Vamos falar da Celine Dion: A New Day Has Come

Depois de ficar de molho por dois anos e não lançar nenhum álbum de estúdio desde o esmagador "Let's Talk About Love", todos os fãs da Celine Dion estavam subindo pelas paredes querendo saber o que a bunita lançaria no seu próximo trabalho. Sim, é verdade que tivemos a coletânia "All the Way" nesse hiato, mas nada se compara a um álbum novo, néam?
Eu havia debandado do navio e decidido que só acompanharia a Celine pelos singles lançados... e confesso que acabaram passando por baixo do meu radar. Sei lá... acho que tava cansada da sonoridade dos álbuns dela, embora o "Let's Talk About Love" esteja constantemente tocando enquanto limpo a casa.

Enfim, para ajudar no ressurgimento, Celine chamou alguns de seus produtores velhos de guerra, como Ric Wake, Richie Jones, Walter Afanasieff e Humberto Gatica, e trabalhou pela primeira vez com o duo Ander Bagge e Peer Astrom, que produziam músicas mais animadas e viriam a trabalhar com a Madonna no "Confessions on a Dancefloor".
Celine havia acabado de dar a luz quando iniciou a produção do "A New Day Has Come", então imaginem como deve ter sido gostoso lidar com ela nesse período, néam? Os nervos deviam estar à flor da pele, mas se tem alguém que eu não consigo imaginar dando piti é a Celine. Parece ser uma pessoa tão serena, néam? E também sem muita noção de vergonha alheia (vide suas apresentações ao vivo "tocando" air guitar). 

"A New Day Has Come" foi parido em março de 2002 num mundo ainda em choque após os ataques de 11 de setembro. Li que Celine não queria aparecer na capa do álbum em respeito às vítimas, mas a Sony acabou lhe convencendo a ser fotografada pelo Patrick Demarchelier. Nada como ser volúvel! O tracking list final do álbum com seus pouquíssimos singles é o seguinte:

1- I'm Alive (single)
2- Right in Front of You
3- Have You Ever Been in Love
4- Rain, Tax (It's Inevitable)
5- A New Day Has Come (Radio Remix)
6- Ten Days
7- Goodbye's (The Saddest Word) (single)
8- Prayer
9- I Surrender
10- At Last
11- Super Love
12- Sorry for Love
13- Aun Existe Amor
14- The Greatest Reward
15- When the Wrong One Loves You Right
16- A New Day Has Come (single)
17- Nature Boy
18- All Because of You (bônus da edição limitada)
19- Could Woulda Shoulda (bônus da edição limitada)

E parece que Celine Dion fez sua lição de casa direitinho. "A New Day Has Come" abre com I'm Alive, uma delicinha de pop midtempo. Não há absolutamente nada a se odiar nela; Celine ahazza nos vocais e o instrumental é todo bonitinho. Estrelinha na testa da Celine Dion! Right in Front of You já vem com mais um desempenho vocal impressionante. Uma balada super bonita e gostosa. O refrão gruda na xana e não sai nem após várias lavagens (vulgo "xuca").
Pra não fugir muito do estilo "classic Celine", Have You Ever Been in Love é o primeiro momento mela-calcinha do álbum. Curiosamente, a balada foi produzida pela mesma dupla responsável por "Get Together", da Madonna. Levanta a mão quem queria um segundo "Something to Remember"? Enfim, vamos voltar à Celine, néam? Pra quebrar a qualidade, temos a horrível Rain, Tax (It's Inevitable). Simplesmente... ruim.

A New Day Has Come vem em duas versões. O "Radio Remix", produzido pelo Ric Wake, tem toda uma pegada midtempo que muito me agrada. Celine ahazza nessa música em ambas versões, mas a "Album Version", com produção do Walter Afanasieff, segue a linha mais tradicional das baladas dela. É tudo uma questão de clima.
Ten Days segue um caminho mais... rock... que é esquisito ouvir num álbum da Celine, mas não é ruim, não. Tentando apagar seu passado "monomusical", parece-me que Celine quer colocar o pezinho em todos os ritmos musicais no "A New Day Has Come". Reprisando a parceria iniciada na coletânia "All the Way", Goodbye's (the Saddest Word) tem produção do Mutt Lange e conta com Shania Twain nos backing vocals (meu leitor Fini tava certo em seu comentário no último post sobre a Celine). Uma balada super bonita e tristonha que fala sobre perder a mãe. Terreno perigoso, Celine... Não queira carregar o peso de milhares de bilus suicidas nas costas, meu amô.

Continuando a pincelagem de estilos musicais, Prayer é uma balada toda trabalhada no gospel. Bonita, ainda mais se você gostar de um coral gospel ahazzando. Ainda nas baladas, I Surrender é uma balada sem grandes mistérios pra quem é fã da Celine Dion. 
At Last já foi regravada por toda uma população de um pequeno país europeu e a versão da Celine não desaponta, só que é mais do mesmo. Super Love, que foi bônus apenas nas edições internacionais do álbum, vai pro lado oposto e propõe algo mais agitado... e mil vezes mais chato. Ninguém teria dado pela sua falta se não tivesse sido lançada em lugar nenhum. Uma segunda "Rain, Tax". 
Sorry for Love parece ser uma lição de como fazer dance de qualidade no meio da mesmice. Uma delícia e podia ter sido lançada como single promocional com alguns remixes babadinhos. Aun Existe Amor é a versão em espanhol de outra música da Celine, "L'amour Existe Encore". Balada, meu amor. Gritos, meu amor. Celine Dion, meu amor.

The Greatest Reward é cover de uma música em francês. Mais uma balada com vocal potente e instrumental forte. Não sei se Celine já cantou essa música ao vivo, mas acho que ficaria divina. Gata, se você estiver me lendo, fica a dica! 
When the Wrong One Loves You Right é o último suspiro uptempo do álbum. Um pop/dance bonitinho, mas não dá pra confiar nas produções do Richie Jones e Ric Wake, que são pra lá de inconstantes. Ou acertam ou erram feio. O álbum fecha com Nature Boy, outro cover, e que pode levar os mais fortes ao sono com o dueto Celine e piano. 
A edição limitada veio com duas músicas bônus. Como uma ("Coulda Woulda Shoulda") acabou sendo relançada no próximo álbum, All Because of You é quem merece nossa atenção hoje. Sim, é mais uma baladinha, mas é bem bonitinha. Bem cara de final de álbum mesmo.

Meus amores, "A New Day Has Come" é um dos álbuns de maior sucesso da carreira da Celine Dion e não resta motivos do porquê. A produção é impecável, a escolha dos (poucos) singles foi certeira e Celine demonstrou que era capaz de caminhar por diversos estilos musicais, não apenas o básico mela-calcinha. Na minha opinião, esse é o único defeito do álbum, além da TERRÍVEL "Rain, Tax (It's Inevitable)". Quando saiu do feijão com arroz, Celine ficou na superfície com algumas músicas.
Pra alguém que havia sugerido uma aposentadoria prematura, Celine viria com outro álbum exatamente um ano após o lançamento do "A New Day Has Come". Tava inspirada a bunita, mas será que o público e a crítica musical tavam com saco pra mais Celine Dion em tão pouco tempo?

I'm Alive

Humberto Gatica Mix
The Wake'Up Mix
Johnny Rocks World Anthem Remix
Johnny Rocks Rhythm Radio Edit
Joe Bermudez Reincarnation Club Mix
Joe Bermudez Reincarnation Radio Edit
Laurent Wolf Remix
Maurice Joshua Vocal Mix
Maurice Joshua Radio Edit
Maurice Joshua Dub


Tirei essa foto pro catálogo da Avon, mas também usei no meu single:
Xente, "I'm Alive" é uma gracinha só! Que música bonitinha! Adoro e vejam só quantos remixes ganhou (pra um single da Celine). A música foi lançada como segundo single do "A New Day Has Come" e também fez parte da trilha sonora do filme "Stuart Little 2". Bom... até o Michael Jackson já teve música sua pra filme sobre rato, néam? Não vamos julgar ninguém aqui.
O Humberto Gatica Mix é BEM próximo à versão original com algumas pequenas mudanças aqui e ali. Nada de fora do comum. Acabou substituindo a original na divulgação. No entanto, o The Wake'Up Mix é a versão que ganhará nossos corações hoje. Ric Wake e Richie Jones simplesmente ahazzaram usando samples de "Heart of Glass", do Blondie. Uma explosão de fofurice.

Pra se jogar na buatchi, temos o Johnny Rocks World Anthem Remix. Johnny Rocks na época me agradava bastante e eu apostava todas minhas fichas nele como sucessor do Thunderpuss. Infelizmente, o moço sumiu do mapa também. O remix dele é um club dance bem gostoso e válido. O Joe Bermudez Reincarnation Club Mix é um tanto mais contido, mas interessante também. Podia se jogar mais no glamour.
Em 2008 a música foi relançada pra divulgar a coletânia "My Love: Essential Collection" e ganhou o Laurent Wolf Remix. Uma releitura moderna bem digna, viu? Enfim, no ano seguinte fui pega de surpresa quando saíram os remixes do Maurice Joshua. Pensei "Xente... mas por que?!" O Maurice Joshua Vocal Mix tem toda uma vibe chill out bonitinha, mas podia ser algo mais soulful house, néam?

12 Bilus felizes:

Fini disse...

AMAY essa análise! Não sei se é porque a-mo o álbum, magostarem como desandar. Com tanta música boa ele entra na lista de favoritos de qualquer ser que aprecie pop.
I'm alive é uma delicia, e de 10 pessoas que ouvem, 10 gostam. É incrível como essa música é adorada. Confesso que próximo álbum tem músicas mais fortes, mas esse é muito coeso.
beijocas :)

Bilu Demanding disse...

Ela tá xerecuda nessa foto. Cruz, catálogo da Avon total.
Adorei os remixes de hoje. Gosto de coisas mais neutras assim, pra deixar tocando. Música ambiente, sabe

Fini disse...

Maddy, por que você não nos responde mais?

Maddyrain disse...

Fini, amore, não respondi porque não rolou nenhuma pergunta, ué! Aloka. Mas amo quando vocês simplesmente comentam, concordam ou discordam do que escrevo.

Um beijo,
Maddyrain

Lord N Music disse...

Maddy, o que você achou do vazamento da versão super deluxe do Rebel Heart da Madonna? Fiquei super triste com Wash All Over Me, que do dance da versão demo, virou balada orquestrada, mas no final achei digno, e você?

Beijão.

Maddyrain disse...

Gato, eu baixei ontem e passei o dia de hoje escutando e posso falar uma coisa? Amei. Melhor álbum da Madonna desde o Confessions, embora não seja um feito muito difícil de se conseguir, néam?

Algumas versões são melhores na versão demo? Sim, sem dúvidas, mas enfim... não consigo desmerecer a versão finalizada se ele for boa... ainda mais tendo a versão demo em MP3 pra eu ouvir quando quiser, néam?

Tô me segurando pra não fazer já um "Vamos falar do Rebel Heart", mas tô com medo de ser bloqueada, banida e excomungada pelo blogger! ahahahaah

Um beijo,
Maddyrain

Lord N Music disse...

Eu também gostei bastante do resultado final e eu percebi que todo ano com final 5, a Madonna dá um show! Confessions foi lançado em 2005 e o Rebel Heart é esse ano. será que é algum ritual místico? hahaha

Fiquei feliz com o álbum, mas quem tá explodindo de raiva é a Madonna. Espero que ela não desconte esse piti dela na divulgação né?

Mais um beijo. <3

Maddyrain disse...

Mas não é a primeira vez que um álbum dela vaza antes do lançamento, néam? É que dessa vez foi uma loucura sem fim... que eu mega amei! Eu geralmente me seguro e prefiro comprar o álbum sem ouvir, mas não consegui me segurar dessa vez!!!

Um beijo,
Maddyrain

Jiló disse...

5 vezes vazado não dá. Onde essa mulher guarda seus arquivos? No pc do milhão, ou da xuxa? E querem que acreditemos que não tem dedo dela nisso?
Ainda não encontrei links disponíveis, e isso me motivou a esperar.
1 beijo e 1 queijo.

Maddyrain disse...

Eu acho... só acho... que ela tava usando computador de lanhouse... sei lá...

Anônimo disse...

Acho esse álbum o mais balanceado em relação à quantidade de baladas. E as faixas dance são maravilhosas. Esse álbum é do piru.

Maddyrain disse...

"Esse álbum é do piru"! AMEI!!!!

Alô?! Maddyrain chamando!

Você acaba de adentrar as entranhas do mundo de Maddyrain, uma profissional da "náiti guêi" de São Paulo que ama house music e decidiu fazer a boazinha e compartilhar parte de seu acervo musical.

Filhos da Maddyrain

Ocorreu um erro neste gadget

Maddyrain recomenda!

Arquivos da Maddyrain

Você é da caravana de onde?

Clientes:


Mais detalhes da clientela