Vamos falar da Celine Dion: Celine Dion

Posso dizer sem o menor engano que a Celine Dion faz parte da minha vida musical desde muito antes de eu saber o que era ter vida, meus amores. Adivinhem o motivo! Quem falou da música do desenho da Disney, "A Bela e a Fera", acertou! Minha diversão era terminar o VHS e esperar pelo clip bônus após os créditos. Achava tão bonita (e ainda acho)!
Enfim, nem sabia o que era uma Celine Dion... ou que eu teria o CD da bunita anos e anos mais tarde. Aliás, acho que ninguém sabia muito bem quem era ela na náitji naquela época, néam? Embora ela possa ter mostrado as caras para os Estados Unidos com o "Unison", seu verdadeiro desabrochar da borboleta só aconteceu depois que a Celine ganhou diversos prêmios com o single "Beauty and the Beast". Unindo um single de sucesso de trilha sonora com mais um álbum meia-boca temos o quadro geral dos lançamentos da bunita daqui pra frente.

Tadinha, faço parecer que a moça só lançou merda após merda, mas não é bem isso, meus amores. Na minha opinião, a Celine só começa a ficar mais interessante a partir do próximo álbum, então aguardem, tzá?
Enfim, "Celine Dion" levou dois anos para ser composto/produzido e dá pra perceber pelo próprio título do álbum que a intenção geral da gravadora era que ou a Celine fazia sucesso desta vez ou "volte pro Canadá, querida!" No entanto, não esperem uma puta mudança musical em relação ao Unison, viu? Embora a produção seja melhor, ficando basicamente a cargo do Walter Afanasieff (responsável pelos primeiros álbuns da Mariah Carey) e Ric Wake, que produzia faixas dance pra Deus e mundo, "Celine Dion" ainda é predominantemente um álbum de baladinhas mela-calcinha.

Lançado em fevereiro de 1992, alguns meses após o lançamento de "Beauty and the Beast", o tracking list final do "Celine Dion" é o seguinte:

1- Love Can Move Mountains (single)
2- Show Some Emotion
3- If You Asked Me To (single)
4- If You Could See Me Now
5- Halfway to Heaven
6- Did You Give Enough Love (promo)
7- If I Were You
8- Beauty and the Beast (single)
9- I Love You, Goodbye
10- Little Bit of Love
11- Water from the Moon (single)
12- With this Tear
13- Nothing Broken But My Heart (single)

Quem ouve a primeira música, Love Can Move Mountains, pode até pensar que dessa vez Celine iria ahazzar no dance, mas não é bem assim. Após uma introdução cagada e desnecessária de um minuto, eis que vem a voz potente da diva com as backing vocals gospel que sempre me deixam cagada. Uma faixa super gostosa.
E vamos pra baladinha arroz com feijão, néam? Show Some Emotion é de uma cafonice sem fim. A cara das baladinhas dos anos 90 e que hoje me soam tão... mas tão chatas. If You Asked Me To foi o principal single do "Celine Dion", se descontarmos "Beauty and the Beast". Não é nada além de uma baladinha soft rock com o refrão extremamente grudento. Hit da Alpha FM, mas confesso que sempre canto quando toca. Não me julguem!

Acho que o principal problema destes álbuns da Celine Dion são muitas baladinhas emendadas. If You Could See Me Now é de um melodrama que... Jesuis! Segure a navalha pra não cortar os pulsos ao ouvi-la! Embora Halfway to Heaven não esteja na mesma categoria melosa, saxofones em músicas assim disparam automaticamente um sinal de "música de motel" no meu cérebro. Sério... há uma infinidade de músicas com os mesmos elementos musicais espalhadas pelos anos 90.
Did You Give Enough Love teve um lançamento promocional bem humilde e até ganhou alguns poucos remixes, que eu nunca escutei, além de um video clip todo preto e branco todo trabalho na estética dos anos 90. A base dance é quase a mesma utilizada em "Love Can Move Mountains", sem grandes mistérios. Salva por quebrar o ciclo interminável de baladas. Mas só quebra mesmo, já que logo depois temos If I Were You, mais um momento mela e caga na calcinha do álbum. É até bonitinha. Pelo menos não tem a mesma cara de outras tantas baladas da mesma época.

Beauty and the Beast foi a música que fez todo mundo enxergar o talento vocal da Celine Dion. Um dueto lindíssimo com Peabo Pryson (prazer, Maddyrain. Aim, pera... você também fez o dueto pra música do Alladin, néam? Nossa... que currículo prolífico!). Tenho certeza que todo mundo que viveu essa época como criança lembra dela e não dá pra falar muito: música de desenho da Disney. Ponto final.
Vamos continuar na mesmice com I Love You, Goodbye. Eu sei que a Celine tem bastante fãs fanáticos, mas eu não consigo traçar um perfil desse povo sem pensar "Jesuis, será que não enjoam de tanta balada atrás de balada?" Little Bit of Love acaba sendo a música mais diferente do álbum, já que não é mais uma balada, nem um dance copia-cola. Um pop uptempo bem produzido pelo Humberto Gatica, que viria a trabalhar com a Celine em outras oportunidades.
"Celine Dion" encerra com três baladas pra saturar o edy de qualquer bilu corajosa. Water from the Moon foi single e vez ou outra toca na Alpha FM. With this Tear foi curiosamente escrita pelo Prince. Agora, como ele ficou sabendo da Celine e se interessou em escrever uma música pra ela é um mistério pra mim! E, finalmente... já que tô cansada de escrever a palavra "balada" no post de hoje, temos Nothing Broken But My Heart, outro single que toca esporadicamente nas rádios especializadas em música de consultório médico e motel.

Vou repetir o que falei lá em cima apenas pra deixar bem claro: muito balada emendada não dá, Celine! NÃO DÁ! É uma mesmice atrás da outra e ouvir o "Unison" e o "Celine Dion" numa tacada só exige esforço homérico.
Felizmente, Celine havia conseguido a atenção que queria, além de descolar um marido pro resto da vida, o seu empresário René Angélil. Não imaginava que a bunita fazia a linha geriátrica, mas parece ser a sina destas cantoras, néam? Vide Mariah Carey.

No próximo post da Celine, o último álbum antes da consagração absoluta como diva vocal escandalosa!

Love Can Move Mountains

Radio Edit
Daniel Abraham's 7" Edit
Tommy Musto 7" Edit
Club Mix
Club Dub (low quality...)
Underground Vocal Mix
Underground Dub (low quality...)
Wake & Jones Dub


Uma neca odara move o meu edy:
Xente, que tal juntarmos hoje breguice com gospel? Aim, tô exagerando, mas eu gosto bastante de "Love Can Move Mountains". A versão original é um pop com pegada dance bem bonitinha com requintes gospeis. Podem se jogar no Radio Edit.
O que é completa vergonha alheia é o clip da música! Assistam até os primeiros quinze segundos e depois se explodam de tanto rir! Fika a dika! Aliás, o clip inteiro merece ser assistido!
"Love Can Move Mountains" ganhou remixes bem bonitinhos. O Daniel Abraham's 7" Edit é bem parecida com a original, acrescentando um pianinho e batidas house super fofas. Podem ouvir sem medo.
A maioria dos remixes ficou a cargo do Tommy Musto, que nem sempre me agrada. O Club Mix é um dance fofolete e MEGA anos 90. Gostoso pra deixar tocando enquanto limpa a casa. O Underground Vocal Mix também segue a linha house/dance que a xente adóga.
Por fim, temos o ótemo Wake & Jones Dub, feito pelo produtor da original, Ric Wake, e o Richie Jones. Eles possuem bastante remixes dos anos 90. Dub de qualidadji pra você.

8 Bilus felizes:

Anônimo disse...

'Jesuis, será que não enjoam de tanta balada atrás de balada?' - não só enjoamos como adoramos qualquer coisa longe desse esquema 'um banquinho, um violão'.

Vamos falar de Maraia?!

Maddyrain disse...

Amore, Mariah aparecerá daqui a pouco, tzá? Deixa eu me ajeitar aqui... aim, que bilu demanding! Me comer não quer!

Um beijo,
Maddyrain

Anônimo disse...

Oi Maddyrain,quando vai ter Madonna?
Queria "Ray Of Light".

Matheus Duarte disse...

Não esqueça da Maraia!
A discografia oscila, mas a bonita merece respeito

Maddyrain disse...

Amore, sem planos para postar "Ray of Light" por enquanto... sorry.

Calma, amore... Mariah vai aparecer muito em breve. Aguardji.

Um beijo,
Maddyrain

Anônimo disse...

Ai,Maddyrain o q vc espera do novo cd da Madonna?
Tou Curioso.

Maddyrain disse...

Aim, olha, eu sempre fico curiosa com um próximo álbum da Madonna, amore. Não gostei muito do "MDNA"... está longeeeee de ser um favorito meu, mas o tempo me ensinou a não esperar muito da Madonna para, assim, eu ser surpreendida!

Um beijo,
Maddyrain

Anônimo disse...

E acabamos sendo positivamente surpreendidos! Que venha a Rebel Heart Tour :)

Alô?! Maddyrain chamando!

Você acaba de adentrar as entranhas do mundo de Maddyrain, uma profissional da "náiti guêi" de São Paulo que ama house music e decidiu fazer a boazinha e compartilhar parte de seu acervo musical.

Filhos da Maddyrain

Ocorreu um erro neste gadget

Maddyrain recomenda!

Arquivos da Maddyrain

Você é da caravana de onde?

Clientes:


Mais detalhes da clientela