Guia do sucesso na buatchi

Amô! Vem cá, conta pra Roxxana Veludo o que tá acontecendo com você. Não tá tendo sucesso na buatchi? Se arruma todo, passa seu melhor perfuminho da Avon e volta pra casa intocado? Nem a tia da limpeza nota sua presença mais? Tadinho...
Amô, você precisa de duas coisas: primeiro, se benzer. Provavelmente isso é olho gordo de alguma bilu magoada com você. Bilu é um bicho terrível de lidar, gato. Segundo, siga as dicas básicas que Roxxana Veludo, com seus anos e anos de experiência, vai lhe dar!


GUIA DO SUCESSO NA BUATCHI
VOLUME I
POR ROXXANA VELUDO

1- Não faz a desesperada.
Gato, pelo amô de Madonna, não começa a encher o saco das suas amigas bilu, agitando a baladjéenha de sábado na segunda-feira! Eu simplesmente quero matar quem faz isso comigo! Não funciono assim e um monte de xente também não. Vai sair no sábado? Então no sábado à tarde você começa a ligar pra suas amiguinhas e marca a baladjéenha! De segunda pra sábado pode acontecer de tudo: alguma bilu morrer de overdose, todo mundo arranjar um bophy novo e ir pro motel, enfim, essas coisas comuns e básicas na vida de qualquer bilu!


2- Não faz a Mônica.
Amô, eu sei que comprar roupa nova hoje em dia é caro e seu salário de operador de telemarketing mal serve pra pagar as noites de sábado, mas felizmente contamos com opções baratinhas como Marisa, C&A e Renner. Então, meu amô, se joga em alguma promoção e não repita o uniforme de guerra todo santo final de semana! Kilo Minhoca e eu certa vez conhecemos uma Mônica na buatchi que todo final de semana a bunita ia pra Tunnel com uma camisetinha super apertadinha nos ossinhos, listrada e com um cinto inconfundível. Vinhado é bicho ruim, meu amô. Ele repara em tudo!


3- Não faz a porca.
É isso mesmo, meu amô! Se joga no banho antes da balada! Nada de ir pra buatchi com pencas de cecília gritando! E outra coisa, Roxxana Veludo já explicou tudo sobre nossa amiga xuca, então ahazza e se joga no bidê da mamãe, porque a xente nunca sabe quando iremos conseguir uma aquendação gostosa.


4- Não faz a rainha da lotação.
Gato, não tem carro? Tudo bem, eu também não tenho (mas tenho motorista porque sou phyna), mas não faz a rainha do transporte público! Esses lances de ficar marcando encontro com a biluzada na catraca do metrô é muito coisa de biluzinha pobrezinha da periferia. Se a senhora é da periferia, meu amô, vamos evoluir pro próximo estágio da seleção natural! Faz a phyna e finge que veio de carro. Não vai comentar da lotação ou do cobrador de ônibus na fila. Comente sobre o preço da gasolina, de como o estacionamento está caro, essas coisas.


5- Não faz a caruda.
Qualquer dia eu vou escrever sobre o melhor amigo da bilu mal-comida, o carão. Todo mundo gosta de ahazzar um pouco no carão, mas tem bilu que já chega na buatchi toda caruda. Ah, gato, por favor. Vamos ser mais simpáticas e solidárias com a causa operária gay! Chega na buatchi, corre pro bar, vira uma dose de vodka e sorria para todo mundo. Meu lema e de Kilo Minhoca é "Sorria sempre".


6- Não faz a mona do farol.
Nunca, JAMAIS, vá até a cabine do DJ pra pedir uma música. Isso é tão uó de tudo e ainda vai lhe garantir um belo "não". Gato, você acha que a maioria dos DJs ficam ali na mesa remixando em real time? Craro que não, meu amô! Está tudo já gravado e mixado num CD básico! Se você faz a pedinte, é ÓBVIO que ele não terá NEM a música que você quer NEM terá como inserir a bendita música no que ele tá tocando. E depois, gato, F.A.D., fica a dica: é tão démodé pedir música pra DJ. Então, evite o contrangimento.


7- Não faz a virgem puritana.
Pronto, bunita, a senhora tá na pista agora, batendo o cabelo pra lá e pra cá, balançando os têtês em fase de crescimento e finalmente chega um bophy por trás da senhora já te encoxando com a neca dura! O que a senhora faz? Dá um grito e vira um tapa na cara?! Que coisa mais novela das 8! Se fecha, vinhado! Lembre-se do fundamental: a senhora gosta... AMA.. uma neca dura! Então ahazza no rebolado e abocanha o bophy antes que apareça outra bilu fogosa e mais bunduda que a senhora! Se o bofe te chamar pro cantinho, não pense duas vezes! S
ão nos cantinhos da buatchi que acontece o verdadeiro bafão! É lá que a biluzada aquenda aquela neca gostosa! Isso sem falar na biluzada que se joga no narcótico proibido por leis brasileiras. Eu desenvolvi toda uma técnica para fazer uma carreirinha kilométrica sem ser descoberta! Então, mel béin, se joga no cantinho e aquenda aquela neca gostosa sem medo ou dó!

8- Não faz a caloura do Raul Gil.
Nunca, JAMAIS, suba no palco do show da drag ou trava! Gato, tem algo mais queima filme do que suber no palquinho pra fazer graça com a drag da noite?! Eu atóron chamar a biluzada pra subir no palco enquanto eu estou fazendo minha showzinho, mas tadinhas, fico com uma pena! Amô, você vai ser lembrada durante o resto da noite como "a bilu que subiu no palco"! Se for um daqueles showzinhos tipo "Fica Comigo", fuja meu amô! Além de você correr o risco de levar um fora na frente da buatchi inteira, nunca sobe um bophy realmente aquendável.

9- Não faz a biscate fácil.
Amô, aquendar o bophy logo no primeiro encontro é uma coisa, agora dar o telefone é outra MUITO diferente! Você tem que aprender a separar os bophys em grupos distintos: os repetíveis e os inrepetíveis. Os repetíveis são aqueles que por uma série de fatores merecem um segundo round. A neca é boa, o bophy é rico... o bophy tem carro... enfim, essas coisas que atraem todo mundo. Os inrepetíveis todo mundo consegue identificar! Abaixou a cueca e aquela nécula pulou pra fora. O bophy não tem dinheiro nem pra te pagar um drink pós-kétji. Enfim, fuja destes, meu amô! Faz o truque do número de telefone errado. Funciona até hoje!


10- Não faz a morta-viva.
Por fim, amorzinho, sabemos que após 5 horas de bateção de cabelo e aquendação é normal que a senhora esteja pior que um zumbi de manhã. Então, meu amô, carregue na sua bolsinha (ou no bolso da calça pras mais masculinas) aquele drops de Halls preto maravilhoso que irá te salvar do cheiro de buraco negro na boca que TODO MUNDO sofre no final da noite. E não se esqueça, meu kérido, de lavar constantemente seu lindo rostinho durante a noite pra você não sair que nem um fantasma na luz do dia e assustar os seguranças na porta e os taxistas!


Pronto, meus amores! Agora eu quero ver você ficar chupando o dedo a noite inteira! Eu quero ver todo mundo chupando uma neca! E pra você ir treinando a bateção de cabelón deste sábado, se jogue em Put 'em High do Stonebridge que é pura ferveção! Atóron!

Um beijo, meu amô!
Roxxana Veludo

Put 'em High

JJ's Club Mix
JJ's Radio Edit
Stockholme Sound Machine Mix
Dancing Divaz Remix
Steve Angello & Sebastian Ingrosso Remix
Seamus Haji Remix
Axwell Remix (low quality...)
The Sharp Boys Funky Fiesta Mix (low quality...)
Ian Carey Remix (low quality...)
Lief Remix (low quality...)

Baby I don't care where you've been before...

Selo "Chupa meu Edi" de Qualidade:
Atóron! Essa música tocava nas minhas aulinhas de step e a biluzada ahazzava na dublagi, dando piruetas e tudo mais. Achava super phyno e de bom gosto dar pinta na academia! Já adianto pras esfomeadas de plantão que metade dos remixes de hoje estão com a qualidade bem fraca de som. Me joguei na Internet e em outros blogs musicais, mas só achei essas versões mesmo. Quem tiver com a qualidade melhor, ahazza na caridade e me manda o link pra baixar.

A versão mais gostosa e que tocava na minha aula é o JJ's Club Mix! Eu desconfio que ela é a versão original, não sei. Super club diva gay! Atóron! Não dá pra não dançar com essa música! Que delicinha! O Stockholm Sound Machine Mix mais parece uma versão dub. Super acelerado, mas com poucos vocais aqui e ali. Super buatchi fervida também!
O Dancing Divaz Remix é parecido com o JJ's Club Mix. Tem umas batidas novas e mais aceleradas. Super pintosa.

O Steve Angello & Sebastian Ingrosso Remix não é horrível, mas acho que perdeu todo o glamour da versão original. Juro que se tocasse esse remix na minha aula de step, eu não ia conseguir fazer os passinhos direitinho! Esse é mais pra buatchi às 4 da manhã, quando já tá todo mundo pra lá de Bagdá se acabando no dark room.
O Axwell Remix eu nem vou comentar porque não gosto de nada que esse homem remixa. O Seamus Haji Remix também segue a linha dub, com umas batidas gostosas. Pode se jogar com gosto.

Agora vamos começar a sessão "ai que pena". Ai que pena que a qualidade do The Sharp Boys Funk Fiesta Remix está uma merda. Que remix gostoso, super wannabe-latino! Parece que os Sharp Boys aprenderam a remixar, néam? Porque ninguém merece os remixes antigos dos cafuçus. O Ian Carey também segue a linha do JJ's Club Mix, apenas com umas batidas mais phynas e Ibiza, só que, ai que pena, a qualidade está um nojo! O Lief Mix tem uma pegada mais calminha e se fosse mais lentinho, daria um lounge mix super gostoso. Ai que pena que a qualidade está uó!!

Maddyrain não tem, Maddyrain quer:
Kéridos, nem tudo é ouro! Além de alguns remixes estarem péssimos, Maddyrain não tem as seguintes versões. Seja bonzinho e compartilhe comigo!

radio edit 4:04
acapella 4:51
sharp dub
ben delay's sugarland remix 5:46
swen g* remix 5:48
bruno renno squeeze remix 6:16

1 Bilus felizes:

Fernanda disse...

O item 8, "Nunca, JAMAIS..." me lembrou uma frase bizarra e histórica! hauahuah! Mas vc é a Maddy, não deve saber da história. Te conto depois!

Alô?! Maddyrain chamando!

Você acaba de adentrar as entranhas do mundo de Maddyrain, uma profissional da "náiti guêi" de São Paulo que ama house music e decidiu fazer a boazinha e compartilhar parte de seu acervo musical.

Filhos da Maddyrain

Ocorreu um erro neste gadget

Maddyrain recomenda!

Arquivos da Maddyrain

Você é da caravana de onde?

Clientes:


Mais detalhes da clientela