Faculdade para Bilus da Maddyrain

Aula inaugural: Atitude!

Inhaím, meus amores? Hoje a xente vai começar nosso curso pra vinhados da Faculdade para Bilus da Maddyrain. Sabe, eu já vi tanta biluzinha perdida e sem muita noção de nada nesta vida que acabei decidindo fundar meu instituto de apoio às bilus que precisam de toda ajuda possível pra se tornarem um ser elevado de pura purpurina. A xente vai ter aula de tudo que permeia (olha que chyque que eu tô no palavreado hoje!) a vida de uma bilu dubalacubacu: dublagem, beleza, comportamento, cultura inútil e técnicas de amarração de neca pra trás com o Emplastro Sabiá - o melhor amigo da bilu depois de uma xuca bem feita e uma neca odara. Pra nossa aulinha inaugural, eu vou falar sobre atitude.

Amores, atitude num vinhado é tudo. Se você acordou certo dia, abriu os olhinhos inocentes pra vida e descobriu que era bilu, prepare-se: não é fácil ser vinhado. Ainda mais um vinhado assumido. A vida da bilu comum não é como nas novelas, amores. Nem todo mundo é bunito e civilizado. A não ser que você viva numa comunidade guêi, onde todo mundo é feliz e utópico, você enfrentará preconceito vindo de todos os lados. Seja no trabalho, escola, faculdade... enfim, em qualquer lugar onde é aberta a presença de seres menos evoluídos na escala da humanidade.
O grau de humilhação e chateação que você passará depende em parte da sua postura perante os outros. Eu sou da opinião de que só sofre quem quer. Aprenda cedo a revidar os comentários maldosos. Óbiveo que eu não tô falando pra vocês se jogarem na academia e virar uma barbie disposta a dar murro em todo mundo, néam minha xente? Vocês sabem que eu otéion violência fora da cama. O segredo do sucesso é sempre ter na ponta da língua uma resposta bem elaborada e debaixo dela, uma gilete pronta pro uso.

Nada de abaixar a cabeça ou se esconder quando aquele hetero frumbega vem tirar sarro da sua cara, meu amô! Levanta a cabeça e vá à luta! Só que tem um pequeno problema, amores. A xente vive numa sociedade extremamente outdated (ultrapassada pras não falantes de língua inglesa, tzá? A xente vai ter aula de inglês instrumental também, aguardem). Uma parcela repugnante da sociedade decidiu fundar o seu grupinho de seres odiosos e odiantes, os skinheads, um povinho que merecem não só o nosso desprezo, mas também a união de nossa força operária pra agirmos contra eles. Os skinheads são bem variados em seu ódio e não atacam apenas os guêis; atóran também descer a lenha em nordestinos, negros... enfim, qualquer um que faça parte de alguma "minoria" social. Se você conhece alguém que pertença a esse grupo nojento, denuncie à polícia. Faça a sua parte, seja um cidadão exemplar. Muitas bilus já apanharam desse povo e várias até morreram. Agora se você gosta de um careca, sarado e necudo... gato... tem um monte de guêi que é assim. Você tá frequentando a sauna errada... Mas nem só dos skinheads as bilus precisam ter cuidado. Vocês sabem, meus amores, que xente ignorante e pouco evoluída tem em todo lugar.

Atitude não deve ser confundida com comportamento. Uma coisa é não engolir sapo, outra é ser uma bilu discreta. Não é porque você é discreta e gosta de fazer a linha "sou guêi, mas ninguém sabe" que você vai participar na humilhação alheia, néam? Isso é ir completamente contra seu instinto mais básico... ir contra sua essência. Isso é ser hipócrita, meu amô. Eu super acho válido existir bilus discretas. Nem todo mundo precisa exalar purpurina enquanto fala ou gesticula, mas sou SUPER contra bilu gongando outra bilu. Esse tipo de atitude abre espaço para que outras pessoas ajam dessa forma. Já ouviu falar que preconceito só gera preconceito? Entaum, é verdade.

Com a atitude correta, tudo será mais fácil na sua vida, amores. O relacionamento com sua família, com seus amigos, colegas de trabalho e até com os bophys. A biluzinha que gosta de sofrer e fazer a discriminada só vai encontrar xente disposta a dizer coisas negativas. Veja o exemplo da RuPaul, a drag mãe nos Estados Unidos. A bunita é negra, vinhada e... coitada... careca! O que ela fez? Ficou pelos cantos chorando e tomando remedinho pro cabelo crescer? Naum! Foi lá, ahazzou na maquiagem e no figuro, se jogou no mundinho fashion e das celebrities e lançou vários CDs! Enfim, conquistou o seu espaço. Tudo isso com a sua atitude de não ter medo de ninguém. A xente ainda vai falar mais sobre atitude na nossa aula de comportamento e preconceito.

Seja como a RuPaul, amores do meu edy! E só tenham medo de uma coisa: de não ser feliz.

Um beijo,
Maddyrain

Supermodel (You Better Work)

Ready to Wear Mix (Single Mix)
Ready to Wear 7" Mix
Couture Mix
Alternative Version
La Wanda In Your Face
Strüdelmodel
"Work It Mr DJ" Tribal Mix
Digifunky's Late Nate Mix
(thanx to fylaxx!)
Funkyman's Vox Dubb (thanx to fylaxx!)
Craig C. Havenhurst Vocal
Craig C. Encino Edit
Craig C. Neverland Dub
(thanx to fylaxx!)
There, U Just Got Rocked Mix
El Lay Toya Jam
Jackopella
Antony Reale & Funky Junction Remix
DJ Will & Funky Junction Big Room Dub

I have one thing to say: You better work, bitch!

Chupa meu edi que eu gosto:
Hoje é dia de glamour travesti aqui, meus amores! Supermodel foi o primeiro single que a RuPaul lançou e virou hit na época! Uma delícia pop house com muito carão! Se joga no Single Mix pra conhecer e depois pega o Couture Mix, que é basicamente a versão extended. A Alternative Version tem cara de dub pra mim e vocês sabem como eu sou com dubs, néam? A produção dessa música é do kérido Eric Kupper. Não preciso falar mais nada. Pra dar risada, se joga na versão Strüdelmodel.

Sabe, eu não sou a maior fã dos remixes do Craig C., mas o bunito ahazzou com o Craig C. Havenhurst Vocal! Fico completamente cagada! Alguns remixes são tão ahazzantes que até a versão instrumental é de fazer cagar. Então se joguem no ótemo Craig C. Neverland Dub! Maravilhoso e super despirocado! Atóron! O "Work It Mr DJ" Tribal Mix é um tribal bonitinho, mas super anos 90, néam? Pra ouvir uma versão "quero ser rockeira e phymêa", peguem o There, U Just Got Rocked Mix. Fiquem tranquilos porque não é aquele rock chato que você tá pensando.
Os remixes do Funky Junction são todos club diva e bem pintosos. O Antony Reale & Funky Junction Remix é ahazzante e atual. Meus leitores DJs vão ahazzar na buatchi. Mas pra colocar a dancefloor no chão e fazer a biluzada ir à loucura, se joga no DJ Will & Funky Junction Big Room Dub. Uma coisa... assim... bem guêi.

3 Bilus felizes:

Raphael disse...

Gata,ha-zô no post. Essa facul vai ser babado. Vou me matricular right now, mas já vou avisando q vou assistir as aulas trajando apenas um vestidinho da Rosa Divino, pq acho bem contextualizado! Muah!

Lui disse...

@s_pectro

Gacta rs..como um "temporariamente off do mundo punk" que eu sou, preciso defender a classe underground desse mundão de meu Deus. Existe nazista e afins escroto, babaca e preconceituoso? Existe, mas não é skin. A cultura skin luta pela igualdade, respeito além de um montão de outros preceitos que não vem ao caso enumerar. Fato é que a TV da nossa gente brasileira adora termos manchados para forjar a imagem de que ela é amiga e o outro é skinhead. Muito cuidado com o que nós acreditamos porque estamos desprezando um forte aliado (assim como os punks) para essa luta incansável que é o direito. NÃO ACREDITEM NA TV BRASILEIRA bilus amigas. Se um dia voce apanhar de um careca, não imagine que ele é skin. Do jeito que as culturas estão misturadas hoje em dia e com metade da sua identidade fodida, capaz do cara ser branco, careca, olho claro, usando coturno e escutando calipso no ipod. Para quem se interessar, existem comunidades nas redes sociais que explicam a origem do skin, a luta que travam com a sociedade hipócrita e a visão deles a respeito dessa confusão que fazem acerca do movimento skinhead e do nazismo. O mais curioso: existe movimento que é na verdade um ramo da raiz skin (se não estou falando asneira) que espanca nazistas, homofóbicos, racistas etc etc etc. O google ta aí pra ajudar. Um beijão Maddy

Maddyrain disse...

Amore, mas não podemos negar que já tá muito forte na cabeça de todo mundo que skinhead é sinônimo de medo e pânico, além de agressão a minorias como os gays, néam? Um exemplo disso são os Carecas do ABC. Eu sei que o movimento punk, por exemplo, em sua origem defende a igualdade e, de certa forma, é protetora dos homossexuais, mas também entre eles há pessoas extremamente preconceituosas e outdated. Mas, se tratanto de preconceito, até mesmo no mundinho gay estamos rodeados dele. É bilu contra bilu... Um mundo cão. ou melhor, um mundo cadela.

Um beijo e obrigadjénha pelo comentário.

Maddyrain

Alô?! Maddyrain chamando!

Você acaba de adentrar as entranhas do mundo de Maddyrain, uma profissional da "náiti guêi" de São Paulo que ama house music e decidiu fazer a boazinha e compartilhar parte de seu acervo musical.

Filhos da Maddyrain

Ocorreu um erro neste gadget

Maddyrain recomenda!

Arquivos da Maddyrain

Você é da caravana de onde?

Clientes:


Mais detalhes da clientela