Vamos falar da Madonna: True Blue

Passada a loukura que foi a era Like a Virgin, o público e a crítica se remoiam todos esperando o próximo trabalho da bunita. O povo todo achava que ela tinha sossegado a pirikita após conhecer e se casar com o troglodita do Sean Penn. Bom, se eu fosse sentar a bundinha e contar como foi esse casamento uó, seria um post só sobre isso. Vamos resumir o babadu todo.
Os dois se conheceram durante a gravação do clip de Material Girl e acabaram se casando em 1985. A mídia toda já sabia que juntando a putinha mais famosa do mundo com o macho man mais chato do cinema, só poderia dar merda. Sean Penn já era conhecido por seu temperamento explosivo e rude, e Madonna não era nenhuma santa. Resultado? Milhares de brigas e discussões em público, agressões físicas e morais a jornalistas e fotógrafos, além da criação da principal lenda urbana da vida da Madonna! Será que ela realmente foi espancada de Sean Penn? Será que ele realmente colocou a cabeça da bunita dentro de um forno ligado? Bom, o babadu todo a xente nunca vai saber, mas Madonna acabou se separando de dele na época do Like a Prayer e demorou anos pra esquecer as dores de amor.

Os dois chegaram a atuar juntos no fiasco completo e absoluto chamado Surpresa em Shanghai. Olha, amores... acompanhar a "carreira" cinematográfica da Madonna não é fácil. Demanda todo um saco bem grande e uma coragem e paciência fora do comum. Eu confesso que nunca assisti esse filme, então não posso dizer se é bom ou ruim, mas a crítica desceu matando.
Live to Tell foi o primeiro single e foi lançada três meses antes do álbum True Blue. A música faz parte da trilha sonora de outro filme do Sean Penn, Caminhos Violentos, no qual a Madonna felizmente não aparece. Madonna surpreendeu todo mundo lançando uma balada mela-calcinha completamente diferente de tudo que havia lançado, até mesmo de Crazy for You. O clip também foi um choque, com Madonna toda comportada e vestida de dona de casa. Imagina o medo que o povo ficou!? Será que Madonna virou crente!?

True Blue foi lançado para a alegria geral da nação mundial em junho de 1986 e é o disco da Madonna de maior sucesso comercial até então. Claro que nãon é nenhum Thriller, mas dá pro gasto, néam? O tracking list oficial é o seguinte:

1- Papa Don't Preach (single)
2- Open Your Heart (single)
3- White Heat
4- Live To Tell (single)
5- Where's the Party
6- True Blue (single)
7- La Isla Bonita (single)
8- Jimmy Jimmy
9- Love Makes the World Go Round
10- True Blue (The Color Mix) (bonus track da versão remasterizada de 2001)
11- La Isla Bonita (Extended Remix) (bonus track da versão remasterizada de 2001)

Papa Don't Preach abre o disco com acordes melódicos e uma evolução de cordas maravilhosa. Ufa, que alívio! Ela não tinha passado para o lado negro e brega da força! Papa Don't Preach tornou-se um dos principais hits da carreira da bunita ao tratar de um tabu até os dias de hoje, o aborto. Open Your Heart, a música de hoje, se esconde por trás de um relacionamento cheio de problemas pra insinuar o ato sexual. White Heat é uma gracinha e favorita do público.
Where's the Party é a grande pergunta que não quer calar do True Blue. Por que não virou single ?! Um pop bem dançante e com refrão marcante. Olha, eu acho que seria um sucesso! True Blue, a faixa título, é uma baladinha uptempo bunitjinha e bobinha. Xente, pelo amor de Diana Ross, não pensem que True Blue significa "Azul de Verdade", viu? A loka! Embora tenha sido single, não foi um sucesso mundial. O remix de True Blue marcou a primeira parceria de Madonna com Shep Pettibone, que viria a remixar e produzir muita coisa dela ainda.

É difícil escolher o single mais legal do True Blue... todos são excelentes, mas o clima latino brega caliente de La Isla Bonita a tornou uma das favoritas de todos os fãs. Diz a lenda que La Isla Bonita foi escrita pro disco Bad do Michael Jackson. Xente, não consigo imaginar esse clima todo latino na voz do Michael!
Na minha opinião, as piores faixas do True Blue estão no final. Jimmy Jimmy é uma das músicas mais bobas da Madonna! Bobinha, mas engracinha. A pior é Love Makes the World Go Round. Ela não é exatamente uma música inédita, pois já tinha sido tocada durante o Live Aid, mas é uma mistureba de Aruba com mensagem de paz mundial SUPER chata.

Como eu já falei, a parceria de Madonna com Patrick Leonard e Stephen Bray rendeu um álbum bem mais maduro e musicalmente inspirado. Embora a maioria das músicas trate sobre temas amorosos, já que a bunita tava toda de quatro pelo Sean Penn, o True Blue concentra cinco singles de grande sucesso mundial e de presença constante nos show da bunita. Além disso, essa época marca o início de parcerias importantes, como Patrick Leonard, Shep Pettibone e Jean-Baptiste Mondino. Com o True Blue, Madonna deixou claro que estava no ramo pra firmar a soberania absoluta do pop junto com Michael Jackson, que também era puro sucesso na época.

Enquanto preparava o álbum mais emblemático de sua carreira, Madonna ainda lançou outros dois discos, a trilha sonora do filme Who's That Girl e seu primeiro álbum de remixes, o You Can Dance, além da sua primeira turnê mundial!

Open Your Heart

Video Version
Extended Version
Edit of the Extended Version
Dub

I hold the lock and you hold the key...

Chupa meu edy que é azul:
"Open Your Heart" é uma das minhas músicas favoritas da fase oitentista da Madonna. Puro pop de qualidade. Diz a lenda que "Open Your Heart" foi composta pra Cyndi Lauper, mas acabaram oferecendo pra Madonna, que adorou, meteu o dedinho aqui e ali e saiu com o nome entre os autores. O povo atóra ver uma safadeza no verso "I hold the lock and you hold the key"... será verdade? O clip pra "Open Your Heart" foi a primeira colaboração de Madonna com Jean-Baptiste Mondino. Os dois ainda voltariam a trabalhar muitas vezes. Todo um clima de voyeurismo loko num peep show com Madonna se exibindo pra um monte de bophy. E olha que nessa época a bunita tava casa com o Sean Penn, viu?

A Extended Version foi remixada por Steve Thompson e Michael Barbiero. Eu particularmente gosto dos remixes deles, sempre fugindo do básico e comum dos anos 80. Como o nome sugere, não é muito diferente da versão original, mas possui alguns versos adicionais e umas batidas SUPER flash house que eu atóron. É um dos meus remixes favoritos dessa época. Destaque também pra versão Dub, que é uma gracinha. Se joguem, meus amores! As outras versões são edições do remix principal.

1 Bilus felizes:

DJ Rick Mitchell disse...

E no clip, o menino é o Leonardo DiCaprio...

Alô?! Maddyrain chamando!

Você acaba de adentrar as entranhas do mundo de Maddyrain, uma profissional da "náiti guêi" de São Paulo que ama house music e decidiu fazer a boazinha e compartilhar parte de seu acervo musical.

Filhos da Maddyrain

Ocorreu um erro neste gadget

Maddyrain recomenda!

Arquivos da Maddyrain

Você é da caravana de onde?

Clientes:


Mais detalhes da clientela