La première fois...

[modo "Confissões de Absorvente" on:]

Meu amô, pra você que não fala francês, "La première fois" significa "A primeira vez" segundo meu amigo Google. Eu também não falo francês, mas adógo fingir que falo. Faça biquinho peito de moça e ahazze! Mas enfim, como o título de hoje sugere, vou contar pra vocês a minha primeira vez. Será que eu lembro?

Diferente da maioria da biluzada, eu não comecei nas artes do séquiso anale tão cedo como possa parecer. Morria de medo de dar o edy e doer a ponto de me traumatizar forever and ever. Quando eu finalmente perdi a virgindade, eu já tinha tentado algumas vezes, mas sem sucesso.
Tive meu primeiro namoradinho quando tínhamos 16-17 anos. Eu não sabia ABSOLUTAMENTE nada do mundo gay. Eu já tinha saido pra buatchi, mas era crua em tudo. Ainda me espantava quando via dois homens se beijando. Ele, no entanto, dizia já não ser mais virgem. 

Quando nos conhecemos após dias de conversa pelo ICQ (amore, cata quando isso aconteceu!), eu nem imaginava que podia rolar algo entre nós. Ele era tão bonitinho pra mim... Branquinho meio lácteo, olhos azuis... Um pouco afeminado, é verdade, mas na época, que sabia eu?
No impulso da minha mocidade já perdida, tratei logo de trazê-lo pra casa, apresentar à minha família como um amigo do colégio. Quando fechávamos a porta do meu quarto, nos beijávamos nos esfregando até gozarmos na calça. Uma delícia!
O "namoro" durou praticamente nada. Um mês e olhe lá! Eu queria experimentar outros homens e acabei trocando o menino por um cara que.. Jesuis... deixemos isso pra lá! Mas foi um mês intenso! Com direito até possível compra de alianças! Que loucura!
Mesmo assim, tentamos transar na casa da mãe dele. Juro que não lembro mais como era o pau dele, mas acho que era meio grosso... Enfim, não rolou. Entou na portinha, mas de lá não saiu. Nem chupar eu gostava muito. Na verdade, não tinha pego gosto pela coisa!

Como falei, o namoro durou pouco e até o próximo levou um bom tempo. Eu continuei saindo e conhecendo outros caras, mas não passava do limite do beijo, amasso e boquete (mas sem gostar ainda do último). O próximo namorado duraria mais tempo... seis meses. Seis meses de aprendizado sobre convivência na marra. Nosso relacionamento era, no mínimo, um tumulto sem fim. Um dia sem discutir era um verdadeiro milagre.
Esse namorado já era bem mais experiente que eu; e bem mais velho também. Tinha o dobro de minha idade. Eu com meus ingênuos 17 anos e ele com 34 anos. Quem diz que não existe essa de diferença de idade tá mentindo, meu amô. Existe sim! Há uma lacuna em todos os sentidos quanto se está com alguém com o dobro da sua idade, mas não vou entrar neste assunto hoje (ou qualquer dia).

Como eu era "de menor", ele tentou... TENTOU... não transar comigo até eu fazer 18 anos. Claro que não deu certo. Como resistir aos encantos de Maddyrain Toda Teen?! Depois de aproximadamente um mês de namoro, chegou a hora de mandar minha virgindade pra puta que pariu.
Lembro que havíamos ido no finado Playcenter e lá contei pra ele que tava com vontade de transar. O bophy se animou de tal forma que quase pulou da montanha-russa. Fomos embora na hora! Se pudesse, teríamos nos teleportado pra casa dele!
Essa história já é tão antiga que eu também não lembro mais como era o pau dele ou como foi o ato em si. Lembro perfeitamente que enquanto trepava com ele eu não deixava de pensar Nossa, tô perdendo a virgindade! Como a xente é tolinha quando adolescente, néam? Hoje, jamais daria a ele o prazer de tirar a minha virgindade.

Aí, meu amô, a coisa passou de dor para prazer. Acho que a primeira vez não é gostosa pra nenhuma passiva de plantão. Se foi delicioso pra algum dos meus leitores, compartilhe comigo sua experiência! 
Às vezes penso como é pra uma biluzinha de hoje em dia ser virgem. Para mim, era algo meio mítico. Queria perdê-la com alguém fixo na minha vida. Não queria que fosse com qualquer um que tornaria a ser um estranho no minuto seguinte ao gozo.
Esse meu namorado tornou-se um estranho após seis meses. Até que durou bastante algo fadado ao fracasso desde o começo. E eu, com toda minha inexperiência em relacionamentos, fiquei tentando reatar por mais um ou dois meses até desistir por completo daquele babaca.
Quando tudo estava finalmente acabado, decidi experimentar com outros caras. Trepar loucamente até o edy fazer bico. Na primeira semana de solterice, já tinha transado com dois caras diferentes. Queria ver e sentir outros paus. Uma antropóloga sexual especializada em necas. Tem coisa melhor?!

Um beijo,
Maddyrain

[modo "Confissões de Absorvente" off.]

[PS.: tem coisa melhor sim! Recusar duas vezes o babaca tentando se reaproximar de você!]

Remembering the First Time

Radio Edit
Extended Cool DiscoMix
7" Cool Disco Mix
Remembering the Ambient Times
Satoshi Tomiie Classic 12" Mix
Satoshi Tomiie Classic 12" Dub
Too Precious 12" Mix
Too Precious 12" Dub
A&G Division's Full Testament (low quality...)
A&G Division's The Great Divide Dub
S.P.S. Mambo Mix
S.P.S. Cained Mix


Eu não lembro da primeira vez que dei o edy...:
Aim, que gostoso! Hoje é dia de Simply Red por aqui no blog e eu adoro essa banda, já perceberam, néam? Sei que ela não é muito popular entre a bicharada, mas... sendo bem franca... meu kool pra todas. "Remembering the First Time" é um pop Alpha FM bem gostosinho e básico. Peguem o Radio Edit pra conhecer. Não foge muito dos moldes do Simply Red.
O Mick Hucknall, vocalista do Simply Red, decidiu bancar DJ nas horas vagas pra pagar as contas e fez alguns remixes pro single. O Extended Cool Disco Mix não é muito diferente da versão original, mas adiciona umas batidinhas mais animadas. Uma graça! O Remembering the Ambient Times é basicamente a mesma versão, mas sem batidas e num clima lounge bem digno.

Felizmente, os outros remixes de "Remembering the First Time" também são ótemos e vamos começar pelo Satoshi Tomiie, aquele japinha fofo e super talentoso que queria ser David Morales e Frankie Knuckles quando crescesse. O Satoshi Tomiie's Classic 12" Mix é um classic house super gostosinho. Mega recomendado! Se não tivesse o nome dele na frente, o povo ia jurar que era do Morales ou do Knuckles...
Continuando a linha house gostoso, peguem também o Too Precious 12" Dub, que eu não vejo diferença com o 12" Mix. Aliás, corro o risco de ter sido enganada... Sei naum!

Infelizmente, a qualidade do A&G Division's Full Testament tá meio cagada, porque o babadu é uma loucura chic e phyna com 12 minutos! Pra vocês não chorarem, peguem o A&G Division's The Great Divide Dub, que é basicamente a mesma coisa, mas mais instrumental. Uma coisa... assim... divina!
Por fim, depois de tanta coisa boa, temos o mediano S.P.S. Mambo Mix, que NÃO é uma versão latina da música, ainda bem! Sei lá o porquê do nome do remix, mas trata-se de um dance bem anos 90 que não fará ninguém despertar pro travestismo.

0 Bilus felizes:

Alô?! Maddyrain chamando!

Você acaba de adentrar as entranhas do mundo de Maddyrain, uma profissional da "náiti guêi" de São Paulo que ama house music e decidiu fazer a boazinha e compartilhar parte de seu acervo musical.

Filhos da Maddyrain

Ocorreu um erro neste gadget

Maddyrain recomenda!

Arquivos da Maddyrain

Você é da caravana de onde?

Clientes:


Mais detalhes da clientela