Penetrando na Ilha do Bororé - Parte 2

Abri estes olhos que já viram de tudo e deparei-me com a escuridão quartinho de Kilo Minhoca. Pulei e sentei na cama. O silêncio era quebrado pelo ronco de Kilo e os resmungos de Litta Walitta. Acendi a luz.

_ Ai, que horror! Apaga essa luz! Que horror! Eu tô durminu!
_ Desliga essa porra, vinhada!
_ Kilo! Litta! Vocês tão vivas!? Aim que loucura!
_ Eu tô viva e puta! Amanhã é a inauguração da Ilha do Bororé by Roxxana Veludo! Não quero aparecer com olheiras!
_ Kilo, a senhora tá com seu nariz inteiro! Aim, que emoção!
_ E por que não estaria, Maddie?
_ Uma longa história... Foi um pesadelo que eu tive. Por favor, prometa que você vai largar o pó?
_ Ah, claro, Maddie. Senta lá. Eu largo o pó quando a senhora largar o kétji.
_ Ou seja, nunca.
_ Litta, e a senhora vai me prometer que nunca se juntará à militância gay!
_ Gata... às vezes eu fico até espantada com o poder do padê que a senhora encontra pelas estradas da vida... E pelo amor de Deus, que estrada a senhora andou passeando?! Que futum é esse?! Que roupa é essa!? - olhei pra baixo e vi que ainda usava os trapos de minha aventura pelos esgotos, presídios e metrôs de São Paulo do pântano.
_ Xente! Nem eu sei! Devo ser sonâmbula e não sabia de nada!
_ Ai, que horror! - Kilo Minhoca me olhava assustada, com a boca aberta de espanto; Litta Walitta não tinha engolido minha história.
_ Sonâmbula...

Voltaram pra cama e eu fui pro banheiro externo do quartinho jogar uma água no corpo. A noite tava fria e a água, adivinhem só?!, gelada. Mas a sensação de ter a água escorrendo naturalmente do chuveiro, sem me preocupar nem um pouco com o meio ambiente ou com o fim dos oceanos num futuro não muito distante, era magnífica! Deixei a água levar pro bueiro tudo que eu havia trazido de pior do futuro da nação.
Sem grandes surpresas, fomos à inauguração da Ilha do Sexo devidamente montadas. Litta Walitta pegou uma piruka vermelha meio Rihanna e cobriu bem porcamente a neca e o edy com espátulas. Kilo Minhoca pegou uma piruka moicana preta, colocou glitter na ponta e foi toda de couro preto com espinhos. Mega Motoqueira Fantasma. Eu decidi mudar o visual desta vez e fui completamente pelada. Amarrei a neca pra trás num laçarote de presente e coloquei duas estrelinhas cintilantes cobrindo os têtês.

Levamos três longas horas pra cruzar a cidade e chegar na balsa que levava até a ex-Ilha do Bororé. Eu olhava a paisagem e o trânsito como se tudo fosse novidade pra mim. Fiquei tão contente em ouvir novamente o som das buzinas desesperadas, os xingos de motoristas nervosos, fiquei maravilhada com os prédios ainda erguidos e com o sol brilhando no céu.
Uma fila interminável de travestis, profissionais do séquiso, jornalistas e fashionistas esperava pra embarcar na balsa. Mostrei meu convite VIP extra VIP que o Fabinho das Bananas tinha me dado em algum lugar do passado e nós três furamos a fila mandando beijinhos e deixando uma multidão de bichas em estado de fúria.

_ E quem são elas pra furaram a fila assim?! - gritou novamente uma bichinha qualquer.
_ Meu amô, nós somos Maddyrain, Litta Walitta e Kilo Minhoca. Preciso dizer mais alguma coisa? Ah, preciso: seu futuro depende de hoje. Um beijo.
_ Vocês voltaram!? Gente, elas voltaram! Maddyrain voltou! - um repórter da G Magazine veio me entrevistas. Perguntou por onde eu estive metida.
_ No lado mais negro do futuro.

A balsa pra Ilha do Sexo era muito chique, toda decorada com dildos e lava lamps. Achei tudo de muito bom gosto. A Ilha do Bororé Sexual tinha mudado muito também, mas não era necessariamente uma novidade pra mim. A festa de inauguração tava marcada pra meia-noite, então eu tinha pouco tempo pra decidir o que fazer em relação ao destino de Roxxana Veludo. Eu só sabia que eu não ia pular na frente daquela bala por nada nesta vida!

_ Aim, Diana Ross, oguégue eu faço!? Vou atrás do Fabinho das Bananas e tento impedi-lo de atirar em Roxxana Veludo ou deixo a mocreia se fuder na esperança de um futuro melhor?! Jesuis... o futuro não são as crianças?! Que porra tenho eu a ver com tudo isso!? Eu não sou criança... bom... já faz tempo!!

Olhei pro lado e vi o Fabinho das Bananas passando. E agora, Brasil!?

Miss You Much

7" Edit
Mama Mix
Oh I Like that Mix
Sing it Yourself Mix
A Cappella
Shep's House Mix
Shep's House Dub
7" House Mix
7" R&B Remix
Slammin' R&B Mix
Slammin' Dub
7" Slammin' R&B Mix
That Bass You Much Mix

I'm not the kinda girl who likes to be alone...

Saudades da sua neca:
Vamos ver quanto tempo o MediaFire e o Blogger manterão este post no ar, néam? O povo tem uma coisa com a Janet Jackson que eu fico até com medo! Anyway, "Miss You Much" faz parte da época em que a Janet era Janet e tinha lá alguma importância. Não vamos entrar nos méritos da Janet de hoje em dia, néam?
"Miss You Much" foi single do principal álbum da carreira da bunita, o Rhythm Nation 1814. Gosto de pensar que o Control simplesmente não existiu, mas abaphe the case. Se você nunca ouviu "Miss You Much", pegue o 7" Edit. A produção é de ninguém menos que o duo Jimmy Jam & Terry Lewis, que produziram basicamente tudo dela. Não tem muito o que falar; é aquele pop com nuances r&b bem no estilo Janet Jackson. Uma delícia! O Mama Mix é a versão extended. As outras versões são, respectivamente, um dub, a versão instrumental e a cappella. Estão aí pras mais completistas (atenção pro dub que é uma porcaria).

Os outros remixes ficaram todos a cargo do guru house Shep Pettibone. Antes da Madonna pegá-lo de jeito, o Pettibone já havia mudado a vida da Janet! Vamos começar pelo MARAVILHOSO Shep's House Mix! Uma delícia de flash house que não foge em nada dos padrões Pettibonianos. Gostou das batidas? Então pega também o Shep's House Dub. O Slammin' R&B Mix fica mais próximo da versão original, mas ainda mantém elementos do House Mix. Eu SIMPLESMENTE adógo o começo desse remix! O Slammin' Dub também é gostosinho.

Alô?! Maddyrain chamando!

Você acaba de adentrar as entranhas do mundo de Maddyrain, uma profissional da "náiti guêi" de São Paulo que ama house music e decidiu fazer a boazinha e compartilhar parte de seu acervo musical.

Filhos da Maddyrain

Ocorreu um erro neste gadget

Maddyrain recomenda!

Arquivos da Maddyrain

Você é da caravana de onde?

Clientes:


Mais detalhes da clientela