Cai o pano

Sentada na minha mesa e com os olhos vidrados no copo de plástico com algo que já foi café anos atrás, tentava lembrar da letra de TODAS as músicas da Madonna quando de repente, não mais que de repente, a porta do ministro de segurança pública abriu e ele saiu rodeado por uma nuvem de fumaça de cigarro. Dei aquele pulinho revelador de sustinho, me ajeitei toda na mesa e abri o sorriso corporativo que todo patrão espera ver em seus funcionários. Só faltavam os passarinhos cantando do lado de fora da janela.

_ Pois não, senhor ministro? Tá precisando de alguma coisinha?
_ Sim, meu bom rapaz. Venha à minha sala. Enquanto isso vou ao banheiro.

Entrei na sala dele e fiquei pensando se eu teria, por acaso, chupado a pica dele outro dia no banheiro. Naum... a voz era diferente. Mas aí, as vozes do banheirão geralmente são diferentes das reais. Deve ser a acústica... Pensei em todos os bophys do andar. Até agora eu não tinha parado pra avaliar a mercadoria local. Vamos lá, quem eu chuparia deste andar? Aim, só tem tiozinho. Essa condição geriátrica que o Fabinho das Bananas impôs foi imposta. Aim... Fabinho das Bananas... Tadinho. Uma neca tão boa e grande... Mas quem eu chuparia, néam? Acho que o Horácio, o segurança. Morenão gorilão. Deve ter neca odara, mas a neca do banheirão era branca. A porta abriu. Era o ministro interrompendo meus devaneios.

_ Meu bom rapaz, você tem algum compromisso para hoje após o expediente?
_ Aim... gomoasí? O senhor tá me chamando pra sair!?
_ Claro que não! Preciso lhe mostrar uns documentos confidenciais que guardo na minha residência. Sabe onde moro?
_ Naum...
_ Aqui no Conjunto Nacional mesmo. Após o expediente, nos encontramos e vamos juntos à minha cobertura. Pode voltar aos seus afazeres.

Voltei pra minha mesa. Precisava contar pra Joanete Filha do Jack que não voltaríamos juntas pro metrô, mas como? A bunita me ignorava completamente durante o serviço. Fiz um bilhetinho, levantei pra ir ao banheiro e deixei na mesa dela. Ela pegou o papel e, sem ler, jogou na lata do lixo. Olhei abismada. Xente! Mulher é um bicho cínico mesmo! Só atua! Dissimuladas! Fui ao banheiro e escrevi novamente o bilhete num pedaço de papel higiênico. Voltei e soltei o papel na mesa dela.

_ Posso saber se minha mesa tem cara de lata de lixo?
_ Tempo, gata! Só um tempo curtíssimo na bitchice. Lê e volta ao teatro.

Ela me olhou ao redor desconfiada e abriu o bilhete. Leu e fez cara de "Tô chocada!". Confirmei com a cabeça. Ela respondeu no verso do papel higiênico: CUIDADO!!!!
O fim do expediente chegou e o ministro me acompanhou até o elevador social como se fosse a coisa mais comum eu ir pra cobertura dele depois do serviço. Joanete já tinha ido embora e as únicas pessoas no andar éramos nós dois. Enquanto o elevador subia até a cobertura, ele não abriu a boca pra falar comigo. Máguêgarai de documentos ele quer me mostrar? Ele abriu as portas da cobertura e fui transportada pro passado. Todos os móveis estavam perfeitamente conservados. Era como se eu tivesse voltado a 2011. Fiquei Belenux.

_ Nossa... nunca estive num lugar tão... conservado!
_ Sou um colecionador de arte e decoração antiga - Aim, que coisa de vinhado! Só vinhado gosta dessas coisas! Continuei olhando abismada pra tudo. Até um bar cheio de garrafas de Absolut ele tinha! Meus olhinhos brilhavam - Quer tomar um drink?
_ Posso preparar? Eu era a bar... o barman da minha turma.
_ Fique à vontade, mas prepare um pra mim também.

Fascinada pelo brilho das garrafas, cogitei pagar um kétji àquele velho caquético se pintasse o clima. Tudo pela vodka, meu amô! Entreguei o copo de Cuba Libre pro ministro e fomos à sacada da cobertura. Lá fora, uma variedade de pequenas árvores frutíferas cresciam em grandes tubos de ensaio. Deixei de ficar Belenux e virei a própria Europa.

_ O senhor tem frutas aqui em cima?!
_ Sim. É um projeto meu desde pequeno.
_ Mas... frutas hoje em dia são raríssimas! Xente, nem lembro a última vez que comi uma laranja.
_ Pois é, meu bom rapaz. Não é irônico? O que ninguém dava importância no passado, hoje em dia é raridade. Não tenho pena de quem não tem uma maçã à mesa. Deviam ter dado mais valor às frutas e legumes quando eles eram comuns e cresciam em qualquer terra boa. O que gasto de dinheiro e energia do bolso público para manter minha horta não está escrito!
_ Imagino...
_ Pegue uma maçã, meu bom rapaz. Você merece. Vamos àquela mesa. Quero lhe mostrar o documento que lhe falei. - virei meu drink e fui até a mesa. O ministro me entregou um envelope pardo escrito ULTRA CONFIDENCIAL na frente - Pode abrir o envelope, meu bom rapaz. Enquanto folheia, por favor, vire-se de costas para mim. Não fiz a inspeção diária hoje e espero que não se importe de realizá-la agora.

Já acostumada e com a vodka, antiga amiga, batendo na cabeça, me virei pro velho e quase fiquei de quatro, só pelo instinto passivo. Abri o envelope pardo e o primeiro documento era a ficha criminal de algulma bilu. As letras começaram a rodar na minha frente e forcei o foco pra tentar ler o nome da bunita. ROXXANA VELUDO. Gelei. Sem eu perceber, o ministro havia passado as mãos pela minha cintura, soltado a fivela do meu cinto e abaixado a minha calça e cuequinha. Encostou a boca no meu ouvido e roçou o pau duro e pequeno por debaixo da calça na minha bunda. Bom, pelo menos eu sei que não foi ele quem eu chupei no banheirão!

_ Esse nome lhe é familiar?
_ Rox-Roxxana Veludo? Naum...
_ Pois devia, não é mesmo... Maddyrain!

Ele me prensou com força contra a mesa. Fiquei nervosa e soltei um peido. Garai... caguei geral!

A Little Respect

Acoustic Version
Extended Mix
Big Train Mix
HMI Redux
Remix Edit
12" Vocal
12" Dub
12" House Mix
12" House Dub
Jaded Alliance 'Electrospect' Remix
Wayne G & Andy Allder Hurdy Gurdy Club Mix
Wayne G & Andy Allder Afterhours Dub Mix
Avantara Remix
Avantara Remix Radio Edit

We can make love not war...

Um pouco mais de respeito com as minhas pregas:
Aim, nada melhor do que comemorar o retorno do Erasure no Brasil com um hit maravilhoso e mega conhecido! Eu adógo "A Little Respect" e essa música deveria ser um dos hinos da nação guêi! Mas vocês sabem que meu coração já tem donos, néam? Os Pet Shop Boys! Mas o Erasure tem seu lugarzinho guardado aqui também.
Se joguem no Extended Mix pra dançar bastante no maior clima flash house. Uma delicinha, mas eu gosto mesmo é do Big Train Mix. Não muda muito a estrutura da versão original (ainda bem), mas tem uns batuquinhos a mais que eu gosto bastante. Se você tá enamorado, se joga na Acoustic Version. Uma gracinha e bem mela calcinha.

Os remixes oficiais da época de lançamento do single de "A Little Respect" ficaram a cargo do Justin Strauss e, embora toquem nas baladjénhas de flashback, não fazem muito a minha cabeça. Peguem o 12" House Mix que é o mais bonitinho e tem uma vibe anos 80 gostosa.
Os remixes mais atuais são mais interessantes. O Jaded Alliance 'Electrospect' Remix tem toda uma pegada electro contida e legal pra dançar. Recomendo! Pras bilu se acabarem na buatchi, temos o Wayne G & Andy Allder Hurdy Gurdy Club Mix. Uma versão bem club diva pra você bater o cabelón. Se gostar, não deixe de pegar o Wayne G & Andy Allder Afterhours Dub Mix que também é dubabadu (e me lembra BASTANTE o dub do Ralphi Rosario pra "Taking Chances" da Celine Dion).

0 Bilus felizes:

Alô?! Maddyrain chamando!

Você acaba de adentrar as entranhas do mundo de Maddyrain, uma profissional da "náiti guêi" de São Paulo que ama house music e decidiu fazer a boazinha e compartilhar parte de seu acervo musical.

Filhos da Maddyrain

Ocorreu um erro neste gadget

Maddyrain recomenda!

Arquivos da Maddyrain

Você é da caravana de onde?

Clientes:


Mais detalhes da clientela