O resgate da Irmã Pirassununga

_ Meninas, socorro! Tão querendo a minha neca!

A força das batidas na porta aumentava. A gente vai arrombar a porta, Irmã Pirassununga! E depois você vai nos arrombar! Xente, que horror! E são freiras, hein?! Olhei desesperada pra baixo e reparei na bolsinha de Kilo Minhoca. Anos de convívio com a bicha tinha me ensinado que a travesti mais gulosa da galáxia nunca sai de casa sem o seu dildo de estimação.

_ Kilo! Joga o Alexandre Pires aqui!
_ Que?! Tá loka, vinhada?! Jogar o Alê assim?! E se eu perder?
_ Eu te compro vários dildos by BelAmi, vinhada! Joga logo!

Com uma dor visível no coração, Kilo Minhoca abriu a bolsinha e tacou seu dildo na direção da minha janela. A multidão no Largo São Bento olhou pra cima pra ver aquela neca de borracha negra voando alto. Uma cena linda! A história entre Kilo Minhoca e Alexandre Pires era antiga e merece um post qualquer dia. Peguei o dildo do chão. Que gostoso segurar uma pirocona negra na mão... Escancarei a porta. As irmãs me encaravam com fome no olhar.

_ Olha lá! Ela tá segurando um cacete!
_ Querem rola? Vão pegar! - levantei a piroca e joguei longe no corredor. Elas sairam correndo atrás da piroca do Alexandre Pires como cães esfomeados. Fiquei até espantada. Já tive muita fome de rola, mas nunca assim! Corri até o andar térreo e abri a porta pra Kilo Minhoca e Litta Walitta entrarem no convento.
_ Gata, o que é que tá pegando?
_ Éam! E cadê meu dildo?
_ Aim, Kilo... nem queira saber o destino do Alexandre Pires. É melhor você esquecer sua história de amor e gozo com ele. Gatas, eu preciso sair daqui. Meu tempo tentando levar uma vida religiosa acabou.
_ Mas você quer ir pra onde, Maddie? A Ilha do Bororé ainda não tá pronta pra te receber... e seu mocó... bom...
_ Não! Eu preciso ficar na cidade grande. Quero sentir o cheiro de poluição de ônibus! Quero ser cutucada no metrô!
_ Quer arranjar um novo emprego, gata? Lembra que eu te falei que tinha um babadu pra te contar? Lê isso aqui. - Kilo Minhoca me estendeu um recorte da Caras.

Socialite e diva da noite gay casa com vendedor de bananas

A socialite mais badalada da noite gay de São Paulo, Roxxana Veludo (?), casou ontem com o ex-vendedor de bananas, atual jogador de pólo aquático, Fábio Muniz (22), na Igreja Nossa Senhora do Brasil numa cerimônia repleta de celebridades. Roxxana Veludo gritava durante a festa a quem quisesse ouvir que o "amor à banana tinha sido imediato". O casal se conheceu na remota Ilha do Bororé, lugar bem diferente do destino favorito do casal, a Ilha de Caras. Roxxana Veludo aproveitou a visita da revista Caras para comentar que está procurando novos empregados para sua nova mansão no Morumbi...

_ Tô bege... Roxxana Veludo de novo?!
_ Como assim "Roxxana Veludo", Maddie? Eu trouxe o recorte por causa do Fabinho das Bananas! O pervo casou com outra trava!
_ Ah, o pior nem é isso, Kilo. Eu já sabia que o negócio dele era levar rola de trava, mas como eu sou Ivone, ele caiu fora. O babadu é essa Roxxana Veludo que anda me perseguindo já tem tempo.
_ Mas quem é Roxxana Veludo na noite? Eu NUNCA ouvi falar dela no circuito Centrão. - Litta Walitta tava indignada.
_ Roxxana Veludo sou eu, mas de outra realidade. Amores, vamos sentar pra eu contar tudo rapidinho antes que as freiras se cansem da neca do Alexandre Pires.
_ Ah, gata! Aquilo lá é prazer non-stop!

Sentamos numa das mesas da recepção e contei tudo pra elas, como eu já havia viajado no tempo e fui parar nos anos 80; que capei a neca de Murilo Muniz, irmão do Fábio, e acabei sendo presa e precisei me tornar Roxxana Veludo pra poder fugir da cadeia. A história era super loka do seu kool e eu esperava a resposta das duas.

_ Maddyrain, eu não sei qual é o padê que você anda cheirando ou injetando, mas é dos bons, hein!?
_ Gata, você devia escrever um livro ou novela das 8! Eu te assistia. Seria melhor que a Gloria Perez, com certeza!
_ Mas é verdade, garai! Não tem como essa Roxxana Veludo existir se eu voltei no passado depois e desfiz o que tinha feito com o Murilo Muniz. Só que a bunita tem me perseguido e fodido com minha vida sempre que possível. Onde será que eles tão morando?
_ Ai, eles são vizinhos da minha patroa! - eu ainda não acreditava que Kilo Minhoca passava as tardes passando roupa de xente ryka.
_ E tão precisando de novos empregados...
_ Éam, mas eu já fui me informar. Não querem passadeira. Só motorista, mordomo e copeira. E quem vai passar roupa naquela casa, eu te pergunto?
_ Meu kool pode passar a roupa deles! Eu vou mandar meu currículo pra essa Roxxana Veludo! Vou entrar na casa dela como mordomo!
_ Amore, mordomO e não mordomA.
_ Kilo, Litta... tem outra coisa que preciso contar pra vocês. - tirei os grampos que prendiam a piruka loira no cabelo curto de hominho - Eu voltei a ser Alejandro, meus amores.

As duas cairam pra trás da cadeira. Atóron espontaneidadji.

Self Control

LP Version
Extended Version
Classic Summer Mix 1992
117 BPM Club 1992
Club Mix
Kenny Hayes Club Mix
Flip & Fill Remix
Mindworkers Remix
Mindworkers Radio Mix
Mindworkers Instrumental
Force Four Remix

I live among the creatures of the night...

Chupa meu edy descontrolado:
Xente, Self Control da Laura Branigan é um crássico dos anos 80 e o lema de toda bilu da naitji. Eu adógo e ficava toda loka do meu kool quando tocava durante o jogo GTA Vice City! Aim... saudades dos meus tempos de meninice no PS2... Abapha! Se você não tem nem ideia do que eu tô falando, super se joga na Extended Version, que é um ahazzo e super merece uma dublagi!

Sabe aquela cagada de relançar a mesma música quase que todo ano? Entaum... Self Control foi vítima dessa mierda. O primeiro relançamento foi em 1992. Os remixes não são terríveis, mas jesuis... podiam ser um house gostosinho, néam?! O Classic Summer Mix 1992 é um dance sem vergonha tolinho. O 117 BPM Club 1992 tem uma pegada mais house bonitinha, mas mesmo assim. Queremos Morales! Em 1999 a música foi relançada e só consegui encontrar o Club Mix. Esse é um pouco mais fervido e diva da buatchi pré-2000. Ainda prefiro a original. Por fim, as versões trance e despirocadas de 2004. Pra não jogar tudo no lixo, o Kenny Hayes Club Mix foi o que tocou na buatchi e é aquela coisa trance ame ou odeie.

Maddyrain não tem, Maddyrain quer:
Aim, amores, é virtualmente impossível conseguir os remixes de 1999 pra Self Control, mas se você for uma biluzinha cheia das coisas pra compartilhar, não faz a maldita e me manda as versões abaixo!

edit 3:50
original '99 album remix 5:06
club mix radio edit 4:03
self control adventure club mix 7:24
spacekid remix 3:56

Alô?! Maddyrain chamando!

Você acaba de adentrar as entranhas do mundo de Maddyrain, uma profissional da "náiti guêi" de São Paulo que ama house music e decidiu fazer a boazinha e compartilhar parte de seu acervo musical.

Filhos da Maddyrain

Ocorreu um erro neste gadget

Maddyrain recomenda!

Arquivos da Maddyrain

Você é da caravana de onde?

Clientes:


Mais detalhes da clientela