Vamos falar da Kylie Minogue: Kylie

Após a saga homérica pela discografia da Madonna que levou séculos para ser completada, eis que inicio hoje a série de posts em que passearei pela discografia de outra diva pop e gay, Kylie Minogue! Já adianto que, diferente da Madonna, não tenho todos os álbuns da Kylie. Confesso que não sou a fã #1 do trabalho dela na época da PWL, então só tenho todos os CDs após a saída da bunita da gravadora PWL e ir para a Deconstruction. E, sem querer desmerecer, nunca nem procurei comprar esse material. O que eu realmente gosto dessa fase eu tenho em coletânias ou em MP3, então meu edy com fritas pra PWL.
Diferente também da Madonna, as gravadoras por onde a Kylie passou parecem ter certa fixação doentia em lançar coletânias atrás de coletânias, muitas vezes com material inédito. Óbvio que eu não vou perder meu tempo comentando esse tipo de material, então focarei nos álbuns de estúdio. Outra diferença é que a Kylie possui um número considerável de lados B ou músicas rejeitadas que eu também não comentarei (embora tenha lados B melhores que as músicas lançadas nos álbuns!).

Então, vamos falar da Kylie Minogue?! Da onde surgiu essa bunitinha australiana, néam? Bom, antes de ser cantora, Kylie é, na verdade, atriz. Não que seja um espetáculo, mas a bunita começou sua carreira cantante durante o período de sucesso de uma novela australiana chamada "Neighbours". Eu não sei se ela chegou a passar aqui no Brasil, mas acho que não. O único trabalho como atriz dela que eu cheguei a assistir é o PÉSSIMO "Street Fighter", do qual a Kylie deve ter vergonha até o último pelinho de sua vadjáina.
De toda forma, durante esse período no elenco de "Neighbours", Kylie regravou a clássica "Locomotion" para um tributo e chamou a atenção dos produtores Mike Stock, Matt Aikten e Pete Waterman. O trio é muito famoso pelas suas produções dance dos anos 80, tendo trabalhado com Donna Summer, Bananarama, Jason Donovan (então namorado da Kylie), Rick Astley, entre outros artistas. A sonoridade das produções deles é geralmente bem parecida, mas não se pode negar que eles produziam um hit após o outro. 

Muito do sucesso inicial da Kylie se deu pela sua carinha fofa, já que as músicas em si não apresentavam nenhuma novidade no que estava sendo feito por outros artistas. E não vamos esquecer que o talento vocal da Kylie só foi se desenvolvendo com os anos, néam?
Sendo assim, em julho de 1988 o "Kylie" foi lançado após o lançamento dos singles "Locomotion" e "I Should Be So Lucky". O povo clamava curioso pelas outras músicas da Kylie! O tracking list do primeiro álbum é o seguinte:

1- I Should Be So Lucky (single)
2- The Loco-Motion (single)
3- Je Ne Sais Pas Pourquoi (single)
4- It's No Secret (single)
5- Got To Be Certain (single)
6- Turn It Into Love (single)
7- I Miss You
8- I'll Still Be Loving You
9- Look My Way
10- Love at First Sight

Bom, já deu pra perceber pela quantidade de single lançado que a gravadora PWL não tava de brincadeira pra divulgar a carreira da Kylie, néam? Ou o desespero é que tava gritando mesmo... Vai saber! Bom, não há nada de espantoso na produção do "Kylie". Todas as músicas são bem parecidas entre si ou entre outras produções do trio PWL.
O álbum abre com o maior hit internacional da carreira da Kylie, I Should Be So Lucky. Claro que depois a moça ficou mais conhecida, mas durante muitos anos essa foi a música associada a ela. Enfim, não tem como não enjoar dessa música depois de tantos anos. Eu praticamente só a escuto obrigada com uma arma apontada pra minha xereca. E como eu super vivi a época da Simony cantando Acho que sou Louca, não dá pra não pensar nela, mesmo com a Kylie cantando. Uó!
Em seguida temos The Loco-Motion, que foi regravada para o "Kylie". Embora tão bobinha quanto I Should Be So Lucky, gosto mais dela. Acho os vocais da Kylie mais bonitinhos aqui e as batidas me agradam mais também. Uma fofura! Só a Kylie que insiste em cagar nas apresentações ao vivo! Fika a dika, Kylie! Sei que você me lê e leva meus comentários a sério. Um beijo, Maddyrain.

A primeira baladjénha do "Kylie" é Je Ne Sais Pas Pourquoi e não tem como não gostar dela! Acho super bonitinha e a Kylie dá um show nos vocais. Uma das minhas favoritas desse álbum! A música é seguida por outra baladinha, It's No Secret. Não chega a molhar minha calcinha, mas enfim... não dá pra esperar muito dessa época, néam? Confesso que adoro um trechinho instrumental mais pro final da música.
Got To Be Certain é uma das minhas músicas favoritas da Kylie! Super trasheira, eu sei, mas adoro! Pra mim, devia ter sido o primeiro single! Acho super dançante e gostosa! Aliás, ela é seguida pela minha música favorita do "Kylie", Turn It Into Love! Ela só foi lançada como single no Japão, mas acho super válida! Os vocais e o instrumental são super drama queen! Do jeito que eu gosto!

Depois de Turn It Into Love só vem as desconhecidas que enchem a linguiça do primeiro álbum da Kylie. I Miss You começa como música de fase do Sonic. É uma baladinha animadinha, bonitinha e tolinha. Cheia de -inhas. I'll Still Be Loving You é mais contida, mas não é nenhuma evolução. Pra mim o que é de matar são as backing vocals pra lá de cafonas. Jesuis!
Look My Way é bem datada na produção e também conta com a mesma qualidade nos backing vocals... E pra fechar com chave de kool, temos Love at First Sight que NÃO é a mesma música lançada no "Fever", tzá? Essa aqui é de uma chatice terrível! Olha, se você acha o primeiro álbum da Madonna chato, prepare-se, viu!?

Embora terrivelmente datado, "Kylie" fez bastante sucesso e ajudou a lançar a carreira da Kylie de maneira incrível. Além disso, não há como negar que alguns dos principais hits da discografia dela são dessa época, como "Especially for You".  
Acho que quando a Kylie olha pra esse álbum ela tem um mix de orgulho e vergonha alheia. Alheia, mas vergonha própria, néam? Enfim, levaria pouco mais de um ano pra Kylie lançar mais um álbum e continuar sua escalada ao topo das divas pop.

Je Ne Sais Pas Pourquoi

7" Backing Track
7" Instrumental
Moi Non Plus Mix
Moi Non Plus 7" Mix
Moi Non Plus Backing Track
Moi Non Plus Instrumental
The Revolutionary Mix
The Revolutionary Backing Track
The Revolutionary Instrumental


Eu é que não sei de nada, meu amô!
Como já falei lá em cima, "Je Ne Sais Pas Pourquoi" é uma das minhas músicas favoritas da Kylie. Acho uma baladinha gostosinha e triste ao mesmo tempo. A produção, como tudo dessa época, não é super criativa ou inovadora, mas o trio Stock, Aitken e Waterman conseguiu criar um single fofo. Se você tem ilusões de que nasceu pra ser uma estrela, pegue qualquer uma das versões bônus lançadas recentemente e pratique bastante.

Os remixes também não são aquela Brastemp, mas enfim... O Moi Non Plus Mix é basicamente a versão extended da música. Eu simplesmente adoro! Por fim, o The Revolutionary Mix vem com algumas batidas adicionais, mas sem mudar drasticamente a música, apenas nos trechos instrumentais. Deu pra ver que não tem muita variação hoje, néam?!

0 Bilus felizes:

Alô?! Maddyrain chamando!

Você acaba de adentrar as entranhas do mundo de Maddyrain, uma profissional da "náiti guêi" de São Paulo que ama house music e decidiu fazer a boazinha e compartilhar parte de seu acervo musical.

Filhos da Maddyrain

Ocorreu um erro neste gadget

Maddyrain recomenda!

Arquivos da Maddyrain

Você é da caravana de onde?

Clientes:


Mais detalhes da clientela