Três meninos moços

Acordei no dia seguinte completamente deslocada. Olhei pra montanha de pessoas dormindo num cantinho do quarto e pensei Xente, como é que esse povo conseguiu caber aqui dentro?! O sexo faz coisas incríveis com o corpo das pessoas. Toda uma reestruturação corporal. Levantei os braços peludos que me abraçavam com força e levei um susto quando percebi que minha masculinidadji tava ali, toda visível pra quem quisesse ver. Onde já se viu!? Dignidade já! Abri uma gaveta qualquer de Kilo Minhoca e peguei uma calcinha qualquer pra cobrir minha indecência.

_ Adoro homens de calcinha...
_ Aim, que susto! Quem é você?
_ Não tá lembrado?
_ Naum... Desculpa, mas comigo é assim. Primeiro sexo; os nomes vêm depois. Isso quando vêm.
_ Bom, eu também não sei o seu nome, então vamos ficar no anonimato.
_ Por mim, tudo bem. Eu transei com você?
_ Você só não transou com seus amigos.
_ Que amigos, meu amô?
_ Como assim? Aqueles, ué! - o bophy apontou pros corpos desacordados de Kilo Minhoca e Litta Walitta completamente masculinizados. Cadê a piruka de ontem? Cadê os peitinhos? Elas tinham peito falso também?! Safadas! Ordinárias!
_ Xente, que babadu. Todo mundo virou guêi! Amores, vamos acordando! Todo mundo acordando!
_ Porra, caralho! Tô de porre ainda! Para de bater palma, viadinho!
_ Mas que abusado! Vai logo! Você será o primeiro a sair! Pode levantar!
_ Aim, Maddie... tô passanu mal, acho que vou vomitar...
_ Abram alas! Abram alas! O banheiro é lá fora!
_ Ai... que horas são?
_ Deve ser mais de meio-dia, como sempre. A xente tem que sair pra comprar roupa, esqueceu? Eu não vou pra entrevista de emprego vestida de freira e você como uma batedeira elétrica.
_ Ai... mas tá tão gostoso esses corpos masculinos pelados nesse espacinho pequeno... e eu acordei excitada.
_ Vou ver se Kilo Minhoca precisa de ajuda com o amigo Hugo. Enquanto isso, vai despachando o povo, Litta.
_ Vou despachá-los pra um lugar quentinho...

Kilo Minhoca tinha pegado no sono com a cabeça encostada na privada. Xente, em pensar que eu também já dormi com a cabeça na privada. Na buatchi! Não sei onde era pior. Esquecer é uma dádiva. Pelo que ia bueiro abaixo, percebi que a noite foi longa e quente. Voltamos pro quartinho e os bophys tinham ido embora, deixando Litta Walitta quase que afogando em porra. Uma loucura! Se não fosse trágico, seria até sensual. Voltei correndo pro banheiro, peguei tubos de papel higiênico e voltei pra limpar a safada. O que me motivava era saber que amigas são pra isso mesmo.

_ Então quer dizer que os senhores também NÃO tinham peitinhos, éam?
_ Ué, você não sabia?
_ Não! Achei que vocês eram operadas também! Principalmente você, Litta, que já trabalhou na Itália! Você sabe como são os italianos!
_ Eu torrei todo meu dinheiro pra cirurgia com outras coisas.
_ Quais "outras coisas"?
_ Outras coisas, tá? Outra coisas que já foram torradas também.
_ E você, Kilo Minhoca?
_ Ah, eu tô juntanu ainda, né? Sempre que consigo o dinheiro pra siliconar, vejo um casaco Prada novo pra comprar, ou uma bolsa Gucci... enfim... coisas mais importantes do que peitos de mulher. Mas eu tô juntanu de novo.
_ Aim, eu nem imaginava. Bom, a xente precisa ir comprar roupas.
_ Vamos na Renner! Que delícia! Deixa eu pegar meu cartão de crédito!
_ Ah, não! Vamos no Torra Torra! Eu sou cliente preferencial lá! Já atendi um segurança da loja, então sempre saio com alguma coisa escondida debaixo do braço!
_ Amore, e você acha que eu lá sou travesti de usar roupa de Renner ou Torra Torra?! Vamos na Oscar Freire, meu amô!
_ Maddie, e você tem dinheiro?
_ Devo ter algo guardado... em algum lugar.
_ Você não tem um tostão, vinhado. Vamos num lugar baratinho mesmo.
_ Kilo, você tem algum disfarce de homem aqui? Precisamos de algo pra chegarmos até a loja.
_ Ai, eu devo ter algo lá em cima, no maleiro. Mas são coisas... assim... dos anos 90, né? Faz tempo que eu me monto.

Saimos do quartinho parecendo uma boy band de três. Calças jeans até em cima do umbigo. Camisetas com ombreiras. Enfim, tudo que a moda tem de pior para oferecer. O povo olhava a xente andando na rua e comentava. Guegueé? Tô cagada?! Atóron dar uma de loka na rua e chocar o povo. Quer causar? Começa a gritar na rua com o povo!
A loja do Torra Torra ficava na muvuca infernal conhecida como o Centro de São Paulo. Um galpão enorme em plena Rua Direita. Você entra e pega uma sacola pra incorporar a sacoleira que há dentro de você e vai jogando roupa dentro. Kilo Minhoca acenou prum cafuçu que eu não atenderia nem se estivesse sob a influência do mal. Ele fez que sim com a cabeça, mandou um beijo e fingiu não perceber as roupas que Kilo Minhoca enfiava numa sacolinha de supermercado. Eu cheguei à conclusão de que pra vencer nessa vida, você tem que conhecer as pessoas certas. Mesmo as mais feias. Enquanto enchia a sacola com tudo que havia de mais rampeiro na moda masculina, lembrei da primeira vez em que fiz feira na boca que a finada Shitnew Houston me apresentou. Peguei de tudo um pouco e rezei pra não morrer de overdose. Naquele momento, no Torra Torra, rezava pra não morrer vítima da moda.

Fomos pros provadodores e deixamos lá mesmo nossas fantasias de Back Street Boys. Voltamos pro quartinho devidamente uniformizadas pra nossa nova vida masculina. Kilo Minhoca fez algumas ligações e conseguiu que Roxxana Veludo nos recebesse em sua casa pra entrevista de emprego no dia seguinte. Xente... entrevista de emprego! Nem lembro quando foi a última vez que eu procurei um emprego!

Um beijo,
Maddyrain

Girls & Boys

Pet Shop Boys 12" Mix
Pet Shop Boys Radio Edit
Summer Mix (low quality...)
Underground Mix (low quality...)
bonus: Pet Shop Boys - Girls & Boys (Live in Rio)

Love in the 90's...

Chupa meu edy de menina:
Xente, quem é que imaginou que o Blur algum dia estaria presente aqui no blog, néam? Pois é, meus amores. É o poder dos Pet Shop Boys! Só digo uma coisa, se joga bunita no Pet Shop Boy 12" Mix! Eles conseguiram transformar uma música pra lá de uózinha numa delícia dance chic! Atóron! Os outros remixes foram promocionais e são interessantes, mas a qualidade tá bichadinha. Uma pena! E, craro, se joguem também na maravilhosa versão ao vivo no Rio de Janeiro dos PSB! Adógo!

0 Bilus felizes:

Alô?! Maddyrain chamando!

Você acaba de adentrar as entranhas do mundo de Maddyrain, uma profissional da "náiti guêi" de São Paulo que ama house music e decidiu fazer a boazinha e compartilhar parte de seu acervo musical.

Filhos da Maddyrain

Ocorreu um erro neste gadget

Maddyrain recomenda!

Arquivos da Maddyrain

Você é da caravana de onde?

Clientes:


Mais detalhes da clientela