Vamos falar da Madonna: Music

Antes de jogar o William Orbit um pouquinho pro lado, Madonna aproveitou os frutos da parceria de sucesso e lançou algumas coisas no hiato entre o "Ray of Light" e o próximo álbum de estúdio, "Music". Pra começar, os fãs foram pegos de surpresa com a colaboração da bunita com o latino mais sensual do mundo (na época, meus amores), Ricky Martin. Be Careful (Cuidado con mi Corazón) é um dos poucos duetos da carreira da Madonna e me deixou... assim... perplexa quando foi lançado. Juro que não esperava! De toda forma, a música é uma baladjénha bem mela calcinha e super linda, mesmo com a voz cagadinha do Ricky Martin. Juro que se ele viesse me comer, teria de ficar com a boca calada! Ou melhor, colada no meu edy! Anos mais tarde, a versão demo apenas com os vocais da Madonna acabaria vazando na Internet. Essa versão tem a cara das músicas feitas pro "Ray of Light", mas acho que fica um pouco fora de sincronia em alguns momentos...

Ainda não ciente de que não nasceu pra ser atriz, Madonna tentou mais um filme, que acabou sendo outro desastre: Sobrou pra Você (The Next Best Thing). Antes que perguntem, SIM, eu já assisti essa tragédia! Nem o gostoso (mas pintoso) Rupert Everett salva essa budega. Aliás, sempre achei o Rupert Everett parecido com o Colton Ford, aquele ator pornô que decidiu virar cantor depois de velho. Acho que dava pra rolar uma fofação gostosa aí! Fika a dika!
Anyway, o que salva o filme são as duas músicas que Madonna gravou pra trilha sonora, American Pie e Time Stood Still. A primeira é clássica e virou favorita dos fãs instantaneamente. Já a segunda, é uma das minhas baladas favoritas da Madonna! É uma pena só ter sido lançada nessa trilha de cazzo que eu não tenho. Qualquer dia compro num sebo por dois reais. A loka!

Partindo um pouco do conceito eletrônico puro e perfeito explorado no "Ray of Light", Madonna colocou na cabeça que tava na hora de aprender a tocar violão e misturar um ritmo mais folk com eletrônico. Pra conseguir essa façanha, cavocou o mundinho underground e conheceu o produtor Mirwais. Confesso que não sei da onde ele saiu ou o que mais ele fez além da parceria com a Madonna. Só sei que a mudança de William Orbit pra Mirwais foi MEGA cagada.
A primeira música do "Music" que surgiu foi Paradise (Not for Me), que foi lançada num CD do Mirwais. Eu gosto bastante de Paradise, mas convenhamos, é BEM diferente da sonoridade do "Ray of Light". Não foge do estilo eletrônico, mas vai mais pro lado do underground europeu. Como teaser do "Music", Paradise não aguçou muito os fãs.

Em setembro de 2000, "Music" é lançado e apresenta um visual country da Madonna. Ainda bem que nenhuma música é à la Shania Twain, mas algumas contêm aquela pegada folk que eu já comentei. Aim, deixa eu falar que eu nunca gostei muito do visual adotado pro "Music"? Acho que depois de todo o trabalho visual divino que ela fez enquanto promovia o "Ray of Light", o visual cowgirl é um puta retrocesso estético, mas enfim...
O álbum ganhou uma edição limitada com capa de tecido (de várias cores) e logotipo de ferro, como se fosse a fivela de um cinto. Bonitinha, mas ordinária e prefiro a edição limitada do "Ray of Light". O tracking list final do "Music" é o seguinte:

1- Music (single)
2- Impressive Instant (promo)
3- Runaway Lover
4- I Deserve It
5- Amazing (promo)
6- Nobody's Perfect
7- Don't Tell Me (single)
8- What it Feels Like for a Girl (single)
9- Paradise (Not for Me)
10- Gone
11- American Pie (bônus)
12- Cyber-Raga (bônus das edições japonesa e australiana)

Music foi sendo lançada em doses homeopáticas até o lançamento oficial do single. Acho que de tanto ouvir, não gosto mais tanto dela. É um pop eletrônico diferente do que Madonna fez no álbum anterior, mas cumpre bem o papel de música pra dançar. Nada além disso. Impressive Instant é mais pesada e se joga de cabeça no vocoder. Eu simplesmente AMO essa música e adógo dublá-la! Esperava ansiosamente que ela fosse lançada como single, com remixes bem bafônicos, mas ficou só no promo pras buatchis com remixes do Peter Rauhofer. Uma pena!
Runaway Lover foi produzida pelo William Orbit e lembra bastante as músicas do "Ray of Light" ao mesmo tempo em que tem elementos de Impressive Instant. Muito gostosa pra dançar e balançar o cabelón. Ela ganhou um remix ÓTEMO do Victor Calderone que continua sem lançamento oficial.

A primeira baladinha do "Music" é I Deserve It, que ninguém merece. Madonna compôs a música pro então marido, Guy Ritchie. Nunca fui com a cara dele, mas pra segurar a Madonna por tanto tempo, deve ter uma neca boa. A sonoridade de I Deserve It é bem folk, com um violão bem chatinho. Dá até pra imaginar a Madonna sentada no banquinho... uma coisa... assim... bem Maria Gadú. Felizmente, a próxima música é mais agitada e do William Orbit de novo. Amazing foi cogitada como um possível single, mas acabou sendo engavetada por ser muito parecida com Beautiful Stranger. Até concordo, mas é mil vezes melhor que Don't Tell Me, por exemplo. Acho Amazing super legal e aquela guitarra old skool é maravilhosa!

Nobody's Perfect nunca me pegou de jeito. Uma batida eletrônica bem europeia de novo, mas sem empolgar. Segue lenta até o final e ainda tem um trecho de violão chato pra foder com tudo. Como diz a letra, ninguém é perfeito, muito menos essa música!
Ainda no eletrônico com violão folk, temos Don't Tell Me, que agradou os fãs mais pelos remixes (do Thunderpuss, craro) do que pela versão original. Lembro que quando o "Music" foi lançado, já se sabiam o nome dos três (e únicos) singles e eu pensei "CARALHO!". Escolhas pra lá de duvidosas. A letra de Don't Tell Me NUNCA fez o menor sentido pra mim. Aquele sonzinho de mosca chata durante a música toda também sempre me irritou. Enfim, uma música que eu não gosto, mas AMO os remixes.

O último single de "Music" foi What it Feels Like for a Girl, uma baladinha eletrônica gostosa pra tirar um cochilo. Tadinha... até gosto dela, mas tá longe de ser uma favorita. BEM LONGE. Da metade pro final, a música melhora e fica mais melodiosa. O clip foi dirigido pelo Guy Ritchie e ele teve o bom senso de pegar o remix bafônico do Above & Beyond. Ufa! Gone é outra balada com violão, mas dessa eu gosto! Vai entender! Será que é porque foi produzida pelo Orbit? Pode ser... Acho Gone muito bonita e com a letra bem triste. O trecho final me deixa toda cagada!
"Music" teve alguns bônus, como American Pie e Cyber-Raga. Madonna decidiu fazer outra música em sânscrito, mas dessa vez, cagou no biquini.

Pra ajudar na divulgação e promoção do "Music", Madonna saiu em sua primeira turnê mundial desde o Girlie Show. A Drowned World Tour passou apenas pela Europa e América do Sul e apresentou uma seleção de músicas curiosa. Os pontos baixos (baixíssimos, por sinal) ficaram pelos momentos em que Madonna pega a guitarra ou violão e decide destruir seus hits, como aquela versão caipira de Secret. Deprimente! No geral, Drowned World Tour não é minha turnê favorita (deu pra perceber, néam?).

Acho que toda bilu fã da Madonna tem na ponta da língua o pior disco da carreira da Madonna (American Pie, alguém?), mas também nunca conheci alguém que considerasse o "Music" o melhor! Musicalmente, é uma batalha entre a produção esquisita e europeia do Mirwais e o eletrônico com pinta de old skool do William Orbit. No meio dessa briga, ficou a Madonna com seu vocal tradicional, sem nenhuma melhora significante ou mudança relevante em relação ao "Ray of Light". Como já falei, o pior ainda estava por vir...


Music

Extended Mix
Instrumental (bootleg?)
Video Version - Long
Video Version - Short
Calderone Anthem Mix
Calderone Radio Edit
HQ2 Club Mix
HQ2 7" Mix
HQ2 Acapella
Deep Dish Dot Com Remix
Deep Dish Dot Com Remix U.S. Edit
Deep Dish Dot Com U.K. Radio Mix
Deep Dish Dot Com Radio Edit
The Young Collective Club Mix
The Young Collective Radio Mix
Groove Armada Club Mix
Groove Armada GA 12" Mix
Groove Armada 7" Edit
Groove Armada Bonus Beats
Richard "Humpty" Vission Phunktron Mix
Richard "Humpty" Vission Phunktron Radio Edit
Richard "Humpty" Vission Phunktron Dub Mix
Dave Audé Vocal Anthem
Dave Audé Rubber Dub
Robbie Rivera Remix
Drowned World Tour Sessions
Drowned World Tour DVD End Credits
Live from I'm Going to Tell You a Secret
Re-Invention Tour Rehearsal
Confessions Tour Live CD
Confessions Tour Rehearsal
Sticky & Sweet Promo Tour Studio Version
Sticky & Sweet Tour Studio Version
Live from Live 8
Grammies Performance Rehearsal 1 - Music & Nobody's Perfect
Grammies Performance Rehearsal 2
Grammies Performance Rehearsal 3

Check comments / Vejam os comentários...

Chupa meu edy burguês:
Diana Ross, é versão que não acaba mais pra Music! Que loucura! Bom, imagino que todo cidadão que me acompanha ou se interessou em ler tudo isso sobre o "Music", tem ou pelo menos conhece Music, néam?! Vou começar recomendando o Extended Mix que não foi lançado oficialmente em lugar nenhum. É interessante e tem uma produção final levemente da versão que todo mundo conhece. No quesito remixes, Music não desaponta!

Vamos começar pelo bafônico e saudoso Victor Calderone! Embora nunca tenha conseguido se superar com seu remix pra "Frozen", o Calderone Anthem Mix é bom e super diva club! Na época, era esse tipo de remix que tocava na buatchi! Nada desse electro besta e chato que domina hoje em dia! Outro que também ahazzava e faz falta é o Hex Hector. Xente, já despiroquei tanto ao som dos remixes do bunito! O HQ2 Club Mix é pura bateção de cabelão! Uma loucura! Meu remix favorito do pacote de hoje. Eu ia pra buatchi na época toda phêmea esperando tocar essa versão na dancefloor, mas só tocava o remix do Calderone... Um uó!

Madonna demorou tempo demais pra descobrir o talento do Deep Dish. Fato! Acho que eles ficaram muito tensos em trabalhar pra rainha do pop e o Deep Dish Dot Com Remix acabou ficando um pouco abaixo da qualidade geral dos remixes do Deep Dish. Não é péssimo, muito pelo contrário, mas também não é aquela Brastemp.
O primeiro remix da Tracy Young pra Madonna é bastante melódico e bonitinho. Duvido muito que o The Young Collective Club Mix tenha tocado em alguma buatchi na época, mas devia. Agora, o que mais me irritava era quando inventavam de tocar o PÉSSIMO remix do Groove Armada no meio da noite. Jesuis!! Ficava putíssima!

Os remixes do Richard Vission e do Dave Audé ficaram de fora do lançamento oficial e foram rejeitados pela gravadora. Tadinhos! O Richard "Humpty" Vission Phunktron Mix tem uma pegadinha dance old skool bonitinha, mas caga completamente quando decide ficar downtempo no meio do remix. Completamente desnecessário! O Dave Audé Vocal Anthem não mostra o mesmo talento dos remixes atuais do Dave Audé, mas serviria como uma boa alternativa pras pistas.
Por fim, o Robbie Rivera Remix que preferiu seguir um caminho mais happy bicha e deixou o refrão mega fora de sincronia. Parabéns, Robbie!

Music apareceu em todas as últimas turnês da Madonna e ganhou variações interessantes ao longo dos anos. A que eu mais gosto é a versão Music Inferno do Confessions Tour! Essa tour DEVIA ter vindo pro Brazyl!!

2 Bilus felizes:

Anônimo disse...

this the grat thanx where is the link for music

DJ Rick Mitchell disse...

Seu blog é do Babado, Maddy!!! Atchóron!!!

Alô?! Maddyrain chamando!

Você acaba de adentrar as entranhas do mundo de Maddyrain, uma profissional da "náiti guêi" de São Paulo que ama house music e decidiu fazer a boazinha e compartilhar parte de seu acervo musical.

Filhos da Maddyrain

Ocorreu um erro neste gadget

Maddyrain recomenda!

Arquivos da Maddyrain

Você é da caravana de onde?

Clientes:


Mais detalhes da clientela