Velando Fabinho das Bananas

Ainda com o corpo pesado e sarado... e morto... de Fabinho das Bananas estirado ao meu lado na cama, comecei a me lembrar de quando nos conhecemos.

Fabinho andando de motocicleta pelas poucas ruas da Ilha do Bororé. Na verdade, era uma mobilete, mas abaphe the case...
Fabinho usando nada além de sua roupa de treino de seda preta praticando golpes marciais no bananal de sua família à margem da Represa Billings. Aim, que corpo, Fabinho. Foi paixão à primeira ereção. Uma ereção devidamente contida pelo Emplastro Sabiá.
E Fabinho me abraçava por trás enquanto esquentávamos banana com canela num latão de tinta na pracinha da Ilha...
Como eu ficava loka do meu kool enquanto assistia aquela estátua grega nadando pelas águas turvas da Represa. Fabinho me abraçava e eu sentia sua neca dura querendo escapar daquela sunguinha vagabunda da Renner. Ele cutucava meu edy com fervor... com paixão... aquilo é que era amor.
Mas Fabinho também era preguiçoso, aquele danado. Não fazia a barba. Eu que tinha que barbeá-lo pra não ter toda a pele do meu edy arrancada pelos seus pelos duros durante o cunete. Tudo no Fabinho era duro... 
E a xente adorava brincar de Twister no chão de terra batida da casa dele. Era difícil se equilibrar, é verdade, mas como nos divertíamos. Depois ele vinha pentear minha piruka com tanta força que seria possível fazer outra piruka com os cabelos que ele arrancava de mim. Aquele homem era um touro!
Depois íamos pro banho onde trepávamos com calor... com bastante gozo... aquele corpo molhado todo definido. Eu me sentia num filme pornô.
E depois mais uma partida de Twister ao som do violão no buteco da esquina.

E cá estou toda cercada pela orquestra sinfônica da Ilha do Bororé relembrando meu amor pela neca... pelo corpo... de Fabinho das Bananas.
Mandei construir um Teatro Municipal na Ilha só pra minha performance. Para lembrar do Fabinho das Bananas me encoxando no banho, eu dando iogurte grego na colher pra ele, a xente quase quebrando a bacia naquela porra de Twister, nossos corpos entrelaçados nas águas da Represa Billings... e Fabinho das Bananas sentado com cara de "vou te comer daqui a pouco" coçando o queixo.

Xente... usar narcóticos proibidos por leis brasileiras no luto dá um barato... assim... singular! 

Un-Break My Heart

Album Version
Album Instrumental
Album Acappella
Spanish Version
Diva Mix
Uptempo Mix
Soul-Hex Anthem Vocal
Soul-Hex No Sleep Beats
Soul-Hex Acappella
Frankie Knuckles Franktidrama Mix
Frankie Knuckles Franktified Dub Mix
Frankie Knuckles Radio Mix
House of Heart
House of Heart Extended
Soft Soul Mix
Breakdown Mix
188 Street Mix


Idaím que eu quero esses motivos greco-romanos nada a ver na capa do meu single?!
Xente, demorou... e demorou pragarai, mas eis que temos o retorno triunfal de Toni Braxton por estas terras com seu maior hit, "Un-Break My Heart", a música que mais fez bilus se retalharem na História! Olha, eu nem tenho o que falar dela, néam? Eu imagino que qualquer ser humano com a audição okay já a tenha escutado pelo menos uma vez na vida!
Se você misteriosamente não a conhece... o que me leva a crer que você talvez não é terráqueo... se jogue na Album Version. Toni Braxton tem uma das vozes mais bonitas que eu conheço, mas também tem o dom de ser chata como ninguém mais. Se você ainda tá no curso de espanhol da Wizard, pratique com a Spanish Version, porque... afinal... o espanhol tem o dom de tornar qualquer música a coisa mais brega do mundo, néam?

Quem assumiu o fardo de remixar "Un-Break My Heart" foi verdadeiro herói, porque é difícil imaginá-la dançante, néam? Bom, nem tanto! Hex Hector não ia dar conta do recado sozinho e juntou-se ao Soul Solution pra fazer o Soul-Hex Anthem Vocal. Um bate cabelo mais travesti impossível. É de longe um dos remixes mais sem graça da discografia do Hex Hector. O Diva Mix é bem engraçadinho porque é a versão original pela maior parte do tempo e depois despiroca pro lado trava da força.
Quem realmente brilhou nos remixes... e hoje brilha lá no céu (owwnnn)... é nosso eterno muso Frankie Knuckles. Não consigo imaginar "Un-Break My Heart" sem o classic house maravilhoso que o Knuckles criou pra ela. Se jogue com todo seu poderio no Frankie Knuckles Franktidrama Mix. O bunito tava pra lá de inspirado!
Só recentemente fui descobrir que o nosso DJ Cuca havia remixado "Un-Break My Heart" e que o House of Heart tocou horrores nas rádios daqui! Sabe que esse dance gostosinho não me é estranho, néam? Sempre achei o Cuca mega talentoso e o House of Heart é prova disso! Jás as outras versões... a xente podia ter ficado sem elas, Cuca...

3 Bilus felizes:

N disse...

Thanks for TONI & JAMIROQUAI mixes!

Maddyrain disse...

N, you're always welcome!

Kisses, Maddyrain

Anônimo disse...

Que legal, só conhecia 3 remixes!!!!

Alô?! Maddyrain chamando!

Você acaba de adentrar as entranhas do mundo de Maddyrain, uma profissional da "náiti guêi" de São Paulo que ama house music e decidiu fazer a boazinha e compartilhar parte de seu acervo musical.

Filhos da Maddyrain

Ocorreu um erro neste gadget

Maddyrain recomenda!

Arquivos da Maddyrain

Você é da caravana de onde?

Clientes:


Mais detalhes da clientela