Vamos falar da Kylie Minogue: Kylie Minogue

Hoje é dia de falarmos do meu álbum favorito da Kylie Minogue, o "Kylie Minogue". Super original, néam? Mas enfim, se a Madonna tem o "Madonna", por que a Kylie também não pode ahazzar na falta de criatividade?
Não importa o nome, o "Kylie Minogue" representa o álbum mais inovador e bem produzido da carreira da Kylie até então. Só lembrando, esse foi o primeiro trabalho pós-PWL e a Deconstruction decidiu investir na desconstrução (aim, adógo esses jogos de palavras!) da imagem da Kylie Minogue buscando uma sonoridade mais moderna pra bunita. Para vocês saberem, a Deconstruction era um selo inglês mais voltado a artistas house e dance, como M People (meus amores) e o DJ Sasha. Para essa mudança na carreira da Kylie, as primeiras gravações pro "Kylie Minogue" envolveram os produtores de dance da época Rapino Bros (que já apareceram por aqui com alguns remixes). Nada dessa colaboração acabou vingando, mas grande parte desse material vazou na Internet ou foi lançado posteriormente. Enfim, nenhuma música faz aquela puta falta e tudo acabou sendo substituído por canções bem melhores.

"Kylie Minogue" foi lançado em setembro de 1994, no auge da house music. A produção final do álbum ficou nas mãos de grandes nomes do estilo, como os Brothers in Rhythm, M People e Fire Island. Pra quem tava acostumada a ser sempre produzida pela mesma Santíssima Trindade, foi uma mudança de ares muito bem-vinda! Quase dez anos depois, "Kylie Minogue" seria relançado em versão remasterizada com um CD bônus repleto de novidades e raridades, incluindo os lados B da época, versões alternativas e remixes. O tracking list original do álbum é o seguinte:

1- Confide in Me (single)
2- Surrender
3- If I Was Your Lover
4- Where  is the Feeling? (single)
5- Put Yourself in My Place (single)
6- Dangerous Game
7- Automatic Love
8- Where Has the Love Gone?
9- Falling
10- Time Will Pass You By
11- Confide in Me (French Version) (bônus da versão canadense)
11- Love is Waiting (bônus da versão japonesa)
12- Nothing Can Stop Us (bônus da versão japonesa)

A primeira música a inaugurar essa nova fase na carreira da Kylie não podia ser melhor que Confide in Me. Ela é completamente diferente de tudo que ela tinha feito até então. Talvez, sem grandes surpresas, o mais próximo na sonoridade seja o remix dos Brothers in Rhythm pra "Finer Feelings". Confide in Me é uma ode ao bom gosto musical, mesclando elementos clássicos com trip hop, tudo ornando com pop de qualidade. Uma curiosidade da Maddyrain: "Confide in Me" foi a segunda música da Kylie que eu ouvi nesta vida após fica apaixonada por "Can't Get You Out of My Mind", anos atrás. Foi amor à primeira vista por esta mulher! Ah, e também devo dizer que NUNCA gostei do clip de "Confide in Me". Muito colorido pro clima melodramático da música...
"Kylie Minogue" segue ahazzando na sensualidade com Surrender, que mantém os elementos dance/trip hop de "Confide in Me". If I Was Your Lover dá uma esfriada nos hormônios e tem uma sonoridade mais r'n'b de rádio pop na minha opinião. Bem dispensável, mas foi considerada pra virar single nos Estados Unidos. Não rolou.

Where is the Feeling? continua a pegada mais uptempo com um house super gostosinho, mas um pouco longo demais. É um dos singles de menor sucesso da carreira da Kylie, o que é uma pena. O clip desta música, que não saiu em coletânia alguma até hoje, é um ahazzo! O segundo single do "Kylie Minogue" é a baladinha com pegada r'n'b Put Yourself in My Place, que eu adoro. A música ganhou um clip que eu também acho meio deslocado com a música e remixes pra lá de cagados. Enfim, merecia mais carinho...
Dangerous Game é outra baladinha, mas com produção mais interessante (Brothers in Rhythm, néam meu amô?!) e o vocal da Kylie muito bem produzido e trabalhado. Super interessante, principalmente no trecho final. Sem mudar completamente de pegada, Automatic Love é um house mais contido e bem gostoso. Outra produção classuda dos Brothers in Rhythm que abre caminho pra uma das minhas músicas favoritas da Kylie, Where Has the Love Gone? A produção ficou a cargo dos moços do Fire Island, então é bem parecida com alguns dos remixes dele, ou seja, house de qualidade! Adoro os backing vocals desta música! Maravilhosa!

Falling tem a mesma produção e continua o clima house phyno e chic. A música veio de um demo dos Pet Shop Boys e foi completamente reconstruída, deixando-a mais sensual e menos pop. Li em algum lugar que os PSB odiaram a versão final lançada. Já eu, prefiro mil vezes a versão da Kylie. O último respiro do "Kylie Minogue" é com Time Will Pass You By, que foi produzida pelo M People e é bem M Peopleresca. Um pop bem animadinho e que também quase virou single.
O álbum ganhou duas outras músicas no Japão, Love is Waiting, um pop/dance bem digno para um lado B, e o cover de Nothing Can Stop Us, do Saint Etienne, que mudou pouca coisa em relação à original - ou seja, glamour europeu! A música, que também é lado B de "Confide in Me', quase virou faixa do álbum e foi considerada como primeiro single do "Kylie Minogue". Quanta mudança!

Apesar de toda a atenção que "Confide in Me" atraiu, apresentando uma Kylie Minogue mais madura, séria e musicalmente preparada, o álbum "Kylie Minogue" não fez um puta sucesso e não serviu pra estourar a Kylie fora do circuito Europa/Austrália. Se você nunca ouviu esse álbum inteiro, eu mega recomendo, mas não se empolgue muito porque a bunita mudaria completamente sua direção artística e musical no próximo trabalho, o que acabaria sendo um puta tiro no pé, diga-se de passagem...
Where is the Feeling?

Japanese Radio Edit
Acoustic Version
BIR Soundtrack
BIR Dolphin Mix
BIR Bish Bosh Mix
BIR Bish Bosh Mix Edit
Morales Mix
Morales Mix Edit
Da Klubb Feelin' Mix
Thee Rad Vid Clash Mix
Aphroheadz Powerlite Mix
West End TKO Mix


Onde tá a Maddyrain? Segurando a tua rola!
Vamos falar de coisa boa? Vamos falar de "Where is the Feeling?". O último single do álbum "Kylie Minogue" é na verdade uma regravação, mas eu confesso que NUNCA ouvi essa versão original. Foi também o single de menor sucesso da carreira da Kylie. Uma pena, meu amô, porque "Where is the Feeling?" é um house super gracinha produzido por ninguém menos que os moços do Brothers in Rhythm. Super recomendo que você escute a Radio Edit lançada apenas no Japão pra conhecer.
Mesmo com uma versão original já bem digna, a música foi divulgada usando o BIR Bish Bosh Mix, que é menos house e mais dance. Mas, meu amô, o grande babadu é o MARAVILHOSO BIR Soundtrack, com nada menos que treze minutos de puro glamour sensual. Aqui os vocais foram completamente regravados, com direito a inúmeros versos adicionais. Se você tem medo de coisas grandes, fique com o BIR Dolphin Mix, que é a versão editada. Por fim, ouça também a Acoustic Version, que é uma gracinha e possui trechos do Soundtrack Mix.

"Where is the Feeling?" seria lançada em dois singles repletos de remixes, mas na última hora a Deconstruction limitou para apenas um CD single. Eu fico me perguntando como serão os remixes do K Klass que nunca viram a luz do dia... Mas enfim, David Morales foi escalado pra remixar "Where is the Feeling?" e não tava muito inspirado quando sentou a bundinha pra trabalhar. O Morales Mix é um house bem básico e que aproveita bastante o clima da versão original. Eu esperava mais.
Mudando completamente a pegada, temos também o Da Klubb Feelin' Mix, do Felix da Housecat. Bom, quem conhece alguns remixes do rapaz sabe que seu estilo é tudo, menos convencional. Aqui temos um bate estaca mais puxado pra dub, com poucos vocais. Apesar de tudo, eu gosto muito desta versão. E só desta! Porque os outros dois remixes promocionais dele são de doer. Assim como a versão mega chata do West End. Fujam pras colinas!

4 Bilus felizes:

Anônimo disse...

'Can't Get You Out of My Mind'? Não conheço... É da Lady Gaga?

Maddyrain disse...

Lady Gaga?
Aim, quem é Lady Gaga atualmente, néam, meu amô? Uma desesperada... se não tá desesperada, eu estarei no lugar dela! ahahahaha

Um beijo,
Maddyrain

Anônimo disse...

Se jogou no jazz por falta de espaço no pop. Ou desespero mesmo.
Posso fazer a maldita e dizer que não dou mais 3 anos à ela. Venenoso, mas real.

Maddyrain disse...

Aim, que bilu maldosa!

Quem faz as previsões aqui sou eu!

Alô?! Maddyrain chamando!

Você acaba de adentrar as entranhas do mundo de Maddyrain, uma profissional da "náiti guêi" de São Paulo que ama house music e decidiu fazer a boazinha e compartilhar parte de seu acervo musical.

Filhos da Maddyrain

Ocorreu um erro neste gadget

Maddyrain recomenda!

Arquivos da Maddyrain

Você é da caravana de onde?

Clientes:


Mais detalhes da clientela