Vamos falar da Madonna: I'm Breathless

Olha, eu acho que muita xente na época duvidou que Madonna fosse se reerguer após o divórcio com Sean Penn e mandar o ex-casamento pro bueiro junto com ele. Verdade seja dita, demorou anos pra Madonna esquecer da piroca do Sean Penn, mas pelo menos o assunto sobre o casamento falido estava encerrado e estava na hora de Madonna voltar suas atenções pra telona novamente.

Madonna decidiu fazer a linha geriátrica e interesseira e começou um relacionamento meio uó com o Warren Beatty. Xente, tá bom, eu sei que ele já foi bonitão, mas... assim... há milênios atrás! Quando ele era fazible, Madonna nem era nascida. A loka! Bom, de toda forma, o relacionamento entre os dois rendeu uma pontinha no filme em que ele tava dirigindo e produzindo, Dick Tracy. O filme não foi um sucesso absurdo e absoluto de crítica e público, mas também não é terrível. Além disso, a interpretação de Madonna não tá... assim... completamente deplorável. Ela faz o papel de uma showgirl (pra não dizer cantora de buatji) e super quer pegar no dick do Dick.
O filme rendeu à Madonna inspiração para o seu trabalho mais diferente até hoje, o álbum I'm Breathless. O tracking list oficial é o seguinte:

1- He's a Man
2- Sooner or Later
3- Hanky Panky (single)
4- I'm Going Bananas
5- Cry Baby
6- Something to Remember
7- Back in Business
8- More
9- What Can You Lose
10- Now I'm Following You (Part I)
11- Now I'm Following You (Part II)
12- Vogue (single)

Se você perguntar pra dez fãs da Madonna se eles gostam ou não do I'm Breathless, mais da metade dirá que não. Eu vou levantar a mãozinha e dizer "Sim, atóron!". É um álbum que não deve ser levado muito a sério. As músicas, em geral, não têm nada a ver com o estilo da Madonna e são todas inspiradas na década de 50 americana, que foi dominada pelos gangsters. A sonoridade é bem estilizada e destoa do restante da discografia da Madonna, mas é uma graça assim mesmo. Três das doze músicas do álbum foram tiradas do filme Dick Tracy (Sooner or Later, More e What Can You Lose). As demais receberam quase nenhuma atenção da Madonna em shows e o principal single é Vogue sem dúvidas.

I'm Breathless abre com He's a Man, claramente cantada por Breathless Mahoney, personagem da Madonna no Dick Tracy. Super bonitinha com toda uma orquestra no fundo e trechinhos de falas do filme. Eu atóron e considero um dos melhores abre-alas da Madonna. Sooner or Later é uma das baladas mais bonitas dela e levou o Oscar. Aliás, vocês precisam assistir a apresentação ao vivo dessa música no Oscar! É maravilhosa, apesar do nervosismo evidente de Madonna interpretando a Marilyn Monroe. O segundo single do álbum, Hanky Panky, tem um clima de perseguição de mafiosos delicioso! Uma graça e ajudou o álbum a ficar nas paradas até ser substituído pela coletânia Immaculate Collection.

I'm Going Bananas e Cry Baby são as músicas mais engraçadas, estranhas e fuck off da Madonna. A primeira é minúscula e a bunita canta num tom latino estridente que me lembra a Gloria Estefan sem talento. No começo eu a achava terrível, mas hoje acho super engraçadinha e até gosto dela ao vivo no Girlie Show. Cry Baby parece que é cantada por Shirley Temple. Eu sinceramente acho um pouco maçante e o tom infantil cansa um pouco minha bixiga, mas... again... não é pra ser levada a sério, néam?
Something to Remember... quem diria que uma música apagada renderia até nome de coletânia! Novamente, uma das baladas mais bonitas da Madonna, com vocais adultos e instrumental perfeito. Fico toda cagada no final quando a bateria entra! Talvez seja a música com menos cara de anos 50 no I'm Breathless depois de Vogue. Bom, Back in Business é SUPER filme de gangster de Hollywood! Aliás, essa música merecia um clip mutjo loko, com Madonna cantando num cabaret, uns mafiosos musculosos... uma coisa super doida do meu kool. Atóron essa música e acho que casa direitinho com o clima de More, embora não goste dela. Muito musical pro meu gosto. What Can You Lose é um dos poucos duetos gravados pela Madonna. E vejam, só no I'm Breathless há dois duetos! Loucura! Esse é com Mandy Patikin (prazer, Maddyrain!). Bonitinha, mas não faz a minha cabeça at all.

Como Madonna deve ter sacado desde o início que um álbum todo nesse clima gangster não seria o suficiente pra fazer sucesso, ela decidiu se render de vez à house music. No entanto, como colocar um house num álbum todo meio jazz, meio sei lá eu o quê? A solução foi até que bem criativa. Now I'm Following You Pt. I mantém o estilo retrô com sapateado e tudo, enquanto que Now I'm Following You Pt. II é um remix bonitinho, mas BEM ordinário. Um housezinho safadinho, mas que cumpre bem o seu papel de escadinha pro house de Vogue. Eu não vou nem falar de Vogue, néam? É um dos principais singles da carreira da Madonna e TODO MUNDO GOSTA! Isso é house de qualidade, meu amô! Um house SUPER Shep Pettibone, mas house! Amo e acho que toda bicha de valor tem que saber a coreografia! (eu nunca consegui aprender, mas abaphe the case)

Os planos de divulgação do I'm Breathless incluiam ainda o lançamento de dois singles a mais, Sooner or Later e Now I'm Following You (que chegou a ser remixada), mas tudo mudou com o lançamento do Immaculate Collection. Grande parte do sucesso do I'm Breathless se dá não apenas a Vogue, mas também à turnê mundial Blond Ambition, uma das melhores na minha opinião. Infelizmente, até hoje as únicas gravações oficiais desse show estão nos LDs lançados na época, então não se sinta péssimo se você nunca assistiu nada além do que está no documentário "Na Cama com Madonna". Vale a pena mencionar as performances de Like a Virgin (antológica!!) e Keep it Together. Era a turnê mais bem produzida até então e foi um sucesso absoluto. O único porém são aqueles dançarinos EXTREMAMENTE pintosos, néam?

Bom, com tanto single de sucesso, já tava na hora de lançar uma coletânia, néam?!

Vogue

12" Version
Single Version
Single Version Instrumental
Strike-a-Pose Dub
Bette Davis Dub
Shep's on the Fly Dub
Re-Invention Tour Studio Version
Sticky & Sweet Tour Studio Version

Let your body move to the music...

Chupa meu edy na dance floor:
Bom, Vogue foi o primeiro single do I'm Breathless e é um dos principais hits da carreira da Madonna. FATO! Se você quer que sua festa tenha sucesso, coloca Vogue pra tocar! Se aquele hetero começar a dar close durante a música, hmm.. Hetero meu kool, néam?!
Vogue foi produzida e remixada pelo guru house de época
Shep Pettibone. O som do Pettibone foi ficando cada vez mais repetitivo então é comum ouvir eco de outras produções e remixes dele em todo o seu trabalho. A Single Version não é extremamente diferente da versão original. Ainda bem, néam? Não tinha mesmo o que mexer! O babadu é a Single Version Instrumental que vazou recentemente. Super válida pra você praticar suas habilidades artísticas. A 12" Version também não é muito diferente, mas acrescenta uns vocais inéditos super legais. Recomendada! Nenhum dos dubs produzidos é uma obra-prima dubística e, surpresa! surpresa!, não fogem da versão original.
Eu sempre achei as apresentações ao vivo de Vogue bem marromenos, até a Re-Invention Tour. Xente, aquele lance de tudo virado de cabeça pra baixo é uma coisa... assim... super psicodélica do meu kool! Atóron! A versão na Sticky & Sweet Tour também é ultra mega válida, com samples de 4 Minutes. Tá bom que 4 Minutes não é a melhor música da bunita, mas o mash-up ficou ótemo!

0 Bilus felizes:

Alô?! Maddyrain chamando!

Você acaba de adentrar as entranhas do mundo de Maddyrain, uma profissional da "náiti guêi" de São Paulo que ama house music e decidiu fazer a boazinha e compartilhar parte de seu acervo musical.

Filhos da Maddyrain

Ocorreu um erro neste gadget

Maddyrain recomenda!

Arquivos da Maddyrain

Você é da caravana de onde?

Clientes:


Mais detalhes da clientela