O estepe

No dia seguinte após descobrir que o bophy que tem feito meu edy piscar feliz após muita caralhada vem me traindo com uma vagabunda, decidi que tava na hora de pegar a chave do meu apertamento de volta. Enquanto ele dormir, sem roncar (aim, como odeio xente que consegue não roncar!), peguei a carteira dele pra ver se achava algum bilhete ou o telefone da biscate. Nada. Mas nada MESMO. Não tinha dinheiro nem pra condução! Revirei os bolsos do jeans e só encontrei a chave que eu queria. Confesso que foi bizarro eu dar a elza em algo que era meu. Quando ele acordou, após procurar nos bolsos e pela casa a chave, perguntou se eu as tinha visto por aí.

_ Aim, Gersonswald, não acredito que você perdeu a chave do meu apertamento!
_ Mas ela tava comigo ontem!
_ Você bebeu? Vai ver esqueceu no bar. E se algum tarado entrar aqui em casa usando a sua chave?
_ Bom... ele fará a festa.

Diante dum argumento TÃO plausível, não pude deixar de sorrir diante da ideia de um tarado arrombando tudo que tinha pra ser arrombado em casa. Depois que Gersonswald foi embora, peguei o telefone e liguei pra única pessoa com quem eu realmente queria falar.

_ Alôin, Fabinho? Aqui é a Maddyrain. Você tá podendo falar?
_ Claro, eu tô na academia, mas pode falar.
_ Quero te encontrar. Tomar um café e...
_ E no rabo? Quer tomar no rabo?
_ Aim, Fabinho! Será que você consegue pensar em qualquer outra coisa não relacionada a séquiso comigo? Você faz eu me sentir muito vulgar...
_ Você não me convence, Maddyrain. Te encontro daqui quinze minutos.

Peguei meu chapéu gigantesco da Dior, óculos de sol Gucci e coloquei um vestidinho veranil da Pakalolo. Olhei-me no espelho e, além de gorda, me senti a musa dos campos elíseos. Tínhamos combinado de nos encontrar num Fran's Café no Centro. Sentei na cadeira e olhei o movimento naquela tarde quente de Sábado. As bilus iam e vinham com seus afazeres quaisquer, sem nem imaginar que eu, Maddyrain, queria morrer e levar dois condenados junto.
Fabinho chegou e as bichas lokas pra dar pararam pra observar o contorno daquele corpo esculpido carregando muita caixa de banana da terra. Usava uma regata suada, shortinho apertado marcando a necona mucha e óculos de sol. Aposto que ele tava sem cueca. O poder do Emplastro Sabiá foi forte pra segurar minha neca pra trás!

_ Você tá linda.
_ E você um tesão.
_ O que tá acontecendo, Maddyrain? Por que marcou da gente se encontrar aqui?
_ Eu queria conversar com você, Fabinho. Não posso? - ele me olhou desconfiado.
_ Hmmm... mas depois a gente vai trepar?
_ Xente, naum! Diana Ross bem sabe como eu queria levar uma vara como a sua hoje, mas não vamos trepar.
_ Bom, se mudar de ideia... Mas o que você quer conversar? Vai me contar onde você tá morando?
_ Naum. Fabinho... eu estou sendo traída!
_ Acontece. Quantas pessoas já não trairam por sua causa?
_ Aim, não era bem o que eu esperava ouvir, gato.
_ Mas por que aquele frangote tá te traindo?
_ Eu acho que é porque eu tô ficando gigantescamente gorda.
_ Onde é que você tá ficando gorda, Maddyrain?
_ Aim, pelo corpo todo.
_ Você tá... mais gostosa, é verdade, mas gorda, não.
_ Aim, Fabinho, mas só pode ter algo errado comigo pra ele procurar uma vagabunda! Vocês, homens, são todos iguais.
_ Como se você fosse uma espécie de ser humano diferente, né?
_ Aliás, nem sei porque tô te procurando pra conversar! Você já me traiu várias vezes!
_ Maddyrain, toda vez que eu tive vontade de comer outra pessoa, foi apenas pra satisfazer um impulso. Nunca deixei de te amar. E ainda te amo. - aim, ouvir aquele bophy se declarando assim quase me fez cair de boca naquela necona ali mesmo. Aposto que a bicharada ia adorar. Viado adora um sexo explícito.
_ Mas quem ama não trai!
_ Você sabe que isso não é verdade.
_ Aim... mas quem me ama não me trai, então! Você me ama tanto quanto o Gersonswald.
_ Caralho, que nome. Enfim, não acho que ele tenha deixado de gostar de você. Vai ver é só um tesão repentino.
_ Será? Acho que você tem razão, Fabinho... Vou tentar esquecer tudo isso, mas não vou devolver a chave do meu apertamento pra ele!
_ E quando é que você vai me convidar pra visitar seu apartamento... seu quarto... sua cama?
_ Nunca. - levantei-me, afastei a mão dele que acariciava meu rosto e joguei uns tostões na mesa - Obrigada pelos conselhos, Fabinho. Acho que a xente pode ser bons amigos... e quem sabe virarmos fuck buddies?
_ Me dá um abraço de despedida pelo menos?

Abracei aquele corpo forte e suado. Senti o cheiro do amadeirado aquático barato que ele devia usar pra ir na academia e conquistar as bichinhas sedentas por rolona que só fazem academia pra conseguir neca. Senti uma raiva repentina e me afastei dele. A anaconda dele tava dura e fazia volume pelo shortinho. Jesuis, que tesão.
Corri pra casa com vontade LOKA de trepar com Gersonswald e sentir o corpo dele, não tão sarado, mas não menos gostoso, pesando sobre o meu. Aim... nada como o poder do perdão remixado com a vontade de dar.

Um beijo,
Maddyrain

Hit by Love

LP Edit
Radio Mix
Alternate 12" Mix
Alternate 7" Mix
Def Classic 12" Mix
Classic Radio Mix
Classic Dub
The Body
Def Dub
D-Max Dub
The Factory Vocal Mix
Fierce Factory Dub

I can't believe that there is someone like you...

Me acerta com sua neca:
CeCe Peniston tem uma das vozes mais gostosas entre as divas house, na minha (nada) humilde opinião! Uma pena que a carreira da bunita foi cada vez ficando mais miada e hoje em dia ela lança uma coisinha aqui, outra ali, mas sem chamar grande atenção das bilus. Xente, vamos redescobrir CeCe Peniston!? Só pra fazer o povo acordar pra essa mulher, já tenho mais duas músicas da bunita pra postar aqui no blog. Preparem-se!

"Hit By Love" foi produzida pelo David Morales (se não estou enganada) e dá pra perceber logo na LP Edit o glamour house dele. Como era de se esperar, todos os remixes dele seguem a mesma linha da original. O Def Classic 12" Mix é aquele house gostoso que a xente adóga com um trecho instrumental que me deixa toda cagada. O Def Dub é mais voltado pra essa parte, enquanto que o Classic Dub fica mais no classic house de todo dia. Peguem também o The Body, que é uma variação do Classic Mix, e o D-Max Dub cheio de "I've been hit... I've been... I've been..." Adógo!

Junior Vasquez também foi chamado pra remixar "Hit By Love", mas tava de bode e fez apenas um remix e um dub, que são promocionais (pra piorar ainda mais o bode dele). Não preciso nem dizer que ele phodeu com o edy da biluzada com o The Factory Vocal Mix, néam? Xente, incrível, mas (quase) sempre que ele usava "Factory" nos remixes dele ele arrombava! Puro travequismo!

Maddyrain não tem, Maddyrain quer:
Hoje vou pedir pouca coisa, mas coisa rara, tzá? Se é pra pedir, tem que ser coisa extravagante!

instrumental 4:41
acapella
down tempo swing mix 4:01

0 Bilus felizes:

Alô?! Maddyrain chamando!

Você acaba de adentrar as entranhas do mundo de Maddyrain, uma profissional da "náiti guêi" de São Paulo que ama house music e decidiu fazer a boazinha e compartilhar parte de seu acervo musical.

Filhos da Maddyrain

Ocorreu um erro neste gadget

Maddyrain recomenda!

Arquivos da Maddyrain

Você é da caravana de onde?

Clientes:


Mais detalhes da clientela