Vamos falar da Madonna: Something to Remember

Continuando a sua saga pessoal pra reformular sua imagem pública e se tornar a namoradinha da América, além de se entregar ao ritmo r'n'b do momento, Madonna decidiu reunir todas suas principais baladas e lançar uma coletânia pra embalar os corações apaixonados do mundo inteiro. E não é que deu certo?! Talvez o principal encanto da coletânia "Something to Remember" não seja apenas a linda seleção de hits, mas também as músicas novas e os singles lançados apenas em trilhas sonoras ou coletânias a parte. Aim, posso ser sincera? "Something to Remember" é talvez o álbum da Madonna que eu mais escuto até hoje. Fico completamente cagada com as baladas da bunita e acho que essa coletânia não pode faltar na coleção de ninguém!

"Something to Remember" marca também um dos lançamentos mais confusos da carreira da Madonna. A primeira edição tinha uma capa simples, com a foto da magnólia, e não possui contra capa. A segunda edição vendida no Brasil é a com as fotografias com o figurino do Versace que todo mundo conhece, mas não tinha "Verás" como bonus track. Finalmente, a última edição é a completa.
A escolha do nome da coletânia é boa, mas talvez a música escolhida pra ilustrar não seja lá uma das melhores baladas da Madonna. E muito menos conhecida pelo público geral, néam? De toda forma, o tracking list é o seguinte:

1- I Want You
2- I'll Remember
3- Take a Bow
4- You'll See (single)
5- Crazy for You
6- This Used to Be My Playground
7- Live to Tell
8- Love Don't Live Here Anymore (Remix) (single)
9- Something to Remember
10- Forbidden Love
11- One More Chance (single)
12- Rain
13- Oh Father (single)
14- I Want You (Orchestral)
15- Verás (bonus track da América Latina)
15- La Isla Bonita (bonus track do Japão)

Bom, só vou falar das músicas novas, néam? Pra saber o que eu acho, com toda minha sabedoria transcendental, sobre as outras, se joga nos reviews anteriores! O álbum abre com uma das minhas músicas favoritas da Madonna, I Want You, em parceria com a banda do momento, Massive Attack. Pra quem não sabe, I Want You é uma regravação do Marvin Gaye e já havia sido lançada numa coletânia em tributo a ele. A parceria com o Massive Attack rendeu uma balada maravilhosamente trabalhada nas cordas que me deixa chocada sempre que ouço. E o que falar da versão orquestral que encerra o álbum?! Jesuis... A música ganhou um dos clips mais bonitos da Madonna e ia virar single, mas complicações legais mandou o plano pra gaveta. Junto com os remixes feitos!

Sempre achei mega fofo a forma como o clip de You'll See complementa o de Take a Bow! Isso sem falar na música, com todo aquele clima melodramático latino, que me arromba toda! Aliás, acho que You'll See é o melô da biluzinha que acabou o namoro e o ex acha que saiu ganhando. A xente tem que se valorizar, meu amô! You'll See na cabeça dele!
Verás é a primeira canção completamente em espanhol que a Madonna lançou. Bom, meu espanhol é super portuñol, então não sei o que dizer da pronúncia dela, mas acho que a voz da bunita ficou um pouco mais fina e artificial. Será que usaram robôs pra simular a voz dela?! Mas mesmo assim, fico tão cagada quanto com a versão em inglês sempre que escuto!

One More Chance é o momento "um banquinho, um violão" que acho que falta um pouco na carreira da Madonna. Nunca entendi porque a bunita nunca tentou um MTV Unplugged pra ganhar uns trocadinhos a mais. Resumindo, One More Chance é linda e super dentro do contexto geral do álbum. Dá pra melar a calcinha.
Outras curiosidades incluem o relançamento de Oh Father como single na Europa. Sei que musicalmente falando, Oh Father é uma balada, mas tá LONGE de falar de amor, néam? Outra escolha duvidosa é Forbidden Love roubando o lugar digno de The Look of Love! Xente! Já tem balada do "Bedtime Stories" no Something to Remember! Pra que duas?! Cadê The Look of Love?! Love Don't Live Here Anymore também foi relançada, mas com um versão remixada que falarei mais abaixo. E, por fim, a escolha MEGA estranha da edição japonesa com La Isla Bonita. Se ela for balada, o meu kool é virgem.

Quando Something to Remember foi lançado, Madonna já sabia que tinha conseguido o papel de sua vida nos cinemas. As músicas novas mostram bem o desenvolvimento vocal que a bunita passou pra poder encarnar Eva Perón na tela. No fim, como diria Fernando Pessoa, tudo vale a pena quando a alma não é pequena. Ao deixar de lado sua encarnação sensualizada pra tentar refazer sua imagem, Madonna conseguiu concretizar seus sonhos de interpretrar Evitar no cinema e engravidar e (tentar) constituir família. A pergunta que fica no ar é: será que a xente só consegue o que tanto quer lutando pra ser alguém diferente de nós mesmos? Aim, que filosófica, néam?! No próximo post sobre a Madonna, a diva argentina!

Love Don't Live Here Anymore

Album Remix
Album Remix Edit
Soulpower Radio Remix
Soulpower Radio Remix Edit
Soulpower Radio Remix Instrumental
Extended Journey
Hot Mix Mixshow Edit
Hot Mix Radio Edit
Early Morning Dub
Edge Factor Dub
Mark!s Full on Vocal
Mark!s It's a Girl Dub
Mark!s It's a Boy Dub

Everyone can see the loneliness inside me...

Chupa meu edy aqui e agora:
Bom, toda bilu informada e conhecedora da Madonna sabe que "Love Don't Live Here Anymore" do Something to Remember é o remake do remake. Aim, não é bem remake, néam? É o remix do remake. Eu acho a versão original do Like a Virgin super linda, mas o Album Remix é muito mais diva e atual. É uma das poucas músicas dos anos 80 dela que realmente mostra o (pouco) talento vocal da bunita. O single comercial de 1996 foi "abençoado" com o Soulpower Radio Remix que é pra lá de fraco. Uma pegada love reggae que super podia ter sido ignorada. O babadu ficou nos LPs promocionais mesmo...

O Extended Journey é puro glamour club dance! Um dance mega gostoso e bem feitinho. Eu adógo e está os meus remixes favoritos da Madonna! Como eu sou uma diva dubística e vocês já tão carecas de saber disso, se joguem também nos ótemos Early Morning Dub, mais fofolete com aquele comecinho acapella pra foder com qualquer um, e no Edge Factor Dub, mais travesti. São bons exemplos da fase dance pré-2000 dominada por Thunderpuss e cia.
O veterano Mark Picchiotti não teve muita sorte com a Madonna; tudo que ele fez pra ela (a música de hoje e "Bedtime Story") não saiu do lançamento promocional. O Mark!s Full on Vocal é mil vezes mais despirocado e diva travesti. Com direito a backing vocals novas e tudo! Uma coisa... assim... bem Mariah Carey (mas a Madonna NÃO regravou os vocais)! Os dubs mudam bastante a base do remix principal e são bem diferentes entre si. Prefiro o Mark!s It's a Girl Dub, mas peguem os dois. Alguém por favor me explique por que esses remixes ficaram de fora do lançamento comercial?! Fazofavô!?

1 Bilus felizes:

Tiago disse...

Nossa, também amo o Something to Remember. Tanto que fiz um dvd com os clipes e um cd duplo incluindo as musicas que não entraram como Secret, The Look of Love, Sooner or Later, I Can't Forget e as mais recentes The Power of Goodbye, You Must Love Me, Drowned World e por aí vai como se fosse uma versão deluxe.
AMO.

Alô?! Maddyrain chamando!

Você acaba de adentrar as entranhas do mundo de Maddyrain, uma profissional da "náiti guêi" de São Paulo que ama house music e decidiu fazer a boazinha e compartilhar parte de seu acervo musical.

Filhos da Maddyrain

Ocorreu um erro neste gadget

Maddyrain recomenda!

Arquivos da Maddyrain

Você é da caravana de onde?

Clientes:


Mais detalhes da clientela