Vamos falar da Madonna: American Life

Demorou exatos 2 meses pra eu voltar a falar da Madonna! Aim, que loucura! Será que foi medo de entrar no assunto sobre o mais odiado álbum da carreira da bunita? Estaria Maddyrain tentando evitar o inevitável!? Bom, não importa, o babadu é que finalmente chegou a vez do "American Life" ser analisado por moi, a bilu mais travônica do recinto.
Bom, não é novidade alguma quando eu digo que o "American Life" é o álbum mais fraco e chato da Madonna. Isso todo mundo sabe! Mas, de toda forma, não dá pra jogar absolutamente tudo no bueiro. O "American Life" tem lá algumas coisinhas boas e crássicas. Continuando a questionável parceria com o Mirwais, que havia produzido praticamente o "Music" inteiro, Madonna decidiu lançar sua opinião sobre a vida, o sonho e os costumes americanos, levando pedra até no olho do edy.

Pras bilus mais desinformadas do recinto, na época do lançamento do "American Life", em abril de 2003, grande parte dos americanos aplaudia de pé os atos de contra-terrorismo promovidos pelo então presidente Bush. Quando a Madonna decidiu abrir a linda boquinha de veludo e expressar sua opinião contrária ao governo, o público dos Estados Unidos voltou as costas pra ela e o pobre do "American Life" acabou sendo um dos piores fracassos na vida da Madonna. Bom, eu acho que o maior fracasso do álbum é a arte dele. A capa é simplesmente TERRÍVEL. Uma coisa "quero ser Che Guevara" que SUPER cansa minha beleza intestinal. A edição limitada, que não contém absolutamente nada de mais, é um trambolhinho de couro sintético sem graça que mofa cada dia mais no meu armário.
Como já falei lá em cima, as letras das poucas músicas (apenas dez, já que "Die Another Day" já havia sido lançada antes) expressam a opinião às vezes exagerada da Madonna em relação à cultura americana. Cultura esta em que ela faz parte, meu amô. Quando ela diz que não assiste televisão em "Nobody Knows Me" tenho vontade de vomitar. Tem também uma "homenagem" ao filho Rocco que abordarei mais abaixo. Diana Ross me proteja de homenagens assim!

"American Life", embora tenha estreado em primeiro lugar nos Estados Unidos, recebeu críticas negativas e foi considerado desinteressante pelo público geral. Eu lembro que quando ouvi o álbum pela primeira vez, pensei: "Jesuis, nunca pulei TANTAS músicas num disco da Madonna!" Loucura! Loucura! Loucura!
O enxuto tracking list (mas dentro dos padrões da Madonna) conta com as seguintes músicas, sem nenhuma variação para edições internacionais ou limitadas:

1- American Life (single)
2- Hollywood (single)
3- I'm So Stupid
4- Love Profusion (single)
5- Nobody Knows Me (promo)
6- Nothing Fails (single)
7- Intervention
8- X-Static Process
9- Mother and Father
10- Die Another Day (single)
11- Easy Ride

Acho que uma das melhores coisas do "American Life" foram os singles, que ganharam remixes bons e tocaram bastante nas buatchis. O primeiro single do álbum foi o polêmico American Life, que criou mais barulho por conta do clip do que a música em si. Pra quem nasceu ontem e perdeu todo o babadu da época, o primeiro clip mostrava um desfile de moda com a guerra do Iraque como pano de fundo, tendo até o presidente Bush no final. Uma loucura! O público americano quis jogar a Madonna na fogueira! Resultado, um dia após a estreia do clip, ele foi retirado do ar e foi relançado numa versão MEGA chata com a Madonna cantando na frente de bandeiras do mundo todo. Meu kool geral e absoluto!
A música pode ser resumida da seguinte forma: olha só, meus amores, eu sou ryka, tenho de tudo, já chupei mulher, homem e cachorro, mas sou infeliz, tzá? Tenho milhares de empregados, mas não sei lavar um copo. Meu kool pra vida americana! Junte a todo esse bla bla bla hipócrita umas batidas eletrônicas bem europeias e com a assinatura do Mirwais. Resultado: um koolzinho, mas com remixes ótimos. Levei eras pra decorar aquela parte do "rap". A troco de quê, eu me pergunto...

Hollywood continua a crítica aos padrões americanos atacando o império do glamour, a cidade de Hollywood. A música tem uma pegadinha eletrônica com violão bem reminiscente do "Music". Outro gogozito que ganhou remixes bons e tocou pra garai na buatchi. Em seguida, I'm So Stupid. É isso mesmo, Madonna! Você é uma estúpida em lançar algo TÃO chato! Mais uma chatice eletrônica criticando a vida que ele levava no passado. Assim... meu kool! Quer trocar de vida, gata? A xente troca RIGHT NOW!
Love Profusion é a primeira baladinha do álbum e é bem bonitinha. Felizmente a Madonna muda de tema e trata de algo mais espiritual. Como praticamente tudo que o Mirwais fez, temos uma batidinhas eletrônicas com violões. A música também foi tema do comercial de um perfume e ganhou um dos clips mais bonitos da Madonna.

Pra mim, o grande problema de Nobody Knows Me não é a música em si. As batidas eletrônicas são ótimas e dá pra ahazzar na dublagem. Mas a letra, meu amô... ah, a letra... Se você compreende inglês, ignore a letra por completo! Na época de lançamento do álbum, eu achava Nobody Knows Me uma das mais chatas do disco, mas com tanta merda boiando, até que dá pra salvá-la do bueiro.
A segunda baladinha do álbum, Nothing Fails, também segue um caminho mais espiritual e mistura violões com cordas e um coral super bonito, criando uma atmosfera bem gostosinha. É um dos poucos singles da Madonna que não ganhou clip e teve uma divulgação pra lá de cagada (isso sem contar na capa do single que... por Diana Ross... só podia ser contenção de gastos). Intervention é outro eco do "Music" e é uma "homenagem" ao então pequeno Rocco. JURO que nunca parei pra ouvi-la inteira!

Entrando no clima MTV Unplugged, temos X-Static Process. Confesso que já gostei MUITO dessa música, mas hoje em dia considero um blah sem igual. Extremamente parada e sem sal. Ficaria boa, talvez, como um lado B. Aliás, já ouvi lados B melhores! Bem melhores...
Na minha opinião, o ápice do "American Life" é Mother and Father e a pergunta que não quer calar desde 2003 é: por que essa música não virou single?! Na época, houve boatos de que ela seria lançada como promo pelo menos, mas os remixes acabaram engavetados e vazaram anos depois. Uma pena.

Die Another Day já havia sido lançada antes como parte de divulgação de um dos filmes do 007, então não é nenhuma novidade. A música é bem dançante e, FELIZMENTE, não mistura as batidas eletrônicas do Mirwais com violões! O babadu são os belíssimos violinos. Adoro!
Pra fechar o álbum, temos Easy Ride, que também é entupida de violinos. Na minha humilde opinião, uma das baladjénhas mais bonitas da Madonna. Muito linda, mas é uma pena que veio num disco tão chato e acaba sendo esquecida no meio de tanta chatice.

A primeira tentativa de promover o "American Life" e levantar as vendas foi com o lançamento do "Remixed and Revisited", um dos álbuns de remixes mais fracos que eu já ouvi na vida. Lançado em novembro de 2003, o tracking list é o seguinte:

1- Nothing Fails (Nevins Mix)
2- Love Profusion (Headcleanr Rock Mix)
3- Nobody Knows Me (Mount Sims Old School Mix)
4- American Life (Headcleanr Rock Mix)
5- Like a Virgin/Hollywood Medley
6- Into the Hollywood Groove
7- Your Honesty

O remix de Nothing Fails eu falarei mais abaixo. Bom, não vou nem comentar sobre as cagadas de rock remixes que ela encomendou pra Love Profusion e American Life. Puro lixo. O remix de Nobody Knows Me é electro básico da época e que tocava bastante nas buatchis.
A apresentação ao vivo de Like a Virgin com Hollywood contou com as ninfetinhas Britney Spears e Xtina Aguilera e criou-se todo um alvoroço por conta do beijo que a Madonna deu nas duas. Amores, Madonna já beijou mulheres mais bonitas. Fika a dika.
Como brinde, temos o mash-up de Hollywood com Into the Groove e os vocais adicionais da Missy Elliott. Nada de outro mundo, na minha opinião. No final das contas, a grande surpresa do disco é Your Honesty, sobra de estúdio do "Bedtime Stories" que ficou engavetada por milênios.

A segunda tentativa de alavancar o "American Life" veio com a turnê mundial "Re-Invention Tour". Acho que Madonna foi muito esperta quando escolheu esse título pra turnê. Os fãs ficaram todos com o kool piscando pra saber quais seriam as inovações que ela promoveria e como ela mexeria nos clássicos. O resultado é um tanto desanimador.
A turnê ainda não teve um lançamento oficial e mais da metade dos fãs já desencanou e comprou versões piratas do show. Levou anos pra eu assistí-lo em DVD e acabei soltando um peidinho acompanhado do clássico comentário "É só isso?". É praticamente uma continuação do desinteressante "Drowned World Tour", com Madonna intercalando performances animadas com números CHATOS de guitarra e cagando com músicas clássicas. A melhor parte, pra mim, é justamente a primeira música, Vogue. Melhor apresentação EVER daquela música!

Talvez o maior mérito do "American Life" tenha sido fazer a Madonna despertar pra vida com a queda absurda de popularidade e público e decidir voltar às origens com um novo álbum dançante e definitivamente Madônnico. As poucas músicas boas do "American Life" acabam se perdendo no meio de tanta mesmice e comentários ácidos pra lá de hipócritas. Mas todo túnel tem uma luz no seu final, meus amores! E a luz e salvação da Madonna foi o "Confessions on a Dancefloor"!

Nothing Fails

Radio Edit
Radio Remix
Nevins Mix
Nevins Big Room Rock Mix
Nevins Global Dub
Peter Rauhofer's Classic House Mix
Peter Rauhofer's Classic House Long Mix
Peter's Lost in Space Mix
Tracy Young's Underground Mix
Tracy Young's Underground Dub
Jackie's in Love in the Club Mix
Re-Invention Tour Rehearsal

Check comments / Vejam os comentários...

Trepe no meu edy da vida:
"Nothing Fails" é uma das melhores músicas do "American Life". FATO! Infelizmente, o single não teve uma divulgação muito decente e acabou sendo um fracasso mundial. A música até ganhou remixes muito bons, mas a falta de um clip bonitinho foi sentida. Podem pegar a Radio Edit. Uma gracinha.
O primeiro remix lançado pra "Nothing Fails" foi a versão do Jasons Nevins. O Nevins Big Room Rock Mix segue o padrão dos remixes dele da época. Um dance pesado com algumas guitarras aqui e ali. Bem interessante! O Radio Remix tem mais vocais, mas mantém os elementos rock dance diva. O Nevins Global Dub é mais bafônico e pintoso.

Quem não podia faltar era o arroz de festa Peter Rauhofer (que felizmente anda sumido). O Peter Rauhofer's Classic House Mix podia ser mais "classic house", mas é muito bom. Não esperem nenhum ar de David Morales ou Frankie Knuckles! Pra não fugir do estilo que ele seguia na época, ele lançou ainda o Peter's Lost in Space Mix, que é mais club e tem a cara da The Week.
A sapinha Tracy Young geralmente não me agrada com seus remixes, mas o Tracy Young's Underground Mix é bonitinho e dançável. Acho engraçada essa fixação dos DJs em colocar nomes nos seus remixes que não são necessariamente classificatórios. O remix dela não é nada underground. Um club dance bem básico e jogativo.
Por fim, o Jackie's in Love in the Club Mix de uma rachinha que eu nunca vi mais gorda. De toda forma, ela conseguiu fazer uma versão bem dançante e gostosa de "Nothing Fails". Recomendado!

4 Bilus felizes:

Maddyrain disse...

Link pra download:

http://www31.zippyshare.com/v/84921467/file.html

João Lucas disse...

Critica pra lá de superficial, heim...

Maddyrain disse...

Joao, amore, agradeco o comentario e to esperando a sua critica pra la de apurada sobre o American Life.

Um beijo,
Maddyrain

junior viametro disse...

Eu sempre queria ver a madonna cantando Love profusion e American Pie.

Alô?! Maddyrain chamando!

Você acaba de adentrar as entranhas do mundo de Maddyrain, uma profissional da "náiti guêi" de São Paulo que ama house music e decidiu fazer a boazinha e compartilhar parte de seu acervo musical.

Filhos da Maddyrain

Ocorreu um erro neste gadget

Maddyrain recomenda!

Arquivos da Maddyrain

Você é da caravana de onde?

Clientes:


Mais detalhes da clientela