Vamos falar da Madonna: Erotica

E finalmente chegamos no meu disco favorito, o Erotica. Na minha opinião nada modesta, Erotica é o álbum em que a Madonna mais esteve inspirada, criando com maestria diversas vozes e discursos em apenas 14 faixas. Mas antes da xente falar do álbum em si, vamos falar do que ocorria na época do lançamento.
Depois de bater siririca em frente dos seus fãs na Blond Ambition Tour e sugerir sexo liberal em um hotel com o clip de "Justify My Love", todo mundo já tava ligado que o próximo trabalho da Madonna seria, no mínimo, bombástico e exalando séquiso por todos os poros. O povo tava 50% certo, porque antes de chocar todo mundo, Madonna lançou o single This Used To Be My Playground, da trilha sonora do filme "Uma Equipe Muito Especial", em que ela faz o papel de uma jogadora de baseball feminista. Sinceramente, assisti o filme tanto tempo atrás que não lembro dos detalhes do enredo, mas achei o trabalho dela bom. Xente, é Madonna, néam? Não dá pra esperar uma performance digna de Oscar! A baladjénha mela calcinha chegou em primeiro lugar na Billboard e é keridinha dos fãs.

Três meses após o lançamento do filme e single, veio a bomba recheada de sacanagem. Erotica é o quinto álbum de estúdio da Madonna e é, de longe, o mais sensualizado da carreira dela. A sonoridade geral mistura pop com dance e um toque de r'n'b em algumas faixas. A produção ficou dividida entre o DJ Shep Pettibone, que já vinha trabalhandon com a bunita há um tempinho, e André Betts, que milênios depois faria o remix de "I'm Real" da Jennifer Lopez. Devido ao conteúdo das letras, algumas versões do Erotica possuem cortes para os mais puros e ingênuos não cederem à tentação.

Para coincidir com o lançamento do Erotica, Madonna lançou seu primeiro livro, o SEX. Hoje em dia, ele virou item de colecionador e chega a preços caríssimos em leilões internacionais. Então, meu amô, se você for uma biluzinha sortuda com eu e tiver o SEX, guarde e cuide dele com carinho, porque neste exato momento tem um monte xente se matando por um! O livro narra as aventuras e fantasias de Dita, personagem Madonna assumiu na época, entre fotos picantes e excitantes. A vadia se esfrega com tudo que é xente! Homem, mulher, homem com cara de mulher, mulher com cara de homem e até cachorro! Eu lembro que na primeira vez que vi o livro fiquei super bege. Hoje em dia, acho tudo muito artístico e inspirador. A loka.

O livro vinha ainda com um CD promocional de apenas uma faixa, Erotic. A música não foge muito da versão original de Erotica, mas a letra é mil vezes mais pervertida e as batidas mais pesadas. A música ficou de fora do álbum, cujo tracking list oficial é o seguinte:

1- Erotica (single)
2- Fever (single)
3- Bye Bye Baby (single)
4- Deeper and Deeper (single)
5- Where Life Begins
6- Bad Girl (single)
7- Waiting
8- Thief of Hearts
9- Words
10- Rain (single)
11- Why's It So Hard
12- In This Life
13- Did You Do It?
14- Secret Garden

A faixa-título e single abre-alas do álbum, Erotica, foi o primeiro "fracasso" da carreira da Madonna, estreando em segundo lugar na parada e antecipando a recepção morna que o álbum receberia. Também, venhamos e convenhamos, embora eu AME Erotica, não consigo imaginar essa música tocando no rádio. A sonoridade é completamente esquisita, os vocais roucos demais, a letra perva demais. Enfim. Não tocou no rádio, mas toca toda semana na minha casa! Isso sem mencionar o clip, que foi super banido da MTV, néam?
A versão original de Fever é, na minha opinião, inferior à versão dance do clip. Aliás, quando eu comprei o Erotica, fiquei super decepcionada. É apenas questão de gosto pessoal. Mesmo assim, adógo o house de Fever, que só foi lançada como single na Europa, assim como Bye Bye Baby. Dizem as más línguas que Bye Bye Baby foi escrita pro Prince. A faixa mistura r'n'b com batidas house e não é nenhum hit na carreira da bunita. Nem clip pra divulgar o single teve!

Eu acho que toda bilu fã da Madonna gosta de Deeper and Deeper! Uma das músicas mais guêis da bunita! Uma mistura de house com sons latinos. Uma coisa... assim... que pede pra ser dançada! E os remixes do single são do David Morales, tzá? Fika a dika pra download! Só o clip que é ultra mega cagado... Jesuis! Where Life Begins diminui o tempo das últimas músicas e volta pro som meio jazz intimista sugerido por Erotica. É música pra deixar tocando enquanto você paga aquele kétji gostoso no seu bophy. Música de séquiso. Na minha opinião, o trunfo de Where Life Begins tá na letra repleta de duplo sentido.
A primeira baladjénha do álbum é Bad Girl, outra queridinha dos fãs. A letra é super triste e fala direto com o coração da biluzada. No fundo, nenhuma bilu é feliz em ficar pulando de galho e galho. Vamos ser sinceras! Waiting é uma das minhas músicas favoritas da Madonna. Uma coisa... assim... super cabaret e black music. Dita ressurge e divide os vocais com Madonna, num diálogo sensual. ADÓGO dublar essa música!

E o susto que eu levei quando ouvi Thief of Hearts pela primeira vez com o som nas alturas?! Sabe aquela hora do barulho de vidro quebrado? Xente! Essa é outra que eu adoro e não entendo porque foi ultra mega esquecida pela Madonna nas turnês. Acho que dava pra fazer um medley loko do meu kool com "She's Not Me" na última turnê! Já pensaram? Um house super gostoso com Madonna e Dita novamente nos vocais cantando sobre aquela amiga da onça que todo mundo tem.
Eu acho que é consenso geral que Words é uma das músicas mais fracas do Erotica. Não que seja ruim, mas é fraca pragarai. Felizmente, eu não pulo nenhuma faixa enquanto tô ouvindo o álbum e aprendi a gostar de Words, mas no começo, achava de uma chatice sem fim. Atóron aquela flautinha indiana... ou sei lá que porra de instrumento é aquele! E também acho bapho a máquina de escrever no final! Tudo muito contextualizado.

E chegamos a Rain, provavelmente a minha música favorita da Madonna EVER! Foi essa música que inspirou meu nome de guerra e anda comigo desde meus primórdios na Internet. Nem sei explicar direito porque gosto tanto dela. Talvez seja a letra ou a melodia triste com aquela bateria eletrônica super outdated... Enfim, é uma música que eu sempre escuto e simboliza várias coisas em minha vida.
Why's It So Hard chegou a ser cogitada para ser lançada como single na época, mas acabou ficando como lado B ao vivo no single de "I'll Remember". A letra fala sobre a união das pessoas por uma vida melhor. Tudo muito bonitinho e gostoso da dançar, misturando dance com uma pegada reggae discreta. Dizem que a versão demo era mais jamaicana ainda...

A última balada do álbum é outra detestada pelos fãs, In This Life. Até entendo o motivo de tanta ira, afinal são mais de seis minutos numa melodia que muda muito pouco e Madonna cantando a perda de um amigo querido que morreu de AIDS. Eu acho a letra muito bonita e tocante, mas preciso estar no clima pra ouvir a música inteira. Ela é um pouco cansativa.
Em seguida, uma das músicas que ninguém nunca entendeu o porquê de sua existência, Did You Do It? Eu nem a considero uma música da Madonna; parece mais um remix de Waiting. O instrumental e o refrão são idênticos, mas os vocais principais foram substituídos por dois cafuçus. Bom, se você gosta de Waiting, as chances de gostar (ou não) de Did You Do It? são grandes. E o álbum mais polêmico da Madonna encerra com Secret Garden, outra música que figura entre as mais diferentes da carreira da bunita. Um coisa meio jazz, meio "Acústico MTV" com Dita se despedindo e mandando beijinhos pra crítica musical.

O álbum gerou um número considerável de singles, mas todos de sucesso mediano na Billboard. O único lado B da época é a música "Goodbye to Innocence", que estava prevista como faixa normal do álbum, mas foi descartada. Depois seria lado B do single de Erotica, mas também ficou de fora. Acabou virando um dub chamado "Up Down Suite" no single de Rain, teve alguns vocais usados em um remix promocional de Fever e só foi finalmente lançada na coletânia obscura Just Say Roe. Um desperdício tremendo! A música podia muito bem ter substituído Did You Do It? Enfim... vai entender!
Na época, Madonna lançou outro filme que tratava sobre a temática sexual para contextualizar sua obra, "Corpo em Evidência". Bom, não preciso nem dizer que NINGUÉM gostou do filme. Esse eu também assisti em algum lugar do passado e não me recordo da trama, mas achei bem uózinho.

Pra tentar dar uma alavancada nas vendas minguadas do Erotica, Madonna saiu em turnê mundial com a Girlie Show Tour. A bunita decidiu finalmente lançar um olhar sobre seus fãs latinos e veio fazer show no Brasil e Argentina, além de Porto Rico e México. Sem fugir muito do previsto, as coreografias são todas bastante sensualizadas, os dançarinos dessa vez são TODOS gostosos e trocam carícias no palco. Uma loucura! É nessa turnê que Madonna ensina como cagar geral com um hit, como fez com "Like a Virgin"... Não vou nem comentar! Por outro lado, a performance de "La Isla Bonita" é uma das melhores até hoje! Nunca achei o tracking list da turnê o melhor do mundo, mas enfim... tem lá os seus momentos.

Se analisado como uma tentativa da Madonna em fazer um som mais adulto e underground, o Erotica é um sucesso. No entanto, a crítica não tava pronta pra sonoridade e letra agressivas do álbum, nem o público geral. Resultado? Erotica acabou sendo o maior fracasso na carreira da bunita até então. Claro que, futuramente, ela teria o American Life pra foder geral o barraco. Buscando uma forma desesperada de não cair no ostracismo que já pontuava a carreira de outro grande ícone pop da época, o Michael Jackson, o próximo álbum da Madonna seria uma rendição à sonoridade que fazia sucesso nos Estados Unidos. No próximo post sobre a Madonna, Bedtime Stories!

Bye Bye Baby

House Mix
Madonna's Night on the Club
Rick Does Madonna's Dub
N.Y. Hip-Hop Mix
California Hip-Hop Jazzy
Tallahassee Pop
Madonna Gets Hardcore

Does it make you feel good to see me cry?

Chupa meu edy que faz bem:
Bye Bye Baby segue a linha dos singles da Madonna que não fizeram sucesso na época de lançamento e acabaram no limbo. Além disso, por algum motivo divino desconhecido, é um dos singles mais caros e raros da bunita! Não dá pra entender, mesmo porque Bye Bye Baby tá longe de ser o melhor lançamento dela. Todos os remixes ficaram a cargo do Ricky Crespo, que nem é (ou era) famoso, e não deu lá muito trabalho, já que não há grande variação.
A xente pode dividir os remixes de hoje em remixes house e remixes r'n'b. Preciso dizer que os remixes house são melhores? Naum, néam? Podem pegar o Madonna's Night on the Club que é super fofinho. O House Mix é a versão editada. O Rick Does Madonna's Dub continua com as mesmas batidas house, mas com menos vocal. Enfim, vocês sabem o que é um dub, néam? Já os remixes r'n'b, meu amô... esses são TODOS iguais, com diferenças mínimas. Peguem o N.Y. Hip-Hop Mix, que é a base de todos os outros, e pronto, já conhecem todos os outros!

2 Bilus felizes:

Tabitha disse...

Eu sei que Erotica é um álbum esquecido pelos fãs, respeito sua opinião mas penso totalmente diferente. Erotica é um dos melhores discos de Madonna, provavelmente o último em que as letras das músicas queriam dizer alguma coisa. Acho todas as músicas excelentes, as batidas são pesadas e evoluem de acordo com cada faixa. As músicas estão dispostas de maneira que começam exaltando a sexualidade delirante de "Dita", levando em consideração apenas seus instintos sexuais. A partir de Where Life Begins, mergulhamos nas decepções amorosas e sentimentais da personagen. Rain, concordo com com vc, é a melhor balada de Madonna. A dobradinha Why´s so hard + In This Life mostra muito bem como ela sempre esteve anos a frente de questões que hoje são exaustivamente discutidas, como a união gay, preconceito e etc. E as 2 últimas músicas são intimistas e atemporais. Na minha opinião, Erotica foi o último álbum da Madonna como o mundo a conheceu. Não me canso de ouvir e acho uma pena ser um álbum esquecido.

Maddyrain disse...

Mas, gata, eu AMO o Erotica! Será que eu escrevi algo diminuindo esse álbum? Pra mim é um dos melhores da carreira dela e, provavelmente, o ápice de sua criatividade...

Bjs,
Maddyrain

Alô?! Maddyrain chamando!

Você acaba de adentrar as entranhas do mundo de Maddyrain, uma profissional da "náiti guêi" de São Paulo que ama house music e decidiu fazer a boazinha e compartilhar parte de seu acervo musical.

Filhos da Maddyrain

Ocorreu um erro neste gadget

Maddyrain recomenda!

Arquivos da Maddyrain

Você é da caravana de onde?

Clientes:


Mais detalhes da clientela