Diva do subterrâneo

_ Fabinho das Bananas?!

Virei pra trás e encontrei a versão velha da melhor fofada da minha vida. Os anos haviam deixado os músculos fortes construídos com várias caixas de banana nas costas ligeiramente muchos. O bronzeado adquirido debaixo das plantações de bananeira havia desaparecido há muito tempo. O rosto aquilino agora estava repleto de cicatrizes. Mas, apesar de tudo isso, o bophy ainda era dubêin. A neca presa pra trás com o poder de muita sucção se soltou.

_ Xente... como você tá velho!
_ Você é que ainda tá jovem de mais. Charlotte Chandelle, pode esperar lá fora enquanto eu converso com Maddyrain?
_ Ah, não! Eu que descobri nossa salvadora nas ruas da baixa Augusta! Se não fosse por mim, ela taria rodanu por aí! Correnu perigo!
_ Obrigado por tudo isso, agora espere lá fora. - Charlotte colocou o rabinho imaginário entre as perninhas finas e saiu do vagão - Agora me conte tudo, Maddyrain. Da onde você surgiu? Onde esteve escondida todo esse tempo?
_ Estive usando meus Renew da Avon, amore. Por isso continuo linda, leve e solta.
_ Maddyrain, não brinque com isso! Vivemos tempos difíceis. Você já deve saber que ser gay, hoje em dia, é mais do que crime. É proibido! Temos que viver nos esgotos do metrô pra não sermos exterminados na superfície! Esse povo aqui embaixo tem você como a salvadora deles! Da onde você surgiu?
_ Xente... eu sempre soube que um dia... cedo ou tarde... eu seria a diva definitiva da nação guêi, mas como é que isso só foi acontecer agora?! Eu vim do dia em que levei um tiro na Ilha do Bororé. Como vim, não interessa agora.
_ Então é por isso que seu corpo nunca foi encontrado?
_ Num sei. Vai ver não procuraram direito. - Fabinho das Bananas me pegou pelos braços com força.
_ Pare de brincar! E tira essa peruca! Como pôde andar na superfície vestida assim!? Como uma travesti? E se te reconhecessem como uma travesti?! Você seria morta na rua mesmo!
_ Me larga ou me beija agora mesmo, você é que decide!

Fabinho das Bananas continuava forte. Era um senhor de idade inteirão. Me puxou para ele e me beijou. Aim, que bafo! Jesuis! Continuei beijando, mesmo com aquele gosto de podridão na boca dele. Quanto tempo será que não escova os dentes? Aposto que peguei milhares de germes nessa brincadeira! Nunca mais peço um beijo! Me largou e não consegui disfarçar o alívio.

_ Não gostou do meu beijo? Você gostava tanto...
_ Ah, naum é isso! Há quanto tempo você não escova os dentes, gato? Assim... na boa!
_ Escovar com o que?! Mal temos água para lavar as mãos ou pra cozinhar! Não podemos nos dar ao luxo de desperdiçar água escovando os dentes!
_ Jesuis! Faz bochecho com Cepacol entaum!
_ Bom, pelo grau de ignorância, vou acabar aceitando sua versão mirabolante de viajante do passado.
_ Amore, eu vou sentar minha bundinha vitaminada aqui no assento deste vagão e só levanto depois que você me contar TUDO. O que deu de errado no mundo?
_ Maddyrain, no dia em que você levou o tiro na Ilha do Bororé, tudo estava sendo televisionado pelas principais emissora da época. Roxxana Veludo tinha chamado até a CNN para a inauguração da nova Ilha do Bororé. O seu assassinato ao vivo desencadeou uma série de protestos e revoltas contra a condição das minorias da sociedade. Grupos anti e pró homossexuais se chocavam constantemente pelas ruas de São Paulo. A população finalmente mostrou a hipocrisia que todos já imaginavam. Não houve apoio aos gays da época. Muita gente morreu. Setores inteiros da economia e produção do Brasil ficaram defasados, sem gente especializada para atuar.
_ Xente... imagino que o setor artístico foi o primeiro a cair, néam?
_ Exatamente. De lá pra cá, as coisas foram piorando cada vez mais. A cada presidente eleito, os gays recebiam menos apoio político e social. Os conflitos se tornaram verdadeiras guerras, com destruição e extermínio cada vez maiores das minorias. Você andou pelas ruas de São Paulo. Viu no que se tornou a superfície. Temos certa "permissão" para vivermos no subterrâneo do metrô, mas não podemos nos expor abertamente lá em cima.
_ Mas por que eu sou salvadora desse povo?! Como é que vou salvar vocês, meu amô?
_ Os gays e simpatizantes começaram a erguer bandeiras em seu nome, mas você só foi o primeiro gay a ser morto na TV aberta. Muitos outros morreram de lá pra cá. Você virou o mártir dessa gente.
_ E por que você é o líder de todos os gays que restaram?
_ Charlotte Chandelle é exagerada. Não lidero mais ninguém. Deixei o conflito há muito tempo, quando percebi que não levaria a lugar nenhum. Você morreu nos meus braços... o mínimo que eu podia fazer era lutar pela nossa liberdade e direitos. A informação de que você voltou NÃO pode vazar. Temos que usar isso a nosso favor!

O clima pesado dentro do vagão foi quebrado pelo barulho de gente reunida conversando. Ficamos quietos por um segundo e ouvimos a voz de Charlotte Chandelle berrando acima dos demais.

_ Podem acreditar! Ela voltou! Ela tá lá dentro conversanu com o nosso líder! Ela voltou pra nos salvar! E fui eu que encontrei a nossa diva nas ruas! Perdida e andanu sem destino!
_ Como é que a gente vai acreditar em você, Charlotte?! Da última vez que você disse ter visto Maddyrain, era um manequim de alguma boutique destruída!
_ Vocês não me viram passanu com uma loira bonitona!? Não reconheceram a Maddyrain!? De que mundo vocês vieram? Vamos entrar no vagão! Vamos falar e tomar o passe com Maddyrain!
_ Xente! Gomoasí "tomar o passe" comigo!? Eu lá sou mãe-de-santo agora?!
_ Maldita Charlotte Chandelle! Agora ela plantou a semente de que você realmente voltou! Você falou o seu nome pra alguém!?
_ Acho que naum...
_ Ótimo. Espere aqui. - Fabinho foi até a porta principal do vagão - O que vocês querem? Chamar a atençaõ da superfície com essa muvuca?
_ Fabinho, queremos entrar e conversar com nossa salvadora! O povo merece estar venu Maddyrain com seus próprios olhos!
_ Que Maddyrain!? Você andou cheirando mais do que devia novamente? Quer acabar tendo uma overdose aqui em baixo? Onde vamos jogar o seu corpo depois?
_ Nós somos a maioria, meus amigos gays! Vamos passar por cima de nosso líder e ver nossa diva!

Olhava com medo por uma das janelas do vagão. Charlotte Chandelle pulou do caixote em que tava em cima e comandou a multidão de gays até a porta do vagão. De repente, não mais que de repente, toda iluminação fraca do subterrâneo apagou e a escuridão abraçou a todos. Um verdadeiro blackout no escuro. Uma mão fina pegou a minha e uma voz feminina sussurrou na escuridão.

_ Tira essa peruca e não para de me seguir nem por uns instante! A iluminação de emergência deverá voltar em poucos segundos!

Ain't That a Lot of Love

Edit
Duet with Tom Jones
Phat's & Small Mutant Disco Vocal Mix
Phat's & Small Mutant Disco Vocal Dub
Club 69 Underground Club Mix
Club 69 Underground Dub Mix
Johnny Vicious Filter Factory Club Mix
Johnny Vicious Filter Factory Dub Mix
Jimmy Gomez Club Mix
Junior's Red Party Anthem

Your lips are so sweet...

Chupa meu edy com muito amor e carinho:
A música de hoje tem uma pegadinha old skool tão gostosa, que nem precisava ser remixada! "Ain't That a Lot of Love" não é mega famosa e eu nunca ouvi nas rádios, mas é tão gostosinha pra dançar. A letra, pra quem entende, é super ignorável, mas abaphe the case! Se joga na versão Edit pra conhecer essa delicinha. Super diferente do pop básico do Simply Red.
O Phat's & Small Mutant Disco Vocal Mix é mega parecido com a original. É apenas um pouco mais acelerado, mas mantém todos os elementos da original. Deve ser bom trabalhar assim, néam? Sem precisar pensar muito! O Jimmy Gomez Club Mix também segue bem o clima da original.

O melhor remix de hoje é o Club 69 Underground Club Mix, quando o Peter Rauhofer não era esse arroz de festa chato que é hoje em dia! Aliás, ainda bem que ele deu uma sumidinha, néam? Não adianta... superexposição nunca é bom! Se joga também no Club 69 Underground Dub Mix, porque um dub dubabadu nunca é demais! O remix do Johnny Vicious é péssimo. Mega acelerado! Não dá pra entender nada. Um kool! Por fim, o TERRÍVEL remix promocional do Junior Vasquez que pode ser completamente ignorado.

Maddyrain não tem, Maddyrain quer:
Aim... se alguém tiver o promo com esses remixes lixo do Junior Vasquez... fazofavô de NÃO me mandar, tzá?

junior' acapella
red party instrumental
red party drumapella
desert eagle discs remix 5:49

0 Bilus felizes:

Alô?! Maddyrain chamando!

Você acaba de adentrar as entranhas do mundo de Maddyrain, uma profissional da "náiti guêi" de São Paulo que ama house music e decidiu fazer a boazinha e compartilhar parte de seu acervo musical.

Filhos da Maddyrain

Ocorreu um erro neste gadget

Maddyrain recomenda!

Arquivos da Maddyrain

Você é da caravana de onde?

Clientes:


Mais detalhes da clientela