A neca do defunto

Depois de botar um defunto de volta à vida e ahazzar na caganeira numa festa pra velhos, achei que a mocinha que me passava os contratos da Festinha Animadinha NUNCA mais ia querer ouvir falar de Maddyrain, Litta Walitta e Kilo Minhoca na vida, mas ledo engano. A necessidade é uma merda mesmo. Faz a xente trepar com quem nunca nem olharíamos na cara!

_ Maddyrain?
_ Xente... confesso que tô espantada! Achei que você não queria me ver nua e pintada de ouro!
_ E não quero mesmo! Mas preciso de você.
_ Aim... repete? Mas faz uma voz mais masculina, só pra criar um clima gostoso.
_ Maddyrain, vamos direto ao assunto, sim? Eu tenho mais um velório pra você e suas amigas.
_ Aim, diga que é o da Whitney! É o da Whitney!? Quero ir no velório da Whitney e tirar foto ao lado do caixão!
_ Claro que não é o da Whitney! É o velório de Gustavinho Vidreiro.
_ ...
_ Alô?
_ Xente... já posso rir?! Morreu do que?! De nome feio!?
_ Maddyrain, tenha um pouco mais de respeito! Gustavinho Vidreiro é um dos principais playboys de São Paulo!
_ Aim, sério!? Nunca vi mais gordo! Pera aí. Litta, Killo, vocês conhecem um tal de Gustavinho Vidreiro?
_ Ai, que horror! Isso é nome de ser humano!?
_ Eu falei pra mocinha, Kilo Minhoca. Vai ver morreu de vergonha. E você, Litta? - Litta Walitta me olhava com os olhos marejados - Litta?
_ Ele morreu!?
_ Vixi... acho que ela conhecia o moço.
_ Litta, a senhora conheceu esse tal de Gustavinho Vidreiro?
_ Não acredito que ele morreu! E agora, o que será de mim!?
_ Xente... gata, pode deixar que eu e as meninas vamos ao velório dar uma animadinha. Agora preciso desligar porque parece que a Litta Walitta era amiga íntima do bophy. Um beijo. Kilo, pega um copo d'água com açúcar pra bunita. Senta aqui, Litta. Me conta tudo.

Litta contou que vinha saindo com o Gustavinho Vidreiro há algum tempo e que ele tinha prometido uma cirurgia de mudança de sexo em algum lugar obscuro da Europa pra bunita. Trocavam SMS o dia inteiro e, segundo Litta, a neca era odara. Mais uma perda pra nação guêi, pelo visto. Como Litta tava inconsolável, decidimos que só iríamos eu e Kilo Minhoca ao velório, pra evitar tumulto. Chega de tumulto na minha vida!
Litta partiu pra Sta. Ifigênia. Precisa afogar as mágoas comprando aparelhos eletrônicos. Eu e Kilo colocamos nossos vestidinhos pretos Chanel e fomos até o cemitério. Quando chegamos, notei que a neca devia ser boa mesmo. Uma multidão de bilus choravam em volta do caixão.

_ Xente, que loucura! Tão pegando na neca do defunto!
_ Ai, que horror! Vamos circulanu, gente! Circulanu! Onde já se viu? Tenham respeito pelo morto! - uma bilu frenética olhou pra Kilo Minhoca com o sangue nos olhos.
_ Você não sabe o que eu... do que todas nós perdemos!
_ Não sei mesmo!
_ Éam! Nunca ouvi falar desse bophy! E olha que eu tenho uma senhora lista de contatos, viu?
_ Pega no pau dele e descubram a falta que Gustavinho deixará no mundo!
_ Eu não vou pegar no pau do morto nem fodendo!
_ Maddie... dá uma olhada no volume. Parece até que o morto tá de pau duro! - olhei contrariada pra mala do defunto. Acho que tudo tem limite, mas... por Diana Ross... o que era aquilo!?
_ Xente! Olha... deu até vontade de pegar, viu!? Kilo, quero ver se não tem meia enrolada nessa cueca!
_ Como assim?
_ Já vi muito gogo boy colocando meia enrolada dentro da sunga só pra fazer volume! Eu só acredito vendo!
_ E como é que a senhora vai fazer pra ver o pau dele!? Você não tem medo?
_ Do defunto? Ele tá morto, gata!
_ Não! Medo de ir pro inferno!
_ Kilo, eu já estive no inferno, deixei um beijo no capeta e voltei. Dá cobertura!

Kilo Minhoca afastou algumas bilus e ficou na minha frente enquanto eu, com toda perícia do mundo, desabotoava a calça do terno do defunto pra ver se ele tinha sido pauzudo mesmo. Aim, do que será que ele morreu? Eu não vou encostar nele por nada nesse mundo! Com cuidado, abaixei um pouco a calça até a cueca boxer Calvin Klein aparecer. Xente... parece que é de carne esse volume mesmo! Uma bilu desesperada percebeu o que tava rolando no caixão e empurrou Kilo Minhoca longe.

_ Aquela travesti tá tentando chupar o pau do Gustavinho!
_ Jesuis! Eu jamais chuparia o pau de um cadáver! Aim, não empurra!

Quando dei por mim, tava no chão quase sendo pisoteada pela multidão frenética, descontrolada e insaciável de bilus viúvas. Kilo me ajudou a levantar e vi com espanto algumas bichas pegando na anaconda do defunto tentando reanimá-la a todo custo. Corri pra fora do velório, quase gorfando. Meu celular tocou, era o Gersonswald. Aim, uma neca grande e VIVA!

_ Alôin, gato... Aim, ainda bem que é você me ligando!
_ Oi, amor. Tô com saudades. Quando é que você volta pra casa?
_ Aim... eu voltaria agora, mas não posso! Tô num velório...
_ Ah, que pena. Vou te esperar então. Que horas você volta?
_ Aim, gato, acho que ainda devo ficar umas três hora aqui até despacharem o defunto... depois te conto o bafão!
_ Vou te esperar então. Quero te comer toda!
_ Aim, que loucura! Um beijo! - voltei pro velório e a bicharada continuava loka em volta da neca. Kilo Minhoca nem piscava, não se se chocada com a situação ou com o tamanho da neca. Confesso, horrorizada comigo mesma, que fiquei excitada com aquela necona. Aim... vou voltar pra casa RIGHT NOW! - Kilo, a senhora me cobre? Quero ir pra casa. Aim... sabe... não tô me sentindo bem... Kilo?

A bunita não respondia. Tava petrificada! Só acenava que sim com a cabeça. Entendi que não tinha problema e corri pro ponto de táxi antes que ela despertasse do trance. Ou eu perdesse o tesão.
Cheguei em casa loka pra fazer uma surpresa ahazzadora pro Gersonswald. Aim, tomo banho primeiro, néam? Tava num velório. Não pega bem! Tomara que ele esteja dormindo! Jogo uma água no corpo rapidinho, faço uma xuca express e tô pronta pra ser arrombada! Cologuei a chave na fechadura, mas a porta tava aberta. Aim, que estranho! Que será que aconteceu?

Carry On

Album Radio Mix
Original 7" Edit
Masters at Work 12" Dance Mix
Masters at Work 7" Mix
Masters at Work Dub Mix
Vocal Bass Dub Mix
Alternate Dance Mix
Tee's Club Mix
Tee's Freeze Mix
Tee's Crazy Mix
Tee's Radio Edit
Carry this 12" Dance Mix
Carried Away Dub
Full Intention Club Mix
Full Intention Radio Edit
Dan's Self Indulgent Mix (low quality...)
Tuff Jam Vocal Mix

Yes, I've paid for the choices I made...

Chupa esse edy agora:
O retorno triunfal da diva gorda e fofa Martha Wash com uma música que eu adoro, "Carry On". Xente, olha a capa desse single que coisa mais fofa! Não dá vontade de beijar a Martha Wash inteira? Naum, néam? Bom, "Carry On" é super bonitinha na sua versão original e vale a pena ser conhecida, então peguem o Original 7" Edit. Um housezinho bem looshu.

Vamos começar com os remixes feitos pelos Masters at Work. O Masters at Work 12" Dance Mix é aquela coisa MAW de ser, ou seja, uma delícia de house phyno. O Alternate Dance Mix é bem diferente e mais animadinho, mas sem perder o glamour.
Outro que também ahazzou foi o Todd Terry, embora seus remixes sejam todos parecidos entre si. O começo acapella do Tee's Club Mix me deixa COMPLETAMENTE loka do kool. Na verdade, não tenho certeza se essa é a versão club ou dub, mas enfim, quem poderá tirar essa minha dúvida? O Tee's Freeze Mix é idêntico, mas com mais vocais (então talvez o Club Mix seja o Tee's Dub mesmo... vai saber!). E, como não podia deixar de ser, o Crazy Mix é apenas uma edição diferente, sem acrescentar nada de relevante. Os outros remixes da época do lançamento do single não são tão interessantes.

"Carry On" foi relançada em 1997 com alguns remixes adicionais. O Full Intention Club Mix deixou a música mais agitada e vinhada (se é que isso é possível). Ainda prefiro os remixes clássicos. O remix do Danny D tá com a qualidade bem cagada pra ser indicado e o Tuff Jam Vocal Mix segue a linha garage típica de todos os remixes dele.

Maddyrain não tem, Maddyrain quer:
E como quero, viu?! Se bem que como a maioria é do Todd Terry, já sei até o que esperar...

extended radio mix 5:52
tee's freeze hot mix 3:45
tee's dub
tee's inhouse dub 4:23
tuff jam dub 6:25

0 Bilus felizes:

Alô?! Maddyrain chamando!

Você acaba de adentrar as entranhas do mundo de Maddyrain, uma profissional da "náiti guêi" de São Paulo que ama house music e decidiu fazer a boazinha e compartilhar parte de seu acervo musical.

Filhos da Maddyrain

Ocorreu um erro neste gadget

Maddyrain recomenda!

Arquivos da Maddyrain

Você é da caravana de onde?

Clientes:


Mais detalhes da clientela