Demônio não tem idade

Nos meus sonhos mais sensuais, sonho que tô toda nua no meio da avenida e um monte de bophys fortes, sarados, bonitos e necudos (o fundamental) correm em minha direção, todos ávidos em devorar cada pedaço do meu ser. Acordo toda molhada e quase sinto aquela dor no edy que dá depois de você passar a noite aquendando. Mas tudo não passa de sonho.
Na vida real, uma multidão de crianças vindas diretamente do inferno corriam em minha direção completamente lokas do seus respectivos koolzinhos pra chutar cada pedaço do meu pobre ser.

_ SOCORRO!!! - e sai correndo pelo salão. A mocinha da "Festinha Animadinha" saiu de trás do pilar e gritou.
_ Peguem o Pateta, crianças! E, Pateta, você não tá correndo que nem o Pateta!

Se eu pudesse, pulava em cima da vagabunda e arrancava cada fio de cabelo dela com o dente. Aim, que raiva! Virei num corredor e me escondi atrás de uma máquina de fliperama. Os diabretes não me viram e continuaram correndo se perguntando onde eu tava.

_ Aim, Jesuis! Por que, Diana Ross? Por que!? Por que criaste coisas tão infernais?!
_ Será que eu devo contar pra eles que você tá escondida atrás do fliperama de Super Street Fighter II Turbo? Será que eles sabem que isso aqui é praticamente peça de museu? Junto com você, é claro. - levei um puta susto. Uma menina toda arrumadinha, cabelo com duas xuquinhas e olhos azuis me encarava com ar petulante.
_ Aim, eu te conheço não sei daondji...
_ Eu sou a Matilda, Maddyrain. Nos conhecemos numa festinha animadinha que você tava deixando mais animadinha com sua ilustre presença.
_ As usual... Lembrei de você e do seu jeitinho meigo e gracioso! Agora fica quietinha e não conta pros seus amiguinhos adoráveis que eu tô aqui, tzá?
_ E o que eu ganho com isso?
_ Aim, que menininha abusada! Ganha um "muito obrigado" com um abraço e beijo do Pateta. Feliz?
_ Não. - e virou-se pro lado, colocou uma das mãos na cintura e a outra na boca e gritou - HEY, MISTURAS DE CRIANÇAS COM DEMÔNIOS, ENCONTREI O PATETA! ELE DECIDIU JOGAR FLIPERAMA!
_ Aim, não creio! Como pode uma criança... uma criatura de Diana Ross... ser tão perversa!?

Nem consegui sair direito do meu esconderij. Eu tava cercada por todas aquelas crianças que, se pudessem, me matariam pelo simples prazer de acabar com a raça dum personagem da Disney longe da Disneylândia. O menino que comandava a gangue se aproximou de mim, olhou direto nos meus olhos de pelúcia, sorriu e chutou minha canela. O chute foi tão forte que passou toda a camada de pano e espuma da fantasia e acertou direto no meu osso. Dei um urro enquanto todas as crianças começavam a rir de minha dor.
Juntei tudo que havia restado de minha dignidade cartunística e peguei o menino levantei o menino no ar pelo pescoço com uma das mãos e com a outra, tirei a parte de cima da fantasia, mostrando a fúria da travesti. As crianças pararam de rir e o menino perdeu todo ar de fanfarrão e me olhava com medo nos olhos.

_ Então você acha engraçado chutar e maltratar as pessoas que são pagas bem porcamente pra animar essa merda de evento que você chama de festa? Olha aqui nos meus olhos e engole esse choro. Você não é o fodão da sua gangue de delinquentes juvenis? Então fique sabendo que só não esgano você que nem o Homer Simpson porque essa luva do Pateta tá me incomodando. Agora sai da minha frente antes que eu acabe com sua raça.

E larguei o menino no chão. Às vezes até eu me surpreendo comigo mesma! TODAS as crianças fizeram a única coisa que sabiam fazer: começaram a chorar. Tirei a fantasia (eu tava vestida por baixo, tzá!?) e decidi ir embora daquele inferno. Não sou paga o suficiente pra isso mesmo. Quando eu tava subindo a escada pra sair do salão, ouvi o menino comentando com um amiguinho.

_ Não sabia que o Pateta era tão gordo por debaixo da fantasia.

Olhei pra trás com sangue nos olhos. O menino saiu correndo pros pais. Tomei um táxi e voltei pra casa pensando única e exclusivamente na carreirinha de narcótico que me esperava e na neca do Gersonswald. Confesso que também pensei no regime urgente que eu precisava começar, mas meu kool com passas!
Quando cheguei em casa, abri a porta e ouvi uns gemidos abafados vindo do meu quarto. Peraí... Kilo e Litta ainda tão no salão, néam? Ou será que alguma delas arranjou um bophy e veio embora mais cedo que eu? O Gersonswald não pode ser! Ele tá sem a chave daqui, ué!

E fui seguindo os gemidos até meu quarto...

Runaway

Original Flava 12"
Original Flava 12" Edit
Original Radio Edit
Original Radio Edit with Spanish
India's Ambient Dream
Don't Sample This! Acapella
Philly Beats
Mousse T's Jazz Funk Experience
Mousse T's Soul Dub
Spanish Underground Mix
Mongoloids in Space
Mongoloids in Space - Rascal Edit
Armand Rascal Edit

I got fans all over town...

Volta aqui e termina de chupar meu edy:
Hoje é dia de crássico, meu amô! "Runaway" é um must na voz da Loleatta Holloway e super ficou bunitinha na voz de La India. Craro que ela não tem o mesmo vozeirão, mas a xente abaphe the case. E, sem grandes surpresa, Nuyorican Soul é o nome prum projeto paralelo de ninguém menos que os Masters at Work. Tudo em família, meus amores! Se joguem no Original Flava 12" com todos seus quase treze minutos de glamour old skool! O remake não foge muito da versão original disco, então se joguem. Se você é nova no ramo e acha treze minutos, se joguem na Original Radio Edit então. Uma delícia! Fugindo totalmente da versão original, temos o India's Ambient Dream. Uma versão relax'n'gozy bem gracinha!

Confesso que nenhum dos poucos remixes conseguiu desbancar a versão original. Vamos começar pelo veterano de guerra Mousse T. Embora tenha "jazz" no nome, o Mousse T's Jazz Funk Experience é mais dance do que aparenta. Bonitinho, mas não mudará sua vida. Por outro lado, o Spanish Underground Mix é bem mais interessante. Um dance club contido, mas super bem feitinho. Recomendo!
Temos também o remix do Armand van Helden. O Mongoloids in Space é aquela coisa loka bem típica dos remixes do van Helden.

Maddyrain não tem, Maddyrain quer:
Aim, esses hits da buatchi sempre têm remixes raros, néam?

ronnie's guitar instrumental 9:24
mousse t's radio edit 3:48
spanish underground mix edit 3:50
mongoloids in space edit 3:07

0 Bilus felizes:

Alô?! Maddyrain chamando!

Você acaba de adentrar as entranhas do mundo de Maddyrain, uma profissional da "náiti guêi" de São Paulo que ama house music e decidiu fazer a boazinha e compartilhar parte de seu acervo musical.

Filhos da Maddyrain

Ocorreu um erro neste gadget

Maddyrain recomenda!

Arquivos da Maddyrain

Você é da caravana de onde?

Clientes:


Mais detalhes da clientela