Vamos falar da Kylie Minogue: Fever

Depois de velejarmos junto da Kylie com o "Light Years", tava na hora da bunita agarrar a coroa de princesa do pop e fazer juz ao título. Sério, quem é que conhecia ou se importava com a Kylie Minogue antes do "Fever"? Poucas pessoas, tzá? Não vem fazer a linha íntima da bunita que eu sei que a senhora não é!
Eu mesma só fui saber da existência da Kylie quando saiu a resenha do "Fever" na VEJA. Tava na casa do meu então namorado e ele comentou que era o renascimento da Kylie desde a década de 80. Eu sei que é um puta exagero, meus amores, mas pra quem só tinha ouvido "I Should Be So Lucky" e depois "Can't Get You Out Of My Head", fazia todo sentido do mundo!

De toda forma, depois do sucesso de "Light Years", Kylie logo voltou ao estúdio e começou a trabalhar no "Fever", rendendo ótimos frutos.
"Fever" foi lançado em outubro de 2001 deixando apenas um ano de intervalo desde o "Light Years". A bunita tava realmente correndo atrás do tempo perdido. O tracking list do "Fever" é o seguinte:
1- More More More
2- Love at First Sight (single)
3- Can't Get You Out Of My Head (single)
4- Fever
5- Give It to Me
6- Fragile
7- Come Into My World (single)
8- In Your Eyes (single)
9- Dancefloor
10- Love Affair
11- Your Love
12- Burning Up
12- Good Like That (bônus da edição japonesa)
13- Tightrope (bônus da edição australiana)
13- Baby (bônus da edição japonesa)
13- Boy (bônus da edição americana)
14- Butterfly (bônus da edição americana)

Xente, que confusão com essas edições internacionais, néam? Mas não se assuste porque Maddyrain Diva explicará tudo, tzá?
Bom, o álbum abre com More More More, que faz uma ponte perfeita entre o "Light Years" e o "Fever". A música tem um tantinho daquela vibe "vamos a Ibiza" do disco anterior com toda a pegada dance que seria explorada ao máximo no "Fever". Uma delícia! Love at First Sight, terceiro single, se joga completamente no estilo dance bastante recorrente na época em que o álbum foi lançado. A sonoridade lembra Daft Punk, Modjo, Stardust e outras bandas de eletrônico que tocavam até o edy fazer bico. Outra gracinha. A música, não o edy fazendo bico.
Aí vem o chiclete chamado Can't Get You Out Of My Head. Essa música é o grande impulsionador na carreira da Kylie e é até engraçado ouvi-la durante a "On a Night Like This Tour". Parecia que ela não colocava muita fé na música, sabe? Vejam só no que deu... Escolhe perfeita como single para abrir o álbum.

Fever só me pegou de jeito depois de eu vê-la ao vivo na "Fever Tour". É um pop levemente mais lento e bem tradicional, com direito a vocoder e tudo que tava na moda na época. Give It to Me é talvez a única música do "Fever" que eu ignoro completamente! Chata define! Por outro lado, Fragile, a primeira baladinha, é de uma meiguice sem fim. Sempre que a escuto imagino a Kylie toda vestida de fadinha! Muito bonitinha!
Come Into My World veio originalmente numa versão mais lenta e bem sem graça. Felizmente alguém percebeu o potencial da música e o Single Mix foi escolhido para tocar no clip. Aliás, o clip de Come Into My World é um dos melhores da Kylie! Obrigadjénha, Michel Gondry!  

In Your Eyes, segundo single, simplesmente ahazza! É uma das minhas músicas favoritas da Kylie e me faz lembrar com muito carinho dos meus tempos de buatchy com Kilo Minhoca. A sonoridade é uma mistura do dance típico da época com algo que me remete à disco music. Amo e acho o clip bafônico! Também gosto de Dancefloor, mas o começo dela é de uma enrolação desnecessária. Por que não se joga logo na dance music, meu amô!? Enfim, mais uma faixa dançante que ajuda a construir o clima do "Fever". 
Love Affair também segue a mesma linha, mas acho que é menos óbvia que as outras músicas. Sei lá... A segunda e última baladinha do álbum é Your Love. Não tem muito o que falar. O clima agitado do disco dá uma retraída rápida e merecida. Burning Up engana pelo seu comecinho lentinho. Parece até que a Kylie ficou cansada de tanta jogação e decidiu encerrar o "Fever" mais calminha, néam? Mas espere o refrão! A música pega fogo... literalmente! Adoro a performance ao vivo de Burning Up no "Fever Tour"! Uma loucura só!

No Japão, "Fever" veio ainda com Good Like That, mais uma faixa com pegada disco, e Baby, completamente dispensável. Na Austrália, Tightrope foi escolhida. Uma baladinha super fofa e bonita que foi relançada depois na edição limitada para comemorar a "Fever Tour". Aliás, essa edição também veio com Whenever You Feel Like It, tirada da trilha sonora do filme do Scooby-Do. Bem bonitinha e ordinária.
Por fim, os Estados Unidos ficaram com Boy, outra faixa boba e que não acrescenta nada, e Butterfly, que já havia sido lançada no "Light Years". Vai entender...

Adoro a forma como o "Fever" se debruça na dance music e que não sai dela. Talvez hoje em dia a sonoridade seja um pouco datada e repetitiva, ainda mais se comparada com outras músicas da mesma época, mas a importância desse álbum na carreira da Kylie é imensa. Ela foi realmente projetada para o mundo todo, deixando o seu mundinho australiano/europeu, e pôde investir em álbuns futuros mais bem produzidos e turnês cada vez mais faraônicas (e cafonas).
No próximo post eu vou falar do "Body Language"... mas não esperem uma avanlanche de elogios...

Um beijo,
Maddyrain

Can't Get You Out Of My Head

Extended
Extended Instrumental
Instrumental
Abbey Road Sessions
BBC Live Lounge Version
Deluxe's Dirty Dub
Deluxe's Dirty Dub Instrumental
K&M's Mindprint Mix
K&M's Mindprint Mix Edit
Nick Faber Remix
Plastika Mix
Superchumbo Todo Mamado Mix
Superchumbo Leadhead Dub
Superchumbo Voltapella Mix
Mike Rizzo Club Mix
Mike Rizzo Mixshow Mix
Greg Kurstin Remix
Radio Slave Remix Vocal Re-Edit
Radio Slave REmix Dub Re-Edit
Soulwax Elektrobic Mix
Soulwax Kyluss Mix
Can't Get Blue Monday Out Of My Head
Can't Get Blue Monday Out Of My Head - Live Version


Não consigo tirar sua neca de dentro de mim:
Meu amô, se tem uma música que lançou Kylie nas alturas e fez ela virar a queridjinha que é hoje essa música é "Can't Get You Out Of My Head". E a bunita sabe disso, tzá? Acho que nenhuma definição pra essa música pode ser melhor que pop de qualidade. Lembro da primeira vez em que assisti o clip de "Can't Get You Out Of My Head" e pensei Quem caralho é Kylie Minogue? E que caralho de música gostosa! Ou seja, só pensei em caralho (pra variar)! Acho incrível como o título da música tem tudo a ver com ela. Uma vez que você ouve "Can't Get You Out Of My Head" não dá mais para tirá-la da cabeça!
Super se jogue na versão Extended pra prolongar ao máximo esse glamour pop. Em seguida, pratique suas aulas de canto lírico com a Extended Instrumental. Acho uma pena não termos mais singles lançados com versões extended e instrumental.
Como releitura, temos as interessantes BBC Live Lounge Version e a versão lançada no Abbey Road Sessions. As duas são super bonitas e mostram o talento vocal que a Kylie levou anos para desenvolver. Gosto mais da versão lounge da BBC, mas ambas ahazzam no que se propõem.

Infelizmente, no quesito remixes, "Can't Get You Out Of My Head" não foi muito feliz e os remixes são medianos. O melhor de hoje é o Deluxe's Dirty Dub. Vejam só! Um dub é o melhor remix de hoje! Que loucura! A versão do Tim Deluxe é um club dance bem gostoso e com a quantidade certa de vocais. Adoro!
O Superchumbo Todo Mamado Mix é a versão que tocava na época nas buatchis que eu ia e eu ficava passada! Não é o Superchumbo no seu melhor dia e definitivamente dá uma leve cagada na música. O segundo melhor remix de hoje é o promocional Mike Rizzo Club Mix, que foi feito pro público americano, mas nunca foi lançada comercialmente. E como é que me tocavam a versão do Superchumbo nas buatchis!? O remix do Mike Rizzo é um dance bem gostoso e bem feito! Deveria ter ganhado mais atenção, mas acho que a sina do Mike Rizzo era fazer apenas remixes promocionais mesmo.

Os outros remixes realmente não fazem a minha cabeça e nem perderei tempo neles. Ouça e tire suas próprias conclusões.
E para finalizar, o incrível mashup Can't Get Blue Monday Out Of My Head, que foi apresentado pela primeira vez numa performance ao vivo de tirar o fôlego! E pensar que já se passaram doze anos... Que horror!

3 Bilus felizes:

Anônimo disse...

Como amo suas análises, Maddyrain!
E estou louco pra ler sobre o, dispensável (diga-se de passagem), Body Language.

Beijos no coração

Marc disse...

Nem mal vc colocou estes remixes da Kylie e já tá indisponível!!!! Tá Loco!!! :(

Maddyrain disse...

Então corre pra baixar, vinhado, pq eu postei de novo os remixes. Aim, essas leis da internet cansam minha beleza intestinal...

Maddyrain

Alô?! Maddyrain chamando!

Você acaba de adentrar as entranhas do mundo de Maddyrain, uma profissional da "náiti guêi" de São Paulo que ama house music e decidiu fazer a boazinha e compartilhar parte de seu acervo musical.

Filhos da Maddyrain

Ocorreu um erro neste gadget

Maddyrain recomenda!

Arquivos da Maddyrain

Você é da caravana de onde?

Clientes:


Mais detalhes da clientela