Abandonada por você

Meus dias seguiam sem eu perceber. Eu passava as horas trancada no meu quarto, com medo de aparecer e ser vista por Litta Walitta e Kilo Minhoca que, aos meus olhos, emagreciam cada dia mais. Só eu engordava como uma porca. Meus dedos gordos corriam o teclado do lap procurando, ao mesmo tempo, na Internet alguma notícia que me denunciasse como a ceifadora de necas e por deliveries que eu ainda não tinha experimentado. Aparentemente, ninguém havia conseguido identificar quem havia quase arrancado com a boca o pau de Gersonswald. 
O interfone tocava do lado de fora e Kilo Minhoca vinha avisar que o meu pedido da Pizza Hut, Habib's, McDonald's, China in Box... enfim... de praticamente todos os deliveries de São Paulo... havia chegado. Eu passava o dinheiro por debaixo da porta e Kilo deixava minha comida na escuridão do meu quarto. Eu só ia ao banheiro quando percebia que a casa tava vazia. Evitava encontros diretos com espelhos e afins.

Pra evitar desmaios, não vou nem citar como andava minha questão higiênica e sexual, tzá!?

Certa noite, o interfone começou a tocar na cozinha. Aim, meu kebab deve ter chegado! Tomara que seja bom... comida árabe me dá um piriri quando não é do Habib's... O interfone continuava a tocar. Litta!? Kilo?! Vamu atender o interfone, fazofavô? Ninguém respondia do lado de fora do quarto. Com certo esforço titânico, levantei-me das almofadas e entreabri a porta. Meninas, vocês não tão ouvindo o interfone tocar, garai? Eu não vou sair do quarto, já falei! Coloquei o rosto pra fora e vi o apartamento todo escuro. Xente, eu tô sozinha? Onde elas foram? Aposto que foram pra buatchi! Essas bichas magrinhas só querem saber de dançar e beijar e chupar... Bando de fútil! E fui até a cozinha atender o interfone.
Não tinha realmente ninguém em casa. Apenas eu me esforçando pra chegar no interfone antes que o entregador desistisse e fosse embora com minha comida.

_ Alôin? É minha comida?
_ Hmm... é! Entrega pra sra. Maddyrain. Ela está?
_ É ela. Olha, você coloca o pacote no elevador e eu jogo o dinheiro pela janela, pode ser? Eu tô sozinha em casa e não quero ser vista... eu tô... doente. Não posso ser vista e é contagioso.
_ Eu sou vacinado. Pode ficar sossegada. Estou subindo.
_ Aim, que saco! - odeio entregador abusado. Aposto que quer ver qual é a minha doença. Esse povo não tem estudo e se acha importante só porque entrega a comida dos outros! O entregador chegou e tocou a campainha. Olhei pelo olho-mágico, mas o fiadaputa não acendeu a luz! - Gato, eu vou te passar o dinheiro por debaixo da porta. Pode ficar com o troco e deixe a embalagem na porta, okay? - e passei o dinheiro pra ele. Olhei novamente no olho-mágico, mas nada indicava se ele tava no corredor ou não - Oi, você ta aí, ainda? Eu tô armada, viu? Se eu abrir a porta e você tentar alguma coisa, eu te furo todo!

Lentamente, abri a porta do apartamento. O corredor tava completamente escuro. Olhei pro capacho... nem sinal da minha comida! Quando percebi o que tava realmente acontecendo, já era tarde demais. Um vulto saiu da escuridão e me empurrou pra dentro do apartamento. Completamente alucinada de medo, perdi o equilíbrio e cai no chão com aquele homem em cima de mim. Olhei pra cara do bophy e fiquei Bélgica.

_ Fabinho das Bananas!? O que você tá fazendo aqui? Sai de cima de mim!
_ Maddyrain... puta merda... então é verdade que você engordou feito louca mesmo...
_ Aim... me ajuda a levantar... urgh... força! Você é forte! Tem força pra me içar. O que você tá fazendo aqui?!
_ Eu vim te ver! Você não tem respondido minhas mensagens nem meus telefonemas!
_ Claro que naum! Olha como eu tô, porra! Não quero ser vista por ninguém, nem por minhas amigas. Mas você agora é entregador de comida? Aim, que decadência. E cadê meu kebab?
_ Que mané entregador? Só te enganei pra subir e ver como você tava.
_ Então você não tem comida?? Não acredito que você teve coragem de fazer isso comigo!
_ Eu que não acredito que você fez isso com você mesma... Olha só pra você! Você não tá pensando na sua saúde? Na sua vida? Você não sai de casa. Fica trancafiada como um animal. 
_ Eu sou um animal, Fabinho. Um animal gordo. Agora vá embora se você não tem nada de bom pra me falar. Mas antes... já que você tá aqui... deixa eu... assim... chupar você? Depois você pode... se conseguir... você bem que podia tentar me comer, néam?
_ Maddyrain, eu não encostarei um dedo em você novamente enquanto você não voltar a ser a diva que era.

Fabinho virou-se e, antes de sair, jogou uma barrinha de cereal pra mim. Uma barrinha de ceral, seu muquirana!? Peguei a barrinha pra arremessá-la no Fabinho, mas decidi ficar com ela. Barrinhas de cereal me dão fome.
Desabei no sofá da sala e comi a barrinha pensando no que Fabinho havia dito. Será que eu tava mesmo acabando com minha vida? Aliás... que bela vida! Minhas melhores amigas agora eram minhas caixas de pizza. Comecei a chorar e tomei a decisão mais importante naquela noite enquanto o interfone tocava novamente (agora devia ser o entregador do kebab... atrasado!). Donna Summer é minha testemunha! Eu irei emagrecer!

Um beijo,
Maddyrain

Como Me Duele Perderte

Tropical Version
Pablo Flores Club Mix
Pablo Flores Club Mix - Radio Edit
Pablo Flores Dub Mix
Ospina's "Duele" Club Mix
Ospina's "Duele" Dub Mix
Ospina's Radio Edit
Ospina's Radio Edit - Instrumental
Plasmic Honey's Sweet Spanish Spice Mix
Chris "The Greek" Panaghi's Dark Club Mix
Chris "The Greek" Panaghi's Dark Drumz
Chris "The Greek" Panaghi's Trance Mix


Com KY não dói (tanto):
Amores, eu adógo o poder latino da Gloria Estefan, já cansei de falar aqui, néam? Acho uma pena que a bunita não continuou sua jornada pra ser a diva absoluta das bilus latinas e lançou uma cagada após a outra durante muitos anos, mas parece que ela voltou com tudo! Só que a música de hoje é mais antiga e faz parte da fase "soy latina e foderosa" dela.
"Como Me Duele Perderte" é uma baladjénha mela calcinha tirada do álbum "Alma Caribeña", que é um desbunde. O single ganhou uma cacetada de remixes, todos muito válidos, mas vamos começar pegando a Tropical Version, que deixou a música com um clima salsa bem bonitinho. Pra versão original, se joguem no YouTube! Tem um bophão odara no clip! Recomendo!

Pablo Flores e Gloria Estefan têm uma parceria que já dura anos e sempre rende bons frutos. O Pablo Flores Club Mix não é tão latino como o trabalho de sempre dele e fica mais no club dance bem gostoso e jogativo. Uma delícia! Só pra reforçar o que eu já devo ter dito alguma vez aqui, dubs não são o forte do Pablo Flores. DEFINITIVAMENTE!
O melhor remix de hoje é, na minha opinião, o Ospina's "Duele" Club Mix, do Davidson Ospina. Um dance super gostosinho e animado. Uma fofura!

Pras bilus mais colocadas do recinto, temos o trance loko e despirocado do Plasmic Honey's Sweet Spanish Spice Mix. Isso é pura colocação sem narcóticos, meus amores!
E, pra encerrar, peguem o Chris "The Greek" Panaghi's Dark Club Mix, que não adiciona lá muita coisa (aliás, tem poucos vocais), mas dá pra bater um cabelón bem sinistro.

1 Bilus felizes:

Daniel Tavernaro disse...

Hahaha!

No final, quando li "Donna Summer é minha testemunha", até assustei... Afinal, estar ouvindo "Last Dance (12' Version)" ao ler o post - e contar que, no caso da sua história, "this is the last chance to romance"...


Faz todo sentido, rs!

Abração!

Alô?! Maddyrain chamando!

Você acaba de adentrar as entranhas do mundo de Maddyrain, uma profissional da "náiti guêi" de São Paulo que ama house music e decidiu fazer a boazinha e compartilhar parte de seu acervo musical.

Filhos da Maddyrain

Ocorreu um erro neste gadget

Maddyrain recomenda!

Arquivos da Maddyrain

Você é da caravana de onde?

Clientes:


Mais detalhes da clientela