A despensa dos pecados

Não sei se é triste ou prático quando você reconhece alguém pelo tamanho (e gostosura) da neca. Foi assim com o Fabinho das Bananas me encoxando no escuro da despensa. Talvez pelo barulho, não reconheci a voz, mas aquela neca... oh, Diana Ross... que neca! Alguns têm tantos e outros tão pouco!

_ Não esperava te encontrar aqui, Maddyrain.
_ Nem eu, ué! O que você tá fazendo aqui!?
_ Eu fui contratado pra trabalhar na festa.
_ Aim, eu também! Tá me perseguindo, éam? Também entrou pro ramos de festas? E me larga! Desengata porque agora eu tenho um novo dono!
_ Então para de rebolar no meu pau.
_ Eu não tô rebolando! Acho que é a casa que tá tremendo! Não tá sentindo? Será um terremoto?
_ Vou fazer suas pernas tremerem, isso sim!

E de repente, não mais que de repente, Fabinho levantou meu vestidinho preto Chanel e baixou minha calcinha com uma facilidade incrível e meteu tudo que tinha pra meter e eu tudo que tinha pra receber. Soltei um gritinho de dor safada. Sabem aquela dor gostosa do séquiso? Entaum, essa mesma! Um dos seguranças do lado de fora da despensa perguntou:

_ Que grito foi esse? Veio de dentro da despensa!
_ É uma das aves de caça que serviremos hoje. - o cozinheiro era um dos meus! Mano brown! Enquanto isso, Fabinho me jogava contra uma parede repleta de comidas enlatadas e metia com força.
_ O seu novo dono faz assim com você?
_ Naum... bom, faz!
_ Tem o pau grande que nem o meu?
_ Naum... bom, sim! Agora para de falar e me come!

No escuro da despensa, tentei fechar os olhos e pensar que era o Gersonswald ali bombando, mas a barba por fazer do Fabinho roçando no meu pescoço e sua respiração acelerada eram mais fortes. Abri os olhos e encarei a realidade.

_ Eu te amo, Maddyrain! Por que me evita tanto assim?
_ É minha sina, gatón. Não posso me envolver com um assassino.
_ De novo essa história? Eu não matei Roxxana Veludo!
_ Gato, não me faça perder o tesão. Não quero pensar em defunto right now.

Fabinho desengatou, me virou de frente e beijou minha boca. Diana Ross, que saudades daquele beijo! Mas eu tava com mais saudades era da neca mesmo. Bem franca! Me jogou no chão, levantou minhas pernas e fomos pro tradicional frango assado.

_ Onde você tá morando? Quero te comer sempre. Tá lá naquele fim do mundo com suas amigas ainda?
_ Eu agora sou uma garota do Centro.
_ Eu também tô morando no Centro. Me passa o endereço.
_ Naum! Era só o que me faltava a polícia revirando meu apertamento atrás de você! Além disso, eu tenho namorado agora. Ele mataria nós dois se descobrisse nosso romance.
_ E cadê ele? - aim, porque sempre perguntam isso?!
_ Ele tá trabalhando, ué!
_ Ah, tá. - e porque nunca acreditam na resposta!?

Tirou a neca de novo de mim e me virou de quatro. Meteu a neca com tudo e eu revirei os olhos. Pra não machucar meus joelhos, coloquei dois pacotes de café no chão. Com a força do atrito, eles acabaram estourando. Coloquei dois de açúcar no lugar, que também estouraram. Imaginei a sujeira que estávamos fazendo na despensa da mulher.

_ Você nunca foi atrás da herança da Roxxana Veludo?
_ Eu naum. O que aquela mocreia ia deixar pra mim?
_ Não sei, mas você precisa estar presente pra que o advogado possa ler o que ela deixou.
_ Aim, gomoasí? E eu já falei que não quero falar de defunto pra não perder o tesão!

Fabinho me deitou novamente naquela muvuca de café com açúcar no chão e veio gozar na minha cara. Recebi com certa nostalgia aquela gozada e pensei que no fundo gozo é gozo independentemente do bophy. Alguém bateu à porta da despensa.

_ Maddyrain, você tá aí?
_ Gerson!? Aim, garai!
_ Quem é Gerson?
_ Fica quieto! Tem gozo na minha cara!?
_ SÓ tem gozo na sua cara, Maddyrain.
_ Aim, Diana Ross! O que eu faço!? - olhei praquele café no chão e a luz veio - Já sei! -me joguei no chão e passei o café no rosto pra grudar no gozo. O cheiro de café com porra tava nauseante. Mandei o Fabinho se esconder nos fundos da despensa e abri um pouquinho a porta - Gerson, amô! Os seguranças já foram?
_ Maddyrain!! O que é isso na sua cara!?
_ Café, gato. Eu tava pensando em me desfarçar de negra pra escapulir daqui.
_ Não precisa, meu amor. Eles já foram, mas você tem que ir embora. Vamos, eu chamei um táxi pra você.

Sai pela porta dos fundos da cozinha abraçada ao Gerson e deixei pra trás, na despensa, o peso da minha traição. Sentei no banco do táxi e notei que eu tava sem calcinha. Sem calcinha... sem dignidade... sem vergonha na cara. Na verdade, na cara só tinha porra e café.

Um beijo,
Maddyrain

What Hope Have I

Our Tribe Mix
Our Tribe Edit
The Big Mix
Big Mix Edit
Junior's Factory Mix
Junior's Factory Mix Edit
Junior's Factory Dub
RNG & Junior Vasquez Twilo Mix
Serious Rope Mix
Serious Rope Edit
7th Heaven Mirrorball Mix
7th Heaven Mirrorball Radio Edit
Solitaire Mix
Marco Gee Vocal 2007
E.H.C. Mix

Oh tears come easy these days...

A esperança está no meu edy:
Hoje é dia de uma indicação mais do que válida de um leitor do meu blog! Eu nunca tinha ouvido "What Hope Have I", mas super me apaixonei logo de cara por essa produção bafônica do Rollo! Uma delícia! Isso sem mencionar os vocais dramáticos da Sabrina Johnston (que aparecerá por aqui qualquer dia com "Peace"). Um ahazzo! Obrigadjénha pela indicação, amore!
Se joguem com muita fé no Our Tribe Mix! Isso é house de qualidade, meu amô, não aquelas porcarias que você escuta na rádio e jura que é a sétima maravilha do mundo. Uma delícia! O The Big Mix é uma aceleradinho e club diva. Uma loucura! Definitivamente, "What Hope Have I" foi uma das melhores músicas antigas e obscuras que conheci em 2011! Obrigadjénha novamente pelo meu kérido leitor (que eu esqueci o nome... sorry!).

Temos também o poder travesti de Junior Vasquez (aka Juninho Vasconcelos pras mais amigas). Infelizmente, não é hoje que teremos todo o glamour do Vasquez. O Junior's Factory Mix tem um instrumental interessante, mas também parecido com TODOS os outros remixes dele da época. O problema é que os vocais da Sabrina não casaram muito bem com as batidas na minha opinião, mas baixem pra conhecer. O remix dele com o Razor 'n' Guido é simplesmente terrível. Fujam!
Pra não sentar na margem do rio Piedra e chorar, temos o Serious Rope Mix, que é mais house, mas mesmo assim não bate os remixes do Rollo.

A música foi relançada em 2007 (novidade) e até que recebeu remixes bonitinhos! O 7th Heaven Mirrorball Mix é bem parecido com os remixes originais do Rollo, mas com uma repaginada mais atual. Uma delícia! Recomendado! O Marco Gee Vocal 2007 também vai por esse mesmo caminho de revitalização da original.
O Solitaire Mix tem toda uma pegada Ibiza bonitinha e sem vergonha. Por fim, o E.H.C. Mix, que é um dance bem gostosinho e com um pianinho e orgão super house!

Maddyrain não tem, Maddyrain quer:
Aim, Juninho Vasconcelos tava inspirado e decidiu cagar mais uma caralhada de remixes promocionais que eu não encontrei de jeito nenhum. Juninho, se você estiver me lendo, compartilha com a bicharada!

junior's factory mix edit 6:56
junior's factory edit 4:10
junior's dubstramental 8:48
junior's drums of hope 4:13
junior's accapella 7:01
the ot's mix 5:08
groovecutter mix 7:29

0 Bilus felizes:

Alô?! Maddyrain chamando!

Você acaba de adentrar as entranhas do mundo de Maddyrain, uma profissional da "náiti guêi" de São Paulo que ama house music e decidiu fazer a boazinha e compartilhar parte de seu acervo musical.

Filhos da Maddyrain

Ocorreu um erro neste gadget

Maddyrain recomenda!

Arquivos da Maddyrain

Você é da caravana de onde?

Clientes:


Mais detalhes da clientela