No escuro com Kilo Minhoca

Fui sendo guiada por aquela mão desconhecida pelo escuro do subterrâneo do metrô sem saber pra onde ia e com quem ia. Não pude deixar de me sentir numa noitada no dark room. Enquanto ouvia uma multidão de bilus ensandecidas invadindo o vagão em que eu estava procurando por mim, não pude deixar de ressaltar:

_ Gata, preciso te adiantar que eu NÃO faço mulher.
_ Maddie, e desde quando eu ia querer ser feita por você? Tá loka? Meu negócio é pinto também.
_ Aim, ainda bem. Sua voz não é me é estranha...
_ Talvez porque eu não seja estranha, madrinha.
_ "Madrinha"?! Xente... será que é quem eu tô achando que é?! Joanete Filha do Jack!?
_ Abaixa a cabeça daqui três passos!
_ Aim, por que?! Ai! Caralho! Minha cabeça!
_ Por isso.

Continuamos correndo no escuro e percebi, pelo volume das vozes, que estávamos dando a volta por trás das bilus que queriam me conhecer. Uma das tentas armadas num dos cantos do salão brilhava com uma luz fraca vinda de dentro. Paramos e Joanete me abraçou.

_ Eu sabia que você voltaria um dia. Seu sumiço foi muio esquisito. - pude ver pelos contornos do rosto de Joanete que o tempo tinha passado pesado por ela.
_ Joanete... que horror essa realidade! Todo mundo que eu conhecia tá mega velho! Que nem você!
_ Trinta e oito anos sem ouvir suas gentilezas... Que saudades! - e me abraçou de novo - Vou te esconder aqui nesta tenda. Acho que você gostará da compania...

Entramos na tenda iluminada por uma luminária a gás. Levei um puta susto quando vi um Michael Jackson quase que no tamanho real no meio da tenda. Joanete abraçou com carinho a figura de papelão e disse que era o mais próximo de um marido que ela tinha atualmente. As paredes estavam repletas de posters do Michael. Certas coisas nunca mudam. No fundo mais escuro da tenda, num segundo colchonete, havia alguém deitado. Uma voz anasalada, que parecia não sair da boca, perguntou:

_ É ela mesmo ou é outro delírio daquela bichinha escandalosa?
_ É ela! Ela voltou! Se ela voltou, o Michael também há de voltar!
_ Xente... quem é que tá lá no fundo?
_ Não tá me reconheceno, vinhado? Esqueceu da voz da sua melhor amiga?
_ Kilo Minhoca?!
_ Ai, que horror! Foram 38 esperano você voltar! Vem aqui me dar um abraço! - passei pelos olhos de papel de milhares de Michael Jackson e abracei minha amiga completamente escondida debaixo de uma coberta pesada de flanela. Um cheiro forte de carne podre invadiu minhas narinas.
_ Xente! Você era mais cheirosa no passado!
_ No passado, eu tinha perfume pra passar. Tinha água pra me lavar. Não tinha feridas pelo corpo todo. Era mais magra e bonita. No passado, tinha minhas amigas pra me divertir. São 38 anos sem você, vinhado. E 20 sem Litta Walitta.
_ Gomoasí? Cadê a Litta?
_ Morreu lutano na superfície. Eu quase morri junto naquele dia. Devia ter morrido, assim não ficaria dano trabalho pra Joanete Filha do Jack.
_ Você não me dá trabalho nenhum. Já te falei mil vezes.
_ O que aconteceu com você, Kilo? O que você tá escondendo debaixo das cobertas? Como é que a Litta morreu!? Tadinha... - comecei a chorar.
_ Não tô escondeno nada. São só feridas da guerra. Litta morreu fazeno militância... entregano planfeto na Paulista! Veja só se pode! Foi um horror. Desde então, me entreguei completamente ao pó...

A luz de emergência do subterrâneo voltou e iluminou tudo à nossa volta. A tenda de Joanete e Kilo ficou clara e pude ver o rosto deformado de Kilo Minhoca. O nariz havia caído. No lugar, apenas um buraco exibindo carne podre e osso.

_ Diana Ross! O que aconteceu com você?
_ Isso é o que restou de mim agora, Maddie. Uma travesti velha, deformada e rejeitada.
_ Xente... como é que minha morte pode ter gerado um mundo tão desagradável? Isso aqui é pior do que pesadelo!
_ É a nossa realidade, Maddyrain... Não se sinta culpada. Sua vinda deverá mudar tudo.
_ Mágomo?!
_ Fabinho das Bananas deve ter um plano, Maddie. Ele sempre tem. Confie nele desta vez. Ele realmente te ama. Passou todos esses anos lutando por você. Pela sua lembrança... é o que todos nós temos feito... Joanete, pegue aquele baú. Chegou a hora de abri-lo.

Joanete foi até um canto da tenda e empurrou um baú pequeno e velho até onde eu estava. Kilo Minhoca voltou a se deitar com dificuldade pra respirar. Abri o baú e encontrei um saco de lixo preto repleto de roupas masculinas que reconheci como o que eu usava na minha época de Alejandro. Um álbum de fotografias minhas, de Kilo e Litta Walitta. Peguei uma foto em que estávamos as três mostrando a língua e abraçadas. Comecei a chorar. Outra foto nossa na frente do quartinho de Kilo Minhoca, tomando vodka com Coca. Eu e Kilo no meu cafofo na Ilha do Bororé. Litta Walita dançando tango comigo. Fotos nossas montadas e desmontadas. Sorrindo, dançando, cantando, bebendo, se drogando... se divertindo. Tudo parecia tão engraçado e legal. Parecia que levávamos uma vida sem preocupação. Olhei pra Kilo Minhoca deitada no colchonete. Uma lágrima também escorria pelo rosto escurecido e sujo dela.

_ Chegou a hora de Alejandro voltar, Maddie. Voltar e botar pra foder!

Being Boring

7" Mix
Extended Mix
Marshall Jefferson Remix

We All Feel Better in the Dark

7" Mix
Extended Mix
After Hours Climax
Ambient

When you're young you find inspiration in anyone who's ever gone...

Chupa meu edy no dark room:
Atendendo a milhares de pedidos, súplicas de bilus nas ruas que se agarravam no meu vestido implorando "Maddyrain, posta Being Boring no seu blog", eis que chegou a vez de "Being Boring" brilhar por aqui! Eu confesso que "Being Boring" nunca foi uma das minhas músicas favoritas dos PSB (embora ache o clip babadíssimo), mas com o tempo, passei a gostar bastante. Acho a letra... assim... DIVINA.
Se joguem com muito glamour no Extended Mix. A música, que já era grande, ficou ainda maior e cria um clima ótemo pra uma fofação válida. Não há nada de muito diferente, apenas uns trechos instrumentais a mais; tudo muito bonito. O único remix propriamente dito de "Being Boring" foi feito pelo legendário Marshall Jefferson e é interessante. Peguem o Marshall Jefferson Remix pra ouvirem. Ele acrescentou umas batidinhas a mais e criou um housezinho gostosinho.

O que eu mais gosto nos Pet Shop Boys é a quantidade absurda de lados B! E olha que tem muita coisa válida que só saiu em single, viu? O single de "Being Boring" veio com "We All Feel Better in the Dark", uma música feita pra foder. Só pode! Se joguem na versão 7" Mix e peguem a camisinha e o KY da gaveta. Os remixes dos Brothers in Rhythm deixaram a música ainda mais séquisi (e melhor que a versão original, diga-se de passagem). O After Hours Climax é um lounge bem gostosinho, com uma batidinha bem housezinha. Uma coisa bem phyna e chic. A versão Ambient é basicamente o mesmo remix, mas sem as batidas. Válidíssimo!

1 Bilus felizes:

Felipe disse...

Own, Litta! :~~

Alô?! Maddyrain chamando!

Você acaba de adentrar as entranhas do mundo de Maddyrain, uma profissional da "náiti guêi" de São Paulo que ama house music e decidiu fazer a boazinha e compartilhar parte de seu acervo musical.

Filhos da Maddyrain

Ocorreu um erro neste gadget

Maddyrain recomenda!

Arquivos da Maddyrain

Você é da caravana de onde?

Clientes:


Mais detalhes da clientela