Vamos falar da Celine Dion: Let's Talk About Love

E finalmente chegou o momento mais aguardado da discografia de nossa kérida Celine Dion, meus amores! Chegou o momento pelo qual a bunita sempre sonhou! O momento em que toda criatura terrena teria seu edy abduzido e arregaçado pela música mais chiclete de todos os tempos!
Claro que Celine já tinha alcançado o patamar máximo do sucesso com o "Falling into You", mas ela comprovaria que o céu não é o limite com o "Let's Talk About Love". Xente, a Celine Dion deveria me contratar pra escrever seus textos publicitários, néam?

Bom, pra começar, a produção do "Let's Talk About Love" não apresentou grandes mudanças em relação aos álbuns anteriores. Ric Wake ficaria novamente com as pouquíssimas faixas mais agitadas, enquanto que Walter Afanasieff, David Foster, Humberto Gatica e Corey Hart seriam os responsáveis pelo batalhão de baladas. Desta vez, Celine apresentaria mais duetos e participações especiais, como Carol King, Diana King, Bee Gees, Luciano Pavarotti e a diva das mariconas, Barbra Streisand. Olha, eu gosto bastante do dueto entre as duas, mas não dá pra Dona Streisand me descer sozinha. Muito chata! 
Enfim, "Let's Talk About Love" foi feito para brilhar (e como brilhou). Musicalmente falando, não é tão diferente assim do "Falling into You". Os singles se destacam com sua produção impecável, as faixas dançantes ainda estão um tanto deslocadas e as músicas pra encher linguiça são, no mínimo, bonitinhas e inofensivas. 

Meu amô, não tinha como Celine não se tornar a escandalosa mais adorada da sua época, deixando Mariah e Whitney pra trás. Vale lembrar que por volta de 1998, Mariah lutava bravamente pra entrar no gueto atrás da casa dela e a Whitney se jogava no padê tentando achar um meio de voltar a ser aclamada pelo público e crítica. Além disso, não vamos nos esquecer do filme "Titanic" e a mega ultra exposição que ele deu à Celine! Aposto que uns 70% das pessoas que compraram o "Let's Talk About Love" comprou apenas pela "My Heart Will Go On".
O álbum foi lançado em novembro de 1997 (e eu o ganhei no meu aniversário de 15 anos no ano seguinte...) e contou com o seguinte tracking list:

1- The Reason (single)
2- Immortality (single)
3- Treat Her Like a Lady (single)
4- Why Oh Why
5- Love is on the Way
6- Tell Him (single)
7- Where is the Love
7- Amar Haciendo el Amor (edições internacionais)
8- When I Need You (promo)
9- Miles to Go (Before I Sleep) (promo)
10- Us
11- Just a Little Bit of Love
12- My Heart Will Go On (single)
13- I Hate You Then I Love You (promo)
14- To Love You More (single)
14- Be the Man (edições da Europa, Austrália e Japão) (single)
15- Let's Talk About Love

Xente, vamos iniciar os trabalhos, porque hoje o babadu é longo e todo trabalhado na dignidade. "Let's Talk About Love" abre alas com a maravilhosa The Reason, escrita por ninguém menos que Carol King. A produção é assinada por George Martin, que produziu uma cacetada de músicas dos Beatles (não que eu me importe muito). A música é linda e potente... uma balada foda seguida pela linda Immortality, com os Bee Gees. Aliás, Celine é a irmã perdida da família Gibb, porque a voz é super parecida! Admito que nunca tive muita paciência pros falsetes dos Bee Gees além das músicas crássicas, mas Immortality me arromba. Ela ganhou promo aqui no Brasil com remixes do Cuca que são pra lá de decepcionantes. A breguice do clip a xente também deve ignorar.
Celine podia ter nos privado de Treat Her Like a Lady, música original de Diana King. A voz dela simplesmente não combina com o estilo reggae e ninguém contou isso pra ela! Maldade! Foi o último single do álbum e ganhou alguns poucos remixes, mas certas coisas não têm salvação. 

Why Oh Why é uma baladinha bem bonitinha e inofensiva. Ninguém vai morrer ao ouvi-la. Love is on the Way é outra no mesmo esquema que a balada anterior. Não se destaca, mas também não ofende. Pra alegria das mariconas, Celine juntou-se à Barbara Streisand em Tell Him. Imaginem quanta gente ficou contente com esse dueto! A música é linda, mas grita "diva" por todos os cantos. Felizmente, Celine e Barbara não ficam disputando pra saber quem é a mais ryka... ufa!
Where is the Love é outra balada bonita e com produção impecável. Celine ganha todo espaço que precisa pra subir às alturas de sua extensão vocal. Por aqui, ficamos com a chata Amar Haciendo el Amor no lugar, toda trabalhada na latinidade cafona. Música de abertura da novela do SBT...

When I Need You acabou virando promo apenas aqui no Brasil, mas merecia uma atenção maior. É cover de uma música que eu nunca tinha ouvido antes (e poderia ter vivido o resto da minha vida sem conhecê-la tranquilamente), mas a versão da Celine é simplesmente ahazzante e mil vezes mais bonita. Miles to Go (Before I Sleep) é outra balada super digna e inofensiva. Enche a linguiça com graça, enquanto que Us vem ahazzar com o melodrama.
Pra animar um pouco... pouco estávamos mesmo precisando... temos Just a Little Bit of Love, um dance house bem gostosinho, mas continuo com minha opinião de que é difícil a Celine acertar seu tom com músicas mais aceleradas.

E então chega a vez de My Heart Will Go On, aqui levemente diferente da versão da trilha sonora do "Titanic". É difícil falar dela sem pensar no quanto essa música tocou na época até estufar o edy de todas as criaturas da Terra. Enfim, é o tipo de canção em que a voz da Celine se encaixa perfeitamente. É linda, orquestral e dramática. Me cago até hoje por ela e mereceu todo o sucesso universo que teve. Não sei se já falei isso antes por aqui, mas não sou uma vinhada fã de opera, então o dueto com o finado Luciano Pavarotti, I Hate You Then I Love You, nunca me tocou. Sempre pulo a faixa quando estou escutando o álbum.
Curiosamente, um dos primeiros singles tirados do "Let's Talk About Love" foi Be the Man, uma faixa bônus cantada originalmente em japonês! Que coragem, viu? Prefiro a versão em inglês, que é menos risível. Aliás, é uma baladinha bem gostosinha. To Love You More foi lançada mais uma vez e ganhou até um novo single com remixes do Tony Moran. Eu amo! Acho um looshu a parte final em que a Celine grita, grita e grita mais um pouco! Super bonita! A versão brasileira do Daniel a xente finge que não existe!
Enfim, o álbum fecha com Let's Talk About Love, que seria perfeita se não tivesse um coral infantil. Acho a letra super bonita e vou me cagando toda até aquelas benditas crianças começarem a cantar! Por que, Celine?! Por que!? 

Eu não preciso nem falar que o álbum vendeu como água no deserto, néam? Segundo o wikipedia, é um dos álbuns mais vendidos na história! Que loucura! Acho que o único grande problema de fazer um sucesso assim tão absurdo é o que vem depois dele. Celine nunca mais lançaria nenhum álbum com tamanha exposição e nenhuma música tomaria o lugar de "My Heart Will Go On". Ai dela se faz um show sem cantar essa música! É capaz que leve pedrada!
Também foi o último álbum da Celine que eu comprei. Depois dele, passei a acompanhar sua carreira meio que só pelos singles lançados e só recentemente fui atrás das outras músicas. Sei lá... acabou perdendo a graça pra mim (além da Madonna ter tomado seu lugar no meu coração juvenil). Após o "Let's Talk About Love", Celine lançaria um álbum de músicas natalinas, o qual irei deixar passar pelo simples fato de não termos nenhum single com remixes pra postar e comentar. E não reclamem! Pelo menos o "Merry Christmas" da Mariah vai aparecer por aqui!

Um beijo,
Maddyrain

My Heart Will Go On

Radio Remix
Soundtrack Version
Alternate Orchestra Version (low quality...)
No Lead Vocals
Richie Jones "Unsinkable" Club Mix
Richie Jones "Unsinkable" Edit
Richie Jones "Go On" Beats
Tony Moran's Anthem Vocal
Tony Moran's Anthem Edit
Soul Solution Drama at Sea Mix 
Soul Solution Mix
Soul Solution Bonus Beats
Soul Solution Percapella
Matt & Vito's Unsinkable Epic Mix
Matt & Vito's Penny Whistle Dub
Cuca's Dance Mix
Cuca's Radio Mix


Tô só de olho em você, Titanic! Você vai me fazer ryka!
Eu não vou nem perguntar se vocês conhecem "My Heart Will Go On" porque qualquer terráqueo já cansou dela e não a aguenta mais. Eu confesso que ainda adoro e sempre escuto! A graça do dia fica com a Soundtrack Version, que tem a produção ligeiramente diferente da versão do "Let's Talk About Love". O Radio Remix nada mais é que a inclusão de alguns diálogos do filme "Titanic" na música. Odeio e quando tocava nas rádios na época eu achava de um mau gosto sem fim! Se jogue também na versão No Lead Vocals, que é o instrumental OFICIAL, porque eu quero ver você liberar essa Susan Boyle que existe dentro de você lá nos karaokês da Liberdade!

Dizem as más línguas que foi um bafafa pra lançar os remixes de "My Heart Will Go On". Parece que o marido da Celine não queria deixar a biluzada dançar ao som do maior hit da carreira dela. Isso tem nome na minha terra: recalque. Fika a dika. Enfim, o gay power venceu o balofo e uma garaiada de remixes foram lançados. 
A melhor versão é SEM DÚVIDAS o Richie Jones "Unsinkable" Club Mix. Super dance pra você ahazzar na buatchi e também na dublagi. Eu já bati muito o cabelón com esse remix. Recomendo! Não tenho muitos remixes do Richie Jones, mas esse é um desbunde!
O Tony Moran's Anthem Vocal é aquela coisa básica que o Tony Moran fazia antes de virar divo das travas: pegava as baladjinhas, colocava umas batidas dance house gostosas e entupia de backing vocals escandalosas. O que ele tem feito atualmente a xente abapha...

O Soul Solution Mix segue a linha "sou dance, sou drama queen". Uma coisa com batidas pesadas, uns sinos e pianinhos lokos do meu kool. Enfim, algo... assim... bem phemynyna. O Cuca's Dance Mix é bonitinho, mas muito calma-lá-minha-filha. Não dá pra colocar isso pra tocar na buatchi, Cuca! Por fim, nunca fui fã dos remixes do Matt & Vito, então ignoro lindamente o remix "épico" deles. 

13 Bilus felizes:

Bilu Demanding disse...

A xente pode super pular o álbum de natal e curtir ao máximo os próximos álbuns, que de longe são os melhores de sua carreira.

Engraçado como o mundo dá voltas. Quem estava em seu auge caiu ladeira abaixo, e quem estava na mesma deu um salto olímpico.

Um beijo.

Maddyrain disse...

Aim, amore, tô com fome e pouco inteligente. Quem é que estava no auge e caiu e quem é que tava na mesma e deu salto olímpico?

Um beijo,
Maddyrain

Bilu Demanding disse...

Salto de qualidade, amore. Mariah e Celine, respectivamente.

Maddyrain disse...

Gato, até fui comer um sanduíche recheado de valor calórico pra dar uma acordada! Sim, sim. Concordo, mas Maria Carêi teve lá seus encontros secretos com os narcóticos, néam? Perdeu toda a dignidade, que nem a Whitney...

Bilu Demanding disse...

Ain, também não estou muito bem. Quem decaiu foi Maraia e quem subiu foi Céline. Esse calor não está me favorecendo... nem um pouco...

Lord N Music disse...

Maddy, você não vai falar bem por cima da coletânia All The Way?? Você sabe que tem os remixes de I Want You To Need Me né?

Depois te mando um remix que eu fiz de My Heart Will Go On que eu fiz. hahahahah

E você sabia que o Barry Harris voltou a remixar?? Dá uma olhada nisso: https://soundcloud.com/barry-harris

Sobre a Mariah, talvez você não goste muito de Through The Rain, mas você já ouviu o remix do HQ2 (Hex Hector) pra essa música?

Um beijão bem grande pra você Maddy.

Maddyrain disse...

Lord N, kérido, vou falar do All The Way, sim. Já peguei todos os remixes que precisarei pra esse post, obrigadjénha!

Gosto de "Through the Rain", viu? No meio de tanta cagada da época, até que não é ruim...

Um beijo,
Maddyrain

Anônimo disse...

Ah, eu gosto do coralzinho no fim de Let's talk about love :( mas a minha favorita mesmo é Us. Ô música pra arrombar koolrações! Tô loka pra ler sobre o All The Way...! :D

luka disse...

Maddy. o link esta off. :(

Maddyrain disse...

Aim, mas aqui tá normal! Vou postar de novo, mas com um nome doido!

Um beijo,
Maddyrain

jonathan disse...

Você poderia se ferir atualizar os links obrigado

um fã francês !!

Jonathan

Anônimo disse...

Você poderia se ferir atualizar os links obrigado

um fã francês !!

Jonathan

Anônimo disse...

Could you please reupload this?

Alô?! Maddyrain chamando!

Você acaba de adentrar as entranhas do mundo de Maddyrain, uma profissional da "náiti guêi" de São Paulo que ama house music e decidiu fazer a boazinha e compartilhar parte de seu acervo musical.

Filhos da Maddyrain

Ocorreu um erro neste gadget

Maddyrain recomenda!

Arquivos da Maddyrain

Você é da caravana de onde?

Clientes:


Mais detalhes da clientela