Sex in the dark c'est le future de la nation!

Acordei com o edi em chamas. Uma vontade loka de aquendar tudo que aparecesse no meu caminho. Olhei pra LouLou. LouLou quase-que-olhou pra mim. Perguntei safadinha:

_ Gata, você consegue se transformar num dildo magnífico nessa sua forma ectoplastmática?
_ Eu consigo me transformar em tudo, querida. Até numa cona incrível, quer experimentar?
_ Sai pra lá, jaburu! Eu lá sou travesti de querer ver xana assim gratuitamente?!
_ Então sai pra lá com esse fogo no rabo também! Tamo chegando no Grande Dark Room. Você poderá afogar todas suas mágoas lá.
_ Ai que bom, porque hoje eu quero ahazzar na arrombação!

Continuamos caminhando por uma estrada deserta e chegamos num portão altíssimo cercado por muros. Na porta, uma fila enorme super variada. Tinha até uns minotauros com a benga enorme balançando. Fiquei loka do meu kool! Nunca que imaginei eu dando meu rabicó pra esse tipo de xente! Cheguei num dos seguranças. Um cafuçu fortíssimo, óculos escuros e terninho da Dorinho's! Enfim... todo o uniforme básico.

_ Oi, amô. Vem cá, deixa eu perguntar. Pra entrar aí tem que pegar essa fila?
_ Sim.
_ Ai, gato... a fila tá super longa, a vontade de dar tá super me corroendo por dentro. Você já passou por isso antes?
_ Não.
_ Então não sabe o que é querer dar o rabo e ter que ficar na fila do dark. Como eu faço pra furar essa fila super no capricho? Quem eu tenho que chupar?
_ Não tem como furar a fila.
_ Ai gato, mas eu sou Maddyrain! La diva del sexo anale de lo quartito escurito! O edy mais festejado de São Paulo! Não sou travesti de fila!
_ Mas vai ter que ir pra fila se quer dar esse rabo.

SUPER contrariada, fui pra fila xingando o segurança e toda as gerações passadas e herdeiros que ele deixou no mundo dos vivos. Ô raça. Por isso não sobe na vida!
Depois de algumas horas naquela pré-fodelança gostosa de fila de dark room, levemente molestada pelo minotauro, conseguimos entrar no Grande Dark Room. Era uma planície enorme onde os únicos pontos iluminados ficavam na entrada e na saída, lá bem longe. No meio, tudo escuridão recheada de gemidos, gritos e sexo. Ao lado da entrada tinha um barzinho. Fui com LouLou tomar uma dose de vodka, só pra entrar no clima da coisa, e duas doses de absinto, só pra amolecer as pregas. O som ambiente tocava um remix de Strict Machine do Goldfrapp. Uma coisa assim... bem sensual.

_ Vamos ter que atravessar o Grande Dark Room, Maddie... Você consegue manter o foco e chegar do outro lado inteira?
_ Inteira eu chego, mas com um mega buraco no meu ser.

Fui adentrando a escuridão. LouLou tava agarrada na minha perna, morrendo de medo de ser pisoteada e virar chiclete no chão do dark. Mãos vieram em minha direção. Perdi noção de minha extensão corporal, dei um chega-pra-lá na aspirante de Geleia e me entreguei a um gang bang safado.
Consegui avançar mais um pouco entre aqueles corpos amontoados e fodendo. Ouvi uns galopes me seguindo. Perdi noção de minha elasticidade anal numa experiência mítica sexual loka e arrombadora.
A luz no fim do túnel se aproximava enquanto mãos lutavam para me manter naquela escuridão sensual e safada. Passei por toda uma seleção de necas.

_ Não vá, Maddyrain.
_ Fique aqui.
_ Pega nessa neca. Olha que grossa!
_ Vou te fazer gozar pela pirikita.
_ Maddyrain!?
_ LouLou? Socorro! Tão me segurando, mas tá gostoso!
_ São as almas perdidas do dark room! Venha para a luz, Maddyrain! - LouLou me esperava na claridade e assumiu a forma de uma neca gigantesca - Pega na minha neca, Maddyrain!

Peguei naquela neca espiritual de consistência estranha e duvidosa e fui puxada para a luz. Meu corpo estava repleto de marcas de dedos, pequenos hematomas em volta dos peitinhos e completamente gozada.

_ Gata! Ai que loucura! Nunca estive num dark room assim! Nem na Germânia!
_ Ainda bem que consegui te salvar!
_ Sim! Ai que necão!
_ Mais um pouco e você se tornava uma das almas perdidas do Grande Dark Room. Vamos, estamos quase chegando na buatchi do Diabo.

Ai que loucura! O diabo das travestis tem uma buatchi!? Que pós-apocalíptico! Saimos daquele dark room enorme e voltamos à paisagem comum do inferno. Nossa próxima parada era a 25 de Março...

Strict Machine

Single Mix
We Are Glitter Goldfrapp Mix
Paris Loaded Remix
Benny Benassi Sfaction Extended Mix
Benny Benassi Sfaction Edit
Benny Benassi Dub
Calderone & Suryanto Mix
Peter Rauhofer "NYC Mix"
Peter Rauhofer "U.S. Mix"
Peter Rauhofer "U.K. Mix"
Ewan Pearson Extended Vocal Mix
Ewan Pearson Extended Instrumental Remix
Ewan Pearson Instrumental Remix
Ewan's Stripped Machine Remix
Ewan's Münchenmaschine Dub
Rowan's Remix
Lexy & Paul-K Radio Version

I'm in love with a strict machine...

Chupa meu edi que eu gosto:
Isso, meu amô, chupa o meu edi que eu atóron! E chupa ouvindo Strict Machine que é super conceitual e arrombadora de edis! Uma coisa meio electro, meio pop, meio selvagem, meio industrial, meio meu kool. Super se joga no Single Mix pra conhecer essa obra prima pós-contemporânea! Maravilhosa! Se você gosta de fazer a deusa mítica do rock, o Paris Loaded Remix é idêntica ao Single Mix, só que com as guitarras super histéricas! Recomendado pras bilus durróqui.

Lembra de Satisfaction do Benny Benassi? Lembra como essa música tocou horrores em todos os lugares, fazendo eco no edy das mais arrombadas? Então... o bunito pegou carona na onda de seu maior hit e arrombou o edy de todo mundo com o Benny Benassi Sfaction Extended Mix! Na minha humilde e glamourosa opinião, esse remix consegue ser melhor que a versão original. Aliás, é o melhor remix do pacote! Puro glamour pop electro diva gay pintosa! Já bati muito o cabelón com Litta Walitta em nossas noites de sábado regadas à vodka e padê puro! Absurdo de looshu! O Benny Benassi Dub é super ultra recomendado também. Uma coisa assim... mais instrumental e padê-friendly.

Ai que saudades do Victor Calderone! O safadu deixou minha amiga Cindi Loka grávida de trigêmeos, fugiu pra uma ilha deserta com uma travesti de baixo calão e nunca mais voltou! A bunita abortou no banheiro da buatchi, mas abaphe the case. O Calderone & Suryanto Mix é super diva club também. Saudades desse bophynho. Ele entendia as bilus. Só não sei quem é esse Suryanto. Prazê, meu amô!

Peter Rauhofer virou arroz de festa, que nem a insuportável Claudia Leitte. Sou super a favor do bunitu ir pro limbo rapidinho. Não aguento mais a onipresença dele! O Peter Rauhofer "U.S. Mix" é uma coisa assim... mais elétrica. Tem uns barulhinhos de choque que me deixam até arrepiadinha! Bem gostoso pra dançar. Isso é o pior... o bunito tá super saturado, mas ainda ahazza com as passivas de plantão! O Peter Rauhofer "U.K. Mix" é bem menos pintoso, mas tem lá os seus méritos. Umas batidas super doidas do kool!

Eu atóron o estilo electro chic do Ewan Pearson! Ele precisa remixar Madonna e Kylie Minogue, meus amores! Aliás, ele ia ahazzar na Kylie, que é mais adepta a mudanças. Super se joguem no Ewan Pearson Extended Vocal Remix. Maravilhoso! Os outros remixes são todos parecidos, mas mais instrumentais.
O resto, é resto.

0 Bilus felizes:

Alô?! Maddyrain chamando!

Você acaba de adentrar as entranhas do mundo de Maddyrain, uma profissional da "náiti guêi" de São Paulo que ama house music e decidiu fazer a boazinha e compartilhar parte de seu acervo musical.

Filhos da Maddyrain

Ocorreu um erro neste gadget

Maddyrain recomenda!

Arquivos da Maddyrain

Você é da caravana de onde?

Clientes:


Mais detalhes da clientela