Incêndio na Studio 720

[modo "Maddyrain Loyola" on:]

Era uma vez uma buatchi super conceituada entre as camadas mais pobres do mundo gay chamada Studio 720, que tentava homenagear a Studio 54 de Nova York, na qual já estive milhares de centenas de trilhares de vezes. Já aquendei todos os barmen, seguranças e operadores de som do lugar. Além do mocinho da limpeza, porque não sou travesti de ficar recusando uma neca gostosa!

Ai, não posso lembrar de meu período em Nova York que me perco toda. Como eu tava falando, existia essa Studio 720 ali no Centrão de São Paulo, uma região muito bunita e repleta de várias espécies do submundo gay, incluindo travestis transfiguradas, biluzinhas ploc ploc, michês com os peitos caídos, etc. Meu passeio aos Sábados à noite era pegar Litta Walitta pela mão e ir passear nos recônditos da Vieira de Carvalho! Uma delícia, meu amô! Com R$10 você bebe um monte caipirinha com vodka de origem desconhecida e ainda come acarajé! Uma loucura!

Certa noite, eu e Litta Walitta fomos pra Studio 720 numa festa dedicada à Madonna. Não aguento mais esse povo da cena musical. Só existe Madonna pra homenagear? Homenageia o meu kool.

_ Gata, eu não vim pra buatchi usando Prada pra ficar junto desse monte de bilu de Havaianas, néam?
_ Ai, Maddie! Deixa a biluzada usar o que pode! Eu tô de Melissinha.
_ Pelo menos é um sapato, néam? Vir na buatchi de chinelo? Elas não tem medo de sair com a patinha toda amassada?

Pois é, meus amores. Foi a primeira vez que vi uma bilu de Havaianas na buatchi. Claro que já fui a milhares de centenas de trilhares de luais e baladjéenhas na praia, onde todo mundo fica bem a la vonté, mas é diferente, néam? Classe é tudo nessa vida, meu amô.
A buatchi era um cinemão desativado. No palco, alguns gogo boys dançavam mexendo as patinhas pra lá e pra cá. Gogo boys constituem aquela camada da sociedade que NÃO sabe dançar, mas acha que sabe. No telão, com alguns buracos estratégicos, passava uns clips da Madonna tirados do YouTube. Felizmente alguém teve a brilhante ideia de tirar os assentos do cinema! O recinto logo ficou cheio de xente e exalando um odor super gostoso de pencas de CeCília misturado com porra ressecada. Yves Saint Laurent conseguiu a mesma façanha quando lançou o Kouros. Será que ele frequentava a Studio 720!?

_ Pelo amor de Madonna! Inaugurei meu frasquinho novo de Toque de Amor da Avon pra isso? O povo não usa nem Rexxona!
_ Sinto informar, Maddyrain, mas a nhaca no dark room é mais forte ainda!
_ Gomoassí?
_ Desconfio que não limpam o dark já tem uns anos...

Munida de toda coragem disponível neste corpinho esbelto, fui para o dark room com Litta. Já cheguei causando e esbarrei no interruptor do dark room. As bilus me olharam com seus olhinhos apertados e fuzilantes!

_ Calma, xente! Foi sem querer! Nunca achei que encontraria o interruptor de um dark room, mas enfim... há a primeira vez pra tudo!
_ Maddie! O que é aquilo no teto!?
_ Espero que não seja um morcego! Minha deusa! São aquelas caixinhas de colocar ovos de feira!
_ Apaga a luz, caralho!
_ É, porra!
_ Ai credo, xente! Duvido que vocês imaginavam que tinha caixa de ovo em cima da cabeça de vocês! Que loucura! Não quero nem olhar pro chão! - apaguei a luz e fui adentrando aquele labirinto dos fedores. Um sinuoso caminho permeado pelo odor forte de cêcê... rabo mal lavado... porra... chulé... maconha. Cheguei na maconha e parei - Inhaím, me deixa dar um pega?
_ Só se você pegar na minha rola.
_ Essa rola tá lavada?
_ Claro que tá.
_ Tô perguntando porque super duvido da limpeza alheia. - peguei na neca do bophy. Razoável, mas parecia limpa ao toque. Ele me passou o baseado - Gato, apagou! Acende esse bagulho. - dei uma agachadinha básica pra chupar a neca do bophy enquanto ele acendia o baseado e ouvi uma bilu loka ao lado anunciar:
_ Ai, vou peidar!
_ Garalho! Agora não!

Uma explosão queimou toda minha piruka e levou os poucos cabelos que eu tinha por baixo. Fui vítima de um peido! Que horror! O fogo se alastrou pelas paredes e logo correu para o teto de papelão.

_ É fogo! Tacaram fogo no dark room!
_ Litta! Socorro! Minha cabeça tá pegando fogo!
_ Maddyrain! Você tá um looshu! Parece a Fênix! Vamos sair daqui!

Foi um desespero só! O papelão começou a cair do teto torrando as bilus e o chão de madeira do dark room. Em poucos minutos, o fogo havia tomado conta da pista. Uma gritaria terrível! O fogo chegou no palco destruindo as cortinas do antigo cinemão e o telão. Eu e Litta Walitta conseguimos fugir da Studio 720, deixando para trás um cenário dantesco.

_ Que horror! Maddie, deixa eu ver se você tá boa.
_ A explosão pegou minha piruka com tudo! Vamos pra casa, não quero ser vista assim.

No dia seguinte, no café da manhã, abri o jornal e descobri que algumas biluzinhas morreram no incêndio! Meu mundo cai. Fui até o rádio e deixei tocando Burning Up como homenagem a essas vidas inocentes vítimas de um peido! Nunca comentei o ocorrido antes, mas ando sendo assombrada pelos fantasmas dessas bilus! Um horror! Já fui pra Nova York fazer terapia e exorcismo, mas não resultou em nada! Da última vez, um fantasma bilu apareceu enquanto eu tava dublando, olhou pra mim de cima a baixo e falou:

_ Você tá pronta?
_ Pronta pra que, garaio?
_ Pra morrer! ahahahahahahahaha

E sumiu! Xente, será que estou prestes a morrer?! Quero morrer phyna, ryka e glamourosa. Desde então, não tiro mais minhas melhores roupas e minhas joias!

Um beijo,
Maddyrain Loyola
Sôçialáiti da náiti guêi de São Paulo

[modo "Maddyrain Loyola" off.]

Burning Up

Album Version
UK Album Version
12" Version
Remix Edit
'81
Early '81 Demo
Demo, November 17th, 1982
Live at Uncle Sam's Nightclub
Live at The Virgin Tour
The Virgin Tour Rehearsal Session
Re-Invention Tour Studio Rehearsal

You want to want me but you can't let go...

Chupa meu edi que eu gosto:
Vamos falar de Madonna, meus amores. Se você não conhece Burning Up, tudo bem, não se sinta a bichinha mais burra da sua casa... só a do bairro. Burning Up é o segundo single da Madonna e foi lançado em 1983, quando muitos de vocês não eram nem porra na neca do pai! Pra começar fodendo com tudo, há duas versões originais para Burning Up. A que você acha que conhece não é a que foi lançada originalmente, meu amô. Não banca a conhecedora comigo porque de Madonna eu entendo. A versão original mesmo é a UK Album Version, ou Alternate Album Version. Ela não é super diferente da Album Version, que todo mundo conhece, apenas não tem aqueles acordes de guitarra elétrica e tem uns efeitos de eco super bunitinhos. O babadu é super estranho. Ela também é bem parecida com a 12" Version, único remix oficial da música até hoje. Uma loucura! Eu atóron essa versão.

Agora vamos falar do demo! Calma, biluzinha crente! Demo de fita demo! A versão '81 tem uma pegada bem mais rock que a versão lançada de Burning Up. Em alguns trechos, os vocais também estão em tons diferentes. Eu gosto bastante desse embrião de Burning Up! Podem pegar que é dubabadu! A versão Early '81 Demo é mais diferente ainda, mas a qualidade do som está um pouco terrível. Não reclama, bicha abusada! Dá pra ouvir perfeitamente a voz de Madonninha. Vale pela curiosidade. A última versão demo é a mais próxima da versão final da música. As únicas diferenças estão nos vocais da Madonna e alguns trechos instrumentais. Nada muito exótico, mas interessante.

Burning Up, tadinha, só foi cantada ao vivo na Virgin Tour e na Re-Invention Tour. Pra você que nunca assistiu a Virgin Tour, não está perdendo lá muita coisa. Eu acho válido, pois fã que é fã tem que já ter visto até a bunita cagando! Peguem a versão ao vivo da Virgin Tour, com a música seguindo uma pegada mais rock. O ensaio também é super interessante, meus amores! A bunita erra que nem uma condenada! Super amadora. E de bônus ainda tem Borderline no mesmo arquivo.
A versão ao vivo da Re-Invention Tour eu não tenho com qualidade decente, mas você pode super se jogar na versão de studio. Também segue um pouco a linha loka do rock, mas tem mais elementos eletrônicos da original. Um looshu!

4 Bilus felizes:

Diário das Divas disse...

Gata da finèsse, disfarça, mas não é Stúdio 54 não? Ou eu não entendi a brincadeira e a casa de Sampa se chamava Studio 540?

Beijotas!

Maddyrain disse...

Gata, super abaphe the case... É que eu já fui tanto que me confundi com a numeração! A LOKA!!

Aqui em SP era a Studio 720 mesmo! Vc mora aondji, gata?

Beijos,
Maddyrain

Diário das Divas disse...

Gata, moro na cidade que será o centro de referência da América Latina em 40 anos: BH!

(Tá, admito que sou paulista ca capital, adoro o Rio e etc.... Mas aqui em sinto tão metropolitana e tão roceira ao mesmo tempo!...)

Maddyrain disse...

Ai gata! Tomara que vc esteja viva daqui a 40 anos para poder ser referência do travequismo em BH, néam?!

Já estive em Minas fazendo a minha turnê "La Diva del Bueiro", vc me assistiu?

Um beijo, linda!
Maddyrain

Alô?! Maddyrain chamando!

Você acaba de adentrar as entranhas do mundo de Maddyrain, uma profissional da "náiti guêi" de São Paulo que ama house music e decidiu fazer a boazinha e compartilhar parte de seu acervo musical.

Filhos da Maddyrain

Ocorreu um erro neste gadget

Maddyrain recomenda!

Arquivos da Maddyrain

Você é da caravana de onde?

Clientes:


Mais detalhes da clientela