Diva do elevador

Tenho vivido uma vida dupla no É Difícil Flama: pra alguns moradores, incluindo minha digníssima zeladora, D. Branca, sou Alejandro, novo inquilino do segundo andar que divide o apartamento com seu amigo Fernando (quem disse que Lady Gaga não marcou minha vida?!). 
Por outro lado, alguns poucos já tiveram o prazer de cruzar com Maddyrain, diva da náiti guêi de São Paulo, e isso inclui a outra travesti do edifício, Stephany Rocha, e seu marido gostoso (mas de pernas finas e careca precoce), Guiga. Até quando viverei esta vida de mentira? Não sei, mas sou vinhado, néam? Gosto duma ilusão.

Sábado de manhã, voltava da buatchi completamente desnorteada. Quem nunca parou na feira pra comer pastel quando volta da balada? Sentei no banquinho de plástico, cruzei as pernas numa pose bem phemynyna e mandei pra dentro dois pastéis e um copo de caldo de cana. Paguei e desci pra casa cogitando se comprava mais um. Aim... naum. Três pastéis é muito até mesmo pra mim.
Litta Walitta tinha arranjando um boy (nada) magia e tinha ido sei lá eu aonde atendê-lo. Voltei sozinha pra casa de metrô, piruka mais pra lá que pra cá, maquiagem diluída numa obra de arte duvidosa. Todos me olhavam estranho. Tô cagada, caralho!? Aim, mania de brasileiro ficar olhando pra tudo! Se aqui fosse San Francisco ninguém nem se incomodava comigo, mas não... tô na porra da linha laranja indo pra Barra Funda, néam? Fazer o que?!

Acho que a ira me dá fome, não sei. Decidi parar na barraca de temperos só pra jogar meu charminho vagabundo no vendedor gatinho. Desci a rua segurando um saquinho de plástico com pimenta-do-reino e alecrim desidratado numa mão e na outra a bolsinha Le Postiche.
E lá vamos nós pro campo minado de baratas. Vou falar pra Dona Branca comprar aquelas ratoeiras de baratas. Barateiras. Sei lá que nome tem aquela buceta. Meu kool, que não sou obrigada! A porta do elevador fechava quando alguém gritou ainda da entrada do prédio.

_ Opa, segura aí que vou subir também! - hmmm... voz masculina. Claro que eu seguro, meu amô! Se fosse mulher, eu puxava a porta com força! Sobe de escada, bruaca! Era Guiga, o marido da travesti do primeiro andar.
_ Hmmm... mas que surpresa. Na verdade, que preguiça, hein? Você não mora no primeiro andar?
_ Sabe como é... eu tava correndo até agora no Minhocão. Tô cansado. - e deu aquele sorriso que é capaz de fazer você jogar a sua calcinha na primeira lixeira.
_ Então vai ter que subir até o... oitavo andar... e descer de volta pro primeiro! - e sai apertando todos os botões que nem loka. Dei aquele sorriso de bicha bêbada que é capaz de fazer qualquer ativo virar passivona.
_ Não faz isso, pelo amor de todos os deuses! - senti uma coisa... assim... bem phêmea na voz do bophy - Esse elevador é velho! Não vai aguentar o tranco!
_ Eu te protejo, meu amô. - e soltei a frase mais ativa que eu já soltei na vida. Guiga já tava em pânico segurando-se contra a parede. Será que ele me via como uma bicha papão? - Eu vou aproveitar nossa viagem pra papar tua neca. Você tem sido um menino muito malvado se envolvendo com aquela trava.
_ Do que você tá falando!? Socorro! 
_ Calaboca! Seja homem! - e peguei no saco dele. O medo dele era tanto que senti minha mão molhar. Que seja porra. Que seja porra. Que seja porra. Que seja porra. Olhei pra baixo e vi um filete de água escorrendo pelas perninhas peludas e finas. Fiquei lúcida NA HORA - Você por acaso acabou de se mijar todo, foi!?
_ Eu tenho medo de elevadores!
_ E por que cacete quis tomar elevador pra ir até o primeiro andar?!
_ Só pra fazer graça. - não sabia se metia uma bufa naquele rostinho bonito ou se propunha um golden shower.
_ Meu amô, vou te ensinar uma coisa muito sábia que me ensinaram logo cedo na vida: nunca descongele a comida que você não vai comer, tzá? Agora vem cá, me dá um abraço. Isso... pode chorar. Chora, melbéin. Tudo vai ficar bem...

E o elevador seguia parando de andar em andar. Por sorte eu tô muito bêbada e isso aqui foi tudo um sonho by Balalaika.

Um beijo,
Maddyrain

I'm the One You Need

Radio Edit
Single Edit
Extended Club Version
Dead Zone Version
Def Dub Version
Driza Bone 12"
Driza Bone 7"
Funky Chicken Mix
Funky Chicken Version
Funky Chicken & Waffles Radio Edit
Funky Chickstrumental


Você precisa de um pouco de Maddyrain na sua vida:
Pra ser bem curta e direta ao ponto, "I'm the One You Need" da Jody Watley é um pop bem comum e gostoso, mas nada além disso. Pode ouvir o Radio Edit pra reconhecer alguns versos usados pelas Destiny's Child em "Independent Women" (ou eu que tô ficando loka?!).
O Extended Club Version é de ninguém menos que nosso muso David Morales. Temos aqui um classic house bem típico do início dos anos 90. Não fará você sair dançando pela casa, mas é uma delicinha. O Dead Zone Version é uma espécie de dub mais underground, enquanto que o Def Dub Version foca na parte house phyno. Os remixes do Driza Bone são bem... dispensáveis. Estão aí pras completistas de plantão.

Maddyrain não tem, Maddyrain quer:
Aim, assim... meu kool, néam?

instrumental edit  3:56
extended vocal version  6:19
radio edit with rap  4:58
radio edit without rap  4:41
instrumental  5:31
dub  5:33

5 Bilus felizes:

Fini disse...

Ai morri HUSHUSHS golden shower no elevador não dá.

---

Cadê a Maraia?

---

Maddy, conhece Habits (Stay High)? Acho maravilhosa, e os remixes nem são tão previsíveis, tem muita coisa boa ;)

Maddyrain disse...

Aim, mas vocês me cansam a beleza intestinal com a Maria Carêi, hein!? Calma, amore... eu preciso sentar e ouvir esses CDs novos dela inteiros antes de postar e isso leva tempo, néam?

E de quem é essa "Habits"?

Um beijo,
Maddyrain

Fini disse...

É da Tove Lo, uma moça que nasceu ontem e vai sumir mais rápido do que apareceu. Mas tem uma coisinha boa aqui e outra ali. Procura no youtube. O clipe é super vida contemporânea. Beijinhos.

Maddyrain disse...

Aim, eu ouvi aqui e achei okay, mas não tem essa caralhada de remixes pra ganhar um post, meu amô. Mas obrigadjénha pela dica, viu?

Um beijo,
Maddyrain

Fini disse...

Ai não acredito que eu indiquei música sem remix. Bem, vale pela versão original e pelo único remix oficial lançado. Beijinhos

Alô?! Maddyrain chamando!

Você acaba de adentrar as entranhas do mundo de Maddyrain, uma profissional da "náiti guêi" de São Paulo que ama house music e decidiu fazer a boazinha e compartilhar parte de seu acervo musical.

Filhos da Maddyrain

Ocorreu um erro neste gadget

Maddyrain recomenda!

Arquivos da Maddyrain

Você é da caravana de onde?

Clientes:


Mais detalhes da clientela