Vamos falar da Madonna: Bedtime Stories

De burra, a Madonna não tem absolutamente nada, meu amô! Depois do fracasso comercial e de críticas que foi o Erotica, a bunita precisava correr atrás de sua popularidade perdida e começar a fazer o papel da boa moça pra abocanhar o papel de Evita nos cinemas. Agora que todo mundo já tinha visto todos os ângulos vaginais da Madonna, tava na hora certa de lançar um single de trilha sonora pra servir de ponte de um álbum pro outro. E eis que surge I'll Remember, uma balada mela calcinha super linda e fofa do filme "Com Mérito", que se você não assistiu, imagine se eu perdi o meu tempo assistindo!

Bom, basicamente o Bedtime Stories era pra ser uma continuação direta do Erotica, com produção do Shep Pettibone e seguindo o tom sexual nas músicas. Felizmente, alguém chegou no ouvido da bunita e falou "Olha, meu amor, você vai acabar virando a putinha da América se não pegar leve no próximo trabalho". O que ela fez? Mandou um beijo e agradecimentos pro Pettibone e correu atrás dos produtores r'n'b que faziam sucesso na época, como Dallas Austin, Dave Hall e Babyface. Isso marcou o fim da parceria de anos entre ela e o Pettibone e eu desconfio que ela mandou jogar o corpo no rio, porque nunca mais se ouviu falar dele! O álbum também teve faixas produzidas por Nellee Hooper, que era famoso por sua parceria com a Björk.

E, finalmente, após dois anos do último álbum de estúdio, o Bedtime Stories é lançado! Ele segue o padrão da Madonna de discos com poucas músicas lançadas e várias jogadas no lixo. O tracking list final é o seguinte:

1- Survival
2- Secret (single)
3- I'd Rather Be Your Lover
4- Don't Stop
5- Inside of Me
6- Human Nature (single)
7- Forbidden Love
8- Love Tried to Welcome Me
9- Sanctuary
10- Bedtime Story (single)
11- Take a Bow (single)

O álbum abre com Survival, uma musiquinha pop tolinha com tom de autoafirmação em que a voz da Madonna quase se perde nos backing vocals altos. O primeiro single do disco, Secret, foi lançado um mês antes e já mostrava qual caminho seria trilhado pela Madonna no próximo trabalho. Mesmo sendo diferente de tudo que ela já havia gravado até então, Secret é uma das músicas mais bonitas dela. A melodia é bem construída, os vocais são ótimos... enfim. É um clássico!
E, como eu já falei, Bedtime Stories é o álbum das músicas pra encher lugar. Eu DUVIDO que a Madonna se lembre que gravou I'd Rather Be Your Lover, meu amô! Mais uma faixa r'n'b com rap da cantora Me'Shell NdegéOcello, substituindo o trecho cantado originalmente pelo finado Tupac. Bom, não é um dos melhores momentos musicais da Madonna. Mas também não é o pior! Uma das únicas rendições dance do álbum é Don't Stop. Uma gracinha e chegou a tocar por aqui na época. Toda uma pegada old skool e disco. Uma delícia pra dançar, mas super bobinha.

Em seguida vem uma das grandes ambiguidades do universo: Inside of Me foi escrita para a mãe da Madonna e é, ao mesmo tempo, uma das mais sensuais da bunita! É música de tocar no motel, meu amô. Além disso, Inside of Me é super sugestivo, néam? Eu acho essa música linda! Enquanto buscava limpar sua barra com o Bedtime Stories, Madonna também decidiu que se vingaria da mídia e lançou Human Nature, uma resposta a toda crítica negativa que ela recebeu na época do Erotica. Acho o clip super divertido e já postei os remixes aqui no blog, então se joga, meu amô! Ah, não preciso nem dizer que o single foi um fiasco, néam?
Forbidden Love continua a pegada sensualizada das baladinhas. O que eu mais gosto nessa música é o backing vocal do Babyface junto com os vocais da Madonna. Uma melodia super gostosa e também ótema pra fofar. Fika a dika! Vai entender, a música não foi lançada como single, mas mesmo assim entrou na coletânia de baladas Something to Remember. Outra música que eu duvido que ela se lembre de ter gravado é Love Tried to Welcome Me! As batidas sensuais são deixadas de lado nessa baladjénha mega mela calcinha. Eu até acho bunita, mas tenho que estar no clima pra ouvir.

O álbum começa a ficar esquisito com Sanctuary, uma das músicas mais esquecidas EVER. A faixa serve como escadinha perfeita pra Bedtime Story e mixa elementos dance com todo o clima r'n'b do disco. É interessante e experimental... enfim, algo que a Madonna deveria tentar fazer mais. Em seguida vem a faixa-título, Bedtime Story (outro fracasso master da carreira). A música foi escrita pela Björk, que já havia recusado trabalhar com a Madonna antes, mas acabou cedendo após imaginar a bunita cantando o refrão no seu ouvidinho. Que adorável! Aliás, confesso que não sei se essa história é real ou não. Li há milênios atrás na Internet... Anyway, Bedtime Story é uma das músicas mais esquisitas da Madonna e a letra é uma verdadeira obra-prima, repleta de interpretrações. O clip também é puro ácido! Se o próximo álbum de estúdio, Ray of Light, não tivesse demorado tanto pra ser lançado, dava pra estabelecer uma ligação interessante no estilo eletrônico que ela viria a fazer.

Por fim, o álbum encerra com um dos maiores sucessos da carreira da Madonna, Take a Bow. Mais uma balada r'n'b com o backing vocal do Babyface bem evidente. Take a Bow é uma daquelas coisas inexplicáveis que acontecem na vida. Podia ter sido um MEGA fracasso, já que é super parecida com outras tantas baladas de várias cantoras norte-americanas, mas emplacou e ficou semanas em primeiro lugar nos Estados Unidos, sendo um dos maiores hits dela dos anos 90.

Além das onze músicas acima, o Bedtime Stories ainda rendeu lados B interessantes. O primeiro lançado foi Let Down Your Guard no single de Secret, que até assusta pela diferença gritante com o estilo musical que a Madonna sempre adotou. Como lado B, é válido. Outra que acabou sendo engavetada, com toda razão, foi Freedom. Aim... essa eu não gosto! Até tenho a coletânia em que ela saiu, mas não me desce! Por fim, a última sobra de estúdio dessa época lançada é Your Honesty, que só saiu com o Remixed & Revisited. O mais interessante dessa música é que ela foi lançada numa época em que a Internet bombava com músicas rejeitadas do Ray of Light vazando toda semana e ninguém nem imaginava que Your Honesty existia. Foi uma surpresa!

Bom, como eu comecei dizendo, considero o Bedtime Stories uma verdadeira jogada de relações públicas. Musicalmente, não foge muito do som que era feito nos Estados Unidos em meados dos anos 90, mas Madonna foi muito esperta. Diante das oportunidades em frente (continuar afundando sua reputação ou virar uma diva house obscura), ela preferiu lançar um trabalho com uma sonoridade mais comum e fácil de agradar a todos. Ironicamente, as músicas do Bedtime Stories praticamente não aparecem nos shows dela, com exceção dos singles. Mesmo assim, é um dos meus álbuns favoritos e eu fiquei completamente hipnotizada na primeira vez que assisti o clip de Bedtime Story! Uma loucura!
No final, ele acabou servindo bem para o que se propunha fazer: Madonna conseguiu o papel de Evita no musical que ela tanto queria filmar, mas antes precisou lançar uma coletânia de baladas pra continuar fingindo ser uma boa moça...

Secret

Edit
Instrumental
Video Instrumental
Acapella
Alternate Acapella
Drum Mix
Junior's Extended Luscious Club Mix
Junior's Luscious Club Mix
Junior's Luscious Single Mix
Junior's Luscious Dub
Junior's Sound Factory Mix
Junior's Sound Factory Dub
Junior's Sexy Siren Mix
Scandalous Vocal Mix
Some Bizarre Mix
Some Bizarre Single Mix
Allstar Mix
Allstar Single Mix
Drowned World Tour Studio Version
bônus: Let Down Your Guard

Happiness lies in your own hand...

Chupa meu edy e guarda o meu segredo:
Secret é uma das músicas favoritas de muito fã da Madonna. Eu adógo Secret e acho um ahazzo r'n'b maravilhoso! Todo uma pegada "sou do gueto, mas sou phyna". Dizem as más línguas que a música foi totalmente retrabalhada pelo Dallas Austin a partir da concepção original da Madonna com o Shep Pettibone, que não levou os devidos créditos pela composição. Não preciso nem dizer que morro de curiosidade pra saber como era essa versão original, néam?
Bom, como eu acho que todo mundo que chegou até aqui conhece Secret, vou começar recomendado o ÓTEMO Drum Mix, que é uma versão levemente extended da original. Não muda muita coisa, apenas o começo. Pra você treinar antes de se jogar no Ídolas, pega também a versão Instrumental que é linda. De presentinho, duas versões acapella diferentes. Uma foi usada na versão final e a outra foi descartada, mas não são tão diferentes assim entre si. A versão da Drowned World Tour deixou Secret com um ar country que me agrada apenas nessa versão de estúdio. Ao vivo, achei uma cagada sem fim.

Bom, Juninho Vasconcelos, também conhecido como Junior Vasquez, deve ter ficado ryko com Secret! Os remixes dele são os melhores de hoje e o bunito tava no auge da sua criatividade travesti, então se preparem pra balançar bastante essa bundinha! O Junior's Luscious Club Mix é aquela viadagem gostosa e dance que o Vasquez sabia fazer tão bem. Um comecinho no pianinho house que super engana! Esse remix do Vasquez tocava até no rádio na época. Uma delícia! A versão extended tem um começo mais jogativo e direto nas batidas dance, eliminando o pianinho gostoso.
Se você achar que tá faltando travestismo na parada, então se joga no Junior's Sound Factory Mix! Esse é o meu remix favorito pra Secret. Uma coisa... assim... super loka do meu kool! As batidas são mais pesadas e tribais. Tudo perfeito pra você contar pra sua família que é bilu! E não esqueça de pegar o Junior's Sound Factory Dub pra continuar a chocagem na sua casa. O último remix dele não foi lançado e é da coleção particular dele. Olha, eu atóron uma sirene nos remixes, mas esse remix não me agrada muito não.

O Scandalous Vocal Mix é do Guido Osorio com não sei mais quem e é PURO travestismo. Até demais pro meu gosto house! Não é oficial, mas o bunito com certeza utilizou o acapella pra remixar. Pra acalmar um pouco as coisas, temos o Some Bizarre Mix. Nem sei como classificar esse remix. É meio dance, bem estranho... enfim. Curioso! Eu tinha um amigo que falava que era o remix dos sapos! A loka! Por fim, a versão r'n'b diva do Allstar que a xente ignora.

0 Bilus felizes:

Alô?! Maddyrain chamando!

Você acaba de adentrar as entranhas do mundo de Maddyrain, uma profissional da "náiti guêi" de São Paulo que ama house music e decidiu fazer a boazinha e compartilhar parte de seu acervo musical.

Filhos da Maddyrain

Ocorreu um erro neste gadget

Maddyrain recomenda!

Arquivos da Maddyrain

Você é da caravana de onde?

Clientes:


Mais detalhes da clientela