Camas em fogo

Sai pra noite fresca do Centro de São Paulo e pensei se o fogo se alastraria pelo apartamento. Depois de tanto ralar rola no edy, jogava tudo pra cima por causa de um par de cornos... Bom, éam a vida, néam? Fui andando pelas ruas já vazias sem pensar em nada. Pra aumentar ainda mais o vazio na minha mente, peguei e acendi meu baseado extra large GGG plus. Aim, e se a polícia me pegar? Que me revistem, garai! Revista o meu edy! Deve ter narcótico escondido lá dentro que nem eu me lembro!
Um noia me viu de longe e veio até mim. Incrível meu imã pra noias, bêbados e sem noção. Às vezes, são as três características numa só pessoa.

_ Ô, gata. Me deixa dá um pega? - olhei bem pro noia e vi potencial entre as pernas dele.
_ Até deixo. Mas você vai ter que dar um pega no meu rabo também.
_ Opa! Tô na secura faz tempo! - prestei maior atenção pra ver se eu não corria nenhum risco de me sujar toda com o noia. Até que ele tava limpinho! Diana Ross existe.

Fomos pra debaixo dum orelhão e, enquanto ele devorava meu baseado, chupei o pau dele. O bophy tava tão desesperado... e era tão filho da puta... que fumou meu babadu inteiro e levou séculos pra gozar. Gato, vamos acelerar essa porra?! Assim... literalmente!? Tô ficando com a boca doída e você é só o primeiro da noite! Peraí, cadê meu baseado!? Você acabou com ele!? Olha, eu já mordi paus por motivos menores! Só não vou te morder porque achei seu pau bem digno, viu? E terminei o serviço no maior prejuízo.
Como eu sou uma travesti precavida, abri o fundo falso da minha bolsa e saquei outro narcótico proibido por leis brasileiras.

Continuei andando meio que sem direção pelo Centrão. Entrei num boteco com cara de perigón e pedi um copo de leite quente. Quarenta minutos depois, voltei pra rua com duas latinhas de cerveja na bolsinha, umas notas de 5 e 10 reais amassadas e molhadas e a cara toda gozada. Senti algo vibrando perto da bunda e levei um susto. Aim, que loucura! Que é isso!? Será que sai com o dildo metido no edy de novo!? Litta Walitta tinha visto um babadu loko na Internet sobre passar o dia com um dildo bem grande enfiado no rabo o dia inteiro. Desde então, andávamos praticando a técnica revolucionária. Claro que soltar um peidinho ligeiro sem fazer escândalo era coisa do passado.
Era apenas o celular vibrando. Kilo Minhoca me ligava. Atendo ou não atendo? Atendi.

_ Alôin?
_ Maddyrain! O que aconteceu na nossa casa?!
_ E eu lá sei? Tô na rua, gata.
_ Ai, que horror! O quarto tá peganu fogo! Litta Walitta já ligou pros bombeiros e a gente tá esperanu!
_ Aim, que bom. Tomara que cheguem uns bombeiros bem gostosos pra apagarem o fogo do edy de vocês duas!

E desliguei. Aim, eu lá quero falar com passiva?! Quero falar com algum ativo! Com esforço, procurei algum bophy na minha lista de contatos. O primeiro nome, ironicamente, era o do Fabinho das Bananas. Decidi tentar.

_ Alô?
_ Fabinho... é a Maddyrain.
_ Maddyrain! Eu tava pensando em você! Tô com o pau duraço e lembrando como era gostoso foder com você...
_ Aim, quanto amor. Eu tô precisando de você, Fabinho. Onde você tá?

E me passou o endereço. Fiquei até com medo dessas coisas de destino, sabe? O bophy tava morando praticamente do lado da minha casa! Éramos vizinhos e nem sabíamos! Loucura! Loucura! Loucura! No caminho, virei as latinhas de cerveja, terminei de cheirar o que eu tinha pra cheirar e masquei um Halls preto pra tirar o gosto de cevada da boca. Meti o dedo no rabo, dei uma voltinha básica pra conferir se a xuca aguentaria a neca pulsante e grande do Fabinho. Ok, tudo certo. Acho que dá pra não passar cheque. E depois, tem outra, ele tá metendo o pau dele num edy, néam!? Edy TEM merda!

Deixei as questões filosóficas de lado e subi até o apartamento do Fabinho. Um cafofo NADA digno. Fabinho e eu compartilhávamos uma história longa e parecida. Do looshu ao lixo. Ele abriu a porta usando apenas um calção de futebol azul que marcava o contorno da neca dura. O corpo continuava escultural. Uma coisa... assim... estátua grega. Ao ver aquele homem pronto a me amar a noite inteira, me joguei em seus braços e fui recebida com um beijo quente. Ainda bem que triturei aquele Halls! Diana Ross inventou o Halls pretos pra salvar as bichas com cheiro de buraco negro na boca!
Fomos pro setor "quarto" da kitnet e, enquanto o estrado da cama rangia com os nossos movimentos, senti que aquela cama também pegava fogo. Mas outro tipo de fogo...

Um beijo,
Maddyrain

My All

Album Version
Classic Club Mix
Classic Radio Mix
"Def" Club Mix
"My" Club Mix
"My" Instrumental (low quality...)
Full Crew Main Mix
Full Crew Main Mix without Rap
Full Crew Main Mix Instrumental
Full Crew Radio Mix

My All - Stay Awhile

So So Def Remix feat. Lord Tariq & Peter Gunz
So So Def Remix - No Lord Tariq & Peter Gunz
So So Def Remix without Rap
So So Def Remix A Cappella (thanx to Marco!)

Mi Todo

Album Version
Versión Mi Fiesta
Versión Por Una Noche Más
Por Una Noche Más en los Clubs
Por Una Noche Más Instrumental

I've drowned in you...

Todo meu edy é seu:
Xente, hoje é dia de liberar seu lamb power com uma das principais e mais conhecidas baladas da Mariah Carey! Eu já vou logo começar dizendo que AMO "My All" e acho um looshu ahazzar nos gritos e berros que nem a Mariah nessa música! Linda! Se você nunca ouviu essa baladjénha mela calcinha, se mata e depois pega a Album Version! Acho aquela viola latina... ou seja lá o nome daquele instrumento... uma coisa... assim... de loko!

E dá pra falar em Mariah Carey sem falar de David Morales?! Naum, néam? O Classic Club Mix é também um dos mais famosos remixes do Morales e não é por menos. Os vocais, pra variar, foram regravados pra combinarem com as batidas classic house. Todo um looshu! Eu fico TODA cagada quando entram aquelas backing vocals maravilhosas gritando "Just one more night... just one more night..."!
O "Def" Club Mix é um pouquinho diferente, mas sem mudar a essência do Classic Club Mix. Tem um trecho bem longo que seria ótemo numa versão dub a parte. O "My" Club Mix também não foge muito e tem um trecho adorável com os gemidos cantantes da Mariah. Adógo!

Mariah sempre manteve os pézinhos na cozinha, então não dá pra ter um single só com o Morales, néam? Temos também os remixes do Full Crew que cagou geral com a música. Os vocais estão lentos e bocejantes no Main Mix. O Radio Mix é um pouco mais animado, mas mesmo assim... meu kool.
A música foi relançada como single pouco tempo depois do lançamento original com novos remixes r'n'b como "My All - Stay Awhile". Os vocais foram completamente regravados e a Mariah adicionou o instrumental e letra da música "Stay Awhile" do Loose Ends. Podem pegar o So So Def Remix without Rap pra conhecerem. Eu adoro essa versão sem aqueles chatos vomitando em cima da Mariah! A loka.

E por fim, meus amores, temos "Mi Todo", que nada mais é do que uma versão em espanhol de "My All"! Um looshu brega sem fim! Se joguem na versão Original e pratiquem tudo que vocês aprenderam durante anos no Fisk! Os remixes são todos cafonérrimos, mas essa é a graça da coisa toda. A Versión Mi Fiesta é um dance pra lá de datado e batido. Uma graça! A Versión Por Una Noche Más é mais acelerada e buatchiva. Atestado de bichice, meu amô!

Maddyrain não tem, Maddyrain quer:
Aim, só me falta uma versão de "My All - Stay Awhile"! Ajuda aí, meu amô!

so so def remix instrumental

2 Bilus felizes:

Marco disse...

MARAIAAAAHHHH ... otimo post... nao lembrava dessa versao FullCrew...
To subindo aqui a So So Def Acapella pra vc!... http://www.mediafire.com/?xn9c32915i94b47

Maddyrain disse...

Aim, gatón, ahazzou! Obrigadjénha! Bjs

Alô?! Maddyrain chamando!

Você acaba de adentrar as entranhas do mundo de Maddyrain, uma profissional da "náiti guêi" de São Paulo que ama house music e decidiu fazer a boazinha e compartilhar parte de seu acervo musical.

Filhos da Maddyrain

Ocorreu um erro neste gadget

Maddyrain recomenda!

Arquivos da Maddyrain

Você é da caravana de onde?

Clientes:


Mais detalhes da clientela