Um lar pras travestis

Eu, Litta Walitta e Kilo Minhoca passamos por meses e mais meses de dureza em todos os sentidos da palavra. Como já tava ficando insuportável vivermos naquele cubículo que Kilo, decidimos juntar todo nosso santo dinheirinho pra comprar ou alugar um cafofinho pra xente. Nunca na minha vida que eu pensei que iria precisar dividir apartamento com as amigas depois de velha, mas a necessidade é a mãe do desespero. Viramos verdadeiras máquinas de animar festas. Fomos a tudo que é tipo de festa: de xente ryka, de xente pobre pagando a festinha em milhares de prestação, festa de 15 anos e até mesmo num velório a xente foi! A xente topa qualquer negócio quando o babadu é dinheiro! Menos comer mulher.
Falando em comer, nos jogamos também sem dó aos nossos respectivos edys na avenida. Foram semanas e mais semanas sem saber o que é uma flora intestinal digna de um ser humano trabalhador. A palavra "pregas" tinha virado meramente o feminino de "pregos" pra xente.

Abri o caderno de imóveis do jornal e começamos a discutir onde iríamos morar.

_ Aim, eu sou a favor de Higienópolis ou Jardins!
_ Não! Higienópolis é bairro de maricona rica e Jardins é lugar de bicha emergente! Quero morar no Morumbi.
_ Ai, que horror! Morumbi me lembra a mansão da finada patroa Roxxana Veludo!
_ Xente! É verdade! Que fim... que fim... que fim levou o Robin? A loka! Que fim levaram os bens dela, néam? Mas enfim! Isso é assunto pra outro post! Vamos ver os preços.
_ Ai, que horror! Mas é tudo caro! Assim a gente vai acabar moranu aqui mesmo!
_ Não! Aqui não! Chega! Cansei de dormir amontoada num canto!
_ Gatas, com o nosso dinheiro só dá prum apertamento no Centrão...
_ Centrão!? Do lado das travestis rivais!? JAMAIS!
_ Não cuspa no prato que a senhora já comeu, vinhada. Centrão é gostoso. Perto das buatchis. Perto dos pontos.
_ Perto do metrô... - eu e Litta olhamos assustadas pra Kilo Minhoca - Ai, mas não é?!

Tem xente que nasceu pra morrer pobre na vida! Enfim, pegamos a bolsinha e fomos visitar o apartamento com o corretor (infelizmente nada fazible... um tiozinho com cara de fumante de 30 cigarros por dia que me deu até nojinho). Veio com aquele discurso básico de corretor de imóveis. Mostrava o banheiro todo estourado e dizia que tudo era uma maravilha. Cumé que é uma maravilha, meu senhor?! Até o chuveiro levaram embora! Ah, mas isso é só comprar um novo. Baratinho! Quando o babadu é o dinheiro dos outros, tudo é baratim, baratim.
Deixamos o homem esperando na porta e fizemos uma rodinha perto da janela. A vista não era a das melhores. Um monte de prédios antigos, sujos e pixados de cima a baixo. A vizinhança também parecia a mais perigosa do mundo após o anoitecer... mas enfim... nada que três travestis devidamente versadas nas artes da Gillette não pudessem lidar.

_ Eu achei muito pequeno. E só tem dois quartos.
_ Idanhi?
_ E daí que somos três.
_ A gente reveza quem dorme no quarto maior sozinha... ou acompanhada. Aliás, o quarto maior devia ficar pra quem tá pegando um bophy.
_ Ai, que injusto! Só porque a senhora tá chupanu o barman com o nome feio.
_ Maddie e Kilo, a gente vai ter que reformar o apartamento inteiro pra deixar ele habitável, mas tá melhor que o cafofo da Kilo. E aqui é mais perto da civilização.
_ Então, estamos todas de acordo? Vou chamar o homem. Ô moço. Vem cá. Vem cá. - ele veio abanando o rabinho. Tropeçou num taco solto e quase caiu no chão. - A xente chegou à uma conclusão. Esse apartamento tá praticamente em ruínas, néam gato? E não vem dizer que é tudo baratinho de consertar porque eu posso ser tudo, menos trouxa. Então a xente decidiu o seguinte: quando foi a última vez que chuparam esse seu pau pequeno que você deve ter?
_ Nossa! Mas que pergunta na lata!
_ Vai, responde! - as meninas me olhavam espantadas.
_ Erh... bom... já tem um tempinho... coisa de... uns... três anos!
_ Kilo Minhoca, amore, a senhora hoje vai levar esse cidadão à loucura!

Sem dar tempo de expressar qualquer reação, empurrei Kilo pros braços amorosos do corretor e levei os dois pro quarto maior. Às vezes é preciso alguns sacríficios pra conseguir as coisas na vida. Fechamos o negócio e nos mudamos no dia seguinte. Graças ao poder do kétji de Litta Walitta, conseguimos um carreto de graça pras nossas roupas e bugigangas. Desconfio que se eu tivesse empurrado a bunita pro corretor, o apartamento também tinha sido de graça. Enfim... não dá pra ser expert em todas as categorias do assustador mundo do sexo, néam?!

Um beijo,
Maddyrain

Fairground

Single Edit
Extended Single Version
In the Garden Mix
Too Precious Mix
Rollo and Sister Bliss Remix
Quivver's Vocal Bliss Remix
Quivver's Amytiville Dub
Soul Power Dub

There's always someone leaving alone...

Chupa meu edy na montanha-russa (bem no looping):
Aim, xente, hoje é dia de uma das minhas músicas favoritas do Simply Red! Adógo o perigón dance de "Fairground"! Eu sei que o Mick Hucknall não é o favorito das bilus, mas eu admito... também não pagava um kétji nele nem se a piroca fosse A piroca. Enfim, "Fairground" é de 95 e fez um mega sucesso. A música é toda sampleada de "Give It Up" do The Goodmen. Originalidade mil!
Se joguem no Single Edit pra dançar e relembrar os bons e velhos tempos! Se gostar, MEGA recomendo a Extended Single Version. Uma delícia e continuo minha campanha pra versões extended das músicas atuais! O In the Garden Mix é do próprio Mick e é uma espécie de versão lounge bem bonitinha e calminha.

O que eu sempre gostei do Simply Red é que ele sempre investiu bastante nos remixes pros seus singles. "Fairground" não foi diferente e recebeu ótimas versões! Vamos começar pelo ótemo Rollo! Podem pegar o Rollo and Sister Bliss Remix! Uma delícia dance bem underground e com toda a pegada dos hits iniciais do Faithless. O começo do remix é magnífico! Adógo!
O Too Precious Remix tem cara de festinha animadinha. Super bonitinho! Embora eu geralmente não goste dos remixes do Quivver (vide "Some Kind of Bliss" da Kylie), o Quivver's Vocal Bliss Remix é interessante e válido. Uma coisa bem loka do meu respectivo kool. O Soul Power Mix, como vocês já devem imaginar, tem uma vibe r'n'b que eu SUPER acho que não combinou com a música, então bueiro nele!

Maddyrain não tem, Maddyrain quer:
Aim, xente, hoje os pedidos são... assim... tipo impossíveis. Mas enfim! Nunca se sabe, néam?!

the wyro remix 4:45
rollo and sister bliss remix instrumental 9:43
tuff dub

0 Bilus felizes:

Alô?! Maddyrain chamando!

Você acaba de adentrar as entranhas do mundo de Maddyrain, uma profissional da "náiti guêi" de São Paulo que ama house music e decidiu fazer a boazinha e compartilhar parte de seu acervo musical.

Filhos da Maddyrain

Ocorreu um erro neste gadget

Maddyrain recomenda!

Arquivos da Maddyrain

Você é da caravana de onde?

Clientes:


Mais detalhes da clientela