Vamos falar da Madonna: MDNA

Após enfiar o pé na jaca na sua tentativa de ser a diva do gueto com o "Hard Candy", o que será que Madonna mostraria pro seu público? As dúvidas eram ainda maiores depois que a bunita deixou a Warner após tantos anos de parceria e foi pra Interscope Records.
Eu confesso que não fiquei toda empolgada, não. Quando vi que Madonna voltaria a gravar com o William Orbit, fiquei curiosa, é verdade, mas também, já passei da idade de achar que meu santo dinheirinho faz alguma diferença pra Madonna! Depois, outros produtores foram adicionados ao elenco do novo álbum, incluindo o novato Martin Solveig, que eu conheço quase nada, e Benny Benassi. Bom, já tava meio claro que a musicalidade seria BEM diferente do "Hard Candy", néam?!

"MDNA" foi o primeiro álbum da Madonna depois de minha inclusão digital (aim, que chic!) que eu NÃO ouvi logo que foi lançado! Na verdade, só fui comprá-lo um mês depois sem ter ouvido nada além dos dois primeiros singles e "Masterpiece"! Olha, a sensação foi loka e inusitada! Não sentia isso desde... "Music" ou "Ray of Light"? Não lembro...
Enfim, "MDNA" foi lançado em março deste ano e foi um sucesso absoluto de vendas na primeira semana, chegando em primeiro lugar em várias paradas. Depois disso, as vendas desabaram. Muitas desculpas esfarrapadas foram dadas, mas a verdade é que ninguém mais compra CD, néam? Essa realidade já pode ser observada na venda de singles físicos, que é muito pequena. Tão pequena que Madonna não lançou, por enquanto, nenhum single do "MDA" em CD! Minha coleção tá defasada!

O tracking list oficial para a versão normal e deluxe é o seguinte:

1- Girl Gone Wild (single)
2- Gang Bang
3- I'm Addicted
4- Turn Up the Radio
5- Give me All Your Luvin' (single)
6- Some Girls
7- Superstar
8- I Don't Give a
9- I'm a Sinner
10- Love Spent
11- Masterpiece
12- Falling Free
versão deluxe:
13- Beautiful Killer
14- I Fucked Up
15- B-Day Song
16- Best Friend
17- Give Me All Your Luvin' (Party Rock Remix)
18- Girl Gone Wild (Justin Cognito Radio Edit) (bônus da edição japonesa)
18- Love Spent (Acoustic) (bônus da edição digital do iTunes)

O álbum abre explosivo com Girl Gone Wild, um dance com começo que lembra "Like a Prayer" e refrão mais grudendo possível! A música também remete à sonoridade do "Confessions on a Dance Floor", principalmente "Get Together", e devia ter sido escolhida pra ser o single de abertura do "MDNA".
Em seguida, Madonna continua mostrando que jogou sua fase diva do gueto no lixo com Gang Bang... nome mais sugestível impossível! Diferente da primeira faixa, Gang Bang é mais underground e... JESUIS... precisa ser lançada pelo menos como single promocional com uns remixes bem foderosos. No trecho final, posso jurar que ela convidou a Lady GaGa pra cantar com ela! Que loucura! Aliás, várias músicas do "MDNA" apresentam vocais bem diferentes da Madonna...

I'm Addicted também lembra a vibe do COADF em diversos momentos, mas com uma pegada mais electro. A música é interessante e taca fogo na bicharada no refrão. Gosto dela e acho que daria um single bem interessante, mas já até imagino os remixes electro chatos que ela receberia! Turn Up the Radio virou a queridinha dos fãs da bunita e é a cara das músicas produzidas pelo Martin Solveig que eu já ouvi até hoje. No geral, é bonitinha e cumpre bem o seu papel possível hit, mas não vai entrar na minha listinha de favoritas.
O primeiro single do "MDNA" foi Give me All Your Luvin'. Escolha mais duvidosa impossível! A música não adiciona simplesmente nada à discografia da Madonna e tem todo um clima cheerleaders que NÃO combina com ela. Eu, particularmente, não acho a música terrível, mas também tá longe de mudar a minha vida. E, por Donna Summer, eu SUPER cortaria esses trechos com a Nicki Minaj e M.I.A. da música! Fika a dika.

Some Girls começa EXATAMENTE do jeito que eu gosto. Escandalosa e bafônica! O clima travesti loko dá uma esfriada ao longo da música, mas ela continua sendo muito boa. Uma das melhores do álbum, na minha opinião, e daria um single maravilhoso! Só aquele comecinho já me deixa violentamente loka!
Como nem tudo é flores, Superstar é a primeira tranqueira do álbum. Muito boba e aquele "uh-la-la" é irritante! 
I Don't Give a, novamente com a terrível Nicki Minaj, não é nem bobinha. Fica só no ordinário, misturando elementos wannabe rock com vocais wannabe rapper. Assim... um meu kool bem grande pra ela. Aquele trecho final com o coral e clima épico é COMPLETAMENTE dispensável! Juro que no começo de I'm a Sinner pensei que fosse tocar "Die Another Day"! A loka! A música, produzida pelo William Orbit, não foge muito do estilo do Orbit, mas podia ser melhor.

Love Spent melhora a qualidade geral das músicas combinando cordas com batidas. Tem até um banjo no meio. Algo... assim... bem world music! A música despiroca completamente no trecho final e as batidas ficam mais dançantes. Uma loucura e uma das melhores do álbum! A edição digital do "MDNA" ganhou a versão acústica dugarai de Love Spent. Podia ter vindo no lugar daquele Party Rock Remix!
Conheço um monte de xente que tacou milhares de pedras em Masterpiece, falando que ela era fraca e batida (néam, Cindi Loka?!). Xente, juro que não sei de onde veio tanto ódio no coração de vocês! Masterpiece é uma baladjénha mela-calcinha com a cara de todas as outras baladas do William Orbit, lembrando bastante a época do "Ray of Light". Acho linda!
Pra finalizar o primeiro CD, temos ainda outra balada, Falling Free, que é simplesmente MARAVILHOSA e não sai muito do esquema cordas e vocais que também casaria muito bem com Masterpiece. Linda! Linda! Linda!

A versão deluxe vem com um segundo CD com mais quatro músicas e um remix pra Give me All Your Luvin'. Uma loucura! Madonna tava (finalmente) inspirada! Beautiful Killer podia ter ido pro CD principal e substituiria lindamente algumas tosqueiras de lá. Não te fará sair dançando pela casa, mas é bem produzida e gostosinha. I Fucked Up é o que? Uma balada eletrônica? Acho que sim. Acho que Madonna gostaria de dizer que fodeu com a carreira dela... Fika a dika. A música não é terrível, mas também não é absolutamente nenhuma maravilha.
B-Day Song tem todo um clima "gravada ao vivo" que, sorry, Madonna, mas a xente sabe que isso não tem nada a ver com você. Ela não só já gravou coisas melhores, como tem uma caralhada de lados B e demos melhores por aí. Fika a dika, parte II - a missão. 
E pra encerrar essa busca pela personalidade perdida da Madonna, temos Best Friend, que simplesmente não empolga, não anima, não faz nada. Só encerra o álbum com chave de kool e batidas uó mesmo. Esse CD bônus está fadado a não ser tocado com tanta frequência.

A minha impressão é que Madonna não foi a lugar algum com "MDNA". Não é o pior álbum da sua carreira, mas poderia ter sido melhor e mais criativo. Ele até começa bem e prometendo algo interessante, com músicas dançantes e, por que não, diferentes, como Gang Bang, mas essa parceria com a Nicki Minaj e M.I.A. é sofrível. Mas enfim, não vamos nos esquecer da turnê que passará por aqui em dezembro e SUPER sempre muda a opinião de quem vai. Eu sai do "Sticky and Sweet Tour" AMANDO o "Hard Candy"!
Não acho que Madonna tenha deixado de ser a diva pop suprema, mas o que sinto é uma necessidade contínua dela em lançar álbuns que agradem a maioria e que, principalmente, tragam de volta o público americando para o seu lado. Nessa busca, Madonna parece estar esquecendo que já foi mais inovadora. Ela precisa voltar a revirar a lata de lixo musical ao invés de se debruçar sobre o que todo mundo já fez ou está fazendo.

Um beijo,
Maddyrain

Girl Gone Wild

Dave Audé Remix
Dave Audé Remix - Mixshow
Dave Audé Remix - Radio
Dave Audé Remix - Dub
Justin Cognito Extended Remix
Justin Cognito Remix
Offer Nissim Remix
Madonna vs. Avicii
Dada Life Remix
ReBirth Remix
Kim Fai Remix
Lucky Date Remix


Maddyrain foi pra casa do caralho:
"Girl Gone Wild" pode até não ser a música mais criativa da Madonna, mas é boa. Aliás, muito boa e devia ter sido o single carro-chefe do "MDNA", mas enfim, néam? Vai entender certas decisões da Madonna. O clip também é um desbunde e tem todo um clima "Erotica" que me agrada muito cheio de bophys se pegando. Tudo passiva, óbvio!
Se a versão original é boa, os remixes deixam MUITO a desejar. Vamos começar com a decepção do dia, o Dave Audé. O Dave Audé Remix só carrega o nome do DJ mais baphônico do momento, porque é muito fraco. Ao invés de abusar do dance de sempre, Dave Audé colocou um clima rock que mega não combinou e deixou o refrão simplesmente insuportável. Muito barulho por nada. 

O Justin Cognito Extended Remix (prazer, Maddyrain) segue mais a linha da versão original e adiciona batidas dance gostosinhas, mas não vai mudar o seu dia. Diante das merdas de hoje, até que não é ruim!
Eu sei que um monte de bilu torce o nariz de porco pro(a) Offer Nissim e eu confesso que também não sou a fã número um dele(a), mas o Offer Nissim Remix é o melhor remix de hoje! Um dance travesti bem jogativo com trechos que me lembram "Isaac"! Uma loucura! Pode bater o cabelón até amanhã!
Todos os outros remixes são parecidos e mostram como a safra atual de DJs é fraca e batida. O único que eu vou comentar é o Madonna vs. Avicii, que é um electrozinho chato e que eu sempre rezei pra Madonna ficar longe. Acho que já entendi porque a bunita não lançou mais singles físicos...

0 Bilus felizes:

Alô?! Maddyrain chamando!

Você acaba de adentrar as entranhas do mundo de Maddyrain, uma profissional da "náiti guêi" de São Paulo que ama house music e decidiu fazer a boazinha e compartilhar parte de seu acervo musical.

Filhos da Maddyrain

Ocorreu um erro neste gadget

Maddyrain recomenda!

Arquivos da Maddyrain

Você é da caravana de onde?

Clientes:


Mais detalhes da clientela