Pelas estradas da vida

O barulho do último trem na estação Consolação ainda ressoava do lado de lá da porta que separava o submundo gay do resto do mundo quando meus olhos finalmente se acostumaram à escuridão que me cercava. O corredor era estreito, escuro e úmido. Luzes de emergência vermelhas piscavam com irregularidade e davam um aspecto dark room pro lugar. Senti-me em casa!
Seguimos Charlotte Chandelle em fila indiana. As bilus que pularam com a xente na linha do metrô de repente, não mais que de repente, afloraram.

_ Jesus! Que dia cansativo lá no escritório!
_ Nem me fale! Você acredita que pegaram outra biba no Trianon? O que elas têm na cabeça!? Querem aquendar logo lá na Paulista?!
_ Era alguém conhecido? - Charlotte Chandelle virou pra trás.
_ Não, nunca vi. Deve ser alguém da baixa Augusta.
_ E quem é você, gata? - uma bilu magra usando o terno mais surrado que eu vi na minha vida se voltou pra mim.
_ Eu sou...
_ Ela é uma travinha que eu encontrei perdida na rua.
_ Charlotte, você agora tem permissão pra trazer gente de fora pra cá?
_ O líder vai gostar dela. Ela tem espírito revolucionário nas veias. - a bilu magra me olhou com desdém. A luz de emergência tingiu o rosto dela de vermelho. Xente... como era suja!

O corredor escuro dava pra uma área aberta completamente abafada e sem luz solar. A única iluminação natural do saguão vinha de enormes ventiladores presos no teto que davam pra calçada da Avenida Paulista. Uma multidão de bilus andavam pra lá e pra cá, vivendo suas vidas no subterrâneo do metrô como se aquilo fosse a coisa mais natural do mundo. Fiquei completamente Bélgica... fiquei a Europa inteira... vendo como tudo era organizado. Uma sequência de tendas e barracas vendiam tudo que se podia encontrar nas ruas acima. Imaginei que alguns daqueles camelôs passavam o dia comprando e vendendo mercadorias lá em cima e depois voltavam pro submundo.
Avistei alguns vagões desativados transformados em casa e várias barracas amontoadas numa área que deveria ser a parte residencial do submundo. Passamos por umas biluzinhas dançando no completo silêncio. Além do barulho normal de pessoas andando e conversando, não se ouvia nada de estranho ou musical.

_ É aqui que vivemos, Maddyrain. - as biluzinhas que nos seguiam no túnel já haviam se dispersado.
_ Gata, se eu falar que achei bunito, estarei mentindo.
_ Mas não é pra você estar achanu bonito, Maddyrain. Aqui é feio, escuro, abafado e tumultuado. Se não estivéssemos moranu aqui, só nos restaria a região pra baixo da Paulista.
_ Xente, mas o que tem de tão ruim lá?
_ Você passou por lá. Não percebeu? Eles não têm luz, roubam de tudo pra poder vender na Galeria Pagé e conseguir um prato de comida ou drogas. É uma pobreza absurda.
_ Galeria Pagé?! Ela ainda tá de pé?
_ Tá, mas você não vai querer estar ponu o seu corpinho lá...
_ E como você se organizam aqui embaixo? Tanta bilu junta... isso não dá uma puta confusão? Bicha não é um bicho confiável...
_ Ou a gente aprendia ou morríamos tentanu.

Curta e grossa. Gostei. Fomos até a pequena tenda dela esperar o tal líder estar disponível pra nos receber. Lá dentro, Charlotte Chandelle pegou uma bandeja de prata escura, revirou dentro de algumas bolsas, encontrou uma caixinha de fósforo gasta e fez duas carreirinhas de cocaína. Olhei ao redor enquanto ela preparava o padê. Diversas fotos e imagens minhas me encaravam. Fiquei arrepiada.

_ Especialmente pra você. Pode cheirar tudo!
_ Aim, gata... tô até com medo de cheirar esse narcótico de origem COMPLETAMENTE desconhecida... além disso, não tô me sentindo muito bem desde que cheguei. Pode se acabar... - nem bem terminei de falar e Charlotte já tava cheirando tudo até o último pó.
_ Que delícia! Depois de um dia longo preganu seu retorno, nada melhor do que um pouco de pó pra abreviar a dor...
_ Charlotte? Você tá aí dentro? - uma voz de fora chamou por ela.
_ Tô! - Charlotte jogou a caixinha de fósforo no meio das roupas sujas - Pode entrar!
_ O líder tá te chamando.
_ Vamos, Maddyrain. O líder ficará muito surpreso quando te reencontrar!

Fomos caminhando até um vagão abandonado num canto afastado do saguão. A biluzada passava por nós e me encarava com espanto. Curiosamente, as portas do vagão se abriram sozinhas quando nos aproximamos. Dentro dele, parecia que os anos não haviam passado. As paredes cinzas e verdes estavam limpas... bom, mais limpas que todo o resto daquele mundo. Fiquei parada olhando alguns pôsteres na parede enquanto Charlotte Chandelle se sentava num assento preferencial. Todos os textos eram revolucionários e chamavam as irmãs bilus à luta contra "a homofobia dominante da nação". Uma mão pesada pousou no meu ombro direito.

_ Maddyrain? Então você voltou mesmo? - meu sangue gelou. Meu intestino se soltou e o edy não aguentou. Soltei um peido de nervoso e me caguei toda. O ar ficou carregado com aquele cheiro de merda e fuligem local. Aquela voz!
_ Fabinho das Bananas!?

You Used to Hold Me

Ralphi's Original '87 Version
Ralphi's '08 Re-Edit
Riviera Mix
You Used to Beat Me - Bonus Beats
Accapella
Kenny 'Jammin' Jason Mix
Mucho Michie Mouse Mix
'89 Remix
H & F Clubhouse Mix Edit
White Knight's Radio Mix
It's a Jazz Thing
It's a Jazz Thing Edit
Georgie's Vibe Mix
Maurice's Club Mix
Masters at Work Main Pass
Danny's Twisted Vocal Mix
The Trancesexual Dub
D.J. Attack's New School Mix
D.J. EFX's Tribal as Mofo
D.J. Hyperactive's Chicago 303 Mix
Razor n' Guido Vocal
Razor n' Guido Dub
Giangi Cappai Vocal Mix
Love to Infinity Classic Club Mix
Love to Infinity Classic Radio Mix
M*A*S*H Master Vox Mix
Ian Knowles "Hold Me" Remix
Marc Leaf Original Club Mix
Marc Leaf Original Dub
Jon Gurd Remix
Unreleased Project - Untitled Mix 1
Unreleased Project - Untitled Mix 2
Unreleased Project - Untitled Mix 3 - Original Version
Unreleased Project - Untitled Mix 4
Unreleased Project - Untitled Mix 5

Parte I - That man knows how to satisfy a woman...
Parte II - You know what I'm talking about?

Chupa meu edy de novo e mais uma vez:
Neste post eu decidi fazer algo de diferentji: atendi o pedido do meu kérido leitor e seguidor das antigas, Wingnux, e me joguei numa música que só não tem mais remix porque Diana Rossa não permitiu. "You Used to Hold Me" é a música que todo vinhado tinha que ter no iPod, iMyKool e derivados. Eu confesso que ainda não conhecia essa delícia até o bophy me indicar e atórein! Obrigadjénha, gatón!
"You Used to Hold Me" foi lançada nos primórdios da house music, mas é um club house tão atual e travesti que podia ter sido lançada ontem! Tão bunitinho ver meu adorado Ralphi Rosario ahazzando nas antiguidades! Se joguem no Ralphi's Original '87 Version pra conhecê-la e bater MUITO o cabelón no maior clima old skool! Todas as versões feitas por ele, ou os outros remixes pré-relançamento de 1994, não mudam muito a versão original. Pra ahazzar ainda mais no saudosismo, pegue também o Kenny 'Jammin' Jason Mix.

A música foi relançada, óbiveo, em 1994 e ganhou uma caralhada de remixes dos principais DJs da época. Vamos começar com o H & F Clubhouse Mix Edit. Um house básico, mas SUPER gostoso pra deixar tocando enquanto você enche o edy de pinga antes de ir pra buatchi. O White Knight's Radio Mix também é gostosinho. Podem pegar.
O It's a Jazz Thing é do Warren Rigg tem um começo que me lembra o remix do Vasquez pra "Secret" da Madonna. Um dance divino pra você dançar bastante (e o "jazz" do nome ficou no meu edy). O Georgie's Vibe Mix do Georgie Porgie também segue a linha dance, mas com as batidas mais destacadas. Se joguem sem colete de salva-vidas! Outro que ahazza nas batidas é o Masters at Work Main Pass.

Diferente dos inúmeros remixes soulful house que o Maurice Joshua fez pra Beyoncé, o Maurice's Club Mix ahazza no pianinho house e é uma gracinha! O D.J. Attack's New School Mix vai por esse caminho club gostosinho, mas sem ser muito pintoso.
A coisa começa a ficar mais travesty com a chegada do Danny Tenaglia na buatchi! O Danny's Twisted Vocal Mix é uma coisa... assim... perfeita pra toda bilu drag queen! Não muda muito a versão original, mas adiciona batidas perfeitas e super guêis. Adógo! Tá faltando remix assim pra animar a biluzada nas buatchis! Se gostar das batidas, e você VAI GOSTAR, se joga também no The Trancesexual Dub, com a letra reconstruída.

Outro com a batida pesada e mais club diva é o D.J. Hyperactive's Chicago 303 Mix. Um ahazzo e vai deixar muita bilu colocada enfartar na dance floor! A coisa vira TRAVESTI mesmo com o Razor n' Guido Vocal. Se você tá aprendendo a bater o cabelón como uma diva pintosa da buatchi, se joga nesse remix. Isso é música de vinhado! Música do capeta!! Por fim, o remix mais atual é o Giangi Cappai Vocal Mix. Bem gostosinho, mas anos-luz atrás do remix do Razor & Guido.

"You Used to Hold Me" foi relançada também como Soulfunkshun vs. Ralphi Rosario e eu MEGA não entendi. Não sei se o Rosario permitiu que a música fosse remixada pra esse lançamento, mas os vocais são os originais da Xaviera Gold. Bom, vai entender.
Dessa safra de remixes, o Love to Infinity Classic Club Mix é uma delícia e SUPER não se parece com tudo que o Love to Infinity fez antes. Vocês sabem, néam? Tudo deles soava parecido. O Ian Knowles "Hold Me" Remix tem cara de remix de academia e deve ser ótemo numa aula de bike!
Em 2006, foi a vez de ser relançada como Marc Leaf vs. Ralphi Rosario. O Original Club Mix dessa época é interessante e deixou a música bem atual.

O mais bizarro de hoje é, sem dúvidas, esse tal "Unreleased Project". Não sei quem remixou, não sei se são oficiais, mas os remixes são muito bons. A qualidade de som tá mega cagada, mas eles só sairam em um LP de teste. É basicamente um club dance bem gostosinho e fica aí pras mais completistas de plantão.

Maddyrain não tem, Maddyrain quer:
Xente, é versão que não acaba mais pra essa música! Uma loucura! Olha a quantidade de coisa que eu não consegui! Meu kool geral!

ralphi's salsa mix
bassmint mix 8:39
h & f clubhouse mix 6:40
new school dub 5:29
maurice's dub me mix 6:42
one rascal edit
soulfunkshun classic club mix 6:44
soulfunkshun radio edit 3:43
love to infinity aphrodisiac mix 6:39
m*a*s*h radio edit 3:42
carl daniels remix 7:12
red rhythm remix 6:52
marc leaf original radio edit 2:56
openair mix 7:34

2 Bilus felizes:

Daniel Tavernaro disse...

Você está de férias, mas ok...

Legal ver esta música aqui; me lembra muita coisa boa, rs. Mas você já viu o documentário da história da House Music? Tomei alguns sustos em ver a idade de algumas músicas que eu jurava serem "novas"; mas o Ralphi faz parte daquele pessoas que mondou, montou e fez a história; infelizmente ele só é citado algumas vezes no documentário. E, como "ser dj" hoje é clichê, ele não tem a visibilidade importante de "mito" que deveria.

Sobre uma música que me faz sentir arrepios, pelas batidas, é "Move Your Body (The House Music Anthem)", da Marshall. Aquela música é atemporal!!!

Beijo Maddy!

Maddyrain disse...

Inhaim, amore! Nossa, preciso ver esse documentário! Nunca vi naum! Pois é, algumas músicas são tão clássicas que elas são descavadas de tempos em tempos e revividas com remixes novos...
O Ralphi Rosario é das antigas e "You Used to Hold Me" é atemporal, néam? Parece ter sido lançada ontem!
Conheço "Move Your Body"! Acho que tocava no GTA, neám?

Um beijo,
Maddyrain

Alô?! Maddyrain chamando!

Você acaba de adentrar as entranhas do mundo de Maddyrain, uma profissional da "náiti guêi" de São Paulo que ama house music e decidiu fazer a boazinha e compartilhar parte de seu acervo musical.

Filhos da Maddyrain

Ocorreu um erro neste gadget

Maddyrain recomenda!

Arquivos da Maddyrain

Você é da caravana de onde?

Clientes:


Mais detalhes da clientela