O ataque de Gilson dos Santos

Super aderi à moda das minhas amiguêis operadoras de telemarketing: óclão da Chilli Beans (pirata de preferência), aparelho nos dentes, calça jeans justa super marcando a bundinha e mochilinha nas costas. Me desculpem as defasadas, mas eu sou uma travinha que gosta de estar na moda. Tava eu toda bunita e phemynyna no metrô indo trabalhar, super grogue de sono e notei novamente os movimentos rápidos e certeiros de Mário Endless no seu eterno tricôt.

_ Maddyrain! Eu tava mesmo te procurando, vinhada! Vem cá, deixa eu te mostrar. Olha só que lindo esse macacãozinho que eu tô fazendo!
_ Não vai me dizer que você tá grávido!
_ Eu acho que estou mesmo! Eu e Arnaldão saímos do estágio do boquete e ele tá me comendo!
_ Tzá brincando! Ele conseguiu encontrar o olho do seu edy!?
_ Não só encontrou, vinhada, como descobriu que eu tenho várias hemorróidas! Não é um amor?
_ Ai, que atencioso!
_ Mas, deixa eu te contar! Posso falar? Deixa eu falar? Tem alguém que tá querendo te catar...
_ Novidadji...
_ É verdade! Sabe quem é? Gilson dos Santos!!
_ Aquilo é alguma maldição do inferno que veio atrás de mim, gato. Aposto que ele atendia pelo nome de LouLou no plano inferior!
_ Hoje ele vai trocar de turno só pra sentar do seu lado e disse que quer te encontrar após o expediente nas escadas!
_ Ah, mas eu vou! Vou dar pra uma lição e um corretivo nesse vinhado abusado! Eu lá sou travesti de me esfregar em biluzinha afeminada?! De phêmea, já basta eu!

Cheguei na minha PA com o edi pegando fogo. Não respondi a 4 bom dias, mas marquei dois boquetes para logo mais, porque não sou obrigada! Peguei um rolo de papel higiênico, fiz uma massaroca e coloquei no meu headset. Nem queria imaginar aondji tinha ido parar minha espuminha e meu caninho! O elevador abriu e a mona da oca na cabeça, Gilson dos Santos, apareceu segurando seu MP24 ouvindo Say It Right da Nelly Furtado. E cantava, ainda por cima.

_ Ô iú donim non anifín fór mi... Dá licença que hoje eu quero sentar do lado da Maddyrain. Inhaím, Maddyrain. Tá boa, bunita? Olha só o que eu trouxe pra você? A sua espuminha e o seu caninho. A senhora esqueceu ontem aí na sua PA.
_ Eu sei, amô. Obrigadjéenha.
_ Eu fiquei com tesão no meio da noite e bati uma punhetinha com a sua espuminha. O caninho eu enfiei no edy imaginando a senhora. Mas tava tudo muito limpo, eu garanto.
_ Eu não duvido, meu amô. Você tem mesmo cara de limpinha. - peguei o cesto de lixo que tava ali do lado da minha mesa e dei pro bunito - Joga isso aqui no lixo, RIGHT NOW. Eu lá sou travesti de ficar usando espuminha gozada na orelha e caninho com restos fecais de bicha feia!? Agora dá licença que eu vim aqui pra trabalhar! Sou uma operadora de telemarketing e tenho uma empresa a zelar!
_ Eu também, tá boa? Bai dê uêi, Mário Endless falou com você?
_ Sim, falou. Te encontro na escada após o expediente. Fiz até a xuca, mas acho que isso pouco importa pra você, néam?
_ Alô, bom dia? Meu meu nome é Gilson dos Santos e eu tô liganu aqui do além. Tô falanu com o senhor Evandro Santo? Então, você tá pensanu em se matar, é? O que tá acontecenu com você? Seu personagem de TV já tá sem graça? Meu amor, quem é você na mídia? Não faz muito tempo que eu morri, mas acho que nunca ouvi falar de você. Ah, você me desculpa mas eu me recusava a assistir Pânico na TV. Olha, amor, eu não vejo outra solução. Acho que você tem que estar se matanu mesmo, porque a vida é uma droga e parece não estar muito melhor com você aí bancanu a engraçada. Isso. Deixa eu anotar o seu nome novamente pra eu estar encaminhanu sua alma pro setor responsável assim que você se jogar da varada. Prontinho. Descanse em paz e o além agradece sua ligação.

Eu tinha sido promovida novamente, mas sem subir de andar. Agora tava no Departamento de Captação de Almas Suicidas. Eu ligava pra belezura que tava pensando em se matar e tentava reverter o caso. O motivo era óbvio, meus amores. O purgatório tá CHEIO de bichinha suicida! Eu tava prestes a cometer um homicídio espiritual com aquela gralha gritando ao meu lado.

_ Amô, sua voz é linda, seu jeito de falar é exemplar, mas a senhora tá super atrapalhando meu atendimento. Fala um pouquinho mais baixo, tzá?
_ Tô te atrapalhanu!? Desculpa, Maddie! Vou estar tentanu maneirar.
_ Obrigadjéenha. Eu sabia que debaixo dessa oca havia um ser humano bom e atencioso. Alôin, bom dia, aqui quem fala é Maddyrain do Departamento de Suicidas. Eu falo com Angela Bismarchi? Bom dia, sra. Angela Bismarchi, tudo bom? Ai que pergunta a minha, acho que não tá nada bom, néam? Senão a senhora não ia tá tentando se matar, néam mesmo? A loka. Gata, que babadu! Quer dizer que a senhora é travesti? Eu imaginava. Como? Ué, pela voz... essas coisas que entregam. Gata, coloca a arma de lado e vamos conversar como duas travestis adúlteras. O que tá pegando? Entendi. Amô, a vida não é fácil, mas vamos fazer uma brincadeira gostosa? Se chama roleta russa. Isso, essa mesmo! Vamos ver quem tá com sorte hoje? A senhora ou o mundo? Quando eu falar já a senhora aperta o gatilho, ok? Vamos lá! Já! Ai que loucura. Tadinha.
_ Ai que gostoso! Hora de dar lôgauti! Lôgauti! Lôgauti! Maddyrain, lôgauti e se prepara para logar em mim! Te vejo na escada!
_ Claro, amô!

Desliguei o meu computador, fui ao banheiro, fiz um gargarejo, retoquei o batom, arrumei a gilete debaixo da língua e fui pra escada encontrar Gilson dos Santos. Tudo numa escuridão! O bonito tinha apagado as luzes!

_ Gilson dos Santos, acenda as luzes!
_ Maddyrain, tô atrás de você!

Virei e esbarrei num corpo. Levantei as mãos, mexi na cabeça e reconheci o visual oca de índio. Gilson dos Santos pegou minhas mãos e levou pra sua neca. Yo no puedo acreditar! Peguei num dos cacetes mais grandes e grossos dos últimos tempos! Mal consegui fechar a mão com aquela pirocona na mão! Ay que loucura!

_ Tá vendo só! Duvido que você imaginou que minha neca fosse assim grande!
_ Não mesmo, meu amô! Que desperdício!
_ Você quer essa neca te arrombando toda?
_ E isso lá é pergunta que se faça!
_ Então, se você quer, vai ter que me comer primeiro...

Aquela necona na minha mão... meu edi piscando.. E agora o que é que eu faço!?

Say It Right

Album Version
Extended Main Mix
Instrumental
Remix feat. Eric Right
Peter Rauhofer Club Mix
Peter Rauhofer Remix Pt. 1
Peter Rauhofer Remix Pt. 2
Cajjmere Wray's Kissed Club Mix
Cajjmere Wray's Kissed Airplay Mix
Cajjmere Wray's Kissed Dub Mix
Friscia & Lamboy ElectroTribe Mix
Friscia & Lamboy Club Mix
Bad Boy Bill 'Bass' Mix
Menage Music Remix
Menage Acid Mix
Dummies Remix
Dummies Club Mix

I can't say that I don't know that I am alive...

Chupa meu edi que eu gosto:
Amores, vou ser super sincera, mas se vocês nunca ouviram Say It Right, então se matem. Essa música tocou até em velório! Pelo menos eu fui num velório de uma amiga da vida e tocou essa música. A loka. Se você ainda não tem essa música no seu computador, super se joga na Album Version e ahazza no seu videokê com a versão Instrumental. Acho puro looshu.

Todo mundo quis colocar as mãozinhas na bunita da Nelly Furtado depois que ela deu uma repaginada em sua carreira marromenos. Peter Rauhofer não podia ficar de fora, néam? O Peter Rauhofer Club Mix é super parecido com o Remix Part 1, então se poupe do trabalho. Um bate cabelón básico, super club e pintoso. Mas o babadu, meus amores, é o Peter Rauhofer Remix Part 2! Isso sim é um desbundji! Muita fechação de buatchi e coloca essas tetinhas pra chacoalhar com muito glamour e phynesse!

Continuando a linha diva pintosa, temos o ótemo Cajjmere Wray's Kissed Club Mix. Super ahazzante e club diva! Atóron!


Aí a coisa fica menos interessante com os remixes abaixo, que possuem uma segunda versão menos finalizada, mas idêntica e só estão aí pras completistas de plantão, okay?
O Friscia & Lamboy ElectroTribe Mix é aquela coisa básica que as bilus mais desinformadas atóram. Se joga na dancefloor e assume que você é vinhado, meu amô!
O Menage Music Remix é bonitinho, mas também não adiciona nada à minha vida. Sou uma diva del house music e do dub, meus amores. Desculpa se esses club tribals super não fazem a minha cabecinha de trava vivida.

O Dummies Club Mix, feito pelo Dave Audé e um outro qualquer, é um pouco mais calmo e bem menos interessante que os trabalhos solo do Dave Audé. Dá pra viver sem ele.

0 Bilus felizes:

Alô?! Maddyrain chamando!

Você acaba de adentrar as entranhas do mundo de Maddyrain, uma profissional da "náiti guêi" de São Paulo que ama house music e decidiu fazer a boazinha e compartilhar parte de seu acervo musical.

Filhos da Maddyrain

Ocorreu um erro neste gadget

Maddyrain recomenda!

Arquivos da Maddyrain

Você é da caravana de onde?

Clientes:


Mais detalhes da clientela