Tentação

A noite de Natal passou e eu, Litta Walitta e Kilo Minhoca dormimos no chão da cozinha, rodeadas por garrafas vazias de Chandon (porque a xente é chic e sabe o caminho da despensa!), uma travessa só com os ossos do chester de Natal e outra com algo que lembrava um tender em vidas passadas. Acordamos no dia seguinte com os chutinhos gentis de Suellen Regina.

_ Seu Alejandro? Seu Alejandro, acorda! Patroa Roxxana Veludo tá te chamando lá em cima!
_ E quem é Alejandro? Meu nome é Zé Pequeno, porra!
_ Ai, é o Zé Pequeno do filme da TV!? Aquele filme dos bandidos do Rio de Janeiro!? Socorro! - e saiu gritando freneticamente pelo jardim. Olhei pra Litta Walitta que já tinha acordado e procurava uma garrafa de Chandon ainda cheia.
_ Ela naum sabe brincar, néam?
_ Ah, ela leva tudo muito a sério. Meu kool, não tem uma Chandon nesta casa! Acabamos com tudo! Kilo, acorda! Acorda e vai no supermercado comprar mais champagne! Acorda, travesti!
_ Ai, que horror! Não posso mais nem dormir na minha caminha gostosa!
_ Que caminha, travesti? Você tá dormindo no chão!
_ Bem que eu achei que tava gelado demais meu travesseiro...
_ Amore, eu já volto. Vou ver o que a Globeleza do Morumbi quer.
_ E quem é a Globeleza do Morumbi? Eu? - Roxxana Veludo tava parada, mãozinha na cintura, na porta da cozinha. Meu edy abriu e fechou. Soltei um peidinho de susto.
_ Patroa Roxxana! Ora essa, eu nem sabia que a senhora sabia o caminho pra cozinha!
_ E não sei mesmo, Alejandro. Fui guiada pelo cheiro de champagne podre no ar. Vocês três dormiram no chão da cozinha, bêbados e comendo os restos da ceia?
_ Hmmm... sim.
_ Que orgulho! São de funcionários assim que eu preciso! Alejandro, vá lá em cima acordar Fabinho. Estarei esperando no carro. Vamos ao Cidade Jardim trocar presentes de mau gosto.
_ Ai! Vocês vão querer ir no shopping hoje?! Eu tô de porre ainda! Não posso dirigir pela cidade!
_ Roberto, sua função nesta casa é dirigir, não expor seus vícios.

Sai da cozinha e fui cambaleando até o andar de cima. No caminho, encontrei Pigmaleão desacordado no corredor com a piroca de fora. Uma biluzinha e uma racha dormiam ao lado dele, segurando a jeba mucha, mas grande. Peguei o celular e tirei uma foto. Já decidi! Vou publicar um livro só com fotos dos baphos que eu sou obrigada a ver! Já tô até vendo os rios de dinheiros entrando pela minha janela! A casa tava repleta de convidados dormindo pelos cantos. Pelo visto, eu perdi a festa do século, com muita bebida e narcóticos proibidos por leis brasileiras de graça.

Cheguei no quarto de Roxxana Veludo e Fabinho das Bananas e deparei com a ilustração perfeita da expressão "armar a barraca"! Levei um susto e soltei outro peidinho. Xente, acho que foi o molho do peru! Não paro de peidar! Aquele mastro erguido levantando o lençol de seda foi a coisa mais excitante que eu tinha visto... bem... desde que acordei no chão da cozinha. Cheguei perto da cama e tentei controlar o impulso de pegar na piroca e pagar um kétji ali mesmo. Hm... o bophy tá dormindo. Ele nem vai perceber que tem alguém chupando o pau dele! Tirei o lençol de cima dele devagarinho. Xente... que corpo! Que neca! Carregar bananas é o futuro da nação guêi! Fui chegando perto da neca. A neca foi chegando perto de mim. Abri a boca de chupar rola.

_ Maddyrain... Maddyrain!
_ Aim, ele descobriu!
_ O que?! Alejandro! O que você tá fazendo aqui!?
_ Admirando a paisagem...
_ Então aproveita pra dar uma chupada natalina.
_ Naum! A patroa Roxxana Veludo tá esperando o senhor no carro.
_ Mas hoje é Natal! Onde ela quer ir?
_ Aondji você acha? No shopping, óbiveo! Aquela lá não sai do shopping. Pegou o que havia de pior em mim e elevou à nona potência.
_ Alejandro, não tô me sentindo muito bem... Faz o favor de me vestir?

Homem é uma raça dos infernos. Fabinho levantou da cama e ficou esperando eu pegar as roupas dele no closet. Olha, eu não sou uma travesti que gosta de bunda. Sou ivone de tudo, confesso, mas até a bunda dele era bonita!

_ A cueca você sabe colocar, néam?
_ Não, hoje você é quem vai me vestir inteiro.
_ Aim, Diana Ross!

Ajoelhei na frente daquela estátua grega vinda da Ilha do Bororé, peguei a cueca Calvin Klein e fechei os olhos. Pensei em todas as tragédias do mundo. Nas crianças passando fome. Nos desabrigados. Pensei no que há de pior no mundo e comecei a vestir a cueca naquele bophy. Senti algo esbarrar na minha cara. Xente, é a neca dele! Abri os olhos num susto. Soltei outro peidinho.

_ Você tá passando a neca na minha cara, seu safado!
_ E você peidou! Que fedor!
_ Foi o peru... Chega! Eu naum vou te vestir! Já dei o recado; a patroa tá te esperando no carro!

Sai do quarto batendo pé. Que horror! Até babou na minha bochecha! Ai que gostoso... Corri pro banheiro e me acabei no prazer dos que não têm. A vida é assim, meu amô. Quando você pode e quer, não aparece uma neca no caminho. Agora, quando você não pode (mas continua querendo), o que não falta é neca dando sopa!

Um beijo,
Maddyrain

Ex-Factor

Radio Edit
Instrumental
Live from Radio 1
Part II - Ex-Factor Remix
A Simple Mix
A Simple Breakdown

Loving you is like a battle...

Chupa meu edy no chão da fábrica:
Aim, verdade seja dita: a Lauryn Hill super marcou a minha fase teen! Achava o looshu e glamour dizer pras amigas que eu era fã da Lauryn Hill! E ter o CD do Fugees então? Glamour do gueto! Ex-Factor é uma baladinha super linda e gostosa da fase solo da mocinha. Podem pegar o Radio Edit pra curtir aquela fossa diária. Se você nasceu com o dom do canto, se joga também na versão Instrumental! Linda! Quanto aos remixes... bom... meu kool, néam? Pra não tirar completamente o mérito deles, pelo menos o vocal foi regravado, mas vamos ficar com a original mesmo.

0 Bilus felizes:

Alô?! Maddyrain chamando!

Você acaba de adentrar as entranhas do mundo de Maddyrain, uma profissional da "náiti guêi" de São Paulo que ama house music e decidiu fazer a boazinha e compartilhar parte de seu acervo musical.

Filhos da Maddyrain

Ocorreu um erro neste gadget

Maddyrain recomenda!

Arquivos da Maddyrain

Você é da caravana de onde?

Clientes:


Mais detalhes da clientela