Da saudade

Às vezes acho que eu sinto saudade de muita coisa. Muita coisa que não devia mais sentir saudade, pois eu já devia ter me acostumado com sua ausência. Tenho saudade de coisas e momentos de minha vida que já passaram e, quando olho pra trás, acho que não os aproveitei como devia. Ou então aproveitei, mas queria viver tudo novamente.
Tenho saudade do tempo em que vivia errante na solteirice, pulando de uma cama para outra, reclamando dos casais felizes e apaixonados e me acabando cada final de semana na pista. Mas essa saudade eu acho fácil de subjugar; quando penso no meu momento atual, vejo que esse período na minha vida foi apenas isso: um período. E que já passou.

E, na verdade, acho que tudo vai passando. Tantas amizades que passaram e deixaram saudade. Com algumas pessoas, a gente ao pouco perde o contato. As coisas deixam de ser essenciais e não são mais compartilhadas. Com outras, você acha que não tem mais afinidade alguma. Você muda seu modo de pensar e espera ser acompanhado... mas não é. Tenho saudade de tantos amigos... da escola... da faculdade... da vida noturna. Saudade das risadas e das promessas de amizade eterna. Acho que algumas amizades precisam mesmo desse tempo pra respirar. Precisam que cada parte cresca e amadureça em seu próprio canto.

Hoje, em especial, sinto mais saudade do meu pai do que o habitual. Nossa relação sempre foi pautada pela ausência, falta e saudade. Quando ele estava vivo, sua diversão era sumir do mapa sem deixar vestígios e reaparecer com alguma notícia bombástica. Sentia sua falta e imaginava que ele havia morrido em algum lugar do mundo. Nesse nível de tragicidade mesmo. Do nada ele ressurgia e me contava que eu ganharia uma irmã. Ou que estava preso em Minas Gerais. Ou que era soropositivo.

Já havia visto ele partir tantas vezes que acabei por me acostumar com sua ausência. Eu sabia que ele um dia voltaria. Às vezes sujo e maltrapilho, pedindo dinheiro pra condução e um prato de comida. Outras vezes, bem vestido e contando que havia conseguido um emprego novo. Quando o vi partir pela última vez, exatos cinco anos atrás, acho que não estava tão preparado quanto imaginei. Queria ter estado mais tempo com ele para compreendê-lo e entender sua ausência constante. Vez ou outra acho que ele vai me ligar do nada pra dar alguma notícia...

Aprendi muita coisa com meu pai. Como dizem, mãe é uma só... mas pai também. Pelo menos o meu sempre será um só. Na verdade, a grande ironia na vida dele foi a forma como ele educou seus filhos por meio de seu absenteísmo. Talvez se estivesse sempre presente, a minha vida tivesse tomado um rumo diferente. Acho que, seja lá onde ele estiver, ele está feliz em saber disso...

Um beijo, pai.

By Your Side

Radio Edit
Reggae Mix 1
Yard Mix 1
The Neptunes Remix
Ben Watt Lazy Dog Remix
Ben Watt Lazy Dog Edit Remix
Cottonbelly's Fola Mix Edit

I will show you you're so much better than you know...

Chupa meu edy de ladinho:
O retorno de Sade por aqui, meus amores! E com uma música tão bonitjénha que todo mundo gosta, "By Your Side"! Eu lembro quando estreou o clip dela na MTV! O retorno de Sade! Se você, por algum motivo obscuro, não conhece (e, pior ainda, não gosta), se jogue na Radio Edit. Uma gracinha! Uma baladjénha bem mela calcinha.

Curiosamente, a música ganhou até uma quantidade razoável de remixes, mas a maioria vai pro bueiro. A versão reggae parece que foi feita no tecladinho Casio. Terrível! Essa tal versão yard (sei lá que é isso!) é tão parada que chega a dar sono! Uma lástima! O The Neptunes Remix apesar de não fazer em NADA o meu estilo, é interessante como desconstrução da original.
Pra não jogar tudo no lixo, temos o incrível e delicioso Ben Watt Lazy Dog Remix. Uma coisa... assim... house de beira do mar chique e conceitual! Super phyno! Recomendado! O remix do Cottonbelly saiu numa coletânia, mas não é bom. Bueiro nele!

2 Bilus felizes:

Genesis disse...

Nuss!!! Lindo!!! Clap clap clap!

fafá disse...

ja expirou =(

Alô?! Maddyrain chamando!

Você acaba de adentrar as entranhas do mundo de Maddyrain, uma profissional da "náiti guêi" de São Paulo que ama house music e decidiu fazer a boazinha e compartilhar parte de seu acervo musical.

Filhos da Maddyrain

Ocorreu um erro neste gadget

Maddyrain recomenda!

Arquivos da Maddyrain

Você é da caravana de onde?

Clientes:


Mais detalhes da clientela