o resultado foi num dos maiores fracassos comerciais da carreira dela.
Para tentar atrair uma audiência ainda maior, a gravadora planejou o lançamento do "Angeld Advocate", uma coletânia de remixes r'n'b/hip hop das músicas do "Memoirs" com participações especiais em praticamente todas as faixas. Bom, o álbum foi cancelado junto com o "MC vs JS", uma coletânia com praticamente todas as músicas do "Memoirs" remixadas pelos Jump Smokers. Todos esses cancelamentos fizeram a Mariah voltar pra casa com o rabo entre as pernas e pensar num álbum novo a partir do zero, mas não sem antes lançar mais uma COLETÂNIA NATALINA!

I Want to Know What Love Is

Low Sunday Tempo Mix
Donnie Hotwheel Tempo Mix
Moto Blanco Club Mix
Moto Blanco Club Edit
Moto Blanco Dub
Cutmore's Club Shakedown
Cutmore's Radio Shakedown
Nu Addiction Club Mix
Nu Addiction Club Edit
Nu Addiction Dub
Chew Fu Club Mix
Chew Fu Radio Fix
Chriss Ortega Club Mix
Chriss Ortega Club Edit


Sim, comi todo aquele bolo de brigadeiro:
Amore, "I Want to Know What Love Is" é um cover da banda Foreigner que é hit da Alpha FM. A versão da Mariah é um mela-calcinha super no estilo das baladinhas clássicas da bunita. O clip é de uma breguice sem fim, mas atórein o visual inspirado na capa do primeiro disco da Mariah.
Donnie Hotwheel Tempo Mix é bonitinho, meiguinho e fofolete pra tocar na rádio. Outro calminho é o Low Sunday Tempo Mix. Tem uma pegadinha downtempo r&b bonitinha. 

Mas, enfim, lamb que é lamb é phemynyna e gosta de bater o cabelo. Todo mundo já conhece o estilo do Moto Blanco. Eu gosto, mas cansa um pouco a minha beleza intestinal. Os remixes são todos muito iguais e não fogem do estilo club dance. O Moto Blanco Club Mix é bem acelerado e gostoso pra dançar na buatchi. 
Nu Addiction Club Mix também segue a linha club diva, mas em alguns momentos os vocais da Mariah ficam um pouco fora de sincronia com as batidas. Eu já tô cansada de falar que sou uma trava dubística, então se joguem no Nu Addiction Dub! Uma delícia!

Chew Fu vivia remixando a Lady GaGa, mas sempre acho que ele caga no maiô da moça. Não que isso seja um problema pra ela, néam? Com a Mariah ele até que acertou a mão. O Chew Fu Club Mix não é tão vinhado, mas super válido pra tocar nas buatchis mais comportadas. Mas se você quer bater o cabelón, SUPER se joga no Chriss Ortega Club Mix! Pura glória travesti! Uma loucura.
Pra quem sente saudades do David Morales ahazzando com a Mariah, temos o competente Cutmore's Club Shakedown. Resumindo, meus amores, todos os remixes de hoje são válidos! Vamos acabar com essa conexão de merda!

1 Bilus felizes:

Bilu Demanding disse...

TO CHANGE THIS LONELY LIFE-LI I I I IFE (High note)
Eu voltei, tá meu bem! Ai e voltei linda num dos álbuns que mais gosto da bunita, e que você vai gostar também! Não tem como não gostar dessa lindeza, é tudo igual, e é enorme, mas é tão lindo e tão, mas tão, Mariah Carey que a xente ama assim mesmo!
Betcha podia ser tão melhor sem aqueles 'tututu'. Angels Cry também foi single, com o Ne-Yo. Caguemos. E mortinha que você acha IWTKWLI Boa. Mortíssima.
Uma beija da sua seguidora que não te abandonou. BD.

Alô?! Maddyrain chamando!

Você acaba de adentrar as entranhas do mundo de Maddyrain, uma profissional da "náiti guêi" de São Paulo que ama house music e decidiu fazer a boazinha e compartilhar parte de seu acervo musical.

Filhos da Maddyrain

Ocorreu um erro neste gadget

Maddyrain recomenda!

Arquivos da Maddyrain

Você é da caravana de onde?

Clientes:


Mais detalhes da clientela