De volta ao convento

Já cansada de vagar pelas ruas do Centro de São Paulo, completamente bêbada e com o edy todo esfolado do cunete recebido, acabei caindo nos degraus que davam pro Convento de Nossa Senhora do Balalaika. Sem lembrar quem eu era, de onde vinha, apenas com sentindo uma dorzinha desagradável na porta do prazer, chamei a Madre Absolut. Ninguém me atendeu. Segurei a maçaneta da porta. A porta tava trancada. Essa porta tá sempre aberta pra receber quem precisa de ajuda! Ô, Madre Absolut! Aqui é a Irmã Pirassununga! Abre a porta! Deixa eu entrar!
Ninguém. Sentei na escada desamparada. Se nem quando eu preciso a religião me conforta, de que caralho serve essa porra?! A porta se abriu. Uma mão se estendeu e me ajudou a levantar do chão. Uma luz batia contra a pessoa e eu só conseguia enxergar a mão me erguendo. Quem é você, garai? Tira essa luz da minha cara! A luz se afastou. Era uma lanterna. Tá de dia, porra! E eu tô levemente embriagada, não tá vendo?

_ Irmã Pirassununga, o seu fedor de bebida e sexo inebriantes pode ser sentido a quilômetros de distância. Agora entre e tome um banho. Sua ex-cela está vazia. Descanse e amanhã conversamos.

Era a Madre Absolut. Para os leitores mais recentes, Madre Absolut é na verdade a Vanessa Williams que engordou, ficou feia e decidiu abrir um mosteiro no Largo do São Bento pra mulheres com um passado conturbado. Como eu. Como você. Como todas nós! Cada uma aqui tem o nome de uma bebida. Algo bem Almodóvar, eu sei.
A Madre passou a mão pelo meus ombros e me conduziu até o banheirão do convento. Eu olhava as freiras que passavam por mim espantadas. 

_ Guegueéam? Nunca viram? Eu sou a Irmã Pirassununga, prazer. Rapei o cabelo longo e vendi tudo na Galeria do Rock.
_ Irmã Pirassununga, por favor, controle-se. Temos muitas irmãs novas que ainda não conhecem sua reputação ordinária. - ah, esqueci de dizer que ela me adora.
_ Guegue você tá falando, meu amô? Pelo que eu me lembro... e isso não é muita coisa... da última vez que eu vim aqui, deixei vocês todas eufóricas com o dildo da minha amiga Kilo Minhoca! Aliás, cadê aquele pedaço fálico de borracha? Kilo Minhoca nunca mais foi a mesma após sua separação com o Alexandre Pires.
_ Irmã! Feche essa latrina que Deus lhe presenteou como boca. O fedor é insuportável e suas palavras só geram discórdia. Já pro banho. Irmã Barrigudinha, cuide da Irmã Pirassununga. Dê-lhe banho e conduza-a até a cela... hmpf... 69.
_ Xente, sai pra lá, capeta! Isso não é irmã coisa nenhuma! Isso é o próprio capeta! - um zumbi de The Walking Dead veio tirar minha roupa suja e lavar minhas costas. Ela pareceu ofendida pelos meus comentários, mas eu tava muito bêbada pra me preocupar.
_ Você me acha feia?
_ Gata, até um cego acharia.
_ Sabe por que eu sou assim?
_ Deus é uma entidade curiosa...
_ Foi a Barrigudinha. Ela acabou com minha vida.
_ Barrigudinha, a pinga? 
_ Essa mesma. Já bebeu?
_ Olha... não posso dizer que nunca bebi, mas a primeira vez foi definitivamente a última. Ela fere os três mandamentos da bebedeira bem no cerne. 
_ Que mandamentos?
_ Uns que eu e a minha amiga Litta Walitta criamos. Mandamento um: nunca sozinha. Mandamento dois: nunca no meio da semana. Mandamento três: nunca de má qualidade. A ordem não é necessariamente essa. E não preciso dizer quantas mil vezes já quebramos esses mandamentos, néam? Mas a Barrigudinha não dá.
_ Você tá certa. Eu descobri isso tarde demais. Perdi tudo. Minha família. Meu emprego. Minha casa. Minha mocidade e beleza. Meu rosto ficou com essas manchas horríveis.
_ Aim, pópara! Tô muito bêbada pra ouvir essas histórias tristes e não tô afim de chorar. Vamos falar de coisa boa? Vamos falar da TopTherm.
_ Pode tirar a calcinha... ou cueca... parece cueca.
_ Aim, é cueca mesmo. Tô fazendo um trabalhinho paralelo pra uma amiga. Coloca ela ali no cantinho, mas cuidado ao manusear. Fika a dika. - baixei a cueca e a Irmã Barrigudinha arregalou os olhos.
_ Você é um homem!? - a mãozinha boba já vinha toda cheia de graça até meu piru. Fui mais rápida. Prendi ele pra trás e ainda consegui dar um tapa na mão da irmã.
_ Eu, homem? Tá loka? Eu sou mulher! Na verdade... aim, não sei nem como te dizer isso. Fico emocionada só de pensar nisso. Você lembra da Buba da novela? Eu sou hermafrodita. Mas não espalhe. Tô juntando dinheiro pra fazer operação e arrancar fora a neca.
_ Bom, olhando assim de perto... eu também tiraria se fosse você.
_ Aim, mas que abusada! A neca pode não ser espetacular, mas o edy, meu amô... ah, o edy!

Terminamos o banho e a Irmã Barrigudinha me acompanhou até a minha antiga cela no convento. Deitei na cama e a irmã ficou sentada ao meu lado. Sabia que eu já dividi esta cela com outra irmã? A Irmã 51... ela morreu aqui, nesta cama. Às vezes lembro dela e de sua história triste de vida. Tadinha...  
Virei para lado e a Irmã Barrigudinha tinha pegado no sono. Levantei e a cobri com a manta da cama. Fui à janela e fiquei pensando o que teria mudado no convento após eu ter apresentado os prazeres do sexo às freiras tanto tempo atrás...


Work to Do

Radio Mix with Rap feat. Black Sheep
Kenlou Radio Mix
Super Dope Remix with Rap feat. Black Sheep
5-Oh Beats with Rap feat. Black Sheep
Choice Club
Choice Dub


Necas a chupar e aquendar:
E o retorno da minha kérida Vanessa Williams por aqui é com uma música pouco conhecida, mas bonitinha. "Work to Do" é do segundo álbum da bunita e realmente não sei se fez muito sucesso na época. Anyway, pra você conhecer, pegue o Radio Mix. Se você tá acostumado com a Vanessão cantando aquelas baladjénhas mela calcinha típicas dela, atenção! "Work to Do" é um r'n'b dançante gostosinho com um rap bem dispensável.
A música ganhou poucos remixes e todos são dos Masters at Work. O Kenlou Radio Mix dá uma contida na versão original e adota um clima mais gueto diva. O Super Dope Remix também vai por esse caminho e algumas batidas me lembram BASTANTE o remix do MAW pra "Erotica" da Madonna. (Aliás, esses singles devem ser da mesma época de lançamento, porque a sonoridade é bem parecida). Mas não fique triste porque tem house hoje sim, meu amô! Se jogue no Choice Club! Uma delícia e super gostoso pra dançar.  

Maddyrain não tem, Maddyrain quer:
Aim, alguns artistas carregarão pra sempre a plaquinha "Sim, é um kool sem xuca achar remixes meus na Internet". Vanessa Williams faz parte desse grupinho seleto.

radio mix  3:54
hot mix  4:05
ken lou radio mix with rap  3:07

2 Bilus felizes:

DJ Rick Mitchell disse...

Maddy, essa música fez parte de uma novela global "Deus nos Acuda", gostei muito do R&B dela.

Maddyrain disse...

Xente, mas é novinha essa novela, néam?

Que bom que gostou dos remixes, amore.

Um beijo,
Maddyrain

Alô?! Maddyrain chamando!

Você acaba de adentrar as entranhas do mundo de Maddyrain, uma profissional da "náiti guêi" de São Paulo que ama house music e decidiu fazer a boazinha e compartilhar parte de seu acervo musical.

Filhos da Maddyrain

Ocorreu um erro neste gadget

Maddyrain recomenda!

Arquivos da Maddyrain

Você é da caravana de onde?

Clientes:


Mais detalhes da clientela