Aula de dublagem

Hoje a nossa aula já começa com uma dika básica e importante: amore, se você quer se jogar no glamour da vida noturna, mas não sabe dublar nem MPB, se fecha em casa e pratique bastante. A coisa mais babada na buatchi é saber dublar sua música favorita. DUBLAR, amô. Não cantar. Se você e sua mãe acham que você canta bem, continue ahazzando no videokê nas festinhas da sua afilhada. Ninguém suporta alguém na orelha cantando na buatchi. Ainda mais quando está cantando tudo errado, néam? Mas essa dika fica pra aula de inglês instrumental. Hoje nós vamos aprender a dublar, porque toda drag e biluzinha de respeito têm que saber dublar. Aliás, uma drag que não sabe dublar é que nem uma passiva que não sabe dar o edy. Não combina, tá entendendo?

Eu acho que dublar é uma arte inerente às biluzinhas mais phemynynas. Claro que já vi muito ativo dublando, mas eu acho uma coisa... assim... super brochante. Se o bophy ativo dubla todas na balada, amore, se prepara... na cama ele vai te comer gemendo mais que você, viu? Fika a dika. Mas se você é ivone... passivone... meu amô, vamos ahazzar na dublagi. Vamos começar do princípio que o seu inglês é bem básico e super Ensino Médio de escola pública, tzá? Como praticar a dublagi se tudo na buatchi é em inglês, néam? Comece treinando em casa com a Ivete, meu amô. Eu sei que Ivete é muito povão, então se joga na Daniela Mercury que é mais conceitual. Se você, além de conceitual, é cult, ahazza na Elis Regina. Eu particularmente acho que Elis Regina de kool é rola, como dizia o poeta.

Eu sei que nem todo mundo tem facilidade pra aprender inglês, amores. Mas se você quer ser uma bilu de sucesso, você tem que saber a falar pelo menos "I'm gay and I enjoy being fucked". A xente vai aprender algumas coisas básicas nas nossas aulas de inglês básico, mas pra dublar você não precisa falar nada mesmo. Só finja. Já viu aquele programa Mulheres na TV Gazeta? Quando a Cátia Fonseca recebe algum cantor, ela senta bem phemynyna no braço do sofá, meche a cabecinha pra lá e pra cá, balança os pezinhos e dubla TUDO ERRADO. E olha que só recebe atrações nacionais, viu? Imagine o vexame se a Lady GaGa no fim de carreira decidisse ir divulgar algo no programa dela! Você não quer ser a Cátia Fonseca da buatchi, néam meu amô? Isso sem falar na Hebe com aquela boca de xana velha, néam?

Pra praticar em casa, comece com músicas mais calmas. Se joga na Internet, procura a letra da música e vai praticando aos poucos. Reserve alguns minutos diários pra praticar a dublagi. O twitter não vai morrer se você deixar de escrever suas chatices por uns minutos e praticar pra ser uma biluzinha ahazzadora na buatchi, amô. Em primeiro lugar, sua vida social real. Depois você se preocupa com sua vida cibernética. Depois de praticar com músicas mais calmas... aliás, super recomendo Roxette pra começar, viu?... parta pras músicas que tocam na buatchi. Como os remixes são geralmente muito rápidos pra uma bilu iniciante, procure as versões originais. Essas músicas de buatchi, na maioria, são todas mela calcinhas na versão original, amores. Já perceberam?

A dika básica é essa, amô: pratique em casa com a letra da música. Mas o fundamental é: PRESTE ATENÇÃO ÀS EXPRESSÕES QUE A MÚSICA PEDE! Se é uma música triste e a Whitney só falta cagar de tanto chorar enquanto canta, não vai dublar toda sorridente, néam amore? Claro que você não precisa fazer cara de choro na buatchi, mas um pouco de expressão é tudo na vida da drag queen. Coloque pra fora o seu espírito artista. Toda bilu é um pouco artista, néam? Bom, agora que a xente já sabe como mexer a boca direitinho e fazer caras e bocas, chegou a parte da gesticulação, amore. Você não vai ficar plantada no meio da buatchi como um espantalho mexendo a boca e fazendo a caruda, néam? Tem que mexer as mãos, os braços e o pescoço também!

Cada um tem o seu jeitinho especial de desmunhecar, eu sei. Vinhado que é vinhado desmunheca, não adianta. Na hora da dublagi, meu amô, é a hora de você ahazzar na desmunhecagem bem phemynyna. Mexa a cabeça pra lá e pra cá ahazzando nas caretas e prepare-se pro bate cabelo no pico da música. Pra bater o cabelo não há mistério. Jogue a cabeça um pouco pra baixo e finja que tá sendo possuído por alguma entidade maligna desconhecida. Jogue a cabeça abaixada prum lado e pro outro que nem uma frenética, mas com cuidado pra não acertar ninguém e acabar se machucando. Já vi muita biluzinha sair da buatchi desmaiada porque acertou a parede enquanto batia o cabelo. E atenção... NUNCA... JAMAIS bata o cabelo se você estiver com algum bophy. Bater o cabelo é uma das coisas mais queima filme da vida biluzística. Fika a dika.

A arte da dublagem não é para todos, amores. Vocês perceberam, néam? Envolve muita coisa: uma desenvoltura e espírito artístico maiores, um leve conhecimento em inglês (ou outros idiomas) e, principalmente, o foda-se ligado para o que os outros vão pensar, néam? Aliás, seria tão mais divertido se todo mundo na buatchi não estivesse tão preocupado com a opinião alheia, néam? Aí o que acontece? A biluzinha se joga no carão e retrai toda sua phemynylidadji aflorada. Quando você estiver num estágio mais avançado da dublagi, tente dublar artistas "masculinos" como George Michael, ou até mesmo o Michael Jackson! Esse é super difícil de ser dublado, viu? Pra ahazzar, comece dublando a música de hoje que é dubalacubacu!

Um beijo e bom treino,
Maddyrain

Desire

Original Extended Mix
Original Radio Edit
Acapella
Joey Negro Extended Mix
Joey Negro Z Mix
Joey Negro Z Radio Edit
Joey Negro RODX Dub Mix
Kerri Chandler Brazilian Mix
Kerri Chandler Undeground Mix
Thunderpuss Club Anthem
Thunderpuss Radio Mix
ThunderDub (thanx, Cindi Loka!)
Pussy 2000 'Feelin' It' Dub Mix
Ultra Pussy Dub Mix
Klubbheads Vocal Mix (thanx, Cindi Loka!)
Dubaholics Vocal Mix

My desire is just beyond all hope and reason...

Chupa meu edy que é de cetim:
Olha, eu atóron a Ultra Naté, mas sou suspeita pra dizer que a bunita só conseguiu emplacar 100% o hit Free. Os outros singles são ótemos, principalmente os do início da carreira, mas nenhum se compara a Free, néam? Desire é um pop super gostosinho e dance pra você ahazzar na dublagi. Pode pegar a Original Extended Mix porque essa música merece uma versão extended. Pras mais urgentes, temos a Original Radio Edit. O bapho dos remixes de hoje é que a maioria agrada todo mundo.

O kérido Joey Negro não aparece muito por aqui, mas o moço é dubalacubacu. O Joey Negro Extended Mix segue a linha da versão original e não adiciona muita coisa. O Joey Negro Z Mix tem uma pegada old skool disco mais bonitinha. É pra você dar close junto da família, assim ninguém percebe que você é super phemynyna. Os remixes do Kerri Chandler seguem a linha soulful house que eu atóron. O Kerri Chandler Brazilian Mix não é tão brasileiro assim. Tem umas batidinhas meio latinas, mas felizmente não temos uma escola de samba no meio do remix. Aliás, momento de crítica social musical: seria bom se os remixes feitos por DJs brasileiros fossem pelo menos um pouco parecidos com esse e não aquela chatice drum'n'bass que já passou faz tempo. Pronto. O Kerri Chandler Underground Mix é outro remix com o nome equivocado, porque de underground não tem nada. É uma gracinha, super house phyno. Recomendado!

Pra você dar bastante close na buatchi, no meio da bicharada, com ninguém por perto pra ficar espantado, nada melhor que a saudosa dupla Thunderpuss, néam? Você também chora de tristeza quando lembra que eles não existem mais? Se joga, meu amô, mas se joga com muita fé no Thunderpuss Club Anthem. Xente... desculpe as bilus mais conceituais, mas que saudades de bater cabelo ao som do Thunderpuss, viu?! Eu acho válido bater o cabelo em casa com o Thunderpuss Radio Mix! Os outros remixes, meu amô, estão aí só pra constar.

Maddyrain não tem, Maddyrain quer:
Assim, se você tiver pelo menos o U-max Radio Edit que é básico e saiu no single, me manda, tzá?

u-max radio edit 3:50
kerri chandler brazilian instrumental 7:28
dubaholics dub mix 5:55
klubbheads klubbdubb

1 Bilus felizes:

André disse...

Não, fala sérioooo! Vc se superou na aula de hoje, MORRY de rir, tô chorando aqui, juro! Entidade maligna desconhecida foi o auge! Vc tem que publicar tudo que vc já escreveu na vida, vai ser best seller e meu livro de cabeceira Forever!!! Bjs, te amo Maddy, e vê se volta a me seguir no Twitter!

Alô?! Maddyrain chamando!

Você acaba de adentrar as entranhas do mundo de Maddyrain, uma profissional da "náiti guêi" de São Paulo que ama house music e decidiu fazer a boazinha e compartilhar parte de seu acervo musical.

Filhos da Maddyrain

Ocorreu um erro neste gadget

Maddyrain recomenda!

Arquivos da Maddyrain

Você é da caravana de onde?

Clientes:


Mais detalhes da clientela