O milagre do dildo

Deixei a Irmã Barrigudinha dormindo na cadeira ao lado da minha cama e fui explorar o convento. O chato de ficar cada vez mais velha (experiente eu diria...) é que a bebedeira passa cada vez mais rápido. Leva minutos pra bater e quando chega, se não for regular e constantemente reabastecida, vai embora sem deixar nem um beijinho de despedida.
Caminhei descalça pelo corredor frio do convento ouvindo ao longe o canto das irmãs na capela. Desde quando essas biscates aprenderam latim!? Passei por uma cela fechada e ouvi uns gemidos vindos de dentro. Hmmm... ahhh... isso... aí.. Ai, que gostoso. Mais pra dentro. Isso... hmmm. Cheguei mais perto e encostei a orelha na porta. Gosto tanto de você. Ai, como eu gosto! Ai, como eu te amo! Tentei espiar pela fechadura, mas a chave do outro lado bloqueava a visão. Xente, tem uma irmã trepando aí dentro? Aim, que loucura!

Continuei pelo corredor agora prestando mais atenção no barulho que vinha de dentro das celas. Algumas estavam vazias, mas todas as que estavam trancadas tinham irmãs fofando lá dentro. Será que elas continuam recebendo visita dos seminaristas do Mosteiro de São Bento? Se eu disser que não fiquei com inveja, estarei mentindo. Decidi então andar nua pelo corredor, na esperança de ser enrabada por algum padre necudo na escuridão do corredor.
Parei na frente de outra cela. Os gemidos vinham de lá dentro tão alto que encostei minha bunda na porta e fiquei esfregando-a contra a madeira. Uff... Uff... não para de meter! Uff... não para! Não para! Ai, vou gozar! Xente! Que loucura! Uma mulher que goza! Deve estar mentindo... Desiludida, fui levada pelo canto das irmãs até a capela sem levar nem uma dedada.

A luz das velas da capela se projetava para fora até a escuridão do convento. As irmãs cantavam em coro em latim. A música era tão bonita. Senti-me mais calma, como se tocada pela mão de um anjo. Fechei os olhos e imaginei um anjo loirinho todo saradinho, corpo semi-nu com a neca dura se formando por trás do pano vindo me dedar bem gostoso. Coloquei a cabeça entre as portas da capela e levei um susto.
As irmãs estavam todas peladas e ajoelhadas formando um círculo no chão da capela. Quase soltei um grito de nojo. Minha neca ficou completamente mole e escondida com medo atrás das minhas pernas. No centro do círculo, a Madre Absolut erguia as mãos e venerava algo em cima dum altar. Sem meus óculos (a loka!) e de longe não dava para ver direito, mas parecia uma cruz.

Decidi entrar na capela e me escondi atrás de uma pilastra. Será que é uma garrafa de Balalaika ali no meio? Me agachei atrás de um banco e fui chegando mais perto do círculo até conseguir ver o que tava ali no altar. Xente! É uma cruz feita com dois dildos! As irmãs estavam num frenesi tamanho que nem perceberam minha presença.
Cada uma ia enfiando um dildo enorme na xana enquanto entoavam aquele canto (agora) sinistro. O cheiro de mulher no cio tava tão forte que não me aguentei e chamei o Hugo ali mesmo. Elas eram os turíbulos naquela orgia.

A Madre Absolut caminhou até o altar. As banhas balançavam pra lá e pra cá. Estendeu as mãos e pegou os dois dildos que formavam a cruz. Virou-se novamente para o círculo. Olhou para o alto e num movimento rápido enfiou os dois na xana encoberta pela gordura. Seus gemidos juntaram-se ao coro. Achei que eu fosse desmaiar. Me senti numa gravação de filme pornô pra lésbicas!
Fui engatinhando até a porta da capela e voltei correndo pro meu quarto. Na escuridão, esbarrei em alguém e fui ao chão. Uma mão forte me pegou pelas pernas enquanto eu tentava me levantar e veio direito no meu edy. Xente, estou sendo dedada! No escuro! Isso é tão dark room feelings! Uma outra mão tapou minha boca. Aim, tem mais bophy aqui! Mais um e isso vira um gang bang!

E ali, no escuro do corredor do Convento de Nossa Senhora do Balalaika, fui devorada viva por não sei nem quantas mãos enquanto as irmãs cantavam e batiam siririca na capela.

Lift Your Hands Up!

The Deepzone Club Mix
The Dub Generation
Dee Zee's Jazz Mix
DJ Guan's Club Mix
DJ Guan's Radio Mix
Q-Zar Remix


Levante sua neca:
Hoje, meu amô, é dia de gospel house no seu ouvidinho! Antes, vamos apresentar esse tal de Deep Zone, néam? Eles também atendem separadamente pelos nomes Matthias Heilbronn (mais conhecido das bilus antenadas) e Mike Delgado (prazer, Maddyrain). Os bunitos se juntaram à diva Ceybil Jefferies (prazer de novo, Maddyrain) e gravaram alguns gospel houses bem gostosinhos.

"Lift Your Hands Up!" é um desbunde e você precisa ouvir o delicioso The Deepzone Club Mix! Um house super phyno e chique! O Dee Zee's Jazz Mix não foge muito da original, mas acrescenta um saxofone super abalativo. Recomendo!
Como dá pra perceber, "Lift Your Hands Up!" não teve muitos remixes, mas devo indicar o ÓTEMO DJ Guan's Club Mix (quanto prazer hoje!). Um dance safado e sem vergonha super gostoso! Adógo as batidas e também recomendo o DJ Guan's Radio Mix, que é "radio friendly" e e SUPER chupinhou as batidas do Todd Terry pra "Missing" do Everything but the Girl.

Maddyrain não tem, Maddyrain quer:
Aim, assim, meus amores... um edy sem xuca completo e absoluto pra quem tiver esses remixes!

the dub zone  5:58
the dub prayer  7:52
the next generation  7:23
dj guan's club mix 2

0 Bilus felizes:

Alô?! Maddyrain chamando!

Você acaba de adentrar as entranhas do mundo de Maddyrain, uma profissional da "náiti guêi" de São Paulo que ama house music e decidiu fazer a boazinha e compartilhar parte de seu acervo musical.

Filhos da Maddyrain

Ocorreu um erro neste gadget

Maddyrain recomenda!

Arquivos da Maddyrain

Você é da caravana de onde?

Clientes:


Mais detalhes da clientela