Olhar de vinhado

[modo "Madre Maddyrain do Cú-que-Dá" on:]

Sabe, eu recebo muita biluzinha aqui na minha tendinha modestamente armada no Viaduto do Chá que vem sempre com a mesma pergunta: Madre Maddyrain, como eu sei que o bophy que me deixa loka é dubabadu também?. Bom, meu amô, nada pode responder melhor esta tua pergunta do que você chegar no dito cujo, olhar bem no fundo dos olhos dele e lascar a pergunta que toda bilu tem medo de fazer pro cafuçu: Me come?
Se ele fizer cara de nojo, ele não só é dubabadu como também é passiva. Ou seja, fuja ou vire amiga dele, mas sem muitas intimidades. Passiva é uma raça filha da puta. Se ele salivar e lamber os beiços, certifique-se que você fez a xuca antes de chegar até o bophy. Agora, se ele virar um soco na sua cara... ai, meu amô... ele NÃO é dubabadu. Aliás, ele é do hell babadu, néam? Manda pro bueiro.

Muitas coisas denunciam a bilu até mais discreta, meu amô, você só precisa aprender a ler esses sinais. Só que aí é que tá a parte difícil, néam? Se você mora no kool do mundo onde as biluzinhas da cidade são vítimas da integração virtual, postam cada peido no YouTube e são mais femininas que um desfile de lingerie da Victoria's Secret, seu referencial tá um pouco prejudicado.
Mas tem uma coisa que é super fácil de enganar até quem tem o gaydar mais apurado da buatchi, meu amô: o olhar. E sabe por que é fácil ser enganada pelo olhar, meu amô? Porque às vezes misturamos duas coisas perigosas no mesmo balaio: carência e tesão.

Imagine a situação: você trabalha num escritório todo bonitinho. Todo dia vai trabalhar de social: a calça realça as suas curvas tão batalhadas na academia e a camisa destaca os seus músculos moderados. Você podia até fazer sucesso na buatchi, mas prefere não fazer parte "do meio". Você nutre um desejo loko pelo mocinho do departamento de TI, mas também pudera! Ele é uma graça! Novinho, corpinho gostoso que nem o seu, barba por fazer e sorriso arrebatador. 
Você joga café no teclado do computador só pra dar pane em tudo e poder chamá-lo até seu andar. Tenta algum tipo de contato físico nestes momentos. Ele demonstra afeto. É educado. Sorri sempre que te vê no elevador. Conversa com você olhando nos seus olhos e o seu coração dispara. Você sonda o olhar dele. Será que ele também te quer? Aí você decide juntar a carência (por não se relacionar com outros bophys tanto quanto gostaria) com o desejo (por levar uma dedada no rabo). Resultado: além de apaixonado, acha que é completamente correspondido! 
Chama o moço para almoçar. Ele recusa. Nem te conhece direito, né? Só pode ser esse o motivo. Começa a chamá-lo mais à sua mesa. Da última vez, tirou o computador da tomada e disse pra ele que perdeu o trabalho de um mês inteiro. Ele começa a te evitar. Você fica deprimido. Será que ele não te quer tanto assim? Será que tem namorado? Ou, pior ainda, namorada!? Decide fazer a loka e seguir o moço após o serviço um dia qualquer. No caminho, ele se encontra com uma mocreia. Os dois se beijam e o seu pobre coraçãozinho vira cinzas.

Quem nunca? Aposto que tá cheio de xente aí se identificando, néam? Meu amô, quer abordagem melhor do que a explícita? Conheceu um mocinho novo que fez sua pseudo-xana ficar úmida? Faça gracejos... elogios respeitosos. Não precisa chutar tudo e já soltar um Teu pau é grande? É babão? Posso chupar? Esse tipo de abordagem só funciona nos filmes pornôs.
Deixe seu possível interesse claro pro bophy, mas sem ser completamente óbvio. O truque é deixá-lo com a pulga atrás da orelha. Será que esse cara quer dar pra mim ou é assim simpático com todo mundo? Amore, eu sou do tipo que acha que a maioria dos bophys que se dizem heteros pode ser facilmente controlada e chupada. Pense assim, não é toda namoradinha que vai querer dar o edy. Cata a dika.

Seu olhar deve dizer Eu até te dava uns catas e não Eu tô loka pra te catar. Vale lembrar, meu amô, que essas dicas são pra ambientes mais herméticos, néam? Não vai fazer kool doce na buatchi, tzá? Isso tem nome: carão. E de carão Madre Maddyrain foge! Aliás, Madre Maddyrain joga bicha caruda no bueiro!
Meu amô, espero que você saia por aí disparando suas flechinhas do amor com seus lindos olhinhos azuis. Agora se a senhora é cega... fica a pergunta no ar... como você leu tudo isso até aqui!? Madre Maddyrain cura!

Um beijo,
Madre Maddyrain do Cú-que-Dá

[modo "Madre Maddyrain do Cú-que-Dá" off.]

That Look

Hani's Club Mix
Hani's Radio Edit
Hani's Club Look
Hani's Dub Look
Hani's Club Look II
Hani's Club Look II Radio Edit
Deep Dish Remix Parts 1 & 2
Deep Dish Radio Edit
Deep Dish on the Fly Dub
Mike Rizzo's Global Club Vocal
Tsettos & Santana Club Mix
Tsettos & Santana Dub
Robbie Tronco Club Mix
Andy & Lamboy Vocal Mix
DJ Reversal Club Mix
Bettahanuthinapella


O olhar do olho do meu kool:
Hoje é dia pra você sair dançando pela casa, mostrando pra todo mundo que é vinhado, dá o edy e é feliz por isso! "That Look" é um single bem bafônico do De'Lacy, que passou pelos anos 90 quase sem chamar atenção do povo. Eles já apareceram por aqui com minha kérida "Hideaway", que pretendo repostar algum dia após a putagem do MediaFire.
Bom, vou começar falando dos remixes feitos pelo Hani, que (quase) sempre é motivo de bateção de cabelón. Os remixes são todos praticamente iguais, mudando elementos MUITO pequenos, então vou só indicar o Hani's Club Mix e quem gostar que se jogue nos demais. Um dance diva com doze minutos pra você se acabar até não sobrar nada!
A dupla Deep Dish também remixou "That Look", mas não conseguiu repetir o sucesso de "Hideaway". O Deep Dish Remix Parts 1 & 2 é brochante e não empolga. São quinze minutos... isso mesmo, meu amô... quinze minutos de batidas desinteressantes e sem inspiração. Ignorem.

"That Look" misteriosamente ganhou remixes mais atuais (e muito bons, por sinal) após anos do seu lançamento. Vai entender! O Mike Rizzo's Global Club Vocal é um batidão fervido pra você ahazzar na buatchi. O Tsettos & Santana Club Mix é mais tribal e travesti colocada às cinco da manhã. O babadu mesmo fica por conta do Tsettos & Santana Dub, pra tocar enquanto as bilus se pegam no dark room!
O Robbie Tronco Club Mix continua nessa pegada loka do kool, com batidas progressivas que me lembram "I Feel Love" da eterna Donna Summer. Recomendado! Ouça também o Andy & Lamboy Vocal Mix pra continuar na despirocagem. Uma delícia! Por fim, temos o DJ Reversal Club Mix, que segue uma linha mais trance MEGA colocado. Já até vejo as bilus descamisadas da The Week se acabando no carão. Bando de maricona!

Maddyrain não tem, Maddyrain quer:
Aim, às vezes a xente se propõe a postar umas músicas que, por Donna Summer, precisa fazer pacto com alguma divindade misteriosa pra conseguir os remixes! Que uó!

tv track  3:47
deep dish remix parts 1 & 2 eat me edit
hani's radio mix  3:01
mike rizzo's global radio mix  3:32
tsettos & santana radio mix  3:47
filthy rich club mix
filthy rich radio mix  3:32
andy & lamboy dub mix
dj reversal radio mix  3:29

1 Bilus felizes:

Washington Batista disse...

Me identifiquei horrores. Pk viado sofre tanto com esses gatinhos do trabalho????

Alô?! Maddyrain chamando!

Você acaba de adentrar as entranhas do mundo de Maddyrain, uma profissional da "náiti guêi" de São Paulo que ama house music e decidiu fazer a boazinha e compartilhar parte de seu acervo musical.

Filhos da Maddyrain

Ocorreu um erro neste gadget

Maddyrain recomenda!

Arquivos da Maddyrain

Você é da caravana de onde?

Clientes:


Mais detalhes da clientela