A fuga das travestis

A balsa parou no porto da Ilha do Bororé, mas ninguém tava me aguardando. Aliás, não encontrei nenhuma alma viva pelo caminho até meu cafofo. Que estranho. Cadê as fofoqueiras de plantão? Todas as casas estavam fechadas, a lama acumulando na rua de terra batida. Ouvi alguém fechando a veneziana às pressas. Xente! Eu devo estar completamente cagada! Avistei meu cafofo. Igualzinho como eu o tinha deixado. Taking Chances da Celine Dion vazava pra rua. A música acabou e reconheci a voz esganiçada de Litta Walitta cantando.

_ What do you say to taking chances? What do you say...
_ Aim, que cantaria horrorosa! E a senhoria acha que canta, néam? - a bunita tava jogada no colchão, completamente nua e segurando uma bandeja prateada de bolo de festa fazendo uma carreirinha de padê.
_ Ai, que loucura! É forte mesmo esse padê! Até travesti morta eu tô vendo!
_ E eu lá sou travesti de fazer aparição do além vida? O que aconteceu por aqui? Foi só eu sumir do mapa por uns tempos e a Ilha do Bororé se transforma numa ilha fantasma?
_ Maddie!? É você mesmo?
_ Claro, vinhada. Eu tava no Amazonas em busca da minha espiritualidade.
_ Gente... o que é isso no seu rosto?
_ Oguê?
_ Você tá com a barba por fazer!
_ Aim, gomoasí? - peguei um espelhinho que ela tava usando pra separar o padê e constatei os indícios de minha masculynidadji já esquecida - É a maldição da madioca! Tem gilete nessa casa?
_ Ah, mas isso nunca falta! - com toda graça e ginga de Litta Walitta, a bunita cuspiu a gilette que tava debaixo da língua. Corri pro banheiro pra acabar com aquela palhaçada masculina na minha cara de boneca.

Voltei pro quarto/sala com o rosto todo giletado aqui e ali. Aim, fazia tanto tempo que eu não me barbeava! Que horror! Preciso de uma depilação a laser urgente na cara!

_ Gata, cadê todo mundo? O que você fez com a Ilha do Bororé na minha ausência, hein?
_ Eu não! Fiquei quietinha aqui chupando os habitantes locais. A senhora é a culpada de tudo! Fugiu daqui, deixou aquele monte de vinhado afundando a ilha na represa com o peso das plumas e paetês, tudo virou lama, Fabinho das Bananas fugiu e levou com ele todas as bananas da Ilha do Bororé. Gata, isso aqui tá uma loucura. A senhora é muito corajosa de voltar. Andaram te procurando... uns capangas, sabe?
_ Aim, que loucura! Mas o que esperavam que eu fizesse depois de ser abandonada no altar que nem estrela de novela? Que me jogasse no Bar do Oswaldão? Sou travesti, mas tenho sentimentos!
_ Só sei que as coisas estão super afrobrasileiras pra senhora.
_ Aim, que maldade. - ficamos em silêncio e ouvimos a movimentação do lado de fora.
_ Maddyrain! Sabemos que você tá aí dentro! Venha pra fora!
_ Xente! Finalmente vieram me receber como a diva que sou!
_ Se fecha, vinhada! Eles querem te pegar! - olhamos pelas frestas da veneziana. A população da Ilha do Bororé me esperava do lado de fora do meu cafofo segurando foices, tochas e todas aquelas coisas lindas e conceituais no melhor estilo caça às bruxas.
_ Que horror!
_ Maddyrain! Se você não sair agora, vamos invadir o seu cafofo!
_ Enfim, continuam sendo burros, néam? A porta tá destrancada!
_ A porta tá aberta!
_ Ai, que vinhada mais burra! Pintou o cabelo de preto, mas não adiantou nada! Vamos fugir pelo quintal!

Tadinha da minha plantação de marijuana! Tinha deixado tudo bonitinho e florescendo. Litta Walitta pelo visto havia fumado minha plantação inteira! Mas enfim, não tinha tempo pra lamentar o padê perdido. Enquanto a multidão invadia meu cafofo, eu e Litta escapávamos pelo fundo. Com quatro pessoas lá dentro, a casa já lotou. Não demoraram muito pra perceber que a xente tava correndo pelos fundos.

_ Ai! Vamos mais devagar! Não tomei meu remédio pro fôlego hoje!
_ E você toma remédio até pra isso?
_ Mas é claro! Nunca se sabe! Vá sem mim. Eu fico pra trás e digo que a senhora me deu uma sapatada na cabeça e fugiu praquele outro lado.
_ Gata, obrigada pela ajuda. A senhora é a melhor amiga que eu podia querer.
_ Vai logo, vinhada! Não quero chorar porque ainda não tomei meu remédio pra parar o choro .

Continuei correndo até a balsa que já tava prestes a partir. Com toda minha agilidade masculyna recém-adquirida, pulei na balsa e fugi daquela ilha maldita. Que horror! Nunca fui tão mal recebida na minha vida! Era a segunda vez que eu fugia da Ilha do Bororé. Eu juro que na próxima vez que eu voltar, boto essa ilha pra fuder! Ninguém me expulsa duas vezes do mesmo lugar e sai impune! Revirei minha bolsinha em busca de um cigarrinho. Nada. Cavoquei os cantinhos mais escondidos por padê. Nada. Abri o forro falso. Lá sempre tem algo! Nada. Máguegarai! Achei o cartãozinho que a Irmã Bloody Mary tinha me dado. Hmmm...

Um beijo,
Maddyrain

Taking Chances

Ralphi Rosario & Craig J. Vocal Mix
Ralphi Rosario & Craig J. Full Vocal Radio Edit
Ralphi Rosario & Craig J. Radio Edit
Ralphi Rosario & Craig J. Thick Dub Mix
Jason Nevins Extended Mix
Jason Nevins Radio Mix
I-Soul Extended Remix
I-Soul Radio Remix
I-Soul Radio Remix Edit
Matt Piso's Club Mix
Matt Piso's Mixshow

You don't know about my past...

Chupa meu edy que é escandaloso:
Vocês sabem que eu atóron quando os DJs pegam uma versão original chata, sem graça e mela calcinha e transformam numa bateção de cabelo glamourosa e chiquérrima, néam? Então, imaginem o trabalho que Taking Chances deu pro Ralphi Rosario e Craig J.! A versão original é uma cagada feia no maiô, já o Ralphi Rosario & Craig J. Vocal Mix é um ahazzo deslumbrante! E como eu já tô cansada de falar, o Ralphi Rosario é DJ de dubs. Uma prova disso é o arrombante Ralphi Rosario & Craig J. Thick Dub Mix. Super recomendado!

Pra ser justa, todos os DJs de hoje ahazzaram nos remixes. Claro que uns menos que outros, néam? Foi o caso do Jason Nevins, que já melou minha calcinha no passado, mas hoje é de uma chatice wannabe rockstar que cansa minha beleza intestinal. Peguem o Jason Nevins Extended Mix pra entender. Não é chato, aliás, não dá pra ser mais chato que a original, mas também não empolga ninguém. Serve como uma versão alternativa pras rádios.
Outra versão silly pop alternativa pro rádio é o I-Soul Radio Remix. Uma gracinha, mas super bobinho e inofensivo. Pelo menos dá uma empolgadinha básica. O Matt Piso's Club Mix (prazer, Maddyrain) não é club diva, mas é super bonitinho. Um dance bem calma-lá-minha-filha, mas tão fofolete. Atóron!

Maddyrain não tem, Maddyrain quer:
Olha, que Diana Ross esteja lendo esse post e lembre-se de mim!

radio edit 3:54
i-soul extended remix instrumental 7:33
i-soul dub mix
matt piso's radio edit 3:52

0 Bilus felizes:

Alô?! Maddyrain chamando!

Você acaba de adentrar as entranhas do mundo de Maddyrain, uma profissional da "náiti guêi" de São Paulo que ama house music e decidiu fazer a boazinha e compartilhar parte de seu acervo musical.

Filhos da Maddyrain

Ocorreu um erro neste gadget

Maddyrain recomenda!

Arquivos da Maddyrain

Você é da caravana de onde?

Clientes:


Mais detalhes da clientela