Porta cacareco

Deitada no meu colchãozinho vagabundo no chão do quarto de Kilo Minhoca, sonhei que tinha conhecido um bophy novo. Negro, alto, magro e pirocudaço. Incrível como os magros e altos são sempre os mais pirocudos, néam? Ou seja, meus amores, não adianta ficar se jogando na academia pra malhar o corpinho se, ao deixar a cuequinha cair, você tem uma nécula pra apresentar. Fika a dika.
Anyway, tava lá eu sonhando toda gostosa, sendo acariciada aqui e ali, o edy abria e fechava numa dança ritualística maravilhosa quando ele decidiu lamber minha cara. Aim, para de me lamber a bochecha! Que coisa desagradável! O bophy não parava. Fui ficando nervosa e as lambidas cada vez mais molhadas.

_ Acorda, vagabunda! Vai limpar a casa hoje!
_ Aim! Que horror! Isso é jeito de acordar um ser humano tendo um sonho delicioso com um negão pauzudo!?
_ Pelo tamanho da anaconda, o sonho tava cheganu na parte boa, né?
_ Aim, eu odeio vocês duas! E para de ficar olhando pra minha neca! Que fixação obsessiva que você tem por ela, Kilo Minhoca! Se fecha! E o que é esse esfregão no meu colchão!?
_ Adivinha, Maddyrain. Hoje é o seu dia de limpar a casa.
_ Gomoasí "limpar a casa"? Isso aqui nem é casa direito! Cumé que eu vou limpar aqui com vocês aqui dentro?! Olha essa bagunça! Tem roupa pra tudo que é lado! Meu travesseiro é roupa amontoada!
_ Pois é, Maddie. Olha só que honra! Você vai ser a responsável por colocar ordem no puteiro. Eu e Kilo Minhoca estamos indo no botequim lá perto do metrô ver se a gente consegue algo de bom nesse Domingo de cú. Um beijo.

E sairam. Às vezes eu tenho MUITA vontade de matar as duas. Matar da forma mais violenta possível. Fazê-las sentir muita dor. Mas depois fico pensando: pra quem é que eu vou contar meus babados? Quem é que vai me salvar quando eu estiver em babadus fortes? Melhor deixá-las vivas. Por enquanto.
Decidi deixar o esfregão nojento de lado e tentar voltar aos amassos com o negão do sonho. Nada feito. Nem dormir eu consegui. Levantei do chão querendo empalar minhas amigas com o esfregão. Olhei ao redor. Xente, por onde eu começo!? Desconfio que isso aqui NUNCA foi limpo na vida! Fui revirar os domínios de Litta Walitta naquela casa de um cômodo só. Uma montanha de roupas que foram nitidamente lavadas, mas estavam LONGE de serem consideradas limpas. Aim... pra que passar uma roupa, néam Litta Walitta?! Aliás, será que a xente tem um ferro por aqui? Fiz o meu melhor pra dobrá-las e tentar colocá-las numa gaveta.

O canto da Kilo Minhoca parecia depósito de bituca de cigarro. Xente, como a cachorra fuma!? Mas quando é que ela fuma tudo isso!? Será que ela faz coleção de bituca!? Que bizarro... Já vi de tudo nesta vida, mas isso... JAMAIS. Coloquei minhas santas mãozinhas num saco plástico e catei aquele mundo de cigarro amassado como se fosse cocô de cachorro.
Fui pro meu cantinho do quarto. O mais organizado, diga-se de passagem. Decidi que minha bagunça tava nos limites do aceitável. Sentei na cama de Kilo Minhoca e olhei ao redor procurando a caixinha de padê compartilhado. Incrível como o padê SEMPRE desaparece quando você mais precisa dele.

Fui olhar debaixo da cama. Fiquei com medo de encontrar algum morto-vivo rastejando querendo me devorar viva. Se tiver aí debaixo, que fique pro santo! Abri o guarda-roupa e fechei a porta em dois palitos antes que eu morresse soterrada pela avalanche de roupa. Xente, cadê!? Olhei em cima do fogão e levei um susto. Meu coração até parou de bater. Caralho! Com todas as letras, caralho! O que isso tá fazendo aí em cima?! A caixinha preta com detalhes orientais dourados me encarava triunfante do alto de seu pedestal. A mesma caixinha que já tinha me levado pro passado e pro futuro. Corri e me joguei em cima dela. Xente, se a Kilo Minhoca encontra isso! Ela é toda estabanada! Vai abri-la sem querer! Ou a Litta! Essa vai abrir querendo mesmo! É muito curiosa! Chacoalhei a caixa involuntariamente e levei um susto. Havia algo dentro dela! Que será?!

Fechei os olhos e lembrei de todas as vezes que eu a havia aberto. Não... não havia absolutamente nada dentro dela! Que será que havia agora?! Xente, abro ou não abro essa budega pra checar?! Posso desejar voltar exatamente um minuto atrás e mato minha curiosidade! Rodei a caixa na mão. Era a mesma, não havia dúvidas. Como é que isso foi parar aqui!? Aliás, nem lembro mais o que eu fiz com ela depois do ocorrido com Roxxana Veludo! Vou abrir! Quando já tava prestes a abri-la, Litta e Kilo chegaram no cafofo.

_ Limpou tudo, viada?
_ Aim, que susto! Garai!
_ O que você tá fazenu com minha caixinha de bijuteria?
_ Cumé?
_ Minha-caixinha-de-bijuteria. Não tá mais entendenu português?
_ Onde a senhora achou isso, Kilo?
_ Sei lá. Jogada pelo quarto. Não tinha dona, então peguei.
_ E o que é que tem aqui dentro!?
_ Ué, um monte de coisinhas. - tomou a caixinha da minha mãe e a abriu com a maior naturidade. Quase pari uma criança de três anos ali mesmo - Olha só, uns brinquinhos sem vergonha que comprei outro dia na República, um pouquinho de maconha... mas muito pouquinho... uma camisinha. Ah, esses cacarecos!

Fiquei Belenux. Cumé que pode?! Sem entender nada, fui pra fora do quarto tomar um ar livre. As duas ficaram me olhando com cara de espanto, voltaram pra dentro e foram checar se tava tudo limpo. Será que essa caixa só funciona comigo?!
Pra não correr o risco de eu ou qualquer uma das duas voltarmos ao passado ou irmos pro presente, naquela noite, enquanto Litta dormia o sono das dopadas e Kilo roncava alto, peguei um martelo e destrocei a caixa.

_ Chega dessas putices na minha vida!

Um beijo,
Maddyrain

Finally

Original Mix
Original Extended Mix
Radio Edit
U.S. Remix
U.S. Radio Remix
Danny Krivit & Steve Travolta Re-Edit
Dance Ritual Mix
Dance Ritual Radio
Kosmic Dub
MAW Instrumental
The Sting Reprise
NuYorican Soul Mix
Danny Tenaglia's Return to Paradise
Danny Tenaglia's Time Marches On
Yost Main Vocal Extended Remix
Rulers of the Deep Mix
DJ Meri Vox Mix
Tom De Neef Club Mix
Tom De Neef Dub
Lenny Ibizarre Mix
Ghost Vocal
Sandy Rivera & C. Castel Deeper Mix
Sandy Rivera & Simon Mattson's 2011 Mix
East & Young Remix

Tomorrow means nothing at all...

Você finalmente chupará meu edy:
Hoje é dia de crássico! Crássico moderno, mas com mais de dez anos, tzá? "Finally" em si não tocou muito por aqui, mas a versão remixada com "Love Story" do Layo & Bushwacka! (que MUITO em breve aparecerá por aqui) tocou até o edy fazer bico. O Original Mix de "Finally" não é muito empolgante, eu sei. Não é lenta, mas também não mega fará você perder a compostura na frente. da família. É um dance com um pézinho no lounge. Gostosa pra deixar tocando enquanto você recebe as amigas em casa. Vários remixes seguem exatamente essa linha da versão original e como eu sei que meus leitores gostam mesmo é de bater cabelón, vamos pular pro que interessa.

Os deuses da house music, os Masters at Work, fizeram um trabalho competente com "Finally", mas também nada muito abalativo. O Dance Ritual Mix só acrescenta umas batidinhas mais house e deixa a versão original mais dance, mas sem exageros. Nos trechos instrumentais, vale a pena prestar atenção pra guitarra (aim, acho que é guitarra, sei lá). Uma gracinha.
Pra você mostrar ao mundo que é bilu, travesti e passiva, se joga no Danny Tenaglia's Return to Paradise. Enfim... é do Danny Tenaglia, néam? Eu não precisaria dizer mais nada! Onze minutos de pura despirocação com um pianinho super gostoso. O Danny Tenaglia's Time Marches On segue uma linha mais dark tribal bem típica da época do lançamento do single.

Pra você continuar nessa pegada phemynyna, pegue o DJ Meri Vox Mix. Um dance super Ibiza. Bem chique e contemporâneo, com umas backing vocals a mais meio cafonas. Pra você continuar fazendo carão em praias paradisíacas, se joga no Rulers of the Deep Mix. Super gostosinho. O Tom De Neef Club Mix também é gostoso e vale uma bateção de cabelón. DJs voltem a tocar essa música nas suas noites!
Se seu lance é meditar numa grande piroca pulsante, não deixe de pegar o Lenny Ibizarre Mix. Uma coisa... assim... bem viajante! Uma loucura pras colocadas de plantão!

"Finally" foi relançada (novidade) agora em 2011 e ganhou novos remixes do Sandy Rivera, membro original dos Kings of Tomorrow. Até que saiu coisas interessantes desse pacote mais recente de remixes. O Sandy Rivera & C. Castel Deeper Mix é um dance gostoso e válido. O Sandy Rivera & Simon Mattson's 2011 Mix também é legal, mas os vocais ficaram um pouco deslocados nas batidas. Peguem também o East & Young Remix. Tem um ápice bem diva gay.
Concluindo, o refrão cantado pela Julie McKnight em "Finally" é simplesmente eterno. Lindo demais!

Maddyrain não tem, Maddyrain quer:
Aim, mesmo com uma caralhada de remixes, sempre ficam alguns de fora. Incrível!

acapella 3:48
yost dubified remix edit
danny tenaglia's radio edit 3:16
ghost dub
mad congism bonus beats

0 Bilus felizes:

Alô?! Maddyrain chamando!

Você acaba de adentrar as entranhas do mundo de Maddyrain, uma profissional da "náiti guêi" de São Paulo que ama house music e decidiu fazer a boazinha e compartilhar parte de seu acervo musical.

Filhos da Maddyrain

Ocorreu um erro neste gadget

Maddyrain recomenda!

Arquivos da Maddyrain

Você é da caravana de onde?

Clientes:


Mais detalhes da clientela