Vida de michê

A vida não é fácil pra ninguém. Não é fácil pra travesti. Não é fácil pra bilu. E não é fácil pro michê. Se perguntassem pra ele "Por que você virou michê?", ele responderia que foi pelo dinheiro. Mentira. Não foi apenas o dinheiro. Foi também pelo medo de admitir que ele não serviria pra nada além disso. Não era necessariamente bonito. Tinha um rosto até que interessante à distância. Um gel e óculos escuros melhoravam 70% a aparência. O corpo não era todo trabalhado na academia, mas dava pra esconder a barriguinha se ficase com a postura reta. O foda era o nome. Tinha vontade de matar os pais toda vez que lembrava do nome. Talharim. E nem era parente de italianos!

Talharim nasceu no interior de São Paulo. Estudou o suficiente para saber ler e escrever o básico e fundamental pra sobreviver e não ser feito de bobo pelos outros. Não tinha o dom da comunicação escrita nem oral. Sua voz beirava o irritante e tinha o péssimo hábito de monopolizar a conversa com o seu lengalenga interminável. Veio cedo pra capital tentar a vida trabalhando como garçom numa lanchonete de luxo. Não deu certo. Passeava pela Oscar Freire com seu jeans e camiseta da C&A sonhando com o dia em que entraria na Armani.

Aprendeu sozinho com a vida que se você quer ter dinheiro e não nasceu pra pegar no batente, o negócio é arranjar alguém que lhe banque. Começou namorando caras com no mínimo o dobro da sua idade. Não sentia o mínimo tesão por caras mais velhos, mas eram eles que tinham dinheiro. Costumava ir no Bailão ABC fisgar suas presas. Se jogava na pista com seus passinhos à la gogo boy, tirava a camisa, exibia a mercadoria e saia da balada acompanhado por mais um novo namorado. O contrato firmado era simples, você me leva pra jantar em lugares chiques, compra algumas roupas de marca e eu te retribuo com 100% de puro amor. Sua ideia de amor era apenas um esboço equivocado. Considerava uma forma de pagamento pelos seus serviços.

Seus amigos que já estavam no mercado de trabalho sugeriram uma abordagem mais profissional à sua vida amorosa. Por que ficar com apenas um por vez se você pode ter vários? Esse negócio de ficar fazendo ponto na rua, parado em algum poste de luz é muito antiquado. O ramo de michês agora é todo informatizado. Primeiro você se registra num site de scort boys. O cliente entra nesse site e escolhe o prato do dia. Depois você dedica a maior parte do seu dia ao culto ao corpo e aos chats online pra fazer propaganda. Talharim logo passou de agenciado para agenciador. Proxeneta. Conhecia caras mais jovens para intercalar o serviço com o prazer pessoal e insiria alguns no ramo. Em troca, fornecia conhecimento e moradia.

Enquanto fornecia 100% de puro amor para um advogado casado e pai de família, Talharim ganhou um apartamento na Frei Caneca, point gay de São Paulo. Seu dia-a-dia era extremamente cansativo tomando a média de cansaço do trabalhador convencional brasileiro. Acordava tarde, logicamente, e não almoçava pra manter a forma. Dizia que vivia de panetone. À tarde, ia pra academia e ficava lá até o início da noite. Quando estava entediado da academia, ficava em casa no chat do UOL. À noite começava a festa no apê. Os vizinhos eram obrigados a conviver com a movimentação noturna de cliente após cliente. Era difícil imaginar o que conversavam... se é que conversavam.

Às vezes, quando estava sozinho em casa, admirava seu corpo no espelho. Será que a troca de 100% de puro amor pelo luxo e conforto era válida? Sem dúvida era válida! Tinha perfumes importados, um laptop novo e o apartamento quase quitado e no seu nome. Quando conseguiria tudo isso dependendo única e excluvisamente de algum talento inato desconhecido? Um dia ficaria velho, gordo e feio, mas isso ainda estava longe de acontecer. O importante é o agora. E agora, eu tenho 100% de puro amor pra te oferecer.

100% Pure Love

Club Mix
Radio Mix
Gumbo Mix
Hump Mix
Trance Vox
EFX's Tribal Pump Mix
Erick "More" Vocal Mix
Paul Gotel Funked Out Mix (thanx to Cindi Loka!)
PG Tips Anthem Mix
Danny Tenaglia Mix (thanx to Cindi Loka!)
Jasons' 100% Pure Dub Plate (thanx to Cindi Loka!)
bônus:
Geri Halliwell - 100% Pure Love
Geri Halliwell - 100% Pure Love (Almighty Extended Mix)
Geri Halliwell - 100% Pure Love (Almighty Radio)

In me you will find a home...

Chupa meu edy de graça:
Meus amores! Um clássico da house! Se você achava que a Crystal Waters só tinha Gypsy Woman, você tá muito enganado! 100% Pure Love é uma delícia e super glam! Classic house de qualidade, meu amores! Podem pegar o Club Mix, que é uma versão extended da original, e bater bastante esse cabelo ruim que você tem! Atóron! O Gumbo Mix é uma graça! Super fofo e com clima de festinha infantil em parque de diversão! O Hump Mix também segue essa linha dubística que eu atóron! Recomendado! O Trance Vox felizmente de trance não tem nada. A não ser que o trance era assim pintoso no começo, não me lembro. Um house super gostoso também com ares de dub.

O EFX's Tribal Pump Mix continua seguindo a linha de poucos vocais de todo os outros remixes, mas com as batidas mais marcadas. Uma coisa... assim... ahazzante e todo dub lover como eu vai gostar. Pra se jogar mais na pista e ahazzar na dublagi, pode pegar o Erick "More" Vocal Mix. Bem glam e com o pézinho no underground. O Paul Gotel Funked Out Mix também é um ahazzo. Um dance super gostoso e arrombante! O PG Tips Anthem Mix não é muito diferente, mas é mais jogativo e pintoso. O remix do Tenaglia não é legal e parece remix dos anos 80. Sorry, fica pra próxima. O Jasons' 100% Pure Dub Plate tem toda a carinha dos remixes garage do Jasons Nevins daquela época, antes dele ficar chato e fazer tudo igual.

A Geri Halliwell, a ex-Spice Girl mais legal de todas, tentou regravar 100% Pure Love pro seu último disco, mas a gravadora recusou. A versão da bunita acabou vazando na Internet. Tem todo um clima "quero ser Crystal Waters" e ficou até que bonitinha. O Almighty Extended Mix é aquela coisa dance loka do meu kool BEM guêi e super gostosa pra ahazzar na academia. Uma loucura!

Maddyrain não tem, Maddyrain quer:
Hoje é dia de clássico da dancefloor, e como todo bom clássico, alguns remixes raros e impossíveis de encontrar...

digi b's mix
pg's phat f*ck mix
trance dub

0 Bilus felizes:

Alô?! Maddyrain chamando!

Você acaba de adentrar as entranhas do mundo de Maddyrain, uma profissional da "náiti guêi" de São Paulo que ama house music e decidiu fazer a boazinha e compartilhar parte de seu acervo musical.

Filhos da Maddyrain

Ocorreu um erro neste gadget

Maddyrain recomenda!

Arquivos da Maddyrain

Você é da caravana de onde?

Clientes:


Mais detalhes da clientela