Tenda esotérica do amor de Mme. Soraya Místika

Fabinho das Bananas entrou em minha tenda esotérica e sentou no banquinho de frente pra mim. Meus olhos celestias esbugalharam e fiz cara de quem encheu a boca de merda por engano. Ele me olhou preocupado, desviou o olhar e voltou novamente. Olhou pra trás e pros lados pra se certificar de que tava tudo bem.

_ Oi? Algum problema?
_ Eu... eu... - e a cara de kool continuava - Eu sinto uma emanação tão... tão... - olhei os músculos dos braços marcados pela camiseta apertada - Sensual vinda de você. Uma emanação boa, sabe? - a neca ia soltando com cada vez mais força do Emplastro Sabiá.
_ Hmmm... você não me é estranha, Dona Soraya Místika.
_ "Dona" naum, pelo amor de todas as divindades cósmicas deste mundo. Madame, por favor. Acho mais contextualizado me chamar de Madame. Você deve me conhecer de alguma vida passada. Eu também sinto que já te conheço... em todos os sentidos da palavra. Mas me diga, meu amô, em que Mme. Soraya Místika pode te ajudar? Ou você entrou em minha tenda esotérica movido pelos instintos sexuais? - na verdade, quem tava sendo movida pelo tesão e vontade de trepar era eu.
_ Eu gosto muito de me consultar com vocês aqui no Centro.
_ "Vocês"? Meu amô, você tá vendo alguma entidade presente neste momento aqui dentro além de nós dois? Será que você também é vítima do misticismo como eu?
_ Não! Vocês... tipo... vocês gurus, sabe?
_ Hmmm... meu amô, você nunca conheceu um guru ou guria como Mme. Soraya Místika. Eu tiro a sorte usando métodos celestialmente comprovados.
_ E que métodos são esses?
_ Chegue mais perto.

Ele obedeceu. Fabinho das Bananas sempre teve como qualidade ser um ativo obediente. Além da neca grande, claro. Fazia tempo que não ficava tão perto daquele corpo gostoso todo trabalhado carregando caixotes e mais caixotes de bananas desde moleke na Ilha do Bororé. Seu rosto másculo e sério com a barba loira escura por fazer vindo ao meu encontro. Não me contive e tasquei-lhe um beijo na boca. O bophy era tão safado que gostou e lançou sua língua de encontro à minha.

_ Então essa é sua técnica esotérica?
_ Err... sim! Olha só quanta coisa eu pude coletar com este beijo. Veja só: você já foi casado? Mas não deu certo, néam? Eu vejo uma morte. Você é viúvo?
_ Tecnicamente falando, sim.
_ Entonces. Um viúvo técnico ainda é viúvo, naum? Mas eu senti nesta boca o gosto de outra boca que lhe deixou saudade. Uma boca que você gostaria de beijar novamente, mas não pode.
_ Nossa! E não é que você é boa mesmo?! O que mais? Onde tá essa boca que eu tanto quero?
_ Isso eu não posso lhe dizer, meu amô.
_ Madame Soraya Místika, se você me ajudar a encontrar o grande amor da minha vida... eu serei pra sempre grato. Posso te pagar, acredite! Tô pra receber uma herança...
_ Herança desse casamento?
_ Sim! Um advogado aí já tá resolvendo tudo e...
_ Você assinou alguma coisa?
_ Claro! Toda papelada!
_ Aim, Fabinho! Como você pode ser tão burro, puta que pariu!
_ Maddyrain!?
_ Fala baixo, porrah! Não leu os jornais ainda? Eu sou procurada internacionalmente pelo advogado de Roxxana Veludo!
_ Eu sabia que era você! 
_ Isso mesmo, meu amô. Tem que dar mais ouvido à sua intuição feminina... ou melhor... não! Continue sendo macho e ativo! Pelo amor de Donna Summer que esse mercado tá cada vez mais fraco!
_ Mas por que você tá fantasiada de... que fantasia é essa? Cigana? Indiana? 
_ Essa "fantasia", meu amô, é de vítima dessa sociedade opressora, isso sim! Antes de te contar qualquer coisa, Fabinho... tem algo que eu preciso fazer!

Me joguei em cima daquele corpo que me recebeu de braços abertos. Beijei Fabinho novamente e com mais vontade. Suas mãos apertavam minha bunda com força e seu pau duraço se comprimia contra meu corpo. Quero transar aqui dentro, Fabinho. Quero ser piegas e falar isso. Faça amor comigo, Fabinho.
E quem passava pelo Viaduto do Chá naquele momento e via minha tenda esotérica balaçando pra lá e pra cá podia apenas se perguntar o que acontecia ali dentro. Isso talvez não é amor, mas é um puta tesão gostoso. Às vezes não só isso que a xente quer?

Um beijo,
Maddyrain

When I Get Close to You

Thunderpuss Original Extended Mix
Thunderpuss Original Radio Edit
Thunderpuss Club Remix
Thunderpuss Remix Dub
Thunderpuss Tribe-a-Pella
Lectroluv Mix
Cubanito's Breakbeat Remix
Cubanito's Breakbeat Radio Edit
Cubanito's Electro Mixshow Edit


Quando eu fico perto de você eu fico toda molhadinha:
Hoje é dia de música de vinhado, meu amô! Música pra bater o cabelo e jogar na cara de todos que você é bilu e passivinha da silva! Dia também de sentir saudade do Thunderpuss....
"When I Get Close to You" é produção dessa dupla divina que fez muita bilu e travesti virar mulher na dancefloor. Se jogue no Thunderpuss Original Radio Edit pra conhecer e morrer de amores! A voz potente da Jocelyn Enriquez deixa a música ainda mais dublativa. Um escândalo! O Thunderpuss Club Remix segue as mesmas características, mas é mais jogativo. Uma loucura mais que recomendada! Pra continuar ahazzando nas batidas, ouça também o ótemo Thunderpuss Remix Dub!
O único remix não produzido pelo Thunderpuss que presta hoje é o Lectroluv Mix, que é uma gracinha. Um dance bem feito e que não fica muito atrás da produção original. Os remixes desse tal Cubanito estão aí pra você ter o prazer de jogá-los no lixo.

Maddyrain não tem, Maddyrain quer:
A mesma história de sempre, meu amô. Nem a própria Jocelyn Enriquez deve ter (e aposto que ela também tá cagando e andando pra isso).

thunderpuss unreleased dub  6:27
lectrodub  5:18
lenny fontana vox mix  7:47
lenny fontana dub  6:50

0 Bilus felizes:

Alô?! Maddyrain chamando!

Você acaba de adentrar as entranhas do mundo de Maddyrain, uma profissional da "náiti guêi" de São Paulo que ama house music e decidiu fazer a boazinha e compartilhar parte de seu acervo musical.

Filhos da Maddyrain

Ocorreu um erro neste gadget

Maddyrain recomenda!

Arquivos da Maddyrain

Você é da caravana de onde?

Clientes:


Mais detalhes da clientela