Vamos falar da Mariah Carey: Rainbow

Olha, não é fácil ser Mariah Carey, viu? Enquanto a carreira da bunita ainda lhe rendia bons frutos, com álbuns e singles de sucesso, a vida pessoal dela tava toda cagada. Após se separar de Tommy Mottola, a vida da Mariah dentro da Sony virou um inferno que só acabaria com sua saída da gravadora.
Sim, Mariah já havia tomado as rédeas da sonoridade que queria explorar cada vez mais em suas músicas, o r'n'b/hip hop, mas de que adianta comandar sua carreira se sua gravadora tá decidida a não divulgar seu trabalho adequadamente? Mariah aprenderia que tinha largado a neca de Tommy Mottola cedo demais...

"Rainbow" foi lançado no final de 1999 e sua maior novidade foi a porta fechada na cara do Walter Afanasieff. Gomoasí, Mariah!? O cara é o responsável pelos seus maiores sucessos! Pois éam, meus amores. No more Walter! Foi uma escolha certeira? Não, não foi. Embora o "Rainbow" ainda conte com um bom número de baladinhas bem no estilo vocal da Mariah, parece que algo ficou faltando, sabem?
A maior parte da produção do álbum ficaria a cargo da dupla Jimmy Jam e Terry Lewis, responsáveis por praticamente toda a discografia da Janet Jackson. Pra ajudar na fraca divulgação, quatro singles foram retirados do "Rainbow", mas apenas "Heartbreaker" teve um tratamento digno de Mariah Carey. Além disso, a bunita 
saiu em turnê pelo mundo e desta vez voltou a fazer shows nos Estados Unidos, mas nada conseguiu tornar o "Rainbow" tão bom quanto os álbuns anteriores. O tracking list é o seguinte:

1- Heartbreaker (single)
2- Can't Take that Away (single)
3- Bliss
4- How Much
5- After Tonight
6- X-Girlfriend
7- Heartbreaker (Remix feat. Da Brat and Missy Elliott)
8- Vulnerability (Interlude)
9- Against All Odds (Take a Look at Me Now) (single)
10- Crybaby (promo)
11- Did I Do That?
12- Petals
13- Rainbow (Interlude)
14- Thank God I Found You (single)
15- Theme from Mahogany (Do You Know Where You're Going To) (faixa escondida das edições internacionais)

"Rainbow" não abre muito diferente do álbum anterior, "Butterfly". Se pensarmos na coletânia "#1's", também não difere muito, naum. Heartbreaker é um pop r'n'b bem gostosinho que conta com a parceria com o cagado Jay Z, o qual detesto a enésima potênica. Tenho paúra desse homem que, de alguma forma, conseguiu casar com a Beyoncé. Enfim, o clip de Heartbreaker é uma GRAÇA sem fim com duas Mariahs brigando entre si. Aliás, o "Rainbow" é essa batalha entre a Mariah das baladas e a Mariah dos guetos. Vejamos quem ganha...
Can't Take that Away é a primeira baladinha do álbum e não podia estar mais dentro dos moldes de toda uma discografia repleta de músicas mela-calcinhas. A letra é praticamente uma sessão de autoajuda em grupo toda trabalhada num instrumental dramático e gritos escandalosos. Não posso deixar de citar o clip que é MEDONHO de tão mal feito. Já os remixes (que já apareceram por aqui não muito tempo atrás) são dubalacubacu!
Bliss retorna ao terreno r'n'b, mas puta musiquinha sem graça. Mariah até tenta seus gritinhos no background, mas please, bitch... don't. How Much é idêntica a várias outras músicas da época, principalmente as das Destiny's Child. Vem com a participação do delicinha Usher que participaria melhor na minha cama me fofando a noite inteira. 

Aim, eu ADÓGO o clima diva da depressão latina de After Tonight! Uma baladinha bem a cara de quem não sabe porque trepou com quem trepou. Ou então o melô da racha que trepou sem camisinha e não sabe se engravidou. Uma coisa... assim... bem Big Brother Brasil. Um dos pontos altos do "Rainbow". X-Girlfriend não é péssima, mas podia ter saído num álbum das Destiny's Child sem grandes mudanças. Aim, que preguiça dessa sonoridade r'n'b do final dos anos 90. Tudo igual!
Em seguida, somos "agraciados" com Heartbreaker (Remix). O remix baphônico do Junior Vasquez a bunita não quis colocar no álbum, néam? Vadia. Enfim, vocais regravados pruma base hip hop chata. Ganhou um clip que considero uma afronta aos valores e costumes da família brasileira. Completamente desnecessária a Mariah toda molhada lavando o carro com as tetas. Pra mim é o decreto de falência da Mariah que eu tanto amava.
Vulnerability é um peidinho antes de Against All Odds (Take a Look at Me Now), regravação do Phil Collins. Já fiquei muito cagada com essa música no passado... nos meus idos 16-17 anos. Mais uma baladinha linda bem típica da Mariah. Ela ahazza nessa aqui.

Cry Baby, outro r'n'b (mas pelo menos sem a cara das Destiny's Child), chegou a ser lançada junto com "Can't Take That Away". Não é ruim, mas super não tenho saco escrotal pra essa sonoridade que ficou cada vez mais marcante na carreira da Mariah. Digo o mesmo de Did I Do That? Não chega a ter uma produção cagada ou repetida, mas são tantos "mas" que... meu kool. Tenho mais o que fazer, Mariah! Já perceberam que não tem nenhum pop gostosinho e chiclete no álbum? O que não é balada no "Rainbow" é hip hop/r'n'b.
E aí vem Petals. Xente, tinha até esquecido dessa baladinha super bonitinha! Outra em que a Mariah ahazza. Pelo visto só gosto mesmo é das baladas do "Rainbow"... Bom, Rainbow é outro peidinho e antecede Thank God I Found, um r'n'b românticuzinho todo trabalhado no nadismo. 
  
Embora o "Rainbow" não tenha chegado em primeiro lugar na Billboard (ficou preso na segunda posição), conseguiu chamar a atenção das lambs pros barracos pessoais da Mariah. Quase que uma prévia pra chuva de nena que viria a ser a vida da bunita. Meu amô, nesse céu não tem arco-íris, naum!
Como já tô cansada de falada, eu já havia mega pendurado as minhas sapatilhas em relação à Mariah Carey e só conseguia ouvi-la cantando baladinhas nessa época. Enfim, após terminar a divulgação zoada do "Rainbow", Mariah queria apressar logo sua saía da Sony e veio com o "Glitter", o primeiro grande fracasso de sua carreira...

Thank God I Found You

Album Version feat. Joe and 98°
Celebratory Mix feat. Joe and 98°
StarGate Radio Edit feat. Joe and 98°
Make It Last Remix feat. Joe and Nas
Make It Last Remix w/o Rap feat. Joe
Make It Last Remix Edit feat. Joe and Nas
Make It Last Remix Edit w/o Rap feat. Joe
Make It Last Remix Instrumental
Make It Last Remix Instrumental - No Piano Bridge


Tá vendo essa capa? Todinha feita no PhotoShop.
Aim, já tô até me preparando pra escapar da chuva de pedrada que receberei por postar "Thank God I Found You" ao invés de qualquer outros single melhor tirado do "Rainbow", mas vejam só: quando é que vocês teriam a oportunidade de conhecer os remixes dessa música pra lá de esquecível, néam? Maddyrain só pensa em vocês no final das contas, bichas mal agradecidas!
Enfim, "Thank God I Found You" é de uma sem gracice extrema. Aliás, a única qualidade da música é ter a participação da boy band 98°. Amores, MEGA rolaria um gang bang gostoso com todos os membros, tzá? Só queria deixar isso bem claro. Fazia um bukake right now. Quanto à música, podem ouvir a Album Version, mas não esperem nada além duma baladinha bem xoxa.

Mas toda essa xoxice não impediu "Thank God I Found" de ganhar remixes e dois clips diferentes. O Celebratory Mix dá uma agitada na original, mas a sonoridade é pra lá de datada. Chupar a neca do 98° continua sendo a nossa meta. Será que Mariah catou os moços?! Acho que sim, viu... Bom, o StarGate Radio Edit mantém a música no terreno "balada mela-calcinha", mas consegue ser bem melhor que a versão original.
O Make It Last Remix é a versão r'n'b com vocais regravados e tem lá seu charme, ainda mais por usar sample de "Can't Let Go" da própria Mariah.

5 Bilus felizes:

Bilu Demanding disse...

Esse remix de Heartbreaker é uma loucura. Imagina a colação que rolou entre as três?

Lord N Music disse...

Oi Maddy, você soube que a Mariah tá voltando pra Sony de novo (Epic Records)??? depois do flop do Me, I Am Mariah foi, A Def Jam/Island desacreditou total nela. Será que ainda tem mais uma esperança dela voltar o que era antes, ou mais um peidinho pra lista de cagadas? queria saber de você.

To ansioso pra ver você massacrar o Glitter. hahahah

Beijos sua linda.
Lord N.

Maddyrain disse...

Gato, não coloco mais NENHUMA fé na Mariah...

Um beijo,
Maddyrain

Fini disse...

Nem tanto, Maddy, nem tanto. Parece que vão investir pesado no retorno, e se der lucro já vão preparar um álbum de inéditas.
A Kylie também tá desempregada. Coitada da bunita, mas com aquele álbum maromenos, e uma turnê tão xoxa, não dava pra segurar...
beijos.

Maddyrain disse...

Da Kylie eu tava sabendo. Pois éam, meus amores, não tá fácil pra ninguém. Por isso, não larguem seu emprego de operador de telemarketing por enquanto!!

Um beijo,
Maddyrain

Alô?! Maddyrain chamando!

Você acaba de adentrar as entranhas do mundo de Maddyrain, uma profissional da "náiti guêi" de São Paulo que ama house music e decidiu fazer a boazinha e compartilhar parte de seu acervo musical.

Filhos da Maddyrain

Ocorreu um erro neste gadget

Maddyrain recomenda!

Arquivos da Maddyrain

Você é da caravana de onde?

Clientes:


Mais detalhes da clientela